quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

DEZ RAZÕES PARA LER E ESTUDAR A BÍBLIA.

A Bíblia é a palavra de Deus, por isso devemos a ler, estuda-la, respeita-la, ama-la e pratica-la. A palavra de Deus é uma fonte inesgotável que dessedenta a nossa sede espiritual e fortalece a nossa alma. Ela é uma mina de ricos tesouros, mais preciosa que a prata e mais rica que o ouro. Ela deve ser o nosso livro de cabeceira, o nosso pão diário e a nossa meditação todos os dias. Nela há razões de sobra para quem busca ler e estuda-la. Dentre as muitas razões, queremos citar apenas dez, que estão contidas no livro dos Salmos 119.

1. ELA NOS PURIFICA.
Como purificará o jovem o seu caminho? Observando-o conforme a tua palavra (Sl.119.9).

2. ELA NOS PROTEGE DE PECAR.
Escondi a tua palavra no meu coração, para eu não pecar contra ti (Sl.119.11).

3. ELA É LUZ PARA NOSSO CAMINHO.
Lâmpada para os meus pés é tua palavra, e luz para o meu caminho (Sl.119.105).

4. ELA NOS DÁ ENTENDIMENTO.
A exposição das tuas palavras dá luz e dá entendimento aos símplices (Sl.119.130).

5. ELA NOS PROPORCIONA ALEGRIA.
Folgo com a tua palavra, como aquele que acha um grande despojo (Sl.119.162).

6. ELA É A DOÇURA ESPIRITUAL DO NOSSO PALADAR.
Oh! Quão doces são as tuas palavras ao meu paladar! Mais doces do que o mel à minha boca (Sl.119.103).

7. ELA FIRMA OS NOSSOS PASSOS.
Firma os meus passos na tua palavra, e não se apodere de mim iniquidade alguma (Sl.119.133).

8. ELA NOS PROPORCIONA PAZ.
Muita paz têm os que amam a tua lei, e para eles não há tropeço (Sl.119.165).

9. ELA É PURA.
A tua palavra é muito pura; por isso, o teu servo a ama (Sl.119.140).

10. ELA É A VERDADE.
A tua palavra é a verdade desde o princípio, e cada um dos teus juízos dura para sempre (Sl.119.160).

domingo, 18 de fevereiro de 2018

DESCRIÇÃO PROFÉTICA DA UNIÃO ENTRE CRISTO E A IGREJA NO SALMO 45.

Este salmo nos revela de forma poética, profética e didática a união entre Cristo e a igreja. Neste salmo vamos perceber que o escritor revela o sublime caráter de Cristo e as suas atribuições em relação a noiva. Este salmo é descrito como um cântico de amor, um romance espiritual entre Cristo e a igreja. Este salmo é ímpar em sua descrição poética entre Cristo e a igreja. Este não é um canto de casamento de núpcias terrestres, mas sim um casamento do Noivo celeste e a sua esposa eleita.
Este salmo adorna a beleza ímpar do Messias; a partir de Sl. 45.2-9, são dirigidas a Ele atribuições admiradoras de louvor. Os versículos 10-12 são palavras faladas à noiva. Fala-se ainda sobre a noiva, que representa a igreja, nos versos 13-15, e o salmo termina falando do Rei, predizendo a sua fama e louvor eterno, 45.16,17.

AS QUALIDADES DE CRISTO REVELADAS NESTE SALMO.

* FORMOSO.
Tu és mais formoso do que os filhos dos homens ... Vers.2

* GRACIOSO.
A graça se derramou nos teus lábios; por isso Deus te abençoou para sempre. Vers.2

* VALENTE.
Cinge a tua espada à coxa, ó valente ... Vers.3

* MAJESTOSO.
... Com a tua glória e a tua majestade. Vers.3

* GUERREIRO.
E neste teu esplendor cavalga prosperamente pela causa da verdade, da mansidão e da justiça ...
As tuas flechas são agudas no coração dos inimigos do rei, e por elas os povos caíram debaixo de ti (Vers..4,5).

* REI.
O teu trono é eterno, ó Deus, é eterno e perpétuo; o cetro do teu Reino é um cetro de equidade (Vers.6).

* UNGIDO.
Tu amas a justiça e aborreces a impiedade; por isso, Deus, o teu Deus, te ungiu com óleo de alegria, mais do que a teus companheiros (Vers.7).

QUALIFICAÇÕES ATRIBUÍDAS A IGREJA NOS VERSÍCULOS, 9-15.

* NOIVA.

* PRINCESA.

* FORMOSA.

* ILUSTRE.

CONCLUSÃO:
Neste salmo, Cristo é o deleite do Pai. Ele é o tema da igreja e a glória dos céus. Cristo é apresentado como o mais sublime e incomparável entre os filhos dos homens. Ele é o ungido de Deus, o Rei que ama e pratica a justiça, cujo cetro do seu Reino é de justiça e equidade. A sua noiva, a igreja, é destacada como uma princesa formosa e ilustre, a mais bela e aplausível de todas.
Toda mensagem profética deste salmo, terá o seu pleno cumprimento na eternidade, quando a noiva se unir a Cristo eternamente após o seu encontro com Ele, por ocasião do arrebatamento da igreja.

quinta-feira, 15 de fevereiro de 2018

QUEM SÃO AS DUAS TESTEMUNHAS?

E darei poder às minhas duas testemunhas, e profetizarão por mil duzentos e sessenta dias, vestidas de pano de saco. Estas são as duas oliveiras e os dois castiçais que estão diante do Deus da terra (Ap.11.3,4).

Muitos acreditam e ensinam que essas duas testemunhas que aparecerá no período da grande tribulação, são Moisés e Elias, pelo fato de terem aparecido juntos com Jesus no monte da transfiguração (Mt.17.1-6). Um outro argumento é porque eles ordenaram no passado as mesmas pragas que acontecerão na grande tribulação. Todavia, não podemos crer nem aceitar que um deles seja Moisés, mesmo que Moisés tenha feito os mesmos sinais no Egito e tenha aparecido junto de Jesus na sua transfiguração. Pelo simples fato, Moisés morreu (Deut.34.7,8). Em apocalipse, 11.7 está escrito que as duas testemunhas serão mortas. Portanto Moisés não poderia nascer e morrer duas vezes. A palavra de Deus nos diz: E, como aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo, depois disso, o juízo (Hb.9.27).

UMA RESPOSTA À LUZ DA BÍBLIA.

Em Apocalipse, 11.4. O anjo diz a João que as duas testemunhas são as duas oliveiras e os dois castiçais que estão diante do trono de Deus. Em referência a essas duas oliveiras, o profeta Zacarias em sua quinta visão ele vê duas oliveiras (Zc.4.3,4) e pergunta ao anjo: Quem são as duas oliveiras à direita do castiçal e à sua esquerda? Então, ele disse: Estes são os dois ungidos, que estão diante do Senhor de toda a terra (Zc.4.11-14).
Elias e Enoque foram os únicos homens que não morreram, mas foram arrebatados ao céu vivos. Leia: Gênesis, 5.24; Hebreus, 11.5 e II Reis, 2.11. Eles que estão diante de Deus sem terem experimentado a morte, irão voltar à terra como testemunhas do Senhor para falar aos homens, no período da grande tribulação. Depois de haverem cumprido a missão, serão mortos para em seguida ressuscitarem e subirem ao céu (Ap.11.7-12).
Portanto, fica subentendido que as duas testemunhas do Apocalipse serão Elias e Enoque. 

quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

DEUS OU MAMOM.

Ninguém pode servir a dois senhores, porque ou há de odiar um e amar o outro ou se dedicará a um e desprezará o outro. Não podeis servir a Deus e a Mamom (Mateus, 6.24).

Mamom não é um deus propriamente dito, Mamom é um termo hebraico que significa riquezas, bens materiais. Portanto, o termo do hebraico, "Mamom" significa até hoje apenas dinheiro ou riquezas. Mamom não é nenhum ídolo antigo, ao menos segundo diversas fontes históricas judaicas consultadas, mas sim apenas uma representação das riquezas.
Porém, o que Jesus deixou claro é que, quando nós amamos o dinheiro e passamos a ser dominados por ele, logo ele passa a ser nosso deus. Passamos a ser escravos ou servos daquilo que nos domina. Logo se formos escravos das riquezas, "Mamom" passa a ser o nosso deus.
Tem pessoas que dizem: "O meu deus é o meu dinheiro". Essas pessoas que pensam assim, estão descartando Deus como seu Senhor e adotando o dinheiro como seu senhor. Se você ama o dinheiro e prioriza ele acima de tudo em sua vida, consequentemente ele passa a ser o seu deus. O problema é que tem pessoas que querem servir a Deus e a Mamom (riquezas) ao mesmo tempo. Jesus falou que isto não é possível.
Atualmente, no mundo materialista em que vivemos, é possível que tenha mais pessoas servindo a Mamom do que a Deus. É lamentável que seja assim, mas é fato. Dinheiro é bom, não há nada de errado em possui-lo, o problema e ama-lo e deixa-se dominar por ele.
O amor ao dinheiro. 
Porque o amor ao dinheiro é a raiz de toda espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé e se transpassaram a si mesmos com muitas dores (I Tm.6.10).
Paulo não diz ser o dinheiro a raiz de todos os males, mas sim o amor a ele.
Infelizmente, há muitos cristãos sendo dominados pelo dinheiro, priorizam o dinheiro e as coisas materiais ao invés de buscarem em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça (Mateus, 6.33).
Afinal de contas, a quem você está servindo, a Deus ou a Mamom?

terça-feira, 13 de fevereiro de 2018

O PODER CURADOR DA PALAVRA.

Enviou a sua palavra e os sarou, e os livrou da sua destruição (Salmos, 107.20).

Esta é uma palavra profética que se cumpriu em Jesus, pois Ele é a palavra viva. Jesus é o Verbo de Deus enviado para curar a humanidade enferma na alma e também no corpo. Jesus veio como o Verbo de Deus para curar, libertar e livrar da morte eterna a humanidade pobre e desvalida. A luz da bíblia nós vamos perceber que, a palavra verdadeiramente é o próprio Jesus. Assim está escrito: No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do Unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade (João, 1.1,14). No livro dos salmos está escrito: Para sempre, ó SENHOR, a tua palavra permanece no céu (Sl.119.89). Glória a Deus por Ele ter enviado a sua palavra (Jesus Cristo), para nos curar e nos salvar, nos livrando da morte eterna, nos trazendo libertação e salvação. Ainda sobre a palavra de Deus enviada, o profeta Isaías nos diz: Verdadeiramente, Ele tomou sobre si as nossas enfermidades e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputamos por aflito, ferido de Deus e oprimido. Mas Ele foi ferido pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre Ele, e, pelas suas pisaduras, fomos sarados (Is.53.4,5). Jesus, a palavra de Deus enviada, tem poder para curar a alma do homem enferma pelo pecado e liberta-lo de todos os males, trazendo salvação e vida eterna.
Se você acredita que Jesus Cristo é a palavra de Deus enviada para salvar a humanidade, entregue-se a Ele e permita que Ele lhe cure e livre-o da morte eterna, salvando a sua alma. Amém!

terça-feira, 6 de fevereiro de 2018

INVERSÃO DE VALORES.

Ai dos que ao mal chamam bem e ao bem chamam mal! Que fazem da escuridade luz, e da luz, escuridade, e fazem do amargo doce, e do doce, amargo! (Isaías, 5:20).

Vivemos em uma sociedade liberal, de valores invertidos, que despreza os princípios bíblicos e vivem na prática da inversão de valores. A verdade é que a inversão de valores é uma prática antiga, desde os tempos remotos a sociedade vem desprezando os bons costumes e se desfazendo dos princípios éticos e morais que elevam o caráter do homem. Na atualidade, mais do que nunca, estamos vendo de um modo em geral a inversão de valores sendo praticada e propagada pela mídia em todos os seguimentos da sociedade. O grande problema é que as pessoas querem viver a sua própria "verdade" e realidade de vida. Muitos preferem viver ao seu bem-prazer, da maneira que lhe é conveniente. Eles pregam que o homem é um produto do meio, e que cada um vive a sua realidade. Como se as regras, as leis e os bons princípios que regem a sociedade não tivessem valor algum.
O fato é que estamos vivendo uma época de total inversão de valores, onde o certo passa a ser o errado e o errado o certo. Onde o errado e aclamado como certo, onde os transgressores, os corruptos e os ladrões são aplaudidos como os espertalhões da sociedade; onde a ideologia de gênero é aceita por muitos como uma opção de vida, e que deve ser respeitada pela sociedade. Querem empurrar isso goela a baixo para sociedade, sem medir as consequências dos males que podem causar para sociedade de um modo geral.
Eles estão misturando o sagrado com o profano e dizendo que não há diferença. Este é o retrato de uma sociedade perversa, doentia e sem temor (respeito) a Deus.
A verdade é que estamos vendo uma sociedade pluralista, pragmática e alienada de Deus.
Estamos em crise de bons costumes e referenciais, de bons paradigmas em quem possamos nos espelhar e termos como bons modelos e exemplos a serem seguidos.
O apóstolo Paulo aconselhando o jovem pastor Timóteo, o seu filho na fé, diz: Conserva o modelo das sãs palavras que de mim tens ouvido, na fé e na caridade que há em Cristo Jesus (II Tm.1.13).
Tu, porém, tens seguido a minha doutrina, modo de viver, intenção, fé, longanimidade, caridade, paciência, ... (II Tm.3.10).
Paulo também desafia os irmãos da igreja de Filipos a seguirem o seu exemplo de vida: Tudo o que aprendestes, recebestes, ouvistes e vistes em mim, isso praticai, e o Deus de paz estará convosco (Fp.4.9).

Finalmente, entendemos que os princípios da palavra de Deus devem ser invioláveis, e que nós devemos nos esforçar para vive-los e não abrir mão desta verdade absoluta. Assim está escrito: Toda Escritura divinamente inspirada é proveitosa para ensinar, para repreender, para corrigir, para instruir em justiça, para que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente instruído para toda boa obra (II Timóteo, 3.16,17).
O cristão verdadeiro não aceita e nem pratica a inversão de valores, mas reprova. O cristão verdadeiro, pratica os princípios da palavra de Deus e anda na contramão do mundo. Há uma frase do revolucionário Martin Luther King, que diz: "Quem aceita o mal sem protestar, coopera com ele".
Viva na verdade e não abra mão dos princípios éticos e morais da palavra de Deus.