quinta-feira, 21 de dezembro de 2017

PASSA À MACEDÔNIA E AJUDA-NOS!

E Paulo teve, de noite, uma visão em que se apresentava um varão da Macedônia e lhe rogava, dizendo: Passa à Macedônia e ajuda-nos! (Atos, 16.9).

Nessa passagem, o Espírito Santo muda a estratégia missionária de Paulo. Paulo experimentou certa frustração, o Espírito Santo o proibiu de pregar na costa oeste da Ásia menor; de modo que o apóstolo e seus companheiros passaram pela região da Frígia e Galácia, onde possivelmente evangelizaram a população local (Atos, 16.6). Rumaram para Mísia, mas o Espírito de Jesus não permitiu que seguissem até Bitinia. E, tendo passado por Mísia, desceram a Trôade (Atos, 16.7,8).
Até aqui, o Espírito Santo os havia impedido de pregar, mas agora mostra com clareza para onde havia de ir. Em Trôade, Paulo recebeu uma direção através de uma visão, na qual Paulo viu um varão da Macedônia que o chamava para ir à Macedônia ajudá-los (Atos, 16.9). Paulo não resistiu ao chamado, mas entendeu que o Espírito Santo estava lhe direcionando para uma grande obra de evangelização na região da Macedônia.

TRÊS REQUISITOS PARA MISSÕES:

VISÃO.

A visão é um requisito necessário para que um missionário seja bem sucedido na obra de evangelização. Esta visão não pode ser humana, ela é espiritual e vem de Deus. Muitas vezes precisamos deixar o Espírito agir e falar por nós. A direção do Espírito Santo é indispensável na obra de missões. Muitos seguem a sua própria visão e direção, o resultado é frustração, fracasso e decepção.

OBEDIÊNCIA.

Obedecer a direção do Espírito Santo é uma questão de fé. Muitas vezes nos parece algo contraditório seguir as orientações do Espírito. A princípio Paulo não entendeu o porque do Espírito Santo lhe impedir que ele pregasse em determinadas regiões, todavia ele obedeceu e procurou seguir as orientações do Espírito. A obediência é fundamental na obra de missão, quem desobedece a direção de Deus e busca seus próprios interesses, está fadado ao fracasso. 

DISPOSIÇÃO.

A disposição do missionário é que faz a diferença. Esta disposição implica em ter coragem e fé para enfrentar os obstáculos que sempre irão existir no campo missionário. É preciso entender que, toda a porta que Deus abre sempre vai aparecer os adversários da obra. Paulo teve coragem e determinação diante as adversidades, ele é um exemplo a ser seguido por todos os missionários da era moderna.
Muitos querem fazer de missões uma aventura, outros querem fazer turismo, porém, os verdadeiros missionários estão em busca das almas perdidas, afim de resgatá-las para Cristo. Amém!