domingo, 26 de julho de 2015

ESPERA NO SENHOR.

Espera no SENHOR, anima-te, e Ele fortalecerá o teu coração; espera, pois, no SENHOR (Salmo.27.14).

Vivemos em um mundo que as pessoas estão sempre apressadas, a tecnologia tem facilitado a vida das pessoas e vem acelerando tudo, a rapidez e a agilidade tem se tornado o modo de vida da sociedade moderna. Infelizmente, as pessoas estão sem paciência para esperar. A falta dessa virtude tem levado muita gente a ruína e destruição. Esperar em Deus é algo inaceitável para muitos, é um contra senso a ansiedade das pessoas em querer ter, ser e possuir as coisas em um curto espaço de tempo. Todavia a palavra de Deus nos recomenda que devemos esperar no SENHOR, esperar no SENHOR é uma atitude de fé, os que esperam no SENHOR não ficarão confundidos nem envergonhados, antes serão atendidos, recompensados e vitoriosos. Está escrito: Os que esperam no SENHOR renovarão as suas forças (Is.40.31). Bom é ter esperança e esperar com paciência a providência de Deus. Esperar no SENHOR é ter a certeza que Ele não falha, é melhor esperar no SENHOR do que confiar nos recursos humanos. O SENHOR é bom, uma fortaleza no dia da angústia, e conhece os que confiam nele (Naum, 1.7). Amém!

TRÊS MANEIRAS DE ESPERAR NO SENHOR:

1. COM PACIÊNCIA.

Esperei com paciência no SENHOR, e ele se inclinou para mim, e ouviu o meu clamor (Sl.40.1).

2. COM ÂNIMO.

Espera no SENHOR, anima-te, e Ele fortalecerá o teu coração; espera, pois, no SENHOR (Salmo.27.14).

3. COM CONFIANÇA.

Portanto, assim diz o SENHOR JEOVÁ: Eis que eu assentei em Sião uma pedra, uma pedra já provada, pedra preciosa de esquina, que está bem firme e fundada; aquele que crer não se apresse (Is.28.16).

TRÊS PROMESSAS PARA QUEM ESPERA NO SENHOR:

1. SUAS FORÇAS SERÃO RENOVADAS.

Mas os que esperam no SENHOR renovarão as suas forças e subirão com asas como águias; correrão e não se cansarão; caminharão e não se fatigarão (Is.40.31).

2. DEUS ESTARÁ TRABALHANDO A SEU FAVOR.

Porque desde a antiguidade não se ouviu, nem com ouvidos se percebeu, nem com os olhos se viu um Deus além de ti, que trabalhe para aquele que nele espera (Is.64.4).

3. DEUS TE EXALTARÁ E TE FARÁ VENCEDOR.

Espera no SENHOR e guarda o seu caminho, e te exaltará para herdares a terra; tu o verás quando os ímpios forem destruídos (Sl.37.34).

Há uma música composta por Rildomar Nascimento e interpretada pelo cantor Marcos Antônio, que diz:

Bem-aventurado aquele que teme ao senhor
E confia perpetuamente em seu poder
E medita de dia e de noite, noite e dia sem fim,
Sua casa edificada sobre a rocha
Não existe vendaval pra destruir
E a família que habita dentro dela, no senhor espera
Espera no senhor sem desistir
Na certeza que ele não falha
Tudo ele já preparou, seu amor nunca mudou
Espera no senhor sem desistir
Seu amor nunca mudou.

quinta-feira, 16 de julho de 2015

As fronteiras de SODOMA estão sendo ultrapassadas.

Pois, assim como aconteceu nos dias de Noé, também será nos dias do Filho do homem. As pessoas viviam comendo, bebendo, unindo-se em matrimônio e sendo prometidas em casamento, até o dia em que Noé entrou na arca. Então sobreveio o dilúvio e os destruiu a todos. Da mesma forma ocorreu nos dias de Ló. O povo dedicava-se a comer e beber, comprar e vender, plantar e construir. Todavia, no dia em que Ló abandonou Sodoma, choveu fogo e enxofre do céu e destruiu a todos. E, acontecerá exatamente assim, no Dia em que o Filho do homem for revelado (Lucas, 17.26-30).

A expressão "Sodoma e Gomorra" se aplicam, por extensão, às cinco cidades-estados do vale de Sidim, no mar Morto (também chamado mar Salgado): Sodoma, Gomorra, Admá, Zebolim e Bela (também chamada de Zoar). Sodoma, sinônimo de perversão, maldade e liberdade sem limites para o pecado. Diz o texto sagrado que os homens de Sodoma eram maus e grandes pecadores contra o SENHOR (Gn.13.13). 

Deus é longânimo, piedoso e misericordioso; porém a sua longanimidade tem limite, Ele é amor e também é justiça. Havendo arrependimento sincero diante de Deus, haverá perdão e salvação, e a sua ira será aplacada. A bíblia diz: Deus é um juiz justo, um Deus que se ira todos os dias. Se o homem se não converter, Deus afiará a sua espada; já tem armado o seu arco e está aparelhado (Sl.7.11,12). Deus é Santo e a sua santidade não compactua com o pecado, está escrito que o pecado faz divisão entre Deus e o homem, impedindo que este tenha plena comunhão com Ele (Is.59.1,2). Deus decidiu salvar o homem porque todos pecaram e ficaram destituídos (separados) da glória de Deus (Rm.3.23). Todos nós carecemos do perdão de Deus, é buscando a Deus com um coração sincero que receberemos o seu perdão e teremos a sua Glória (presença) em nossas vidas. É tempo de arrependimento, é tempo de buscar a Deus, é tempo de estarmos preparados para a vinda do SENHOR.

OS PECADOS DE SODOMA.

Conta-nos o livro de Gênesis que os moradores de Sodoma e Gomorra eram maus e profundamente pecadores. Esse pecado adquiriu tal gravidade na época de Abraão que Deus, em um evento único em toda a bíblia, decidiu destruir inteiramente aquelas cidades. 
Diz a narrativa bíblica: 
Deus fez chover do céu fogo e enxofre sobre Sodoma e Gomorra. Assim Ele destruiu completamente aquelas cidades e toda a planície, com todos os habitantes das cidades e toda a vegetação ao redor (Gn.19.24,25).

Há constantes referências na bíblia a este evento, que alertam para a sua destruição repentina e total. A iniquidade em Sodoma era tal que os seus moradores não tinham nenhum pudor de pecar em público. Na época do profeta Isaías, Deus repreende a nação de Israel e compara os seus pecados com os de Sodoma. Diz o profeta: A aparência do seu rosto testifica contra eles; e publicam os seus pecados como Sodoma; não os dissimulam. Ai da sua alma! Porque se fazem mal a si mesmos (Is.3.9). 
A princípio a bíblia não descreve que pecados eram esses.
Mas era algo que tinha atingido níveis graves, ao ponto de Deus não suportar e anunciar a Abraão a sua iminente destruição.

Disse mais o SENHOR: Porquanto o clamor de Sodoma e Gomorra se tem multiplicado, e o seu pecado se tem agravado muito, descerei agora e verei se, com efeito, têm praticado segundo este clamor que é vindo até mim; e, se não, sabê-lo-ei (Gn.18.20.21).
Em Sodoma havia um declínio moral e social.  

Diz o texto sagrado: De maneira semelhante a estes, Sodoma e Gomorra e as cidades circunvizinhas entregaram-se à imoralidade e a todo tipo de depravação sexual. Estando sob o castigo do fogo eterno, essas cidades nos servem de exemplo (Judas,7). 

Portanto, tão certo como Eu vivo, assevera o SENHOR Deus, tua irmã Sodoma e suas filhas não fizeram como tu e tuas filhas fizeram. E esta foi a malignidade de tua irmã Sodoma: ela e suas filhas eram arrogantes; tiveram fartura de alimento e viviam sem a menor preocupação; não ajudavam os pobres e os necessitados. (Ez.16.48,49).

Através destes textos concluiu-se que os pecados de Sodoma e Gomorra eram de nível sexual e social. Além das praticas sexuais ilícitas havia também uma insensibilidade social por parte dos habitantes de Sodoma e Gomorra, como muita gente hoje em dia, tinham abundância de bens materiais, porém não se solidarizavam com as necessidades dos pobres e adoravam ídolos”.
Portanto, se Sodoma e Gomorra deve ser comparada com alguém hoje em dia, essa comparação recai sobre a sociedade atual com sua injustiça em relação aos pobres, uma sociedade hipócrita e egoísta que agi de má fé para obter vantagens sobre os menos favorecidos.

Sodoma e Gomorra não existem  mais. Sua rebeldia contra o SENHOR que foi manifestada em uma imoralidade sexual extrema foi o caminho que levou à sua destruição. Na época atual estamos vendo uma nova Sodoma, uma nova Gomorra, os pecados de Sodoma e Gomorra na atualidade apenas se modernizaram e tem uma nova roupagem, porém a maldade é a mesma, apenas há uma nova vestimenta às suas próprias condenações morais diante de Deus. Porém, um castigo especial aguarda pelos ‘sodomitas’ de qualquer época, e terão que prestar conta tanto dos pecados que praticaram quanto pelos que levam outros a fazerem.

Afinal de contas é perceptível que as fronteiras do pecado de Sodoma estão sendo ultrapassadas. Mas o juízo de Deus está próximo. O Juiz está à porta. 
Está escrito: Ora, se Deus não poupou os anjos que pecaram, mas os lançou no inferno, aprisionando-os em cadeias abismais tenebrosas, com o propósito de serem reservados para o Juízo, de igual modo, Ele não poupou o mundo antigo quando abateu o Dilúvio sobre aquele povo ímpio, entretanto preservou Noé, proclamador da justiça, e mais sete pessoas. Também condenou as cidades de Sodoma e Gomorra, reduzindo-as a cinzas, tornando-as exemplo do que sucederá aos que vivem praticando o mal (2Pedro, 2.4-6).

CONCLUSÃO: 
As cidades de Sodoma e Gomorra atingiram um nível de pecados tão alto, a ponto de atrair o juízo de Deus. Se naquela época onde a população era bem menor em ralação aos dias atuais e não havia tantas opções para pecar, imagine hoje, com a prática desenfreada do pecado no mundo todo. Concluímos que, as fronteiras de Sodoma e Gomorra estão sendo ultrapassadas. 
Portanto, é tempo de arrependimento, é tempo de buscar a Deus, é tempo de estarmos preparados para a vinda do SENHOR. Ele vem! Maranata!
Deus é juiz justo, um Deus que se ira todos os dias.
Se o homem não se converter, Deus afiará a sua espada; já tem armado o seu arco, e está aparelhado.
Salmos 7:11,12

quinta-feira, 9 de julho de 2015

CRISE. A MELHOR HORA PARA ACONTECER O MILAGRE.

Depois disso, Bem-Hadade, rei da Síria, convocou todo o seu exército para atacar e sitiar Samaria. Houve grande fome em Samaria, porque o cerco foi mantido até que grande fome se espalhou por toda a cidade, a ponto de uma cabeça de jumento custar o equivalente a oitenta peças de prata, e uma caneca de esterco de pomba, cinco peças de prata. Quando o rei de Israel ia passando pela muralha, uma mulher lhe gritou: “Socorre-me, senhor meu rei!” Diante do que respondeu ele: “Se o SENHOR não te socorrer, quem sou eu para te ajudar? Acaso há trigo na eira ou vinho no tanque de prensar uvas?” Mesmo assim, o rei lhe indagou: “Que te aconteceu?” E ela explicou: “Esta mulher me disse: ‘Entrega teu filho, para que o comamos hoje, que amanhã comeremos o meu filho!’ Então cozinhamos o meu filho e o comemos; no dia seguinte eu lhe disse: ‘Agora, pois, dá o teu filho para que o comamos’, mas ela escondeu o seu filho!” Assim que o rei ouviu o que aquela mulher disse, rasgou as vestes enquanto caminhava pelo muro; e o povo viu que o rei vestia pano de saco por baixo, sobre a pele. Então disse o rei: “Que Deus me castigue com todo o rigor se a cabeça de Eliseu filho de Safate, lhe ficar sobre os ombros até o final deste dia!”(2Rs.6.24-31).
Eliseu respondeu: “Escuta a Palavra do SENHOR! Assim diz o SENHOR: ‘Amanhã, por essas horas, na entrada de Samaria, tanto uma medida de farinha como duas medidas de cevada serão vendidas por uma peça de prata’”. O escudeiro em cujo braço do rei se apoiava respondeu ao homem de Deus: “Ainda que o SENHOR mandasse abrir as comportas do céu, será que essa profecia poderia se tornar realidade?” Entretanto, Eliseu advertiu: “Tu o verás com teus próprios olhos, contudo dessa fartura não comerás!”(2Rs.7.1,2).

A nação de Israel estava bem, o povo gozava de estabilidade e prosperidade financeira; até que, o rei da Síria, Bem-Hadade, decidiu declarar guerra contra Israel, ele cercou a cidade com todo o seu exército e ficou acampado por muitos dias, ninguém entrava e nem saía, até que ouve escassez de alimentos e a crise se instalou. A crise foi tão forte e prolongada que algumas pessoas estavam praticando canibalismo, a fome e a carestia chegou ao extremo, a ponto de uma cabeça de jumento custar o equivalente a oitenta peças de prata, e uma caneca de esterco de pomba, cinco peças de prata. O rei de Israel desesperado, sem controle da situação, colocou a culpa no profeta Eliseu, e disse: “Que Deus me castigue com todo o rigor se a cabeça de Eliseu filho de Safate, lhe ficar sobre os ombros até o final deste dia!” É mesmo assim, quando vem as dificuldades  e a crise chega ao extremo, sempre temos a tendência de questionar a Deus e queremos colocar a culpa em alguém. Porém, é preciso entendermos que milagres só acontecem na hora da adversidade. A crise vem e é necessária para que cresçamos, não devemos temer a crise, mas confiarmos em Deus. Na crise é a melhor hora para Deus operar um milagre. Creia! Deus vai mudar a situação e a crise terá o seu fim. Amém!

NA CRISE DEUS NOS ENSINA E NOS FAZ CRESCER.

No dia da prosperidade, goza do bem, mas, no dia da adversidade, considera; porque também Deus fez este em oposição àquele, para que o homem nada ache que venha de vir depois dele (Ec.7.14).

É no momento de crise que nós deixamos de ser "bebês" na fé e amadurecemos.
Existe uma frase muito conhecida e usada pelas pessoas que diz: "Na crise, CRIE". Porém, eu prefiro usar: "Na crise, CONFIE". Todos nós passamos por momentos difíceis na vida, mas, infelizmente, poucos sabem lidar com essas situações e confiar que Deus pode operar um milagre.
Deus está no controle, o céu não está em crise.
Vejamos o que Tiago diz sobre fé e perseverança: 
"Meus irmãos, considerem motivo de grande alegria o fato de passarem por diversas provações, pois vocês sabem que a prova da sua fé produz perseverança. E a perseverança deve ter ação completa, a fim de que vocês sejam maduros e íntegros, sem lhes faltar coisa alguma. Se algum de vocês tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá livremente, de boa vontade; e lhe será concedida. Peça-a, porém, com fé, sem duvidar, pois aquele que duvida é semelhante à onda do mar, levada e agitada pelo vento. Não pense tal homem que receberá coisa alguma do Senhor; pois é alguém que tem mente dividida e é instável em tudo o que faz" (Tiago 1:2-8).
"Quantos de nós conseguimos nos alegrar em meio às provações? Quantos pedem sabedoria ao Senhor? Quantos exercitam a sua fé? Quantos vão até a fonte certa?" É preciso exercitarmos nossa fé na hora da crise e tirarmos proveito da situação, só assim aprendemos e crescemos. 
A crise nos ensina coisas que não aprenderíamos de outra maneira.

CONCLUSÃO: 
Não espere pouca coisa de um Deus tão grande!
Para operar um milagre em nossas vidas, Deus não precisa de muita coisa. Basta você entregar a Ele tudo o que tem e confiar Nele. O pouco com Deus se torna muito. Tanto é verdade que Jesus, com apenas cinco pães e dois peixinhos, alimentou milhares de pessoas.
Quando você estiver em crise, peça sabedoria a Deus para que possa enxergar o melhor caminho e fazer a sua parte. 
Em tempos de crise, devemos bater na porta certa! Por maior que seja o problema, não negocie com o diabo, pois ele deseja te escravizar. Antes procure a Deus e fale com Ele sobre as coisas que te afligem. Não se acomode com uma vida derrotada! Vá a luta, busque a Deus, a crise vai acabar e haverá grande prosperidade! Amém!

segunda-feira, 6 de julho de 2015

SAINDO DE LO-DEBAR.

E disse Davi: Há ainda alguém que ficasse da casa de Saul, para que lhe faça bem por amor de Jonatas? E havia um servo na casa de Saul cujo nome era Ziba; e o chamaram que viesse a Davi, e disse-lhe o rei: És tu Ziba? E ele disse: Servo teu. E disse o rei: Há ainda algum da casa de Saul para que use com ele de beneficência de Deus? Então, disse Ziba ao rei: Ainda há um filho de Jonatas, aleijado de ambos os pés. E disse-lhe o rei: Onde está? E disse Ziba ao rei: Eis que está em casa de Maquir, filho de Amiel, em Lo-Debar. Então, mandou o rei Davi e o tomou da casa de Maquir, filho Amiel de Lo-Debar (2Sm.9.1-5).

Mefibosete nasceu num "berço de ouro" de um "palácio real", pois era neto do Rei Saul, filho do Príncipe Jônatas (2 Sam 4.4). Ele era herdeiro do trono, a sua vida tinha tudo pra dá certo. Entretanto, uma tragédia se abateu sobre sua vida quando ele tinha apenas cinco anos de idade. Israel foi derrotado em uma sangrenta batalha no monte Gilboa. A notícia da morte de Saul, Jônatas e Isbosete chegou até a casa real enchendo todos de terror. 
A babá de Mefibosete, temendo que o menino também fosse morto, o toma em seus braços e foge correndo, mas, na pressa, acaba tropeçando e deixando o menino cair. Na queda, Mefibosete despedaça os pés e fica aleijado. Agora, ele está órfão de pai e mãe. Perdeu a majestade, perdeu a saúde e vive escondido em um humilde povoado, numa cidade chamada Lo-Debar (sem pasto), onde havia sequidão e miséria, e cujos habitantes eram todos mendigos ou doentes.
Passou a depender da caridade alheia. Um bom homem, cujo nome era Maquir, que foi quem o amparou, adotando-o como filho. Seu exílio forçado aparentemente o livrou de ser enforcado, junto com os demais da casa real. Mas, o que ele ignorava é que havia uma aliança entre seu pai Jônatas e o rei Davi, de que suas sementes cresceriam juntas. Davi comprometeu-se a sempre demonstrar bondade para com a família de Jônatas (1 Sm 20.11-23).

OS TRAUMAS DA VIDA DE MEFIBOSETE.

Uma interferência forte começa então a mudar a história dele, o seu projeto de vida, tudo aquilo que seu pai tinha sonhado para ele foi se desfazendo a partir das tragédias que lhe aconteceram.
Ele é o que podemos denominar O COLECIONADOR DE TRAUMAS, toda a sua vida foi marcada por decepções, perdas irreparáveis, frustrações e angústias. O histórico de vida dele nos mostra que os traumas começaram na sua infância. 
 
TRAUMA FÍSICO.

II Sm 4). O trauma físico sofrido por Mefibosete impedia que ele exercesse a posição de guerreiro, de valente. Geralmente todos os príncipes em Israel tinham que ir a guerra empunhar suas espadas e defender o rei. Ele não conseguia, imagine a frustração de ver todos os seus irmãos irem à batalha vestidos com armaduras, e ele sozinho, sem ação, não poder ir.

TRAUMA FAMILIAR.

Imagine alguém chegando à porta de sua casa gritando: TEU PAI É MORTO E TODOS OS SEUS FILHOS E SUA CASA, essa noticia chegou aos ouvidos dele, um novo trauma, uma dor ainda mais forte, Naquele momento passava a estar sem pai, sem irmãos sem ninguém.

TRAUMA EMOCIONAL.

As dores físicas e familiares causaram nele uma dor emocional profunda, a ponto dele mesmo olhar para ele como um cão morto. Um dos mais inferiores tratamentos em Israel era ser chamado de cão ou cabeça de cão. Agora imagine a própria pessoa se autodenominar CÃO MORTO. (II Sm 9:8) Ser chamado de cão morto dava a ideia de ser imprestável, miserável e sujo (II Sm 16:9).

TRAUMA SOCIAL.

Em conseqüência do trauma físico e familiar Mefibosete é levado a um lugar denominado LÔ DEBAR (sem pasto/ lugar do esquecimento) um lugar onde ovelha nenhuma poderia viver. Uma cidade destinada aos doentes, aos miseráveis, cegos, leprosos, enfim os emprestáveis. Foi no lugar do esquecimento, no meio deste cenário que Mefibosete viveu por quase vinte anos. Ele era um homem que tinha nascido para viver no palácio real, no entanto a sua vida foi marcada por tragédias. Ele foi esquecido. Ser esquecido é um dos piores sentimentos sociais que alguém pode sentir. Mas o Senhor não nos esqueceu, está escrito: Haverá mãe que possa esquecer seu bebê que ainda mama e não ter compaixão do filho que gerou? Contudo, ainda que ela se esquecesse, Eu jamais me esquecerei de ti! Eu te gravei nas palmas das minhas mãos...(Is.49.15,16). 

TRAUMA ESPIRITUAL.

Os complexos, as frustrações e as decepções causaram feridas na alma de Mefibosete. Mefibosete passou a viver uma vida de escravidão na sua alma, ele perdeu a posição de príncipe, e todos os bens de sua família, passando a ser escravo de seus traumas. Ele talvez tinha esquecido da ação de Deus, talvez este não se lembrava mais das vitórias que Deus tinha concedido ao seu pai Saul.
Ele era oprimido espiritualmente,e andava se arrastando sem FÉ alguma.
Diante de tudo isso, de todas as frustrações o Rei olha para um homem lançado ao chão, no meio da amargura e vê um príncipe, foi assim que Davi olhou para Mefibosete. Deus não te vê como um derrotado, como um aleijado, mas sim como um príncipe. O próprio Davi tinha saído de um lugar de esquecimento e foi posto como rei de Israel.

A RESTAURAÇÃO DE MEFIBOSETE E SUA EXALTAÇÃO.

MEFIBOSETE É LEMBRADO.

Disse Davi: Há ainda alguém que ficasse da casa de Saul, para que lhe faça bem por amor de Jonatas? Então, disse Ziba ao rei: Ainda há um filho de Jonatas, aleijado de ambos os pés.
Mefibosete estava esquecido e despresado por tudo e por todos, ele era um anônimo em Israel. Estava sem fé, sem esperança e sem pespectiva de dias melhores. Mas Deus fez o rei Davi lembra-se do pacto que ele havia feito com seu amigo Jonatas, de que ele usaria de beneficência com a descendência de Jonatas (1Sm.20.11-17). Geralmente é assim, quando nós estamos as margens, fora da mídia e dos holofotes, as pessoas nos desprezam e não se lembram de nós. Mas Deus nunca vai nos esquecer, Ele cria situações e motivos para alguém se lembrar e nos beneficiar. Deus não despreza nem esquece seus filhos, Ele vai te exaltar. Amém!

MEFIBOSETE É LEVADO A PRESENÇA DO REI.

Quando o rei Davi pergunta se há alguém da casa de Saul para que ele possa usar de beneficência de Deus, Ziba, que era servo da casa de Saul, responde de forma desprezível e diz: Ainda há um filho de Jonatas, aleijado de ambos os pés. Observe que ele o chamou de aleijado, ao invés de dizer o seu nome, Mefibosete. Ziba era ganancioso, ele queria administrar os bens de Saul para si. Mas para sua decepção e surpresa o rei mandou que ele fosse em busca de Mefibosete e o trouxesse a sua presença. Davi quebrou o protocolo e permitiu um homem deficiente assentasse na sua mesa e comer pão com ele. Quando a graça de Deus nos alcança nenhuma das nossas deficiências espirituais são levadas em contas, somos perdoados e beneficiados pela graça de Deus. Amém!
A partir do dia em que Mefibosete entrou na presença do rei, ele passou a comer pão continuamente na presença do REI, os seus termos de possessão foram restituídos, o homem que tinha perdido a posição de príncipe e se tornado escravo é novamente colocado como príncipe, como um dos filhos do Rei. Aleluia!

MEFIBOSETE SAI DE LO-DEBAR E ENTRA EM JERUSALÉM.

A restauração começa em Jerusalém, Ele foi levado do lugar do esquecimento a uma terra de paz e prosperidade (Jerusalém). A restauração na sua vida pode começar com os princípios existentes na ação de Mefibosete; ter coragem, se levantar e acreditar que a sua história vai começar a mudar. Lo-Debar é terra de sequidão, terreno sem pasto. Lo-Debar é sinônimo de Tristeza, miséria, solidão, vida sem Deus, desprezo, anonimato e destruição. Se você estar na Lo-Debar espiritual, acredite, essa situação vai mudar, Deus não esqueceu de você, Ele vai começar a agir a teu respeito, vai usar de benevolência para contigo e mudar toda a sua história. Você vai sair de Lo-Debar e entrar em Jerusalém. Lo-Debar, nunca mais! Deus quando quer Ele levanta o homem do pó, ergue do monturo, e o faz assentar com os príncipes.  Amém!

sábado, 4 de julho de 2015

A VOLTA DO PREGADOR.

Conjuro-te, pois, diante de Deus e do Senhor Jesus Cristo, que há de julgar os vivos e os mortos, na sua vinda e no seu Reino, que pregues a palavra, instes a tempo e fora de tempo, aconselha, repreendas, exortes, com toda a paciência e doutrina. Porque virá tempo em que não sofrerão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências; e desviarão os ouvidos da verdade, voltando às fábulas. Mas tu sê sóbrio em tudo, sofre as aflições, faz a obra de um evangelista, cumpre o teu ministério (2Tm.4.1-5).

Nos filmes do faroeste made in Hollywood também há a figura do pregador que anda de cidade em cidade, bem trajado e com o Livro Sagrado na mão, contra o vício e a depravação que minam a sociedade, com o temor do desmoronamento da família na ponta da língua, ele nunca ignora o sofrimento dos mineiros, a exploração dos trabalhadores do caminho-de-ferro, ou a especulação dos ricos sobre as novas vitimas dos criadores de gado.

Quando o liberalismo teológico implanta o caos e os valores da família são empurrados para o brejo, os cristãos precisarão resgatar a figura do pregador itinerante, aquele tipo que tenta de todas as formas colocar a cidade no caminho da retidão.

Estamos vivendo o tempo da inversão de valores, o tempo do reino de Laodiceia, a igreja rica que tem os melhores teólogos, mas Cristo está do lado de fora batendo na porta (AP.3 17:20). Talvez alguém permita que ele entre...

As almas aflitas pedem socorro!
Haverá alguém que grite “Eis-me aqui, envia-me a mim!”?

Texto extraído de ICM OBREIROS, Portal de estudos bíblicos: