segunda-feira, 24 de agosto de 2020

ERA NECESSÁRIO PASSAR POR SAMARIA.

Os fariseus ouviram falar que Jesus estava fazendo e batizando mais discípulos do que João, embora não fosse Jesus quem batizasse, mas os seus discípulos. Quando o Senhor ficou sabendo disso, saiu da Judeia e voltou uma vez mais à Galileia. Era-lhe necessário passar por Samaria (João, 4.1-4). 

Após Jesus ter realizado algumas obras na Judeia, foi outra vez à Galileia. Interessante é quando o texto diz: "E era necessário passar por Samaria". Jesus já havia ido à Galileia sem ter passado pela Região de Samaria. Porém, desta vez, Ele tinha propósito definido em Samaria. Ele não iria passar naquela região simplesmente por passar, ou só para encurtar o percurso da viagem. Jesus fez questão de passar pelo território de Samaria, onde muitos judeus se recusavam usar essa rota para ir da Judeia à Galileia. Eles preferiam tomar um caminho duas vezes mais longo, cruzando pela região da Pereia e, atravessando o rio Jordão para entrar na Galileia. Mas, para Jesus, era necessário passar por Samaria, pois Ele tinha uma grande obra para realizar naquela região. Existem coisas que são urgentes e necessárias e JESUS tem pressa em resolver. Mas, quais foram as razões que levaram a Jesus passar por Samaria?

POR QUATRO RAZÕES ERA NECESSÁRIO JESUS PASSAR POR SAMARIA:

1- PARA QUEBRAR O PRECONCEITO RACIAL.

A mulher samaritana lhe perguntou: "Como o senhor, sendo judeu, pede a mim, uma samaritana, água para beber? (Porque os judeus não se comunicavam com os samaritanos). (v.9).

Era quase meio-dia (a hora sexta, 4.6), e Jesus estava descansando junto ao poço, quando uma moradora da cidade de Sicar, veio buscar água, algo inusitado aquela hora do dia. Jesus, que conhece os corações das pessoas, percebeu a verdadeira necessidade daquela mulher. Ele usou a água física que ela viera apanhar para estabelecer contato e em seguida lhe oferecer a água da vida. Ele pediu: Dá-me de beber (4.7). A mulher se recusou a atender o seu pedido porque ele era judeu, e ela, uma samaritana (4.9).

A hostilidade entre judeus e samaritanos vinha da época em que os assírios levaram a nação de Israel em cativeiro e estabeleceram estrangeiros na região de Samaria (II Reis, 17.23-41). Casamentos entre os residentes estrangeiros e os israelitas contribuíram para os samaritanos se tornarem uma raça mista e serem considerados pelos judeus um povo de segunda classe. Por isso os judeus evitavam terem contato social com os samaritanos, por motivos morais eles se achavam superiores. Muitos fatos aconteceram e mantiveram viva essa inimizade através dos séculos. Por esta razão, no seu diálogo com a samaritana, Jesus quebrou esse preconceito racial, quando de propósito lhe pediu água e em seguida recebeu todos os samaritanos que vieram ao seu encontro, ficando com eles dois dias, sendo bem recepcionado; comendo e conversando com eles (4.39-42).

2- PARA QUEBRAR O PRECONCEITO RELIGIOSO.

Nossos pais adoraram neste monte, e vós dizeis que é em Jerusalém o lugar onde se deve adorar. Disse-lhe Jesus: Mulher, crê-me que a hora vem eme que nem neste monte nem em Jerusalém adorareis o Pai. Vós adorais o que não sabeis; nós adoramos o que sabemos porque a salvação vem dos judeus. Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade, porque o Pai procura a tais que assim o adorem. Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade (v.20-24).

No seu diálogo com Jesus, a samaritana aproveitou a oportunidade para lhe perguntar a respeito de um assunto que era motivo de acirrados debates entre judeus e samaritanos. Deus deveria ser adorado no monte Sião, na Judeia, ou no monte Gerizim, em Samaria (4.20)? Jesus respondeu que os judeus tinha mais conhecimento de Deus que os samaritanos; e que a adoração ao Pai independe de lugar, porque Deus é Espírito, e importa que os verdadeiros adoradores o adorem em espírito e em verdade. Com esse esclarecimento, Jesus estava quebrando um preconceito religioso que existia entre judeus e samaritanos e estabelecendo um culto universal a Deus.

3- PARA SACIAR A SEDE ESPIRITUAL DA MULHER SAMARITANA. 

Disse-lhe a mulher: Senhor, vejo que és profeta. Eu sei que o Messias (que se chama o Cristo) vem; quando ele vier, nos anunciará tudo. Jesus disse-lhe: Eu o sou, eu que falo contigo. Deixou, pois, a mulher o seu cântaro, e foi à cidade, e disse àqueles homens: Vinde e vede um homem que me disse tudo quanto tenho feito; porventura, não é este o Cristo? Saíram, pois, da cidade e foram ter com ele (v.19,25,26,28-30).

No diálogo, Jesus conduziu o assunto para a vida pessoal da samaritana: Vai, chama teu marido e vem cá (4.16). Jesus sabia tudo sobre o seu passado e também o fato de que ela não tinha marido, mas queria lembra-la disso. Quando ela respondeu: Não tenho marido, Jesus elogio sua honestidade, mas observou que ela não estava dizendo toda a verdade. Disseste bem: Não tenho marido, porque tiveste cinco maridos e o que agora tens não é teu marido; isso disseste com verdade (4.17,18). Impressionada por Jesus saber sobre o seu passado, e detalhes da sua vida, a samaritana concluiu que Jesus era profeta (4.19).

A mulher disse-lhe: Eu sei que o Messias (que se chama o Cristo) vem; quando ele vier, nos anunciará tudo. Jesus disse-lhe: Eu o sou, eu que falo contigo (4.25,26). A samaritana aos poucos foi entendendo quem era Jesus. No início, viu nele apenas um judeu. Em seguida, chegou a considera-lo um profeta. Finalmente, Jesus se apresentou a ela como o Messias esperado.

Deixou, pois, a mulher o seu cântaro, e foi à cidade, e disse àqueles homens: Vinde e vede um homem que me disse tudo quanto tenho feito; porventura, não é este o Cristo? Saíram, pois, da cidade e foram ter com ele (4.28-30). A samaritana tornou-se a primeira ganhadora de almas de Samaria, ela levou muitos samaritanos a Cristo, os quais creram em Jesus e testificaram da sua fé.

4- PARA SALVAR MUITOS SAMARITANOS. 

E muitos dos samaritanos daquela cidade creram nele, pela palavra da mulher, que testificou: Disse-me tudo quanto tenho feito. Indo, pois, ter com ele os samaritanos, rogaram-lhe que ficasse com eles; e ficou ali dois dias. E muitos mais creram nele, por causa da sua palavra. E diziam à mulher: Já não é pelo que disseste que nós cremos, porque nós mesmos o temos ouvido e sabemos que este é verdadeiramente o Cristo, o Salvador do mundo (v.39-42).

Os habitantes de Sicar atenderam ao convite da mulher: "Vinde e vede" (4.29) e imediatamente correram até Jesus (4.30). O que teria acontecido se Jesus fosse como seus discípulos que achavam inapropriado um rabi conversar com uma mulher em público. Ou se tivesse temido a opinião publica sobre o que as pessoas iriam pensar dele. Mas pelo fato de Jesus ter considerado digna de atenção uma mulher sem boa referência social, ela tornou-se testemunha de Jesus, e toda a cidade de Sicar ouviu a mensagem de Jesus. Que possamos seguir o exemplo do nosso Mestre, que deixou de lado os preconceitos e foi em busca de restaurar vidas e salvá-las para o Reino de Deus. Amém!