sábado, 30 de março de 2019

O ATALAIA DE DEUS.


"Filho do homem, eu te dei por atalaia sobra a casa de Israel; e tu da minha boca ouvirás e os avisarás de minha parte " (Ezequiel, 3.17). 

O atalaia é um homem que ficava na torre vigiando, quando há perigo de invasão por parte do inimigo ele avisava ao exército do rei para que entrem em ação e protejam a cidade.
O atalaia é um mensageiro, e um mensageiro pode trazer boas e más notícias. A responsabilidade do atalaia é muito grande, ele pode entregar a mensagem com fidelidade ou adulterá-la. Por esta razão o Senhor diz a Ezequiel: "Tu da minha boca ouvirás". Se o que prego não ouvi de Deus sou um enganador e para saber se ouvi da boca de Deus, tem de estar nas páginas das Escrituras Sagradas. Quando o Senhor diz a Ezequiel que se o ímpio se perder por ele não falar, que Ele vai requerer seu sangue das mãos do atalaia, portanto tanto faz eu não falar, como eu falar algo que não saiu da boca de Deus, pois não fará nenhum efeito transformador na vida do ímpio, mas se eu falar a sã Palavra e o ímpio não a quiser, ai sim o Senhor diz que minhas mãos estarão limpas de seu sangue. De que adianta eu ter milhares de ovelhas que me ouvem, se eu as engano, como será a minha prestação de contas ao Senhor do sangue de todas? É melhor ser fiel ao Senhor e falar aquilo que sai de sua boca.

Há um preço muito alto em ser um verdadeiro atalaia de Deus, é seríssimo o compromisso em ser fiel na pregação da Palavra, pois como diz a Palavra: Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade (II Timóteo, 2.15). Nestes dias tão difíceis que as pessoas não suportam mais ouvir a sã doutrina, o Espírito Santo de Deus, continua falando: Pregue a palavra! É mil vezes melhor ser fiel à Deus do que agradar aos homens. Quem é da luz vem para luz, quem é da verdade vem para Verdade, e quem quer salvação terá, e quem não quiser que ouça a verdade, pelo menos para depois não dizer: Ninguém me falou ! As pessoas não querem ser confrontadas pela verdade, porque onde a verdade chega a mentira não prevalece. Portanto, seja um verdadeiro atalaia de Deus para anunciar toda a verdade.

quinta-feira, 28 de março de 2019

ORAÇÃO, UMA ARMA PODEROSA NO COMBATE DA FÉ.

Orando em todo o tempo com toda oração e súplica no Espírito e vigiando nisso com toda perseverança e súplica por todos os santos (Efésios, 6.18).

Por fim, Paulo cita a oração como ponto culminante do combate da fé, acompanhada de vigilância. Paulo finaliza suas instruções dizendo: Orando em todo o tempo com toda oração e súplica no Espírito e vigiando nisso com toda perseverança e súplica por todos os santos e por mim; para que me seja dada, no abrir da minha boca, a palavra com confiança, para fazer notório o mistério do evangelho, pelo qual sou embaixador em cadeias; para que possa falar dele livremente, como me convém falar (Efésios, 6.18-20). 
A oração e a vigilância são uma grande cobertura espiritual no combate da fé. Paulo escrevendo aos romanos, diz: E rogo-vos, irmãos, por nosso Senhor Jesus Cristo e pelo amor do Espírito, que combatais comigo nas vossas orações por mim a Deus (Rm.15.30).
Orar no Espírito não significa apenas orar em línguas; também é a oração feita em comunhão como Espírito Santo, ou seja, na presença do Espírito, em total harmonia com Ele.
Paulo pede aos cristãos que orem por todos os santos e também que intercedam por ele. Imagine um grande líder como Paulo pedindo orações por ele, para que Deus lhe dê as palavras certas e intrepidez para anunciar o evangelho de Cristo. O apóstolo tem consciência de que as batalhas espirituais são vencidas por meio da oração. Se até mesmo Paulo, considerado o mestre da igreja, precisava de orações, quanto mais nós. E o que dizer dos líderes de hoje? 

A oração é a respiração da alma, ela expressa a nossa total dependência de Deus. A oração é a expressão mais íntima da vida cristã em comunhão com Deus. Vivemos em uma época, que muitos cristãos perderam o prazer e o desejo de orar. Isto é, de viver na pratica da oração. A grande estratégia de Satanás, é fazer com que os cristãos fiquem ocupados em entretenimentos e não tenha tempo para orar e ficar a sós com Deus. No combate da fé, a oração funciona como se fosse uma dinamite sendo lançada no reino de Satanás. Quando nós oramos, o campo de atuação do Espírito aumenta; enquanto o campo de atuação da Satanás diminui.
O Diabo rir da nossa sabedoria.
Zomba das nossas pregações.
Despreza nossos títulos e status; mas ele teme e treme diante de um crente de joelhos.
Portanto, a oração deve ser uma pratica continua na vida do cristão, não devemos perder o hábito de orar, é através da oração que nós nos fortalecemos e vencemos as nossas batalhas. Amém!  

segunda-feira, 25 de março de 2019

DAVI AGRADECE A DEUS PELAS VITÓRIAS.

Eu te amarei do coração, ó SENHOR, fortaleza minha. O SENHOR é o meu rochedo, e o meu lugar forte, e o meu libertador; o meu Deus, a minha fortaleza, em quem confio; o meu escudo, a força da minha salvação e o meu alto refúgio. Invocarei o nome do SENHOR, que é digno de louvor, e ficarei livre dos meus inimigos (Salmos, 18.1-3).

Davi já estava com idade avançada e cheio de experiências vividas ao longo da sua vida quando ele escreveu este salmo de gratidão ao SENHOR, agradecendo por todas as vitórias alcançadas.
O salmos 18 é uma repetição do capítulo 22 de II Samuel onde está registrada as últimas palavras do rei Davi. Davi além de rei, era poeta e músico, ele compôs esta música para ser cantada como cântico de gratidão ao SENHOR. Davi envia este salmo para o mestre da música, para que esta faça parte do hinário litúrgico da adoração no templo. A poesia deste salmo também faz referência a Jesus Cristo, o Messias, o Rei que havia de vir. Além de ser um salmo messiânico, nele também nós vamos encontrar algumas declarações de Davi sobre as qualidades e ações de DEUS.

SETE DECLARAÇÕES DE DAVI AO SENHOR:

1- O SENHOR é o meu Rochedo.

2- O SENHOR é o meu Lugar Forte.

3- O SENHOR é o meu Libertador.

4- O SENHOR é a minha Fortaleza.

5- O SENHOR é o meu Escudo.

6- O SENHOR é a minha Salvação.

7- O SENHOR é o meu alto Refúgio.

SETE AÇÕES DE DEUS TESTEMUNHADAS POR DAVI:

1- DEUS Ouviu a Oração de Davi (Vers.6).

2- DEUS Livrou a Davi dos seus inimigos (Vers.17).

3- DEUS Recompensou a Davi (Vers.20).

4- DEUS Firmou os passos de Davi (Vers.36).

5- DEUS Fortaleceu a Davi (Vers.39).

6- DEUS Livrou a Davi das revoltas do povo (Vers.43).

7. DEUS Exaltou a Davi com vitórias (Vers.49,50).

DAVI RELATA TRÊS COISAS QUE DEUS FAZ:

1- DEUS me cinge de força.
Deus é o que me cinge de força e aperfeiçoa o meu caminho (Vers.32).

2- DEUS faz os meus pés como os das cervas.
Faz os meus pés como os das cervas e põe-me nas minhas alturas (Vers.33).

3- DEUS adestra as minhas mãos para o combate.
Adestra as minhas mãos para o combate, de sorte que os meus braços quebraram um arco de cobre (Vers.34).

CONCLUSÃO:
A gratidão de Davi ao SENHOR, por todas as vitórias alcançadas, é uma prova do reconhecimento de que sem o favor de Deus ele nunca teria vencido seus inimigos, nem seria ungido rei sobre todo Israel. Que possamos seguir o exemplo do rei Davi, sendo gratos a Deus por todos os benefícios e vitórias alcançadas.

sábado, 23 de março de 2019

CONSERTANDO AS REDES.

E Jesus, andando junto ao mar da Galiléia, viu dois irmãos, Simão, chamado Pedro, e André, os quais lançavam as redes ao mar, porque eram pescadores. E disse-lhes: Vinde após mim, e eu vos farei pescadores de homens. Então, eles, deixando logo as redes, seguiram-no.
E, adiantando-se dali, viu outros dois irmãos: Tiago, filho de Zebedeu, e João, seu irmão, num barco com Zebedeu, seu pai, consertando as redes; e chamou-os. Eles, deixando imediatamente o barco e seu pai, seguiam-no (Mateus, 4.18-22).

Receber o chamado de Jesus é algo sublime, isto pode ser um privilégio de poucos. Pedro, André, Tiago e João, que eram pescadores, atenderam o chamado de Jesus e deixaram tudo para trás para serem pescadores de homens. Seguir a Jesus não é tarefa fácil, porque isto requer prontidão e renúncia. Jesus chama um grupo de pescadores, em duas situações diferentes. No primeiro chamado, Pedro e André estavam lançando as redes ao mar; no segundo chamado, Tiago e João estavam consertando as redes. Eles estavam em plena atividade no seu ofício. Observe que, Jesus não chamou os desocupados, todos que foram chamados por Ele para compor o colégio apostólico estavam trabalhando. Uma coisa aprendemos, que Deus não conta com pessoas ociosas nem preguiçosas, isto porque no Reino de Deus há muito trabalho a ser feito. Quem se dispõe seguir a Jesus, não pode mais desistir e voltar atrás.

CONSERTANDO AS REDES.

A rede era o principal instrumento de trabalho dos pescadores; redes rasgadas, desajustadas e cheias de problemas, não davam condições de serem usadas para pescar. O texto diz, que eles estavam consertando as redes, isto é, fazendo alguns reparos, para em seguida entrarem no mar para pescar.
O sucesso de uma pesca depende de uma boa rede. Muitas vezes é preciso consertar as redes para que haja uma boa pescaria.
Aplicando isto para nossas vidas, se a nossa rede espiritual (vida de comunhão com Deus), não estiver bem, não seremos bem sucedidos. Muitas vezes precisamos refletir e analisar como estar a nossa vida de comunhão com Deus.

TIPOS DE REDES ESPIRITUAIS QUE PRECISAMOS CONSERTAR:

* A REDE DA NOSSA COMUNHÃO COM DEUS.

Ser cristão nominal e viver uma vida medíocre, só de aparência, isto é um fracasso. Sendo assim é preciso se ajustar com Deus e consertar a rede da comunhão com Ele. Deus é nosso Pai, e qual o pai verdadeiro que não ama seu filho e quer sempre comunicar-se com ele? O nosso Pai celestial quer ter um relacionamento íntimo conosco, mas muitas vezes não o permitimos. É preciso consertar a rede (a nossa vida de comunhão com Deus), para sermos bem-sucedidos e desfrutarmos das suas bênçãos.

* A REDE DA NOSSA COMUNHÃO COM OS IRMÃOS.

Oh! Quão bom e quão suave é que os irmãos vivam em união! (Salmos, 133.1).
Como estar a rede da nossa comunhão com os nossos irmãos? Isto envolve nossos irmãos em Cristo e também nossos irmãos de sangue. Há pessoa que dizem: "Eu estando bem com Deus isto é o que importa". Todavia, é impossível uma pessoa estar bem com Deus quando vive em desunião e intrigas com seus irmãos. Jesus recomendou: Amai-vos uns aos outros, como eu vos amei (João, 13.34). Portanto, se a nossa rede de comunhão com os nossos irmãos não estar bem, precisamos conserta-la.

* A REDE DA NOSSA COMUNHÃO FAMILIAR.

Bem-aventurado o homem que teme ao SENHOR e anda nos seus caminhos! Pois comerás do trabalho das tuas mãos, feliz serás, e te irá bem. A tua mulher será como a videira frutífera aos lados da tua casa; os teus filhos, como plantas de oliveira, à roda da tua mesa. Eis que assim será abençoado o homem que teme ao SENHOR! O SENHOR te abençoará desde Sião, e tu verás o bem de Jerusalém em todos os dias da tua vida. E verás os filhos de teus filhos e a paz sobre Israel (Salmos, 128.1-6).
A nossa família é o nosso maior patrimônio, precisamos estar bem com Deus e com a nossa família para sermos abençoados e bem-sucedidos. Há pessoas que "moram bem", mas não vivem bem. Há pessoas que tem uma bela casa, mas não tem um lar. Infelizmente, muitas família perderam os laços afetivo da rede da comunhão e da harmonia e estão vivendo de aparência. Quando a nossa rede de comunhão familiar não vai bem, seja com o nosso cônjuge ou com os nossos filhos, precisamos rever nossos conceitos e renovar a aliança da comunhão familiar.

* A REDE DA NOSSA COMUNICAÇÃO COM TODOS.

Segui a paz com todos e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor (Hb.12.14).
Se for possível, quando estiver em vós, tende paz com todos os homens (Romanos, 12.18).
A paz é manifesta em três dimensões: Paz com Deus, paz em nós, e paz com o próximo. Por que tantas guerras, pelejas, violências, maldades e coisas semelhantes? Por causa da falta de paz. As pessoas precisam se amar, independentemente de cor, de raça, de religião, de costumes e preferências. Deus ama a todos; Ele ama o pecador, mas aborrece o pecado. O mundo estar indo de mal a pior, porque a rede da comunicação, da harmonia e paz estar quebrada. Se isto é fato, e estar acontecendo em particular em nossa vida, precisamos consertar a rede da nossa comunicação, harmonia e paz com todos. Amém!

segunda-feira, 18 de março de 2019

É TEMPO DE VIGIAR!

Vigiai, estai firmes na fé, portai-vos varonilmente e fortalecei-vos (I Co.16.13).

A vigilância deve ser um exercício constante da fé na vida do cristão, até que Jesus venha. A palavra "vigiar" aparece 61 vezes no texto Sagrado. A palavra "vigiar" significa dizer: Permanecer acordado, estar alerta, manter-se sóbrio e estar sempre de prontidão. Geralmente a vigilância vem acompanhada de oração, Jesus disse, vigiai e orai, para que não entreis em tentação (Mt.26.41). Paulo diz: Orando em todo o tempo ... e vigiando nisso com toda perseverança ... (Efésios, 6.18). A oração e a vigilância fazem parte do combate da fé; a grande estratégia de Satanás é fazer com que os cristãos fiquem presos nos entretenimentos e não tenham tempo para orar. A falta de oração e vigilância tem levado muitos cristãos a caírem nas armadilhas do Diabo. 

A VIGILÂNCIA EM RELAÇÃO À DOUTRINA.

Tem cuidado de ti mesmo e da doutrina; persevera nestas coisas; porque fazendo isto, te salvarás, tanto a ti mesmo como aos que te ouvem (I Timóteo, 4.16).
Porque haverá tempo em que não sofrerão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências; e desviarão os ouvidos da verdade, voltando às fábulas. Mas tu sê sóbrio em tudo, sofre as aflições, faze a obra de um evangelista, cumpre o teu ministério (II Timóteo, 4.3-5). 

A VIGILÂNCIA EM RELAÇÃO AOS FALSOS MESTRES.

Olhai, pois, por vós e por todo o rebanho sobre que o Espírito Santo vos constituiu bispos, para apascentardes a igreja de Deus, que ele resgatou com o seu próprio sangue.
Porque eu sei isto: Que, depois da minha partida, entrarão no meio de vós lobos cruéis, que não perdoarão o rebanho. E que, dentre vós mesmos, se levantarão homens que falarão coisas perversas, para atraírem os discípulos após si. Portanto, vigiai ... (Atos, 20.28-31).

A VIGILÂNCIA EM RELAÇÃO AO PECADO.

Aquele, pois, que cuida estar em pé, olhe que não caia (I Co.10.12).
Vigiai, estai firmes na fé, portai-vos varonilmente e fortalecei-vos (I Co.16.13).
Porque a carne cobiça contra o Espírito, e o Espírito, contra a carne; e estes opõem-se um ao outro; para que não façais o que quereis (Gálatas, 5.17).

A VIGILÂNCIA EM RELAÇÃO AS AÇÕES DO DIABO.

Sede sóbrios, vigiai, porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar; ao qual resisti firmes na fé, sabendo que as mesmas aflições se cumprem entre os vossos irmãos no mundo (I Pedro, 5.8,9).

A VIGILÂNCIA EM RELAÇÃO A VOLTA DE JESUS.

Vigiai, pois, porque não sabeis a que hora há de vir o vosso Senhor.
Por isso, estai vós apercebidos também, porque o Filho do Homem há de vir à hora em que não penseis (Mateus, 24.42,44).
Vigiai, pois, porque não sabeis o Dia nem a hora em que o Filho do Homem há de vir (Mt.25.13).

CONCLUSÃO:
Todo cristão sincero que estar aguardando a volta de Jesus, deve viver uma vida de constante vigilância. Vigiar se constitui uma atitude prudente por parte dos crentes. O cristão que não vive em vigilância, está vulnerável aos ataques de Satanás e corre o risco de ser surpreendido na volta de JESUS. Portanto, vigiemos, porque o diabo não dorme, os seus ataques são pesados e constantes.

sábado, 16 de março de 2019

DISCERNINDO OS ESPÍRITOS.

Amados, não creiais em todo espírito, mas provai se os espíritos são de Deus (I João, 4.1).

Vivemos em um mundo de enganos, onde o falso e o verdadeiro são muito parecidos e se confundem, onde quase tudo é copiado e passado como original. Satanás é perito no engano, no disfarce, na mentira e na falsa aparência. Ele é um ser inteligente e habilidoso na arte do disfarce, do engano e da mentira. Paulo diz: "Porque não ignoramos os seus ardis"(IICo.2.11). E não é maravilha, porque o próprio Satanás se transfigura em anjo de luz (II Co.11.14). A falta de comunhão com Deus, a falta de conhecimento das Escrituras e de vigilância podem levar os crentes a caírem no laço do Diabo.

EXISTEM TRÊS TIPOS DE ESPÍRITOS:

O espírito do homem (I Coríntios, 2.11).

O espírito diabólico (I Timóteo, 4.1).

O Espírito de Deus (Romanos, 8.14).

TRÊS FORMAS DE DISCERNIR OS ESPÍRITOS:

- Através do crivo da palavra de Deus.

O crivo era uma espécie de peneira que era usado para separar os grãos. Neste caso a palavra de Deus é o crivo perfeito para ponderar, averiguar e examinar minuciosamente o que está sendo posto a prova. Quando o apóstolo João diz: Amados, não creiais em todo espírito, mas provai se os espíritos são de Deus, porque já muitos falsos profetas se têm levantado no mundo (I João, 4.1); isto significa dizer que, toda palavra que ouvimos em nome de Deus deve passar pelo crivo das Sagradas Escrituras. Os crentes de Beréia usavam as Escrituras como crivo para atestar o que Paulo pregava (Atos, 17.10,11). Se não usarmos a palavra de Deus como crivo, corremos o risco de não discernirmos e sermos enganados por aqueles que distorcem a verdade de Deus.

- Através da observação dos frutos.

Discernir não é julgar as pessoas pelo que aparentam, mas é observar os seus passos e procurar ver os seus frutos. o Senhor Jesus nos advertiu sobre os falsos profetas, Ele nos ensinou que os falsos profetas são conhecidos pelos “frutos que produzem”, isto é, pelo caráter (Mateus, 7.15-20).
A observação deve ser uma atitude prudente por parte do cristão, sendo assim será fácil perceber e discernir as intenções das pessoas. Está escrito: O simples dá crédito a cada palavra, mas o prudente atenta para os seus passos (Pv.14.15). Uma atitude prudente, poderá nos livrar de uma grande tragédia espiritual e até mesmo material.

- Através da revelação do Espírito Santo.

Podemos discernir os espíritos através do dom do Espírito Santo. Neste caso, é uma revelação sobrenatural concedida pelo Espírito Santo, para se perceber as ações e intenções dos espíritos; se verdadeiras ou falsas. Há casos específicos que humanamente falando é impossível alguém conseguir discernir. É exatamente nestes casos que o Espírito Santo entra em ação para revelar o que está obscuro, profundo e escondido.

EXEMPLOS DE DISCERNIMENTOS DOS ESPÍRITOS:

O profeta Aías (I Reis, 14.1-6).

O profeta Eliseu (II Reis, 6.20-27).

O apóstolo Pedro (Atos, 5.1-5).

O apóstolo Paulo (Atos, 16.16-18).

O Mestre Jesus Cristo (Mateus, 16.20-23).

CONCLUSÃO:
Devemos ficar atentos, porque o engano estar por toda parte, em todos os seguimentos da sociedade.
Nem tudo é o que aparenta ser; nem tudo que é "bom" é benigno; nem tudo que diz que vem de Deus é verdadeiro; e nem tudo que reluz é ouro. 

sexta-feira, 15 de março de 2019

FILIPE - O EVANGELISTA AUTÊNTICO.

E, descendo Filipe à cidade de Samaria, lhes pregava a Cristo. E as multidões unanimemente prestavam atenção ao que Filipe dizia, porque ouviam e viam os sinais que ele fazia, pois que os espíritos imundos saíam de muitos que os tinham, clamando em alta voz; e muitos paralíticos e coxos eram curados. E havia grande alegria naquela cidade. E estava ali um certo homem chamado Simão, que anteriormente exercera naquela cidade a arte mágica e tinha iludido a gente de Samaria, dizendo que era um grande personagem; ao qual todos atendiam, desde o mais pequeno até ao maior, dizendo: Este é a grande virtude de Deus. E atendiam-no a ele, porque já desde muito tempo os havia iludido com artes mágicas. Mas, como crescem em Filipe, que lhes pregava acerca do Reino de Deus e do nome de Jesus Cristo, se batizavam, tanto homens como mulheres. E creu até o próprio Simão; e, sendo batizado, ficou, de contínuo, com Filipe e, vendo os sinais e as grandes maravilhas que se faziam, estava atônito (Atos, 8.5-13).

Filipe é o único homem na bíblia que é chamado de evangelista. Este Filipe estava entre os sete que foram escolhidos para servirem as mesas na função de diácono (Atos, 6.1-6). Filipe logo se destacou na pregação do evangelho, e, depois de vinte anos ele aparece como evangelista. O escritor Lucas, diz: No dia seguinte, partindo dali Paulo e nós que com ele estávamos, chegamos a Cesaréia; e, entrando em casa de Filipe, o evangelista, que era um dos sete, ficamos com ele (Atos, 21.8).
Filipe, como um autêntico evangelista, estava cumprindo a ordem imperativa do Mestre (Mt.28.19,20; Mc.16.15,16). Na verdade, a vocação precede a chamada, Filipe que no começo foi chamado para servir as mesas como diácono, tempos depois se revelou com aptidão de evangelista. O escritor Lucas o chamou de evangelista, porque percebeu nele esta vocação. Bom é quando o povo ver e a igreja percebe em nós a vocação para o ministério.
Filipe inicia um grande projeto evangelístico; ele começou com os samaritanos e depois foi enviado pelo Espírito Santo a região de Gaza, a fim de levar o evangelho ao eunuco da rainha da Etiópia, que estava sedento da palavra de Deus. Em seguida esteve em Azoto, e passando anunciava o evangelho em todas as cidades, até que chegou em Cesaréia, onde estabeleceu sua residência (Atos, 8.26-40).

O Ministério de Evangelista.

O ministério de evangelista é o terceiro entre os cinco relacionados por Paulo na carta aos efésios 4.11. Na sua citação Paulo classifica cinco tipos de ministros: Apóstolos, profetas, evangelistas, pastores, mestres. O ministério de evangelista é extraordinário, um verdadeiro evangelista não se detêm em ficar fixo em uma igreja. Nos dias atuais parece haver muitos avivalistas e poucos evangelistas. Existem Igrejas super lotadas de pregadores, mas vazias de ganhadores de almas. E, além disso, a verdadeira função do evangelista, é que ele deve ser visto mais fora da Igreja do que dentro dela, isto é, que ele não seja somente visto numa função local; mas que sempre avance na direção das almas perdidas sem Cristo. A sua vocação é pregar o evangelho, ganhar almas para o Reino de Deus e fundar novas igrejas nas comunidades.

Podemos Identificar Três Tipos de Evangelistas:

* Todos os crentes que evangelizam e falam do amor de Cristo para as pessoas.

* Um ministro que desenvolve um trabalho evangelístico, mesmo não sendo sua vocação.

* O evangelista vocacionado, chamado e consagrado nesta função ministerial.

DEZ CARACTERÍSTICAS DE UM VERDADEIRO EVANGELISTA:

1- O Evangelista é um homem comprometido com a igreja local.

Filipe foi um dos escolhidos para servir a igreja de Jerusalém cuidando das obras sociais e auxiliando os apóstolos (At 6:5). Mesmo depois da dispersão que houve, devido a uma grande perseguição a igreja de Jerusalém. Filipe continuou em contato com a sua liderança (At 8:14), pois em Samaria os apóstolos foram supervisionar o seu trabalho. Hoje em dia vemos muitas pessoas que apenas querem ser “evangelistas itinerantes”, sem compromisso algum com uma comunidade cristã local.

2- O Evangelista é um homem de caráter ilibado.

O livro de Atos nos informa que Filipe, quando foi escolhido como diácono da Igreja, necessariamente precisava ser um homem de boa reputação (At 6:3). A responsabilidade de um evangelista é muito grande ao ser o mensageiro que anuncia as Boas-Novas da salvação. Infelizmente muitos que se intitulam evangelistas servem apenas como escândalo para o Evangelho, com uma conduta de vida completamente imoral e reprovada.

3- O Evangelista é um homem cheio do Espírito Santo e de sabedoria.

Mais um pré-requisito que Filipe possuía quando foi escolhido como diácono da Igreja (At 6:3). O fato de tais características serem pertinentes à sua escolha para a tarefa de servir a Igreja nas obras sociais no capítulo 6 de Atos, não anula a importância delas no desempenho da função de evangelista. Mais tarde, no capítulo 8 do mesmo livro, vemos que todas essas características estavam presentes em Filipe quando este pregava o Evangelho em diversos lugares. Filipe era alguém pleno do Espírito Santo e repleto de sabedoria, tanto servindo as viúvas e no cuidado aos pobres como desempenhando a tarefa de anunciar o Evangelho de Cristo.

4- O Evangelista é um homem corajoso.

Mesmo diante do assassinato do seu companheiro Estevão, o Evangelista Filipe não se calou (At 8:5). A possibilidade de que talvez ele fosse o próximo a ser apedrejado, não fez com que Filipe se intimidasse e abandonasse seu desejo de anunciar a Palavra de Deus.

5- O Evangelista é um homem oportunista e desbravador na obra da evangelização.

Após a morte de Estêvão houve uma grande perseguição contra a Igreja, de modo que, com exceção dos Apóstolos, todos se dispersaram. Filipe estava entre os que se dispersaram, mas, ao invés de se esconder, ele exerceu ainda mais a sua vocação. É exatamente nesse ponto de grande adversidade que temos, pela primeira vez, a descrição do Filipe Evangelista ao invés do diácono Filipe. Diante da ocasião que exigia que ele saísse de Jerusalém, Filipe aproveitou o momento para pregar o Evangelho pelos lugares em que passava.

6- O Evangelista procura centralizar sua mensagem em Cristo.

A mensagem do evangelista é cristocêntrica. Para o verdadeiro evangelista não há outra mensagem mais importante do que o Cristo ressuscitado. Se a pregação de alguém que se diz evangelista não apontar para Cristo, então esse alguém não passa de um enganador. Filipe pregava a Cristo (At 8:5). É triste como hoje em dia qualquer coisa se tornou mais importante nos temas das pregações do que a verdade sobre o perdão dos pecados e a obra de Cristo na cruz. Os ditos “evangelistas” estão mais preocupados em pregar bens e prosperidades, autoajuda, restituição e um monte de outras fantasias, do que de pregar sobre o arrependimento e a justificação mediante a fé em Cristo Jesus.

7- O Evangelista autêntico tem o seu ministério focado na palavra de Deus.

Esse é um ponto extremamente importante de se compreender. O livro de Atos descreve que grandes sinais acompanhavam o ministério de Filipe, de modo que pessoas eram libertas da opressão de demônios e doentes eram curados. Entretanto, o mesmo texto deixa claro que esse não era o objetivo principal do ministério de Filipe, ao contrário, o foco estava sob a pregação do Evangelho de Cristo, e essas coisas eram apenas a consequência de tal pregação, de modo que serviam de evidência da autoridade que havia na mensagem pregada pelo evangelista. Com isso, aprendemos que curas e libertações só podem acontecer em decorrência da pregação do Evangelho verdadeiro que liberta o homem. Não existe milagre sem a pregação da Palavra genuína. Se houver qualquer milagre onde o Evangelho legítimo não está sendo pregado, então esse milagre não vem da parte de Deus. Ultimamente falsos evangelistas estão enganando muitas pessoas com espetáculos de demônios. Os verdadeiros sinais, aqueles que de fato são frutos do poder sobrenatural de Deus, sempre apontarão para o Evangelho da graça e nunca para o perfil “milagroso” do evangelista. Lutero definiu muito bem esse ponto ao dizer: “Qualquer ensinamento que não se enquadre nas Escrituras deve ser rejeitado, mesmo que faça chover milagres todos os dias”.

8- O Evangelista é um homem que tem paixão pelas almas.

A grande satisfação do Evangelista é ver um pecador regenerado. Esse certamente é o maior milagre que pode existir. Filipe pregava as Boas-Novas de salvação, e, conforme a soberana vontade de Deus, pessoas eram regeneradas pelo Espírito Santo, sendo batizadas em seguida como evidência de que, agora, eram novas criaturas em Cristo Jesus (At 8:12).

9- O Evangelista é um homem que segue a direção do Espírito Santo.

O evangelista é disposto a obedecer e está sempre atento a voz de Deus. Filipe não agia segundo a sua própria vontade, antes, ele seguia a direção do Espírito Santo (Atos, 8.26-39). Com grande disposição, Filipe pregou em Samaria, Azoto, e em todas as cidades até chegar a Cesaréia onde fixou residência (At 8:5,40).

10- O Evangelista é um homem que sabe ensinar as Escrituras.

Filipe, obedecendo à ordem do Senhor, foi para a estrada que desce de Jerusalém para Gaza. Ali, ele encontrou um eunuco que na sua carruagem lia o livro do profeta Isaías, porém não conseguia compreender o que estava lendo. Filipe, como um autentico evangelista, ensinou-lhe as Escrituras mostrando ao eunuco que elas testificam de Cristo. Essa é uma verdade indivisível na tarefa da evangelização. Qualquer um que pretende desempenhar o evangelismo, obrigatoriamente precisa saber expor as Escrituras.

Como Deve Atuar Um Evangelista Na Época Atual?

- Promover e organizar junto a igreja local eventos evangelísticos.

- Discipular os crentes através de estudos, seminários e palestras acerca de evangelismo.

- Pregar sempre mensagens evangelísticas nas ocasiões oportunas.

- Procurar utilizar as mídias (todos os meios de comunicação) para propagar o Evangelho.

- Ir em busca das almas através do evangelismo pessoal, promover evangelismo nos lares através de curso bíblico, pregar em concentrações e cruzadas evangelísticas.

- Orar sempre pela obra missionária, por salvação de almas e crescimento do Reino de Deus.

Conclusão:
Um evangelista autêntico deve ser um desbravador na obra da evangelização; um vibrante, atuante e dinâmico pregador do Evangelho. Ele fica inquieto quando não ganha almas e quando não vê almas se convertendo a Cristo. A palavra de Deus nos diz: Ó vós que fazeis menção do SENHOR, não haja silêncio em vós (Is.62.6). Ele clama por salvação e justiça. Por amor de Sião, não me calarei e, por amor de Jerusalém, não me aquietarei, até que saia a sua justiça como um resplendor, e a sua salvação, como uma tocha acessa (Is.62.1). Ele é um verdadeiro arauto do Evangelho.

Parte deste estudo foi extraído e adaptado do site estilo a adoração.
Link: https://estiloadoracao.com/o-que-e-um-evangelista/

domingo, 10 de março de 2019

QUEM FOI O JOVEM QUE CORREU DESPIDO?

Logo em seguida, todos fugiram e o abandonaram. Certo jovem, vestindo apenas um lençol de linho, estava seguindo Jesus, quando também tentaram prendê-lo. Mas ele, largando o lençol fugiu desnudo (Marcos, 14.50-52).

Jesus chamou a atenção dos guardas, para o fato de que suas armas eram desnecessárias, pois Ele não estava liderando uma rebelião (14.48). Ele não resistiria à prisão, pois esse evento havia sido preordenado (14.49). Ao observar Jesus permitindo que o prendesse, os discípulos se viraram e fugiram (14.50). Este abandono Jesus havia predito em 14.27 quando disse aos discípulos: Todos vós esta noite vos escandalizareis em mim, porque escrito está: Ferirei o pastor, e as ovelhas se dispersarão.
A prisão foi seguida por um incidente relatado apenas no evangelho de Marcos. Isso tem levado muitos estudiosos da Bíblia a assumir que o jovem, coberto unicamente com um lençol de linho, deve ter sido o próprio Marcos. Marcos, também conhecido por João Marcos no livro de Atos, morava com sua mãe, que tinha sua residência em Jerusalém (Atos, 12.12; 15.37). Segundo a tradição, a casa da mãe de Marcos teria sido o local onde foi celebrada a última ceia. Judas foi o primeiro a sair do local da celebração para em seguida trair Jesus. Pouco depois, Jesus vai com seus discípulos ao Getsêmani. É provável, que os soldados foram até a casa de Maria, mãe de Marcos, a procura de Jesus, que já não se encontrava lá. Seria perfeitamente possível que Marcos tivesse corrido até o Getsêmani para avisar a Jesus acerca da sua prisão. Como o evento ocorreu a noite, subtende-se que Marcos já estava vestido com o seu lençol de linho, pronto para dormir. Na pressa, na ânsia de correr para ainda em tempo avisar a Jesus e aos discípulos, ele correu com o traje que estava. Quando ele chega no local do jardim do Getsêmani, se depara com os soldados prendendo a Jesus e os discípulos se dispersando; vendo esta cena, ele corre para não ser preso e para facilitar a sua fuga, ele larga o lençol e foge despido.

sábado, 9 de março de 2019

A GLÓRIA DO SENHOR NO VALE

E a mão do SENHOR estava sobre mim ali, e Ele me disse: Levanta-te e sai ao vale, e ali falarei contigo. E levantei-me e desci ao vale, e eis que a glória do SENHOR estava ali, como a glória que vi junto ao rio Quebar; e caí sobre o meu rosto (Ezequiel, 3.22,23).

Ezequiel o profeta das visões, estava entre os cativos de Judá junto ao rio Quebar, onde Deus revelou a sua glória ao profeta através de visões extraordinárias. O profeta estava na terra dos caldeus, na Babilônia, e ele declara por mais de uma vez que a mão do SENHOR estava sobre ele.
Ezequiel, cujo nome significa "Deus fortalece", era de família sacerdotal (1.3) e passou os primeiros vinte e cinco anos da sua vida em Jerusalém. Estava se preparando para o ofício sacerdotal do templo quando foi levado cativo à Babilônia em 597 a.C. Uns cinco anos mais tarde, aos trinta anos (1.2,3), Ezequiel recebeu sua chamada profética da parte de Deus, e a partir daí ministrou fielmente durante vinte e dois anos, pelo menos (29.17). Ezequiel tinha uns dezessete anos quando Daniel foi deportado, portanto, os dois eram praticamente da mesma idade. Ezequiel e Daniel foram contemporâneos de Jeremias, porém mais jovens que ele, provavelmente, foram influenciados por  ele, por ser profeta mais velho em Jerusalém. Quando Ezequiel chegou à Babilônia, Daniel já era bem conhecido como homem de elevada sabedoria profética; Ezequiel refere-se a ele três vezes no seu livro (14.14,20; 28.3). Ao contrario de Daniel, Ezequiel era casado (24.15-18), e vivia como um  cidadão comum entre os exilados judeus, junto ao rio Quebar (1.1; 3.15,24; Sl.1371).

DESCENDO O VALE PARA OUVIR A VOZ DE DEUS.

A primeira informação que Ezequiel nos passa, é que a mão do SENHOR estava sobre ele.
Quando a mão de Deus está sobre nós, é sinal que estamos sendo guiados, guardados e protegidos por Ele. A segunda informação, é quando o SENHOR manda o profeta se levantar e sair ao vale.
Geralmente quem está sentado ou deitado, está acomodado, e quando Deus pede para se levantar é porque Ele nos quer em ação para cumprir alguma missão.
O propósito de Deus era falar com o profeta no vale. O profeta obedeceu: E levantei-me e desci ao vale, e eis que a glória do SENHOR estava ali, como a glória que vi junto ao rio Quebar; e caí sobre o meu rosto (3.23). Aprendemos com o profeta, que muitas vezes precisamos nos dispor e obedecermos a ordem do SENHOR, que quer falar conosco no vale. O profeta estava em cima, em um lugar elevado; mas ele precisou descer ao vale para ouvir a voz de Deus e ver a sua glória. Muitas vezes, isto também acontece conosco, as vezes o nosso ego, a nossa prepotência, a nossa alto-confiança nos leva as alturas e nos impede de ouvir a voz de Deus. É preciso obedecermos e descermos ao vale da humilhação para ouvirmos a voz de Deus e vermos a sua glória. Não podemos viver sem ouvir a voz de Deus e sem a glória da sua presença. Precisamos descer para ouvir a voz de Deus e sentirmos a glória da sua presença. Quem não desce ao vale da humilhação, nunca vai subir ao monte da exaltação. Porque Deus abate todos os exaltados, mas exalta todos os humilhados. Está escrito: Humilhai-vos perante o Senhor, e ele vos exaltará (Tiago, 4.10). Porque Deus resisti aos soberbos, mas dá graça aos humildes (Tiago, 4.6). Portanto, é melhor está no deserto ou no vale dentro da vontade de Deus, do que está em destaque sendo o centro das atenções, aplaudido e ovacionado pelo público, e fora da vontade de Deus.
Conclusão: Quem obedece e desce ao vale, sobe como profeta do SENHOR, para transmitir a mensagem de Deus para o povo. Amém!

quinta-feira, 7 de março de 2019

A VITÓRIA DE JESUS SOBRE SATANÁS.

E, tendo despojado os poderes e as autoridades, fez deles um espetáculos público, triunfando sobre eles na cruz (Colossenses, 2.15).

Jesus veio com a missão de implantar o Reino de Deus e aniquilar a império do Diabo. Satanás foi vencido na cruz, quando Cristo declarou: Está consumado! Depois desta declaração, foi decretada a derrota de Satanás.
Jesus Cristo é o grande Vencedor, Ele venceu o mundo físico e espiritual. Jesus nunca precisou pedir revanche para Satanás, porque Ele nunca perdeu. O problema é que Satanás é teimoso e não quer admitir que está derrotado. Está escrito, que o Filho de Deus se manifestou para desfazer as obras do Diabo (I João, 3.8). Perturbem-se os homens na terra, os demônios no inferno e Satanás no seu reino, mas o Grande Vencedor e Campeão é Jesus Cristo. Jesus não venceu Satanás como Deus, Ele o venceu como homem. Está escrito: E, visto como os filhos participam da carne e do sangue, também Ele participou das mesmas coisas, para que, pela morte, aniquilasse o que tinha o império da morte, isto é, o Diabo, e livrasse todos os que, com medo da morte, estavam por toda a vida sujeitos à escravidão (Hebreus, 2.14,15).

SATANÁS DERROTADO SETE VEZES POR JESUS:

Jesus Venceu Satanás no Deserto (Mateus, 4.1-11).

Jesus Venceu Satanás nos Homens (Marcos, 5.1-20).

Jesus Venceu Satanás Durante o Seu Ministério (Atos, 10.38).

Jesus Venceu Satanás na Cruz (Colossenses, 2.15).

Jesus Venceu Satanás na sua Ressurreição (Mateus, 28.18; Marcos, 16.15-18).

Jesus Venceu Satanás no Inferno (Efésios, 4.8-10; Ap.1.17,18).

Jesus Vai Destruir Satanás Quando vier em Glória (Ap.19.11-21; Ap.20.7-10).

* Nunca queira colocar Satanás paralelo a Jesus; Jesus é sublime, soberano e incomparável. 

quarta-feira, 6 de março de 2019

JOSUÉ NUNCA SE APARTAVA DA TENDA.

E, vendo o povo a coluna de nuvem que estava à porta da tenda, todo o povo se levantava, e inclinavam-se cada um à porta da sua tenda.
E falava o SENHOR a Moisés face a face, como qualquer fala com o seu amigo; depois, tornava ao arraial; mas o moço Josué, filho de Num, seu servidor, nunca se apartava do meio da tenda (Êxodo, 33.7-11). 

A tenda do encontro ou tenda da congregação, era uma tenda especial onde Deus manifestava a sua glória e falava com Moisés. O texto sagrado diz, que o povo que buscava ao SENHOR, saiam das suas tendas e cada um ficava em pé à porta da sua tenda para verem Moisés pelas costas entrar na tenda do encontro, e em seguida verem a nuvem da glória de Deus descer sobre a tenda. Diante desta visão o povo se inclinava e adorava a Deus.
Deus falava com Moisés, e Moisés transmitia a mensagem de Deus para o povo. Porém, havia um moço chamado Josué, que nunca se apartava do meio da tenda.

Josué, nunca se apartava da Tenda. Josué era um jovem que servia a Moisés, ele dedicava todo o seu tempo auxiliando Moisés no seu ministério. Josué não somente servia fielmente a Moisés, como também crescia na sua vida de comunhão com Deus. Ele aprendeu a permanecer longo tempo a sós com Deus. Essa dedicação o preparou para ser o sucessor de Moisés.
Não se apartar da tenda significa estar constantemente na presença de Deus, preferindo antes as coisas sagradas do que os entretenimento seculares. Vivemos uma época em que vem se tornando quase impossível os cristãos viverem uma vida de comunhão com Deus. O fato é que a modernidade vem dominando e ditando um estilo de vida que vem distanciando muitos cristãos de uma vida de comunhão com Deus. Porém, os verdadeiros adoradores não serão dominados pelo sistema, mas continuarão em comunhão profunda com Deus, e nunca irão se apartar da tenda. 

A Tenda significa: Comunhão, devoção, adoração, louvor, gratidão, oração, intercessão, meditação, revelação e conhecimento da palavra de Deus. Na Tenda o nosso caráter é moldado, na Tenda o nosso ego é tirado, na Tenda nós amadurecemos espiritualmente, na Tenda nós aprendemos e crescemos para glória de Deus.

Infelizmente, muitos cristãos se apartaram da Tenda e estão presos na rede. Muitos se tornaram escravos das redes sociais e passam a maior parte do seu tempo online na internet e off-line com Deus. Muitos cristãos não oram mais, nem leem a bíblia, porque estão super ocupados nas redes sociais. Não há nada de errado utilizarmos as redes sociais, desde que seja para glória de Deus. Está escrito: Portanto, quer comais, quer bebais ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para glória de Deus (I Co.10.31). 
Que possamos seguir o exemplo de Josué, que não se apartava da Tenda. Que possamos dar prioridade as coisas de Deus e as demais sejam secundarias.  

terça-feira, 5 de março de 2019

NÃO JOGUEM PÉROLAS AOS PORCOS.

Não deis aos cães as coisas santas, nem deiteis aos porcos as vossas pérolas; para que não as pisem e, voltando-se, vos despedacem (Mateus, 7.6).

Jesus usou muitas figuras de linguagem para ensinar. Em Mateus, 19.24 por exemplo, Ele fala de um camelo passando pelo fundo de uma agulha. Neste texto de Mateus capítulo 7, Jesus começa falando sobre as pessoas que tem o hábito de julgar os outros. No desfecho final deste ensinamento, o Mestre surpreende seus ouvintes dizendo: "Não deis aos cães as coisas santas, nem joguem as vossas pérolas aos porcos; para que não as pisem e, voltando-se, vos despedacem".
Jesus usou a figura do cão e do porco, animais irracionais, para mostrar aquilo que é precioso, sendo desprezado, pisado e despedaçado por aqueles que não valorizam.
As coisas sagradas são de grande valor, e não devem ser dispensadas para quem não as valorizam.
Não jogar pérolas aos porcos, significa não perder tempo comunicando as preciosidades do Evangelho, ou as verdades da palavra de Deus com aqueles que preferem viver na imundícia do pecado e não valorizam o sagrado.
Pérolas têm valor inestimável e eterno, isto nos fala das coisas sagradas que nos foram dadas por Deus. Porcos não sabem diferenciar o sagrado do profano, eles só olham para baixo e vivem na lama da ignorância. Não devemos oferecer os tesouros do nosso coração, da nossa intimidade com Deus, com aqueles que são zombadores, escarnecedores e que desprezam as coisas sagradas.
É prudente analisarmos quem são os suínos.
Não jogue suas pérolas aos "suínos existenciais", pois, além de não valorizarem, ainda pisarão na sua vida, tentando manchar o seu bom caráter.
Uma pergunta final: Você jogaria suas pérolas na lama, aos porcos? Se você não faria isso com joias materiais, porque fazer com os tesouros imateriais, que são eternos?
Portanto, o Mestre nos ensina a sermos prudentes e seletivos, para não jogarmos as nossas pérolas aos porcos (os tolos). Não fales aos ouvidos do tolo, porque desprezará a sabedoria das tuas palavras (Pv.23.9). No banquete da sabedoria, o sábio Salomão nos diz: Deixai os insensatos, e vivei, e andai pelo caminho do entendimento. O que repreende o escarnecedor afronta toma para si; e o que censura o ímpio recebe a sua mancha. Não repreendas o escarnecedor, para que te não aborreça; repreende o sábio, e amar-te-á. Dá instrução ao sábio, e ele se fará mais sábio; ensina ao justo, e ele crescerá em entendimento (Pv.9.6-9).
Para quem escolheu viver um estilo de vida de porcos (na imundícia do pecado), a palavra de Deus diz: Quem é injusto faça injustiça ainda mais; e quem está sujo suje-se ainda mais (Ap.22.11a)
Para quem escolheu viver um estilo de vida sagrado (para Deus), a bíblia recomenda: ... e quem é justo faça justiça ainda mais; e quem é santo seja santificado ainda mais (Ap.22.11b).
Portanto, viva uma vida santificada e guarde suas pérolas sagradas para o momento oportuno. Amém!

segunda-feira, 4 de março de 2019

O QUE ESTÁ ENCOBERTO SERÁ REVELADO.

Porque não há nada oculto que não venha a ser revelado, e nada escondido que não venha a ser conhecido e trazido à luz (Lucas, 8.17).

Este costume ou esta pratica de ocultar as coisas é antiga. Deste as mais antigas civilizações os homens guardam em secreto os seus mais íntimos segredos. Geralmente as pessoas procuram esconder aquilo que não é legal, e ocultar aquilo que é censurável. Na época de Jesus, os lideres religiosos foram censurados por Jesus, por demonstrarei serem verdadeiros em suas palavras, mas no oculto eram falsos e cheios de hipocrisias.
Há pessoas que vivem uma vida de desfaces, nunca mostram quem realmente são. Homens e mulheres corruptos e corruptores que vivem burlando a lei e acreditando que nunca serão descobertos. Políticos que procuram tirar vantagens do cargo que assumem, vivem praticando atos ilícitos e imorais as escondidas, e ainda dizem serem inocentes quando são descobertos. Lideres religiosos que vivem envolvidos em corrupções, são avarentos, fazem do povo negócio e mercadejam a fé em nome de Deus. Casamentos são desfeitos quando os segredos ocultos são revelados; homens e mulheres que vivem um casamento de aparências, um casamento camuflado, cheio de coisas encobertas, feitas as escondidas.
Não adianta tentar esconder, é melhor ser verdadeiro e fazer tudo as claras. As palavras do Mestre são verdadeiras: "Porque não há nada oculto que não venha a ser revelado, e nada escondido que não venha a ser conhecido e trazido à luz" (Lucas, 8.17).
Geralmente as pessoas desonestas procuram esconder suas praticas imorais, pensam que não serão descobertas, mas um dia a casa cai e a sujeira vem a tona.
Pode acontecer de alguém morrer na pratica de coisas ilícitas e ninguém ficar sendo sabedor. Mas, haverá um Dia em que tudo será revelado, haverá um Dia em que os segredos dos homens serão revelados. Não tem como escapar da vista do Todo-Poderoso, Ele ver tudo e sabe todos os segredos dos homens. O apóstolo Paulo diz: Portanto, nada julgueis antes do tempo, até que o Senhor venha, o qual também trará à luz as coisas ocultas das trevas e manifestará os desígnios dos corações; e, então, cada um receberá de Deus o louvor (I Co.4.5).

Uma experiência pessoal.
Navegando na internet, estive visitando alguns blogs ou sites e sem intenção alguma, descobrir um blog que copiou e reproduziu várias das minhas postagens sem citar a fonte. Logo deixei alguns comentários para o administrador do blog para que o mesmo retirasse as postagens ou citar-se a fonte. Caso contrario, estaria denunciando o blog por abuso e falta de ética.
Também, há alguns anos estive participando de uma Escola Bíblica para Obreiros em Goiana-Pe, e para minha surpresa um pastor que era um dos preletores, falou sobre o tema: "Cinco Qualidades do Obreiro Aprovado". Quando ele começou a falar, percebi que ele havia extraído este estudo do meu Blog sem a minha permissão. Fiquei feliz por ver o quanto estou sendo útil no Reino de Deus. Mas descobrir em ambos os casos, que há pessoas usando desfaces, se dizendo autor daquilo que não lhe pertence.
Finalmente, "NADA HÁ ENCOBERTO QUE NÃO SEJA REVELADO". Pense nisso!

domingo, 3 de março de 2019

O ENGANO DO PECADO.

Pela fé, Moisés, sendo já grande, recusou ser chamado filho da filha de Faraó, escolhendo, antes, ser maltratado com o povo de Deus do que por um pouco de tempo, ter o gozo do pecado; tendo, por maiores riquezas, o vitupério de Cristo do que os tesouros do Egito; porque tinha em vista a recompensa (Hebreus, 11.24-26).

O pecado é o grande atrativo da humanidade, ele seduz e induz as pessoas ao erro. Pecar significa, errar o alvo. Todavia, as pessoas preferem errar o alvo e praticarem o pecado, visto que ele é prazeroso e satisfaz os desejos dos seus escravos. Uma pessoas é escrava do pecado, quando ela passa a ser dominada por ele; a bíblia diz, que nós somos servos ou escravos daquilo que somos vencidos (II Pe.2.19). Nós os humanos, somos tendenciosos a pecar, visto que temos uma natureza propensa ao pecado. O pecado para muitos é prazeroso, porque o gozo do pecado satisfaz os desejos daqueles que o praticam. As pessoas nascem no pecado, vivem praticando o pecado, morrem em pecado e não aceitam que o pecado lhes condena.
Moisés era poderoso no Egito, era respeitado por todos, era herdeiro do trono de Faraó e gozava de tudo que o pecado lhe pudesse oferecer. Mas ele rejeitou todos os seus privilégios, e escolheu atender o chamado de Deus e sofrer com o povo, ele desprezou as riquezas e os tesouros do Egito, em troca de uma maior recompensa. Paulo escrevendo aos romanos, diz: Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus, nosso Senhor (Rm.6.23).
O pecado reina e domina as pessoas, ele escraviza os pobres e os ricos, os doutos e os indoutos, os sábios e os ignorantes, os leigos e os letrados, os simples e os prudentes, os senhores e os servos, os célebres e os anônimos, os negros e os brancos. Finalmente, o pecado se constitui um engano, um sofisma, uma grande fantasia que termina quando as luzes da vida se apagam e as cortinas do show da vida se fecham. O pecado escraviza e leva as pessoas a se distanciarem de Deus. Deus ama o pecador, mas aborrece o pecado. Está escrito: Eis que a mão do SENHOR não está encolhida, para que não possa salvar; nem o seu ouvido, agravado, para não poder ouvir. Mas as vossas iniquidades fazem divisão entre vós e o vosso Deus, e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que vos não ouça (Isaías, 59.1,2).
Portanto, busque se libertar do engano do pecado, aceite o plano da salvação que Deus lhe oferece por intermédio do seu Filho, Jesus Cristo, nosso Senhor e Salvador. Ele disse: E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará. Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente, sereis livres (João, 8. 32,36). Amém!

sábado, 2 de março de 2019

DEVO ARRANCAR O OLHO DIREITO QUE ME FAZ PECAR?

Ouvistes que foi dito aos antigos: Não cometerás adultério. Eu porém, vos digo: Qualquer que olhar para uma mulher e desejá-la, já cometeu adultério com ela no seu coração. Portanto, se o teu olho direito te fizer pecar, arranca-o e lance-o fora. É melhor perder uma parte do seu corpo do que ser todo ele lançado no inferno. E se a sua mão direita o fizer pecar, corte-a e lance-a fora. Porque é melhor perder uma parte do seu corpo do que ir todo ele para o inferno (Mateus, 5.27-30).

Este texto bíblico, que faz parte dos ensinamentos de Jesus, é um dos mais difíceis a ser interpretado. Muitos leitores da bíblia encontram dificuldade de entender ou interpretar este texto. Há quem diga que a sua interpretação é literal; enquanto outros consideram com o sentido figurado. O que o Mestre estava querendo ressaltar ao falar do rigor da lei, era que a lei condenava as pessoas por uma ação exterior;  mas o ensino da graça já condena por uma intenção interior, ou seja, por um desejo secreto do coração. Todavia, quando Ele manda arrancar o olho direito ou a mão, Ele não estava ordenando as pessoas se mutilarem, mas estava ensinando sobre a seriedade do pecado e a causa de uma condenação que pode levar as pessoas ao inferno. Em outras palavras, Jesus estava dizendo que não devemos usar os nossos sentidos (visão, olfato, tato, paladar e audição) para estimular a lascívia proibida.
No contexto atual do mundo pós-moderno, o olho direito que Jesus se referiu pode significar muitas coisas que estão relacionadas a vida moderna das pessoas. Por exemplo: O mal uso da internet para muitos cristãos pode ser o seu olho direito que deve ser arrancado. Para outros cristãos, que se tornaram escravos das redes sociais, e que utilizam de forma que entristece o Espírito Santo, isto pode ser o seu olho direito que deve ser arrancado.
Se o mal uso da internet, tem levado você a pecar como cristão, deixe de acessa-la. Se você como cristão não tem domínio próprio, e se deixa seduzir pelos apelos pecaminosos das redes sociais, deixe-as; desfaça o seu perfil das redes sociais, este pode ser o seu olho direito, arranque-o antes que seja tarde. Para os que são viciados em filmes, vídeos e literaturas pornográficas, isto também pode significar o olho direito que deve ser arrancado.
Portanto, não devemos arrancar o nosso olho direito de forma literal, porque o pecado vai continuar dentro de nós. Há um ditado que diz: "O que os olhos não veem o coração não sente". No entanto, a bíblia recomenda: Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o teu coração, porque dele procedem as saídas da vida (Pv.4.23). Davi no seu salmo diz: Não porei coisa má diante dos meus olhos; aborreço as ações daqueles que se desviam; nada se me pegará (Salmos, 101.3). O sábio Salomão nos aconselha: Não te apresses a sair da presença dele, nem persistas em alguma coisa má, porque Ele faz tudo o que quer (Ec.8.3).

Conclusão: Tudo é uma questão de obediência, quem obedece o mandamento do Senhor, é feliz. Porém, quem decide não obedecer, vai continuar pecando com seu olho direito e sofrerá as consequências.  

sexta-feira, 1 de março de 2019

O CÃO VOLTOU AO SEU PRÓPRIO VÔMITO.

Porquanto se, depois de terem escapado das corrupções do mundo, pelo conhecimento do Senhor e Salvador Jesus Cristo, forem outra vez envolvidos nelas e vencidos, tornou-se-lhes o último estado pior do que o primeiro. Porque melhor lhes fora não conhecerem o caminho da justiça do que, conhecendo-o, desviarem-se do santo mandamento que lhes fora dado. Deste modo, sobreveio-lhes o que por um verdadeiro provérbio se diz: O cão voltou ao seu próprio vômito; a porca lavada ao espojadouro de lama (II Pedro, 2.20-22).

Estes últimos versículos é o desfecho final acerca dos falsos mestres, que apostataram da fé e se tornaram imundos por suas ações e atitudes ímpias. No capítulo dois da sua segunda carta, o apóstolo Pedro revela várias características que identificam um falso mestre. Pedro enfatiza que, estes falsos, seduzem através dos seus falsos ensinos aqueles que estavam afastando-se do caminho do erro; prometendo-lhes liberdade, sendo eles mesmos servos do pecado (2.18,19). Conhecer o caminho da verdade e em seguida abandonar é apostatar da fé e torna-se pior do que antes.
Quem na verdade, teve a sua vida totalmente transformada pelo poder do evangelho de Jesus Cristo, e teve a experiência do novo nascimento, é impossível voltar atrás.
Quem está firme naquilo que abraçou, não abre mão dos princípios da palavra de Deus.
Quem verdadeiramente é de Deus, não voltar atrás, porque a sua natureza santa, não se adapta com as imundícias do pecado.
A natureza do corvo é gostar de carniça, carne podre é o seu alvo.
A natureza do cão é gostar do seu próprio vômito.
A natureza da porca ou do porco, é gostar da lama.
A natureza corrupta do homem, é gostar da corrupção.
A natureza do imundo, é gostar da imundícia.
Porém, a natureza do homem que foi transformado pelo poder do Espírito Santo, é viver na verdade.
Apenas um banho não altera a natureza de um ser impuro e que tem prazer no pecado, somente a regeneração pelo poder do Espírito e da palavra de Deus, pode altera-la. Quando isto não acontece, o pecado torna-se uma pratica repetitiva. Como um cão que torna ao seu próprio vômito é o insensato que repete suas tolices (Pv.26.11).
Se voltou é porque nunca foi uma nova criatura, nem ovelha; tinha só a aparência de ovelha, mas por dentro não havia uma nova criatura.
O apóstolo Paulo nos afirma dizendo: Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo (II Coríntios, 5.17).

* Quem verdadeiramente é de Deus, não tem atitude do cão que voltou ao seu próprio vômito; nem da porca que foi lavada e voltou ao espojadouro de lama, mas permanece firme em sua convicção de fé. Amém!