quinta-feira, 9 de julho de 2020

OLHAI PARA FIGUEIRA!

E disse-lhes uma parábola: Olhai para a figueira e para todas as árvores. Quando já começam a brotar, vós sabeis por vós mesmos, vendo-as, que perto está já o verão. Assim também vós, quando virdes acontecer essas coisas, sabei que o reino de Deus está perto (Lucas, 21.29-31). 

Israel é o relógio de Deus para igreja. O cumprimento das profecias e os fatos que estão acontecendo, indicam que o relógio de Deus está quase cruzando os ponteiros para igreja. Jesus disse: Aprendei, pois, esta parábola da figueira: Quando já os seus ramos se tornam tenros e brotam folhas, sabei que está próximo o verão. Igualmente, quando virdes todas essas coisas, sabei que ele está próximo, às portas (Mateus, 24.32,33). 

Os grandes eruditos e estudiosos da bíblia, concordam que a figueira é a nação de Israel. Quando por ocasião da crucificação de Jesus, Pilatos apresentou Jesus e Barrabás ao povo e perguntou: Qual desses dois quereis vós que eu solte? E eles disseram: Barrabás. Disse-lhes Pilatos: Que farei, então, de Jesus, chamado Cristo? Disseram-lhe todos: Seja crucificado! O governador, porém, disse: Mas que mal fez ele? E eles mais clamavam dizendo: Seja crucificado! Então, Pilatos vendo que nada aproveitava, antes o tumulto crescia, tomando água, lavou as mãos diante da multidão, dizendo: Estou inocente do sangue deste justo, considerai isso. E, respondendo todo o povo, disse: O seu sangue caia sobre nós e sobre nossos filhos (Mateus, 27.21-25). A parti dessa declaração, os judeus pagaram um preço muito alto, até os dias de hoje eles sofrem. No ano 70 d.C. o general Tito e todo o seu exército, cercou Jerusalém, e fez o maior massacre; matando milhares de judeus, incendiando o templo e destruindo toda a cidade.

Por 1878 anos a nação de Israel andou dispersa, enquanto se esperava o cumprimento da profecia do profeta Isaías, que diz: Quem já ouviu uma coisa dessas? Quem já viu tais coisa? Pode uma nação nascer num só dia, ou, pode-se dar à luz um povo num instante? Pois Sião ainda estava em trabalho de parto, e deu à luz seus filhos (Is.66.8). Foi exatamente no dia 14 de maio de 1948, se cumpriu a Palavra de Deus. 

A nação de Israel, ficou dispersa por muito tempo e perdeu a sua identidade como nação. Na segunda guerra mundial, Adolf Hitler, dominado pelo ódio, ordenou a morte de seis milhões de judeus. Mas a promessa que Deus havia feito a Israel através dos seus profetas, haveria de se cumprir. A palavra de Deus começou a se cumprir. No dia 16 de setembro de 1947, na primeira sessão especial da assembleia geral da ONU, o estadista e diplomata brasileiro, Osvaldo Aranha, decidiu por um voto de desempate a favor de Israel, dando o direito de Israel ser reconhecido como estado. Foi no dia 14 de maio, de 1948, que o estado de Israel foi oficialmente reconhecido pela ONU (Organização das Nações Unidas), como nação. Foi a parti dai que Israel como figueira começou a brotar, já brotou tanto, que já está fazendo sombra aos países vizinhos. Hoje Israel é considerado uma super potência. Jesus disse: Ora, quando essas coisas começarem a acontecer, olhai para cima e levantai a vossa cabeça, porque a vossa redenção está próxima (Lc.21.28). Ele está próximo, às portas.

MARANATA! O Senhor Vem. Amém! 

quarta-feira, 8 de julho de 2020

O Espírito Santo Atuando No Pentateuco.

O Espírito Santo opera com poder desde o princípio da criação. Ele age e trabalha de forma eficaz, na criação e na vida de alguns lideres que atuaram no período do Pentateuco, ou seja, desde de Gênesis até o final da peregrinação do povo no deserto. Depois da morte de Moisés, surge um novo período de conquistas com Josué, sucessor de Moisés. Seria impossível e ficaria sem brilho toda história, sem a presença do Espírito Santo. O Espírito Santo é indispensável, sem Ele não haveria vida. Ele é a nossa fonte de poder, de sabedoria e conhecimento.

- NO COMEÇO DA CRIAÇÃO.

E a terra era sem forma e vazia; e havia trevas sobre a face do abismo; e o Espírito de Deus se movia sobre a face das águas (Gn.1.2).

- PONDO LIMITE NA VIDA HUMANA.

Então disse o SENHOR: Por causa da perversidade do homem, meu Espírito não contenderá com ele para sempre; ele só viverá cento e vinte anos (Gn.6.3).

- NA VIDA DE JOSÉ, RECONHECIDO POR FARAÓ.

E disse Faraó a seus servos: Acharíamos um varão como este, em quem haja o Espírito de Deus? (Gn.41.38).

- NA VIDA DE MOISÉS, PARA LIDERAR O POVO.

E disse o SENHOR a Moisés: Ajunta-me setenta dos anciãos de Israel, de quem sabes que são anciãos do povo e seus oficiais; e os trarás perante a tenda da congregação, e ali se porão contigo. Então, eu descerei, e ali falarei contigo, e tirarei do Espírito que está sobre ti, e o porei sobre eles; e contigo levarão a carga do povo, para que tu sozinho o não leves (Nm.11.16,17).

- NA VIDA DOS SETENTA ANCIÃOS, PARA AUXILIAREM MOISÉS.

E saiu Moisés, e falou as palavras do SENHOR ao povo, e ajuntou setenta homens dos anciãos do povo e os pôs em roda da tenda. Então, o SENHOR desceu na nuvem e lhe falou; e, tirando do Espírito que estava sobre ele, o pôs sobre aqueles setenta anciãos; e aconteceu que, quando o Espírito repousou sobre eles, profetizaram; mas, depois, nunca mais (Nm.11.24,25).

- ATUANDO SOBRE ELDADE E MEDADE.

Entretanto, dois homens, chamado Eldade e Medade, tinham ficado no acampamento. Ambos estavam na lista das autoridades, mas não tinham ido para a tenda. O Espírito também veio sobre eles, e profetizaram no acampamento. Então, certo jovem correu e contou a Moisés: "Eldade e Medade estão profetizando no acampamento". Josué, filho de Num, que desde de jovem era auxiliar de Moisés, interferiu e disse: "Moisés, meu senhor, proíba-os!" Mas Moisés respondeu: Você está com ciúmes por mim? Quem dera todo o povo do SENHOR fosse profeta e que o SENHOR pusesse o seu Espírito sobre eles! Então Moisés e as autoridades de Israel voltaram para o acampamento (Nm.11.26-30 NVI).

- SOBRE BEZALEL E AOLIABE, PARA CONSTRUIR O TABERNÁCULO.

Depois, falou o SENHOR a Moisés, dizendo: Eis que eu tenho chamado por nome a Bezalel, filho de Uri, filho de Hur, da tribo de Judá, e o enchi do Espírito de Deus, de sabedoria, e de entendimento, e de ciência em todo artifício. E eis que tenho posto com ele a Aoliabe, filho de Aisamaque, da tribo de Dã, e tenho dado sabedoria ao coração de todo aquele que é sábio de coração, para que façam tudo o que te tenho ordenado (Ex.31.1-3,6).

- NA VIDA DE JOSUÉ, PARA CONQUISTAR A TERRA PROMETIDA.

Então, disse o SENHOR a Moisés: Toma para ti a Josué, filho de Num, homem em quem há o Espírito, e põe a tua mão sobre ele (Nm.27.18).
E Josué, filho de Num, foi cheio do Espírito de sabedoria, porquanto Moisés tinha posto sobre ele as suas mãos ... (Dt.34.9).

Esta pequena análise e pesquisa feita no pentateuco, ou seja, nos primeiros cinco livros da Bíblia, prova que Deus nunca negou a atuação do seu Espírito. O Espírito Santo vem operando poderosamente, de forma implícita e explicita, desde o princípio da criação. Amém!

sábado, 4 de julho de 2020

ALEGRIA AO AMANHECER.

Pois a sua ira só dura um instante, mas o seu favor dura a vida toda; o choro pode persistir uma noite, mas de manhã irrompe a alegria (Sl.30.5 NVI).

O mal nunca vencerá o bem. Depois da tempestade vem a bonança, depois da noite vem o dia, e depois da luta vem a vitória. É uma questão de fé, quem tem fé e acredita, vai vencer e viver uma nova experiência de vida. Deus permite certas lutas para nos fazer crescer e amadurecer, e nunca para nos destruir.
As vezes as lutas, os problemas e as adversidades são persistentes e a noite se torna tão longa, que parece que nunca vai ter fim. Mas a palavra de DEUS nos garante: "O choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã".
Haverá um novo amanhã para sua vida, o sol voltará a brilhar, uma luz de esperança surgirá em meio a escuridão da noite e um amanhecer de alegria vai se romper, trazendo a vitória.
Depois de uma noite de lutas, haverá um amanhecer de alegria. Não desista, mas insista e persista, porque DEUS está preparando um novo recomeço de alegria e vitória para você. Amém! 

quarta-feira, 1 de julho de 2020

Ações Do Espírito Santo No Livro De Atos.

O livro de Atos dos apóstolos originalmente não recebeu este título. Não foi o escritor Lucas que o intitulou de "Atos dos apóstolos". Esse título foi posto pelos pais da igreja a partir do segundo século. Alguns eruditos sugeriram que o livro de Atos dos apóstolos, poderia ser chamado de "Atos do Espírito Santo"; visto que, todas ações narradas no livro são do Espírito Santo, e apenas dois apóstolos são coadjuvantes: Pedro e Paulo.
A igreja primitiva era totalmente dominada pelo Espírito Santo. A grande diferença da igreja da época dos apóstolos, para igreja atual, era porque o Espírito Santo tinha vez e voz, Ele falava e determinava o rumo da igreja; hoje, na maioria das igrejas, tudo é feito e decidido sem a direção do Espírito Santo. Por estas e outras razões, nenhuma denominação de igreja pode se comparar com a igreja primitiva.

ATIVIDADES DO ESPÍRITO SANTO NA IGREJA PRIMITIVA.

1- O Espírito Santo dando mandamentos (1.2).
2- O Espírito Santo capacitando os discípulos para serem testemunhas (1.8).
3- O Espírito Santo predizendo (1.16).
4- O Espírito Santo enchendo os discípulos (2.4).
5- O Espírito Santo sendo derramado (2.33).
6- O Espírito Santo enchendo todos (4.31).
7- O Espírito Santo revelando (5.3,9).
8- O Espírito Santo testemunhando (5.32).
9- O Espírito Santo sendo resistido (7.51).
10- O Espírito Santo ordenando (8.29).
11- O Espírito Santo arrebatando (8.39).
12- O Espírito Santo consolando (9.31).
13- O Espírito Santo orientando (10.19,20).
14- O Espírito Santo atuando na vida de Jesus (10.38).
15- O Espírito Santo falando através do profeta Ágabo (11.27,28).
16- O Espírito Santo escolhendo (13.2).
17- O Espírito Santo enviando (13.4).
18- O Espírito Santo opinando (15.28).
19- O Espírito Santo impedindo (16.6,7).
20- O Espírito Santo revelando (20.23).
21- O Espírito Santo constituindo (20.28).
22- O Espírito Santo alertando (21.11).
23- O Espírito Santo falando através do profeta Isaías (28.25).

CONCLUSÃO:
Uma coisa é certa e nós sabemos, o Espírito Santo só opera quando há lugar para Ele. Quando não o convidamos, nem o consultamos, Ele nos deixa agir e resolver sozinho. Quando nós confiamos em nossas habilidades e sabedoria e nos julgamos autossuficientes para resolvermos tudo, logo o Espírito Santo se afasta e nos deixa. Porém, ainda hoje, a igreja do Senhor Jesus Cristo, necessita da direção e do poder do Espírito Santo para vencer e prosperar em tudo que fizer. Amém! 

segunda-feira, 29 de junho de 2020

SETE AÇÕES DE DEUS NO SALMOS 18.

Eu te amarei do coração, ó SENHOR, fortaleza minha. O SENHOR é o meu  rochedo, e o meu lugar forte, e o meu libertador; o meu Deus, a minha fortaleza, em quem confio; o meu escudo, a força da minha salvação e o meu alto refúgio (Sl.18.1,2).

Neste salmo Davi revela a sua intimidade com Deus e demonstra toda sua dependência no SENHOR. Ele credita todas as suas vitória à Deus e confessa que o SENHOR é a sua fortaleza, seu escudo, seu libertador e a força da sua salvação. Neste salmo Davi faz uma narrativa das ações de Deus a seu favor e cita os livramentos e vitórias sobre seus inimigos. No final deste cântico, Davi louva e engrandece ao SENHOR por sua grandeza e vitórias recebidas. Ele diz: Pelo que, ó SENHOR, te louvarei entre as nações e cantarei louvores ao teu nome. E Deus que engrandece as vitórias do seu rei e usa de benignidade com o seu ungido, com Davi, e com a sua posteridade para sempre (Sl.18.49,50). Ao revelar a sua intimidade com Deus, Davi utiliza o pronome possessivo "Meu" e o repete por oito vezes, ele diz: O SENHOR é:
-Minha Fortaleza.
-Meu Rochedo.
-Meu Lugar Forte.
-Meu Libertador.
-Meu Deus.
-Meu Escudo.
-Minha Salvação.
-Meu Alto Refúgio.

SETE AÇÕES DE DEUS.

1- Abalou a terra e fez tremer os montes (7).
2- Abaixou os céus e desceu (9).
3- Montou num Querubim e voou sobre as asas do vento (10).
4- Fez das trevas o seu lugar oculto (11).
5- Espalhou as nuvens com o resplendor da sua presença (12).
6- Trovejou dos céus e fez ouvir a sua voz (13).
7- Atirou suas flechas e dissipou os inimigos (14).

CONCLUSÃO:
Entendemos através deste salmo que, Deus está pronto para ouvir o nosso clamor e nos responder com suas ações poderosas. Que possamos confiar no SENHOR, e declarar como Davi: O SENHOR é minha fortaleza, meu rochedo, meu lugar forte, meu libertador, meu Deus, meu escudo, a força da minha salvação e o meu alto refúgio. Amém!

sábado, 27 de junho de 2020

Doce Espírito - Bom Consolador - Paracleto Divino.

... e o Espírito Santo desceu sobre Ele em forma corpórea, como uma pomba; e ouviu-se uma voz do céu, que dizia: Tu és meu Filho amado; em ti me tenho comprazido (Lc.3.22).
E João testificou dizendo: Eu vi o Espírito descer do céu como uma pomba e repousar sobre Ele (Jo.1.32).

O Espírito Santo está em ação desde o princípio da criação. O texto sagrado registra que a terra era sem forma e vazia; e havia trevas sobre a face do abismo; e o Espírito de Deus se movia sobre a face das águas (Gn.1.2). O Espírito Santo é o gerador de vidas. O sábio Eliú testificou dizendo: O Espírito de Deus me fez; o sopro do Todo-poderoso me dá vida (Jó.33.4). Se fosse intensão dele, e de fato retirasse o seu espírito e o seu sopro, a humanidade pereceria toda de uma vez, e o homem voltaria ao pó (Jó.34.14,15). Oh! Doce e bom Espírito! Tu és a Vida que gera vidas e as sustentas e mantém-as vivas. Quanto mais recebo informações acerca das obras e ações do Bom Espírito, passo a ama-lo, respeita-lo e deseja-lo cada vez mais. Aleluia!

IDENTIFICANDO A PALAVRA "ESPÍRITO" NA LINGUAGEM ORIGINAL DA BÍBLIA:

No Antigo Testamento.
Do hebraico, "Ruach". Que significa: Vento, hálito, respiração.

No Novo Testamento.
Do grego, "Pneuma". Vindo da raiz "Pneu", refere-se ao ar. O sufixo "ma" fala de ação, de movimento.

- A primeira menção ao Espírito Santo.
A primeira menção ao Espírito Santo na Bíblia, fala de "ação" e "movimento".
... e o Espírito de Deus se movia sobre a face das águas (Gn.1.2).

- A última menção ao Espírito Santo.
A última menção ao Espírito Santo fala de "desejo" e "expectativa".
E o Espírito e a esposa dizem: Vem! (Ap.22.17).

NOMES QUE IDENTIFICAM O ESPÍRITO SANTO NA BÍBLIA.

No Antigo Testamento:

Espírito de Deus (Gn.1.2; 41.38).
Meu Espírito (Gn.6.3).
Espírito do SENHOR (Jz.6.34).
Bom Espírito (Ne.9.20).
Sopro do Todo-poderoso (Jó.33.4).
Espírito Santo (Sl.51.11; Is.63.10).
Espírito do Senhor JEOVÁ (Is.61.1).
Espírito de Sabedoria (Is.11.2).
Espírito de Inteligência (Is.11.2).
Espírito de Conselho (Is.11.2).
Espírito de Fortaleza (Is.11.2).
Espírito de Conhecimento (Is.11.2).
Espírito de temor do SENHOR (Is.11.2).
Espírito de Graça (Zc.12.10).

No Novo Testamento:

Espírito de Deus (Rm.8.14).
Espírito de Cristo (Rm.8.9).
Espírito de Jesus (At.16.7).
Espírito do Pai (Mt.10.20).
Espírito de Adoção (Rm.8.15).
Espírito de Vida (Rm.8.2).
Espírito da Promessa (Ef.1.13).
Espírito do Senhor (II Co.3.18).
Espírito da Glória (I Pe.4.14).
Espírito da Verdade (Jo.14.17).
Espírito de Profecia (Ap.19.10).
Espírito Eterno (Hb.9.14).
Consolador (Jo.15.26).

A PERSONALIDADE DO ESPÍRITO SANTO.

O Espírito Santo não é uma força ativa como ensina uma seita herética, mas é uma pessoa que pensa, cria e agi.

Atividades Pessoais do Espírito Santo:

Fala (At.8.29; Ap.2.7).
Ensina (Jo.14.26).
Guia (Jo.16.13).
Entristece (Ef.4.30).
Orienta (At.16.6,7).
Ama (Rm.15.30).
Intercede (Rm.8.26).
Determina (At.15.28).
Escolhe (At.13.2).
Constitui (At.20.28).
Revela (At.20.22,23).
Testifica (Rm.8.16; Jo.15.26).
Glorifica (Jo.16.14).
Consola (At.9.31).
Convence (Jo.16.7,8).
Tem ciúmes (Tg.4.5).
Desiste (Gn.6.3).
Faz oposição (Is.63.10).
Dar descanso (Is.63.14).

CONCLUSÃO:
As obras e ações realizadas pelo Espírito Santo desde o começo da criação até os dias atuais, é de uma dimensão imensurável. O Espírito que operou na criação, é o mesmo que operou em todos os períodos e épocas do Antigo e Novo Testamento. O Espírito continua em plena atividade na igreja de Jesus, operando com sinais, curas e milagres. O Espírito Santo é o nosso Guia, Ensinador, Ajudador e Consolador. Ele foi enviado pelo Pai para ser nosso Consolador e Penhor da nossa herança futura.
Obrigado por tudo Doce Espírito!  

domingo, 21 de junho de 2020

O BEZERRO DE OURO DA MODERNIDADE.

Quando o povo viu que Moisés tardava em descer da montanha, congregou-se em torno de Arão e lhe disse:  Vamos, faz-nos um deus que vá à nossa frente, porque a esse Moisés, a esse homem que nos fez subir da terra do Egito, não sabemos o que lhe aconteceu. Arão respondeu-lhes. Tirai os brincos de ouro das orelhas de vossas mulheres, de vossos filhos e filhas e trazei-mos. Então todo o povo tirou das orelhas os brincos e os trouxeram a Arão. Este recebeu o ouro das suas mãos, o fez fundir em um molde e fabricou com ele uma estátua de bezerro. Então exclamaram:  Este é o teu Deus, ó Israel, o que te fez subir da terra do Egito. Quando Arão viu isso, edificou um altar diante da estátua e fez uma proclamação:  Amanhã será festa para o SENHOR.  No dia seguinte, levantaram-se cedo, ofereceram holocaustos e trouxeram sacrifícios de comunhão. O povo assentou-se para comer e para beber, depois se levantou para se divertir (Êxodo, 32.1-6).

O texto apresentado acima nos conta a história ocorrida quando Moisés, sobe ao monte para receber do Senhor as tábuas da Lei. Em um episódio anterior, Moisés junto com outros anciãos, inclusive Arão, havia subido ao monte, e a Bíblia relata que eles viram a Deus (não viram em sua plenitude, lógico, pois nenhum homem jamais viu a Deus, mas viram a presença de Deus manifestada em poder e glória, leia em Êxodo 24). Não viram a Deus em sua essência, mas o poder de Deus manifesto.
O problema maior que vemos lendo este episódio é que Arão, mesmo conhecendo ao Deus que lhe tirara do Egito, rapidamente cedeu aos apelos do povo para lhes fazer a imagem de um deus em forma de bezerro. O povo que viveu tanto tempo no Egito, acostumado a ver objetos de culto em todos os lugares, queria ver um deus materializado o qual pudessem adorar. E Arão, mesmo sabendo que o SENHOR não pode ser “reproduzido” pois ele vira sua glória no monte, trabalhou no ouro a forma de um deus que estava acostumado a ver entre os povos, um bezerro. Certamente ele tinha visto aquela figura repetida em muitas divindades pagãs, como o deus egípcio Ápis.

A descrição não deixa margem para dúvidas de que a ideia do bezerro de ouro foi de Arão. Foi ele que construiu, pois o texto mostra que ele trabalhou o ouro com um buril, ou seja, em uma forma.  Mas quando Moisés desceu do monte e o questionou a respeito daquele deus, ele mente, tentando se justificar. Moisés pergunta: Que tem feito a este povo, que sobre ele trouxeste tamanho pecado? Arão respondeu: Não se acenda a ira do meu senhor; tu sabes que este povo é inclinado ao mal; e e les me disseram: Faze-nos deuses que vão adiante de nós; porque não sabemos que sucedeu a este Moisés, a este homem que nos tirou da terra do Egito. Então, eu lhes disse: Quem tem ouro, arranque-o; e deram-mo, e lancei-o no fogo, e saiu este bezerro (Êx.32.21-24). Mas que mentira, ele havia moldado o bezerro. Quando ele foi apertado pelo povo a construir um deus, ele somente exteriorizou o que estava dentro dele. O bezerro saiu de dentro dele, das suas imaginações. Que grande perigo, que lição a se aprender. Muitas vezes o pecado já está dentro das pessoas, ele vai apenas ser exteriorizado. O maior trabalho de Deus não foi tirar o povo do Egito, mas tirar o Egito de dentro do povo.
Outro ponto interessante nessa passagem é que Arão pediu ao povo que lhes trouxesse os pendentes de ouro que usavam nas orelhas para fazer um deus deles, e eles prontamente levaram. O que nos leva a pensar que, o falso deus foi construído não somente a pedido do povo, mas com os pendentes que estavam em suas orelhas. Interessante notar que o ídolo foi formado com os acessórios pessoais do povo. Um símbolo do embelezamento e do ego de um deus que fosse para eles algo que pudessem ver nele algo que lhes falaria o que quisessem ouvir, que satisfizesse o seu ego. Uma idolatria a si próprio, um deus que servisse ao seu bel-prazer.

A SÍNDROME DE ARÃO.

É lamentável percebermos que muitos lideres estão seguindo o modelo de Arão e levando o povo a uma falsa adoração. Infelizmente, a “síndrome de Arão” tem exercido grande influência sobre boa parte da liderança da igreja. Há um “bezerro de ouro” dentro das nossas igrejas, e muitos perderam a visão e não percebem. E, os que percebem dizem: "Isto é modernidade, o que importa é "adorar". Sabemos que, o centro da verdadeira adoração é DEUS, mas, infelizmente o alvo da adoração está dividido por outros tipos de cerimônias e entretenimentos. Em muitas reuniões religiosas, tiraram DEUS do centro e estão dando preferência ao bezerro de ouro.

O ESTILO DE VIDA DOS ADORADORES DO BEZERRO DE OURO:

Não vivem na pratica da santidade, porque são profanos.

Não reverenciam ao SENHOR, porque vivem sem temor a DEUS.

Não respeitam o que é sagrado, porque são irreverentes com as coisas sagradas.

Não buscam adorar a DEUS em espírito e em verdade, porque preferem o culto do ego humano.

Não querem seguir a liturgia ordeira do culto, porque preferem a anarquia da farra.

Não andam no Espírito, porque preferem dar lugar aos prazeres da carne.

Não reprovam o pecado, porque vivem conformados com o sistema mundano.

Enfim, os adoradores do bezerro de ouro da atualidade são visto como algo normal. Muitos dizem: "Deixa, cada um é crente do seu jeito, não há nada de mal nisto". Os tempos mudaram, mas DEUS não muda, o mesmo pecado que Ele reprovou no passado, Ele reprova hoje. O pecado é o mesmo, apenas se modernizou com uma roupagem diferente. O bezerro de ouro está dentro das pessoas e as suas obras se manifestam em ações exteriores.

CONCLUSÃO:
Enquanto o bezerro de ouro for prioridade e ocupar o lugar de DEUS nos corações e na adoração, a glória de DEUS não se manifestará no meio do povo.
Há muitos templos, e poucas igrejas.
Há muitas músicas, e pouco louvor.
Há muito barulho e gesticulação, mas pouca adoração.
Há muita técnica de oratória nas pregações, mas pouca unção do Espírito.
Há muitos bezerros de ouro no meio do povo, e pouca sinceridade e santidade diante de DEUS.
Há muitos adoradores do bezerro de ouro com fogo estranho no meio do povo. Mas os verdadeiros adoradores, adoram ao Pai em espírito e em verdade e o fogo genuíno do Espírito se manifesta no meio deles. Amém! 

sábado, 20 de junho de 2020

APROVADO Por Homens ou Por DEUS?

Acaso busco eu agora a aprovação dos homens ou a de Deus? Ou estou tentando agradar a homens? Se eu ainda estivesse procurando agradar a homens, não seria servo de Cristo (Gálatas, 1.10).

A igreja da Galácia estava sendo vitima de falsos mestres, estes estavam ensinando um falso evangelho, e muitos cristãos estavam sendo levados a crer neste pseudo evangelho. Paulo escreve esta carta para confrontar os ensinos dos falsos mestres que estava perturbando a igreja na Galácia. Paulo inicia a carta declarando que o seu apostolado não foi da parte dos homens, nem por meio de pessoa alguma, mas por Jesus Cristo e por Deus Pai ... (Gl.1.1). Paulo deixa claro para os irmãos da Galácia, que ele não estava preocupado em agradar a homens, nem buscava aprovação de homem algum, mas como servo de Cristo, ele estava procurando agradar a Deus e ser aprovado por Ele.
O problema de muitos cristãos, principalmente os lideres, é se preocupar em querer agradar a todos, e nisto desagradar a Deus. Muitas vezes, para agradar o povo e não ferir, nem ser antipático, o líder faz vista grossa e deixa o povo adorar o bezerro de ouro. Quando o líder perde o alvo principal que é Cristo, e se deixa levar por títulos e status recebidos por parte dos homens, os seus interesses passam a serem outros e o rebanho de Deus fica em segundo plano.
Muitos estão buscando aplausos e aprovação dos homens, porém, o verdadeiro servo de Cristo, não está preocupado em agradar e nem ter aprovação de homens, e sim de Deus.
Na atualidade, um dos maiores problema do cristianismo é que, criaram vários tipos de evangelho, que não é evangelho, para agradar as pessoas. Paulo não estava preocupado em pregar um evangelho de conveniências para satisfazer os homens. O compromisso de Paulo era com a verdade do genuíno evangelho de Cristo. Por causa disso ele disse aos irmãos da Galácia: "Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema (Gl.1.8). Hoje, nós estamos vendo uma avalanche de falsos profetas e mestres que transtornam o evangelho de Cristo com heresias e fantasias para explorar a fé do povo. Mas o Juiz está chegando para tirar as máscaras e revelar quem são os falsos e quem são os verdadeiros.

Concluindo, não busque aprovação de homens, nem se preocupe em agradar a homens. Se o próprio Jesus não agradou a todos, porque nós vamos nos atrever em querer agradar. Pedro e João disseram para os lideres religiosos da época: "Julgai vós se é justo, diante de Deus, ouvir-vos antes a vós do que a Deus ... Mais importa obedecer a Deus do que aos homens (At.4.19; 5.29).
É melhor ser aprovado por Deus falando a verdade; do que ser ovacionado e aplaudido pelos homens omitindo a verdade para agradar.  

domingo, 14 de junho de 2020

O FIO ESCARLATE.

E disseram-lhe aqueles homens: Desobrigados seremos deste teu juramento que nos fizeste jurar, se, vindo nós à terra, não atares este cordão de fio de escarlata à janela ... (Js.2.17,18).

Se Raabe não houvesse obedecido a ordem dos espias em colocar o fio de escarlate na janela da sua casa, certamente ela teria sido destruída juntamente com toda sua família, como foram os habitantes de Jericó.
O fio de escarlate representa um simbolo do sangue de Cristo. Assim como o fio de escarlate serviu como sinal para proteção e salvação de Raabe, assim também o sangue de Cristo nos garante proteção e salvação eterna.
O escritor aos hebreus faz menção a este fato histórico e cita Raabe na galeria dos heróis da fé: "Pela fé, caíram os muros de Jericó, sendo rodeados durante sete dias. Pela fé, Raabe, a meretriz, não pereceu com os incrédulos, acolhendo em paz os espias (Hb.11.30,31).
Raabe alcançou a graça de Deus e foi acolhida por Josué, fazendo parte da nação de Israel, e ainda teve o privilégio de ser contada entre os heróis da fé e fazer parte da genealogia de Jesus Cristo (Mt.1.5).

O SANGUE COMO SIMBOLO DA NOSSA REDENÇÃO APARECE DESDE GÊNESIS ATÉ APOCALIPSE.

1- O SANGUE DA PROVISÃO.

Pela morte do cordeiro para confeccionar as vestes para vestir Adão e Eva.
E fez o SENHOR Deus a Adão e a sua mulher túnicas de peles e os vestiu (Gn.3.21).
João faz menção ao Cordeiro que foi morto deste a fundação do mundo (Ap.13.8).

2- O SANGUE DA PROTEÇÃO.

Pela morte do cordeiro Pascoal. O sangue do cordeiro era aspergido nos umbrais das portas para proteger as famílias israelita do destruidor havia de passar sobre todas as casa no Egito, porém, onde havia o sangue do cordeiro, o destruidor não entrava (Ex.12.21-23).

3- O SANGUE DA EXPIAÇÃO.

Pelo derramamento de sangue de animais oferecido em sacrifícios diários e anuais para perdoa a nação de Israel.
Depois, Arão levantou as mãos ao povo e o abençoou; e desceu, havendo feito a expiação do pecado, e o holocausto, e a oferta pacífica. Então, entraram Moisés e Arão na tenda da congregação; depois, saíram e abençoaram o povo; e a glória do SENHOR apareceu a todo o povo (Lv.9.22,23).

4- O SANGUE DO LIVRAMENTO.

Representado pelo fio de escarlate para livra Raabe e sua família da destruição sobre a cidade de Jericó e seus habitantes (Js.2.17,18).

5- O SANGUE DA REDENÇÃO.

Fomos redimidos e resgatados pelo precioso sangue de Cristo derramado na cruz para salvação da humanidade.
Sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver que, por tradição, recebestes dos vossos pais, mas com o precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro imaculado e incontaminado (I Pe.1.18,19).

CONCLUSÃO:
O sangue de Cristo é o único meio aceito por Deus que garante a nossa salvação. O sangue de Cristo pagou de uma vez por todas, o preço do nosso resgate e nos tornou livres e libertos para servirmos ao Deus vivo e verdadeiro. O sangue do Cordeiro é tema de um novo cântico que é cantado no céu: "E cantavam um novo cântico, dizendo: Digno és de tomar o livro e de abrir os seus selos, porque foste morto e com o teu sangue compraste para Deus homens de toda tribo, e língua, e povo, e nação; e para o nosso Deus os fizeste reis e sacerdotes; e eles reinarão sobre a terra" (Ap.5.9,10). Amém!

quinta-feira, 11 de junho de 2020

SETE COISAS NOVAS QUE DEUS FEZ.

  Eis que faço novas todas as coisas (Ap.21.5).

Não devemos viver na velhice do passado, as coisas mudam e evoluem, a vida é dinâmica e passa com rapidez. Deus gosta de fazer coisas novas, e não vai nos deixar perdidos no labirinto da velhice e do passado. O povo estava vivendo em terra seca, angustiado e na escuridão da ignorância. Mas, Deus falou através do profeta e disse: Eis que farei uma coisa nova, e, agora sairá à luz; porventura, não a sabereis? Eis que porei um caminho no deserto e rios, no ermo (Is.43.19). A Palavra nos conforta ao dizer que é sempre possível nos renovar e recomeçar com tudo novo de novo. O Espírito de Deus sempre tem algo novo para nós, que possamos nos renovar pela ação do Espírito e pelo poder da palavra de Deus. 

SETE COISAS NOVAS QUE DEUS FEZ:

1- NOVO HOMEM.

... e vos revistais do novo homem que, segundo Deus, é criado em verdadeira justiça e santidade (Ef.4.24).

2- NOVO CORAÇÃO.

E vos darei um coração novo e porei dentro de vós um espírito novo; e tirarei o coração de pedra da vossa carne e vos darei um coração de carne (Ez.36.26).

3- NOVO CÂNTICO.

... e pôs um novo cântico na minha boca, um hino ao nosso Deus; muitos o verão, e temerão, e confiarão no SENHOR (Sl.40.3).

4- NOVO CAMINHO.

... pelo novo e vivo caminho que Ele nos consagrou, pelo véu, isto é, pela sua carne (Hb.10.20).

5- NOVA VIDA.

Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo (II Co.5.17). 

6- NOVO MANDAMENTO.

Um novo mandamento vos dou: Que vos ameis uns aos outros; como eu vos amei a vós, que também vós uns aos outros vos ameis (Jo.13.34).

7- NOVO NOME. 

Quem tem ouvidos ouça o que o Espírito diz às igrejas: Ao que vencer darei eu a comer do maná escondido e dar-lhe-ei uma pedra branca, e na pedra um novo nome escrito, o qual ninguém conhece senão aquele que o recebe (Ap.2.17).

CONCLUSÃO:
As vezes nos sentimos pra baixo, humilhado, quebrado e sem saber o que fazer; mas o Espírito Santo chega para nos consolar e diz: Confie em Deus e na sua Palavra, Ele vai tornar tudo novo pra você.
Deus tem um novo cântico para os teus lábios, um novo caminho para os teus pés, um novo sentimento para o teu coração, um novo mandamento para o teu espírito, e uma nova vida na tua história. Esqueça o passado e não considere as coisas antigas, Deus fará coisas novas e haverá uma mudança radical na sua vida. Amém!

# Deus # Renovo # Novo.  

terça-feira, 9 de junho de 2020

O PRAZER DE ESTAR NA CASA DE DEUS.

Porque vale mais um dia nos teus átrios do que, em outra parte, mil. Preferiria estar à porta da Casa do meu Deus, a habitar nas tendas da impiedade (Sl.84.10).

A Casa de Deus é o melhor lugar que existe na face da terra. Neste salmo, o poeta usa figura de linguagem para expressar o seu prazer de estar na Casa de Deus. Ele expressa: Quão amáveis são os teus tabernáculos, SENHOR dos Exércitos! A minha alma está anelante e desfalece pelos átrios do SENHOR; o meu coração e a minha carne clamam pelo Deus vivo. Até o pardal encontrou casa, e a andorinha, ninho para si e para sua prole, junto dos teus altares, SENHOR dos Exércitos, Rei meu e Deus meu. Bem-aventurados os que habitam em tua Casa; louvar-te-ão continuamente (vers.1-4).
O poeta continua falando sobre a importância de estar na Casa de Deus, ao dizer que, vale mais um dia nos átrios do SENHOR do que mil em outra parte. Muitas vezes, nós não valorizamos a Casa de Deus como deveríamos, só quando ficamos privados deste privilégio de estarmos na Casa do SENHOR, passamos a valorizar.

O QUE DEVEMOS FAZER NA CASA DO SENHOR?

- ADORAR.
Adorai ao SENHOR na beleza da sua santidade ... (Sl.96.9).

- REVERENCIAR.
Deus deve ser em extremo tremendo na assembleia dos santos e grandemente reverenciado por todos os que o cercam (Sl.89.7).

- GLORIFICAR.
... E no seu templo cada um diz: Glória! (Sl.29.9).

- CANTAR.
Servi ao SENHOR com alegria e apresentai-vos a Ele com canto (Sl.100.2).

- LOUVAR.
Entrai pelas portas dele com louvor e em seus átrios, com hinos; louvai-o e bendizei o seu nome (Sl.100.4).

- PREGAR.
Preguei a justiça na grande congregação; eis que não retive os meus lábios, SENHOR, tu o sabes (Sl.40.9).

- APRENDER.
Uma coisa pedi ao SENHOR e a buscarei; que possa morar na Casa do SENHOR todos os dias da minha vida, para comtemplar a formosura do SENHOR e aprender no seu templo (Sl.27.4).

- OFERTAR.
Lembre-se de todas as tuas ofertas e aceite os teus holocausto (Sl.20.3).

- DIZIMAR.
Trazei todos os dízimos à Casa do tesouro, para que haja mantimento na minha Casa (Ml.3.10).

CONCLUSÃO:
Que possamos seguir o exemplo do poeta deste salmo, que anelava ardentemente pelos átrios do SENHOR . A Casa de Deus não deve ser um lugar de negócios, nem apenas um lugar de passatempo, mas, um lugar especial onde podemos adorar a Deus, aprender e contemplar a formosura do SENHOR. Amém!

segunda-feira, 8 de junho de 2020

REFLEXÃO SOBRE OFÍCIO DO PASTOR.

E vos darei pastores segundo o meu coração, que vos apascentem com ciência e com inteligência (Jr.3.15). E ele mesmo deu uns para apóstolos, e outros para profetas, e outros para evangelistas, e outros para pastores e mestres (Ef.4.11).

O cargo de pastor é nobre e importante, e por este cargo muitos tem aspiração. Porém, se alguém deseja ser "bispo", isto é, aquele que tem sobre si a responsabilidade pastoral, o pastor; é necessário ter as qualificações que a palavra de Deus recomenda (I Tm.3.1-7). Um pastor deve servir de exemplo para os fiéis e ser um modelo de fé a ser imitado (I Tm.4.12; Hb.13.7). Um pastor deve ser um homem de caráter ilibado, de maneira que, a sociedade o respeite como homem de Deus e Satanás não tenha de que o acusar. Um pastor é um homem separado por Deus para se sacrificar pelo rebanho do Senhor. Um pastor não é um super homem, mas ele também está sujeito as mesmas aflições e tentações como qualquer outro crente. O pastor é uma ovelha que se sacrifica pelas outras, para leva-las a Deus. Um pastor tem como ofício: Ensinar, conduzir, guiar, orientar, consolar, ouvir, suportar e alimentar o rebanho com a palavra de Deus. Porém, para quem quer usufruir do ofício como "status", este busca glória para si e está pouco se importando com rebanho de Deus.

Infelizmente, para tristeza nossa, o cargo de pastor tem sido muito vulgarizado no meio do povo de Deus. Muitas convenções e ministérios perderam a visão do que vem a ser um verdadeiro ofício pastoral e estão promovendo muitos a este importante cargo, sem ter o minimo de qualificação. A política ministerial vem promovendo muitos ao cargo de pastor, muitas vezes por troca de favores ou interesse financeiro. Um outro problema desta vulgarização é quando muitos abrem o seu próprio ministério e se alto intitulam pastor. Um outro agravante, é que muitos cantores gospel não se conformam em ser apenas cantor, a sua maioria estão também recebendo título de pastores e pastoras. Sem falar que muitos pastores pensam que a igreja e deles, e praticam nepotismo ministerial para que o seu substituto seja da sua família e não o que Deus escolher. Mas, o Espírito Santo ainda continuar chamando, vocacionando e capacitando homens de Deus para este importante ofício.

Que os verdadeiros pastores, chamados e vocacionados por Deus, cumpram com alegria o seu ministério que receberam do Senhor. Como disse o apóstolo Pedro: Apascentai o rebanho de Deus que está entre vós, tendo cuidado dele, não por força, mas voluntariamente; nem por torpe ganância, mas de ânimo pronto; nem como tendo domínio sobre a herança de Deus, mas servindo de exemplo ao rebanho. E, quando aparecer o Sumo Pastor, alcançareis a incorruptível coroa de glória (I Pe.5.2-4). Amém!

domingo, 7 de junho de 2020

EMPREENDENDO COM PRECAUÇÃO.

Pois qual de vós, querendo edificar uma torre, não se assenta primeiro a fazer as contas dos gastos, para ver se tem com que a acabar? Para que não aconteça que, depois de haver posto os alicerces e não podendo acabar, todos os que a virem comecem a escarnecer dele, Dizendo: Este homem começou a edificar e não pôde acabar (Lc.14.28-30).

Jesus nesta ocasião, estava ensinando sobre precaução, que significa, ter prudência, cautela, cuidado e ponderação. Em geral, para sermos bem sucedidos em nossos empreendimentos, projetos e realizações, devemos agir de forma prudente, usando sempre o bom senso, agindo pela razão e nunca pela emoção. Muitas vezes a ansiedade, a empolgação e a falta de experiência leva as pessoas a empreenderem em algo que aparentemente vai dar certo; mas, logo vem a decepção, quando não se tem o resultado esperado. O problema é quando não temos paciência para esperar o tempo certo, e agimos de forma precipitada para satisfazer o nosso desejo.

TRÊS PASSOS NECESSÁRIOS PARA SER BEM-SUCEDIDO:

1- IDEIA.
Idealizar, pensar, desejar, sonhar, tudo isto faz parte de um futuro projeto que será realizado.

2- PROJETO.
Isto significa: Ponderar, estudar, refletir, colocar no papel, fazer um rascunho e projetar sobre como fazer acontecer ou materializar a ideia.

3- FAZER CONTAS.
Este último passo é quem vai determinar se o projeto vai adiante ou não. Se a quantia monetária não for suficiente para cobrir os gastos necessários do empreendimento, certamente não há como concretizar.

CONCLUSÃO:
Muitas vezes nós fazemos muitos planos e projetamos muitas coisas, e nem sempre somos bem sucedidos. Mas, nem sempre o fracasso é uma derrota. O fracasso nos serve de lição, de aprendizado e amadurecimento para uma nova etapa da nossa vida. O sábio Salomão nos aconselha dizendo: Consagre ao SENHOR tudo o que você faz, e os seus planos serão bem-sucedidos (Pv.16.3. NVI).
Jó confiou inteiramente em Deus, quando disse: "Sei que podes fazer todas as coisas; nenhum dos teus planos pode ser frustrado (Jó.42.2). Portanto, que possamos confiar ao SENHOR, todos os nossos planos, sonhos e projetos. Que tenhamos prudencia e precaução para sermos bem-sucedidos naquilo que projetarmos. Amém!

quarta-feira, 3 de junho de 2020

Passando Pelo Deserto de "CADES".

A voz do SENHOR faz tremer o deserto; o SENHOR faz tremer o deserto de Cades (Sl.29.8).

A localidade de Cades-Barneia estava justamente na fronteira da Terra Prometida. Assim poder-se-ia dizer que Cades-Barneia seria o portão de entrada à terra prometida. O Senhor Deus tinha em mente dirigir o povo hebreu diretamente a sua herança prometida. "Estavam agora à vista das colinas de Canaã. Alguns dias de caminhada os trariam às divisas da terra prometida. Mas eles foram rebeldes e tiveram que rodear a terra por mais 38 anos.

Significado de Cades - Cades significa "santo", no hebraico é Kadesh, que vem da mesma raiz de Kadosh, que é santo.

Local do Deserto de Cades.

Cades Barnéia localiza-se ao sul da terra de Israel, ao nordeste da península do Sinai. Está próxima à “estrada de Gaza”, entre esta cidade e o Mar Vermelho. Ocupava um lugar muito importante, já que era um oásis no deserto, conectada a muitos outros pontos que formavam uma região muito vasta.
os manuais de geografia Bíblica e eles mostram o roteiro da caminhada do Povo de Deus, e uma quantidade enorme de desertos que existem nesta Região. Olhando a Península Sinaítica, ali aparecem vários nomes de deserto: deserto de Parã, deserto de Sin, deserto de Zin, deserto de Etão, deserto do Sinai. A região é enorme e conforme as características geográficas receberam os nomes.
Citemos alguns que encontramos na Bíblia:Êxodo 16,1: “Partiram de Elim, e toda a comunidade dos filhos de Israel chegou ao deserto de Sin situado entre Elim e o Sinai, no décimo quinto dia do segundo mês, depois que tinham saído do Egito”. (Êxodo 16,1) Bíblia de Jerusalém. Nos tempos bíblicos a península sinaítica era dividida em cinco regiões: os desertos de Sin, Shue, Sinai, Paran, e Zim.
* O deserto de Cades fica na região do deserto de Zim: Partiram de Eziom-Geber e acamparam em Cades, no deserto de Zim (Nm.33.36).

EVENTOS OCORRIDOS EM CADES-BARNÉIA:

- O primeiro evento ocorrido em Cades se deu na época patriarcal (Gn.14.7).
- Em Cades os doze espias foram enviados a espiar a terra (Dt.1.19-23; Nm.13.26).
- Em Cades o povo perderam o animo e murmuraram contra Moisés (Nm.14.Dt.1.19-46).
- Em Cades o povo contendeu contra Moisés e Arão por falta de água (Nm.20.2-5).
- Miriã morreu e foi sepultada no deserto de Cades (Nm.20.1).
- Em Cades Moisés desobedeceu a ordem de Deus e feriu a rocha duas vezes (Nm.20.6-13).
- Em Cades Moisés pediu passagem para o rei de Edom, e o rei não deixou os israelita passar (Nm.20.14-21).

O povo ficou em circulo, dando voltas em Cades-Barneia. Foi em Cades que o povo foi provado e reprovado por sua atitude de murmuração e rebelião contra Deus.  Com apenas dois anos de caminhada o povo já estava prestes a entrar na terra prometida, porém, devido a falta de fé e confiança em Deus, eles tiveram que rodear mais 38 anos até que toda aquela geração que saiu do Egito morreram, salvo Josué e Calebe. Isto significa dizer, que quem determina o tempo que devemos ficar no deserto somos nós, nunca Deus. Porque se o povo tivesse aprendido a lição corretamente e correspondido a vontade de Deus, eles teriam deixado o deserto e entrado na terra prometida, Canaã, em pouco tempo.

* O tempo de deserto quem determina é você, depende de você aprender a lição.

* Quanto antes você aprender a lição, menor será o tempo no deserto.

Caminhado em direção a terra prometida.
Almejando chegar a terra que mana leite e mel.
Deserto montanhas e vales são as provações que temos que enfrentar.
Esperança e confiança são o combustível que mantém a nossa fé.
Santidade e obediência é a condição para conquistarmos a vitória.

Em CADES nós aprendemos que:

- Cades é lugar de Provação.
- Cades é lugar de Santidade.
- Cades é lugar de Decisão.

* Deus te faz passar pelo deserto de Cades, para depois te exaltar em Canaã. Amém!

terça-feira, 2 de junho de 2020

NÃO PERCA A ESPERANÇA!!!

... Tu és a minha esperança, SENHOR Deus; tu és a minha confiança desde a minha mocidade (Sl.71.5).

Neste salmo Davi encontra-se fragilizado, com idade avançada, já velho, de cabelos brancos, mas com a sua fé ativa e a sua esperança renovada em Deus (v.18). Depois de todas as experiências vividas ao longo da sua vida, Davi ainda permanece confiando em Deus, e declara: Tu és a minha confiança desde a minha mocidade (v.5). Davi não lamenta pela sua vida, não reclama da sua velhice, nem murmura de nenhuma situação, mas mantém sua fé e esperança em Deus.
A pior situação é quando perdemos a esperança e permitimos que o desespero tome conta da nossa vida. Perder a esperança é ficar desesperançado, a deriva e sem saber em qual direção seguir. Mesmo que o momento de crise e as circunstâncias desfavoráveis, devemos acreditar que vamos vencer e dar a volta por cima. Bom é ter esperança, mas se tardar espera, porque o que há de vir virá. O sábio Salomão diz: "A esperança demorada enfraquece o coração, mas o desejo chegado é árvore de vida (Pv.13.12). Em outra versão: "A esperança que se retarda deixa o coração doente, mas o anseio satisfeito é árvore de vida (NVI). Ou seja, quando a nossa esperança vai chegando ao fim, aquilo que esperamos ansiosos, chegará e satisfará o nosso desejo e será como árvore de vida.
Quem deposita sua esperança em Deus, não ficará decepcionado, porque os planos de Deus não serão frustrados. Jó disse: "Sei que podes fazer todas as coisas; nenhum dos teus planos pode ser frustrado (Jó.42.2 NVI). Portanto, não se desespere, não perca a esperança, a noite sombria vai passar e ao amanhecer o sol brilhará no horizonte, trazendo consigo a vitória. Se agir assim, certamente haverá bom futuro para você, e a sua esperança não falhará (Pv.23.18 NVI).
Finalmente, mantenha sua fé e esperança em Deus, Ele é Fiel e fará toda a sua vontade em sua vida. Amém!

segunda-feira, 1 de junho de 2020

JESUS CRISTO, Esperança Viva.

Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que, segundo a sua grande misericórdia, nos gerou de novo para uma viva esperança, pela ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos (I Pe.1.3).

Esperança, é um sentimento positivo relacionado a um futuro melhor, a esperança gera uma expectativa de que algo vai dá certo, mesmo que as circunstâncias sejam desfavoráveis. Não podemos viver sem esperança, viver sem esperança é não acreditar no futuro, viver sem esperança é perder o prazer de viver, viver sem esperança é viver sem direção e ficar a deriva esperando o pior acontecer. Há um ditado popular que diz: A esperança é a última que morre. Porém, a "Viva Esperança" nunca morre, e quem põe a sua confiança nela nunca será decepcionado, porque esta esperança é eterna, ela se chama Jesus Cristo. Nunca perca a esperança, continue lutando, corra atrás dos seus objetivos, persevere, confie em Deus, ele vai mudar a sua história. A bíblia diz: Bem-aventurado é aquele que tem o Deus de Jacó por seu auxílio e cuja ESPERANÇA está posta no SENHOR, seu Deus (Sl.146.5).

DUAS CLASSES DE PESSOAS:

- As que vivem sem esperança.
- As que vivem cheias de esperança.

DOIS TIPOS DE ESPERANÇA:

- Esperança Morta.
- Esperança Viva.

QUATRO FONTES DE ESPERANÇA:

1- AS RIQUEZAS.

Manda aos ricos deste mundo que não sejam altivos, nem ponham a esperança na incerteza das riquezas, mas em Deus ... (I Tm.6.17).

Riquezas é coisa boa, não nada de errado em uma pessoa possuir riquezas, o problema é quando as pessoas põe o coração nas riquezas e confiam nelas como sua fonte de esperança. A palavra de Deus nos diz: Se as vossas riquezas aumentam, não ponhais nelas o coração (Sl.62.10).

O magnata grego sr. Onásis, na década de 60 era considerado um dos homens mais rico do mundo; ele foi acometido de uma doença incurável e foi desenganado pela medicina na época, e pouco tempo depois morreu. Conta a história que ele ofereceu metade da sua fortuna, aos médicos para ser curado e viver um pouco mais; mas não houve jeito, as suas riquezas não puderam  resolver nem retardar a sua morte. disse o profeta Jeremias: Assim diz o Senhor: Não se glorie o sábio na sua sabedoria, nem se glorie o forte na sua força; não se glorie o rico nas suas riquezas. Mas o que se gloriar, glorie-se nisto: em me conhecer e saber que eu sou o SENHOR ... (Jr.9.23,24).

2- A CIÊNCIA.

... Muitos correrão de uma parte para outra, e a ciência se multiplicará (Dn.12.4).

O mundo pós-moderno tem depositado toda sua esperança no grande avanço da ciência e da tecnologia. O conhecimento científico e tecnológico trouxe grande avanço e benefícios para a humanidade. Porém, não devemos depositar nossa esperança na ciência, ela é efêmeras.

O grande avanço da ciência e tecnologia teve seu inicio com revolução industrial no século 18, e teve grande avanço no século XX. Com o surgimento da televisão e o advento da internet, o mundo mudou completamente. A ciência e a tecnologia mudou completamente o comportamento das pessoas, saímos da modernidade e entramos no que chamamos de pós-modernidade. As pessoas estão se tornando cada vez mais frias, céticas e materialista; muitas estão ficando endeusadas e achando que pode tudo. As redes sociais tem se tornado uma febre para esta geração, muitas pessoas ficam online quase 24 horas na internet. A grande problemática é que as pessoas estão ficando online com a terra e offline com o céu.
A ciência e a tecnologia é boa, tem o seu lado benéfico, porém devemos ter cuidado para não sermos compulsivos e dominados por ela. O apóstolo Paulo disse: A ciência incha, mas o amor edifica (ICo.8.1). Isto significa dizer: o conhecimento deixa as pessoas orgulhosas, mas o amor nos faz crescer. Portanto, a ciência não é uma fonte confiável de esperança.

3- A RELIGIÃO.

O homem é um ser religioso, a religião é inerente ao homem, é impossível o homem viver sem esse sentimento. Desde os primórdios dos tempos o homem vem em uma busca incessante a procura de Deus, isto porque o homem é um ser tricotomo; composto de: espírito, alma e corpo. Por isto vem a necessidade de adorar algo, e por ignorância o homem busca caminhos diversos em busca de respostas.
Jesus dizia, aos judeus que criam nele: Se vós permanecerdes na minha palavra, verdadeiramente, sereis meus discípulos e conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará (Jo.8.31,32).
A religião em si, não tem poder de transformar a vida das pessoas. Os judeus eram religiosos e até criam em Jesus, mas eles precisavam permanecer na palavra e conhecer a verdade para serem libertos. Vivemos em mundo de pessoas religiosas, onde muitas religiões servem como base de esperança para os seus seguidores. Mas a religião não resolve, se resolvesse não precisaria de Jesus ter vindo morrer em sacrifício pelo nossos pecados. Portanto, a religião é uma fonte de esperança insegura e falível.
A verdade é que:
A Ciência informa.
O Pecado deforma.
A Religião reforma.
Só Jesus Cristo transforma.

4- JESUS CRISTO.

Paulo, apóstolo de Jesus Cristo, segundo o mandado de Deus, nosso Salvador, e do Senhor Jesus Cristo, esperança nossa (I Tm.1.1).
Jesus Cristo não é simplesmente mais uma religião, ele é o filho de Deus que veio trazer salvação para a humanidade perdida e destituída de Deus. Nele sim, nós devemos depositar toda a nossa esperança, porque Ele é Deus e não falha, nele nós temos uma viva esperança.
A verdadeira fonte de esperança é Jesus Cristo, todas as outras fontes são falíveis, esgotáveis e ineficazes. Jesus Cristo é a nossa fonte de esperança verdadeira, infalível e eterna. Só Ele é a solução para humanidade perdida e sem esperança.
Para o perdido Ele é o Caminho!
Para o faminto Ele é o Pão!
Para o sedento Ele é a Água!
Para o cansado Ele é o Descanso!
Para o enfermo Ele é a Cura!
Para o pecador Ele é o Perdão!
Para os desesperados Ele é a Esperança!

Finalmente, Jesus Cristo é a nossa Viva Esperança!
Amém! 

domingo, 31 de maio de 2020

CINCO ATITUDES DE UM VENCEDOR NO SALMOS 37

Neste salmo Davi trança um paralelo entre o justo e o ímpio, ele mostra que há uma grande diferença entre aquele que serve a Deus e o que não serve. Davi começa o seu cântico exortando o justo a não ter inveja dos que praticam a iniquidade: "Não te indignes por causa dos malfeitores, nem tenhas inveja dos que praticam a iniquidade" (v.1). Na sequencia deste salmo, Davi faz uma série de comparações entre o justo e o ímpio, e chega a conclusão e diz: "Quanto aos transgressores, serão à uma, destruídos, e as relíquias dos ímpios todas perecerão. Mas a salvação dos justos vem do SENHOR; ele é a sua fortaleza no tempo de angústia. E o SENHOR os ajudará e os livrará; ele os livrará dos ímpios e os salvará, porquanto confiam nele"(vs.38-40). Neste salmo o ímpio aparentemente é "próspero", apesar de toda a sua maldade. Porém, é o justo que se destaca como um grande vencedor. O conselho de Davi neste cântico, para que o justo seja um vencedor é: Confiar, deleitar-te, entregar, descansar e esperar no SENHOR.

1- CONFIAR.
Confia no SENHOR e faze o bem, habitarás na terra e, verdadeiramente, serás alimentado (v.3).

2- DELEITAR-SE.
Deleita-te também no SENHOR, e Ele te concederá o que deseja o teu coração (v.4).

3- ENTREGAR.
Entrega o teu caminho ao SENHOR; confia nele, e Ele tudo fará (v.5).

4- DESCANSAR.
Descansa no SENHOR e espera nele; não te indignes por causa daquele que prospera em seu caminho, por causa do homem que executa astutos intentos (v.7).

5- ESPERAR.
Espera no SENHOR e guarda o seu caminho, e te exaltará para herdares a terra; tu o verás quando os ímpios forem desarraigados (v.34).

Na conclusão de tudo, o SENHOR é a salvação e a vitória final dos justos. No SENHOR está a nossa vitória, com está o galardão para dar aos que o buscam e confiam nele. Amém!

sábado, 30 de maio de 2020

SETE BÊNÇÃOS NO SALMOS 23.

Este salmo é considerado o mais belo e conhecido do hinário de Israel. Neste salmo Davi apresenta o SENHOR como seu Pastor. Este é um salmo pessoal de Davi, neste salmo ele relata através da expressão poética e profética sua gratidão ao SENHOR. Neste Salmo o SENHOR é apresentado como o Pastor que supri todas as necessidades de suas ovelhas. Ele também as protege e consola. Neste salmo Davi demonstra sua intimidade com Deus, chamando-o de meu Pastor. Encontramos neste salmo o SENHOR como nosso Pastor que cuida de nós como pastor, guia e amigo.  

1- SUPRIMENTO.
O SENHOR é o meu pastor; nada me faltará (v.1).

2- DESCANSO.
Deitar-me faz em verdes pastos, guia-me mansamente a águas tranquilas (v.2).

3- DIREÇÃO.
... Guia-me pelas veredas da justiça por amor do seu nome (v.3).

4- SEGURANÇA.
Ainda que eu andasse pelo vale da sombra da morte, não temeria mal algum, porque tu estás comigo ... (v.4).

5- CONSOLO.
... A tua vara e o teu cajado me consolam (v.4b).

6- HONRA.
Preparas uma mesa perante mim na presença dos meus inimigos, unges a minha cabeça com óleo, o meu cálice transborda (v.5).

7- LONGEVIDADE.
Certamente que a bondade e a misericórdia me seguirão todos os dias da minha vida; e habitarei na Casa do SENHOR por longos dias (v.6).

CONCLUSÃO:
Que o SENHOR seja sempre o nosso Pastor. Que possamos continuar desfrutando das bênçãos que o nosso Sumo Pastor, Jesus Cristo, nos oferece. Pois, só Ele é o nosso Pastor, Senhor e Salvador. Amém! 

sexta-feira, 29 de maio de 2020

SETE PRINCÍPIOS IRREVOGÁVEIS DA PALAVRA.

Há muitos princípios na Bíblia que são irrevogáveis e determinantes para a vida dos que os praticam. Um povo é regido por leis, regras e princípios. Todas as civilizações do mundo desde os tempos mais remotos se utilizaram destes meios para manterem a ordem. Em se tratando da palavra de Deus, nós vamos perceber que, no Livro Sagrado existe leis, regras e princípios a serem seguidos. Quando estes são ignorados ou conscientemente quebrados, consequentemente há um desequilíbrio e as consequências ocorrem sem precedente. A verdade é que, para vivermos em paz com Deus e em harmonia com a sua palavra, temos que obedecer as leis, as regras e os princípios nela estabelecidos.

SETE PRINCÍPIOS IRREVOGÁVEIS DA PALAVRA DE DEUS:

1- SEM FÉ É IMPOSSÍVEL AGRADAR A DEUS.

Ora, sem fé é impossível agradar-lhe, porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe e que é galardoador dos que o buscam (Hb.11.6).

2- SEM SANTIFICAÇÃO NINGUÉM VERÁ O SENHOR.

Segui a paz com todos e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor (Hb.12.14).

3- SEM DERRAMAMENTO DE SANGUE NÃO HÁ REMISSÃO.

E quase todas as coisas, segundo a Lei, se purificam com sangue; e sem derramamento de sangue não há remissão (Hb.9.22).

4- SEM DISCIPLINA NÃO SOMOS FILHOS.

Mas, se estais sem disciplina, da qual todos são feitos participantes, sois, então, bastardos e não filhos (Hb.12.8).

5- SEM PROFECIA O POVO SE CORROMPE.

Não havendo profecia, o povo se corrompe; mas o que guarda a Lei, esse é bem-aventurado (Pv.29.18).

6- SEM AS OBRAS A FÉ É MORTA.

Porque, assim como o corpo sem o espírito está morto, assim também a fé sem obras é morta (Tg.2.26).

7- SEM JESUS NADA PODEMOS FAZER.

Eu sou a videira, vós, as varas; quem está em mim, e eu nele, este dá muito fruto, porque sem mim nada podereis fazer (Jo.15.5).

CONCLUSÃO:
Que possamos praticar as leis, as regras e os princípios estabelecidos pela palavra de Deus. Só assim seremos bem sucedidos e prósperos em todas as esferas da vida. Amém!  

quinta-feira, 28 de maio de 2020

CONJUGANDO OS SETE VERBOS DA PALAVRA.

A palavra de Deus deve ser prioridade na vida do crente, e deve estar acima de qualquer livro que se possa chamar de Best-seller, porque ela é a infalível e eterna palavra de Deus. Todo cristão verdadeiro procura viver a palavra de Deus como sua regra de fé e pratica. Que possamos nos esforçar para vivermos a palavra de maneira pratica e não simplesmente teorica. 

SETE ATITUDES QUE DEVEMOS TOMAR COM A PALAVRA DE DEUS:

1- OUVIR.

De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus (Rm.10.17).
Antes, bem-aventurados os que ouvem a palavra de Deus e a guardam (Lc.11.28).

2- LER.

Bem-aventurado aquele que lê, e os que ouvem as palavras desta profecia ... (Ap.1.3).
Persiste em ler, exortar e ensinar, até que eu vá (I Tm.4.13).

3- ESTUDAR.

Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade (II Tm.2.15).

4- MEDITAR.

Não se aparte da tua boca o livro desta Lei; antes, medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer conforme tudo quanto nele está escrito ... (Js.1.8).
Antes, tem o seu prazer na Lei do SENHOR, e na sua Lei medita de dia e de noite (Sl.1.2).

5- AMAR.

Oh! Quanto amo a tua Lei! É a minha meditação em todo o dia! (Sl.119.97).
A tua palavra é muito pura; por isso, o teu servo a ama (Sl.119.140).

6- GUARDAR.

Escondi a tua palavra no meu coração, para eu não pecar contra ti (Sl.119.11).
Filho meu, não te esqueças da minha Lei, e o teu coração guarde os meus mandamentos (Pv.3.1).

7- PRATICAR.

Todo aquele, pois, que escuta estas minhas palavras e as pratica, assemelhá-lo-ei ao homem prudente, que edificou a sua casa sobre a rocha (Mt.7.24).
E sede cumpridores da palavra e não somente ouvintes, enganando-vos com falsos discursos (Tg.1.22).

quarta-feira, 27 de maio de 2020

Para Que Se Manifestem Os Sinceros.

E até importa que haja entre vós heresias, para que os que são sinceros se manifestem entre vós (I Co.11.19).

Paulo aqui está fazendo menção ao comportamento dos cristãos em relação a Ceia do Senhor. Havia divergências entre os irmãos da igreja em Corinto, de maneira que, muitos estavam se aborrecendo por não aceitarem as divisões que estava havendo. A igreja primitiva celebrava uma reunião de confraternização conhecida como "ágape" (termo grego para amor fraternal), por ocasião da celebração da Ceia do Senhor. Pedro e Judas também fazem referência a esta festa (II Pe.2.13; Jd.12). Ocorre que, na igreja de Corinto, os grupos de gregos cristãos ricos estavam trazendo grande quantidade de alimentos para a festa, mas não repartiam com os pobres. Muitos cristãos estavam passando fome, enquanto outros comiam e se embriagavam, antes da Ceia do Senhor (v.20,21). Paulo nota o absurdo que estava acontecendo e, adverte os cristãos para estarem em harmonia e comunhão uns com os outros, para que haja ordem no culto e Deus possa receber a adoração de todos.

REVELANDO O FALSO E O VERDADEIRO.

Na versão King James, diz: Todavia, se faz necessário que haja divergência entre vós, para que os aprovados se tornem conhecidos em vosso meio (I Co.11.19).
Baseado nesta verdade de Paulo, podemos afirmar que, nem tudo que reluz é ouro, ou seja, nem tudo é o que aparenta ser. Quem é de verdade vai ser verdadeiro até o fim. Porém, quem vive de aparências, camuflado, encapuçado e mascarado, não vai aguentar a pressão e vai revelar a sua verdadeira identidade. Muitas vezes se faz necessário que Deus permita certas situações para que os sinceros se manifestem e todos fiquem sabendo quem é quem. A palavra "sincero no grego é o oposto a hipócrita, enquanto o hipócrita que significa ator, teria que colocar cera no rosto para representar, o sincero e aquele que se apresenta sem cera. É daí que vem a expressão "sincero".
O que estamos vendo na atualidade é uma verdadeira salada de opiniões que divergem totalmente da palavra de Deus. Muitos cristãos embriagados com a política, idolatrando políticos, ao ponte de entrarem em discórdia e trocarem farpas nas redes sociais. Sem conta também com aqueles que idolatram pastores, pregadores e cantores ao ponto de os defenderem, sem se importarem com os seus maus comportamentos e caráter impuro. Nestes últimos dias, muitos "cristãos" vem se revelando com verdadeiras atitudes e comportamentos de pessoas ímpias, e isto não convém a um cristão verdadeiro. Não sou o melhor, nem estou arrotando santidade, longe de mim tal coisa, sou dependente da graça e da misericórdia de Deus em todo tempo. Estou lutando contra minha natureza pecaminosa e vigiando para não cair em contradição com a palavra de Deus. Mas, a verdade é que, neste tempo presente, muitos crentes estão se revelando junto à modernidade e tornando-se mornos na fé, onde deveriam decidir em serem frios de uma vez, ou quentes, porque os mornos Jesus disse que vai vomitar da sua boca (Ap.3.15,16). Finalmente, que sejamos verdadeiros diante de Deus, que possamos continuar dando testemunhos como sal da terra e luz do mundo, brilhando como luzeiros em meio as trevas e escuridão deste mundo tenebroso. Amém!

 * Apenas um breve comentário, sem conflito.

terça-feira, 26 de maio de 2020

PROFETA SEM HONRA.

Não é este o filho do carpinteiro? E não se chama a sua mãe Maria, e seus irmãos, Tiago, e José, e Simão, e Judas? E não estão entre nós todas as suas irmãs? Donde lhe veio, pois, tudo isso?
E escandalizavam-se nele. Jesus, porém, lhes disse: "Não há profeta sem honra, a não ser na sua pátria e na sua casa". E não fez ali muitas maravilhas, por causa da incredulidade deles (Mt.13.55-58).

A recepção de Jesus em Nazaré, sua terra natal, não foi uma das mais calorosas ou aconchegante, mas foi cheia de indiferença, zombaria e descrença. As pessoas conheciam Jesus como o filho do carpinteiro, não como Filho de Deus ou o Profeta da Galileia. Esta rejeição de Jesus como profeta está registrada nos três evangelhos sinóticos (Mt.13.57; Mc.6.4; Lc.4.24). O evangelista Lucas, registra que, a fama de Jesus correu por todas as terras em derredor de Israel (4.14). Jesus iniciou seu ministério na região da Judeia e em seguida foi para Galileia, onde desenvolveu maior parte do seu ministério. Lucas diz que, Jesus tinha um costume de ensinar nas sinagogas (4.15,16). Jesus estava na Judeia, e pelo poder do Espírito voltou à Galileia, e, chegando a Nazaré, onde fora criado, entrou num dia de sábado, na sinagoga e leu o rolo, o livro do profeta Isaías, onde estava escrito: "O Espírito do SENHOR é sobre mim ... (Is.61.1). Quando ele terminou a leitura, na introdução do seu sermão, ele disse: "Hoje se cumpriu esta escritura em vossos ouvidos" (4.21). Lucas diz, que o povo ficou maravilhado com as palavras de graça que saíam da sua boca, e diziam: "Não é este o filho de José? (4.22). Na continuação do seu discurso, Jesus diz: "Em verdade vos digo que nenhum profeta é bem recebido na sua pátria" (4.24). Jesus atesta esta verdade, quando ele faz menção ao profeta Elias e Eliseu, dizendo: "Em verdade vos digo que muitas viúvas existiam em Israel nos dias de Elias, quando o céu se cerrou por três anos e seis meses, de sorte que em toda a terra houve grande fome; e a nenhuma delas foi enviado Elias, senão a Sarepta de Sidom, a uma mulher viúva". "E muitos leprosos havia em Israel no tempo do profeta Eliseu, e nenhum deles foi purificado, senão Naamã, o siro " (4.25-27).

Hoje, nos dias atuais não é diferente, muitas vezes um homem de Deus, de vida integra, de caráter ilibado, marido de uma só mulher, que tem bom testemunho dentro e fora da sua comunidade cristã, não é bem recebido nem acreditado no meio do seus irmãos e correligionários. Não que estejamos buscando honras por parte de homens, mas é bíblico: "A quem honra, honra"(Rm.13.7). Jesus disse: Quem recebe um profeta na qualidade de profeta receberá galardão de profeta; e quem recebe um justo na qualidade de justo, receberá galardão de justo. E, qualquer que tiver dado só que seja um copo de água fria a um destes pequenos, em nome de discípulo, em verdade vos digo que de modo algum perderá o seu galardão (Mt.10.41,42). Não se trata de bajulação, porque isto Deus não aprova, porém, a honra deve ser dada a quem é devida. Que possamos honrar os de longe e os de perto; que as pratas da casa sejam valorizadas e honradas, porque é com estes que nós contamos no dia-a-dia, são eles que pegam no peso das tarefas da obra.
Portanto, pastores e lideres, honrem os obreiros que lhes cercam, que estão em plena atividade na obra; valorize os de fora, porque sempre é bom ver e ouvir um profeta diferente, vindo de outra terra, mas não esqueça de honrar e valorizar as pratas da casa. 
Sabendo que, toda honra e toda a glória pertencem a JESUS. Amém! 

domingo, 24 de maio de 2020

TERMOS HEBRAICO E GREGO PARECIDOS.

O hebraico é uma língua considerada especial porque tem história. E muita história. Ela faz parte da família das línguas chamadas semíticas, grupo que inclui hebraico, aramaico, maltês, assírio, árabe, entre outras, e são faladas no norte da África ao sudoeste da Ásia. Sua origem não é muito clara, mas estima-se que o hebraico tenha mais de 4 mil anos de história.
Atualmente, o hebraico, a língua oficial de Israel, tem 9,3 milhões de falantes em todo o mundo, dos quais 8,3 milhões em Israel, segundo dados do site especializado em línguas Ethnologue. Interessante frisar que muitos judeus que vivem em comunidades fora de Israel, não dominam a língua.

22 letras compõem o alfabeto hebraico, todas consoantes. Não há vogais nessa língua, que se escreve da direita para a esquerda, assim como no árabe. As letras têm um estilo mais quadrado e fala-se que isso está atrelado ao fato de o hebraico, quando surgiu, ter sido escrito em pedras.
Os judeus ortodoxos consideram o hebraico uma língua sagrada, a escolhida por Deus para se comunicar com as pessoas. A Torá, os cinco primeiros livros da Bíblia, foi escrita no hebraico clássico. E foi esse cuidado dos religiosos durante séculos com suas preces e orações, que, de alguma maneira, perpetuaram a língua.

A dispersão dos judeus mundo afora contribuiu para o esquecimento do hebraico clássico, que foi considerada uma língua morta. Ficou restrito, apenas, no campo religioso, a partir das meditações e orações litúrgicas dos que viviam integralmente a sua fé. Porém, a língua renasceu numa versão mais moderna, entre o final do século XIX e início do século XX. O principal responsável por esse feito foi um homem chamado Eliezer Ben-Yehuda, que acreditava que os judeus precisavam voltar às suas origens, formar uma nação e, como consequência disso, ter sua língua. E os esforços de Eliezer deram resultados. Trata-se de um caso raríssimo de morte e renascimento de uma língua.

As palavras da língua hebraica, no geral, são formadas da seguinte forma: radicais com duas ou três letras, com possível acréscimo de prefixos e sufixos. Dessa forma, uma simples palavra em hebraico pode significar o que cinco palavras em outro idioma poderiam transmitir. Quando falamos em tradução, imagine só o trabalho de um profissional tradutor nesse processo? Na prática, algumas palavras em hebraico, quando traduzidas, podem se transformar em muitas palavras.

Fonte: http://www.gamati.com/2019/09/18/conheca-5-curiosidades-sobre-o-hebraico/

PALAVRAS PARECIDAS COM SIGNIFICADOS DIFERENTES.

adam = Homem
dam = Sangue
adamah = Solo, terra.
adom = Avermelhar.

Ao longo do Antigo Testamento há uma relação entre ãdãm "homem", e ãdãmãh. As duas palavras têm uma afinidade etimológica uma vez que ambas parecem ser derivadas do verbo ãdôm, "avermelhar". Se Adão continuasse sendo obediente a Deus, a "terra" daria seus frutos em grande abundancia. Consequentemente, a "terra" era a possessão de Deus e estava sob o Seu comando (Gn.2.6). Ele a fazia responder ao Seu servo.
A entrada do pecado rompeu a harmonia entre o homem e a "terra" , e a "terra" já não respondia aos cuidados do homem. Sua vida mudou para morte em vez de ir para cima em direção a vida. O aumento da rebelião humana causou a diminuição da fertilidade da "terra" (Gn.4.12,14;8.21).

Fonte: Dicionário VINE, pp. 142, 277, 306.

shaqéd = Amendoeira.

shoqéd = Observar.

Nas primeiras palavras de Deus para Jeremias, são reveladas duas visões inaugurais. A primeira é a de uma vara de "amendoeira". A segunda visão é a de uma panela fervendo, cuja boca se inclina para o Norte (Jr.1.11-13).
Em hebraico, a palavra para "amendoeira" é "shaqéd" e o verbo "observar" no sentido de velar ou vigiar, é "shoqéd", ambas têm som semelhante. Estas duas expressões se constitui um trocadilho. O SENHOR então explica que o significado da visão é que ele está observando para assegurar de que sejam cumpridas todas as palavras transmitidas em seu nome a Jeremias (1.12).

Fonte: Comentário Bíblico Africano - pg.885

DOIS TERMOS DE ORIGEM GREGO PARECIDOS.

petros = Pedaços de pedra, pedregulho, fragmentos de pedra, pedrinhas pequenas.

petra = Massa de pedra, uma rocha.

Nota: Em João 1.42, o termo petros representa o nome próprio, Pedro; o termo petros denota "pedaço de pedra, pedra lascada ou pedregulho", em contraste com o termo petra, "massa de rocha".

Fonte: Dicionário VINE, p.862.

* Meu comentário:
Em Mateus 16.18, o próprio Cristo, usa este termo "petra" para se referir a sua pessoa. Não que Ele fosse uma pedra literalmente falando, mas metaforicamente representa Cristo.
Alguns exegetas tem dificuldade em interpretar este texto, e afirmam que a "pedra" a qual Cristo se refere, é Pedro. Quando na verdade, não é; mas é o próprio Cristo.

* Obs.: Tanto Cefas (aramaico) como Pedro (grego) têm o mesmo significado (Jo.1.42).

AMÉM.

Este vocábulo é transliterado do hebraico para o grego e para nossa língua, seus significados podem ser vistos em passagens como Dt.7.9 (o Deus fiel o Amém); Is.49.7 (o SENHOR, que é fiel); Is.65.16 (o Deus da verdade, do Amém).
As igrejas cristãs primitivas seguiam o exemplo de Israel, associando-se audivelmente com as orações e ações de graças oferecidas em seu benefício (I Co.14.16). Os cristãos também diziam amém para expressar "assim seja". É frequente ao final da oração pronunciar o amém. O amém dito por Deus é: e assim é e será; e por homens, assim seja.
O Senhor Jesus usava frequentemente o amém, traduzido por "na verdade na verdade".  Uma única vez encontramos no Novo Testamento o "Amém" como título atribuído a Cristo (Ap.3.14). Porque por meio dEle os propósitos de Deus são estabelecidos (II Co.1.20).

* (Uma síntese extraída do dicionário VINE, PP. 393, 394).

EPÍSTOLA.

Etimologicamente, a palavra epístola vendo o prefixo grego epi- ('por cima') mais o substantivo stola ('manta'); conta-se que, na época da Igreja Primitiva, as cartas, propriamente ditas, eram colocadas nas bolsas que ficavam nas duas pontas de uma manta; essa manta era colocada sobre o lombo do jumento que a levava ao destinatário das cartas. Então nesse caso, epístola era o recipiente que levava as cartas.

Fonte: Wikipédia.

sábado, 23 de maio de 2020

TEMPESTADES, NAUFRÁGIO, MILAGRES.

E, sendo o navio arrebatado e não podendo navegar contra o vento, dando de mão a tudo, nos deixamos ir à toa. E, não aparecendo, havia já muitos dias, nem sol nem estrelas, e caindo sobre nós uma não pequena tempestade, fugiu-nos toda a esperança de nos salvarmos. E, temendo ir dar em alguns rochedos, lançaram da popa quatro âncoras, desejando que viesse o dia (Atos, 27.15,20,29).

Paulo estava sendo levado como prisioneiro para Itália, juntamente com outros presos, a tripulação do navio era de 276 pessoas, contando com o comandante do navio, o centurião e os soldados. Essa viagem até a Itália, durou cerca de quinze dias e ouve muitas intempéries e desconfortos. As muitas tempestades sacudiu o navio, a ponto de parti-lo ao meio, deixando todos a deriva no meio do mar, pelo que em última instância eles se salvaram utilizando as partes do navio que serviram de tábuas para chegarem a salvo na praia que dava para uma ilha. Esta vida é como uma viagem, e nós estamos navegando em mar de desafios e dificuldades; enfrentando muitas intempéries e desconfortos, muitas vezes o nosso barco (vida) é sacudido pelas tempestades (problemas) e chegamos ao ponto de perder as esperanças. Mas, o nosso comandante Jesus Cristo, está no nosso barco e não vai deixa-lo naufragar. Como todo o navio precisa de âncora para na hora da tempestade garantir a sua firmeza e estabilidade; Jesus Cristo, é a nossa âncora segura e firme que garante a nossa estabilidade e nos dar a certeza que vamos chegar a salvo ao porto seguro.

TEMPESTADES.

Mas, não muito depois, deu nela um pé de vento, chamado Euroaquilão. E, sendo o navio arrebatado e não podendo navegar contra o vento, dando de mão a tudo, nos deixamos ir à toa. Andando nós agitados por uma veemente tempestade, no dia seguinte, aliviaram o navio. E, ao terceiro dia, nós mesmos, com as próprias mãos, lançamos ao mar a armação do navio. E, não aparecendo, havia já muitos dias, nem sol nem estrelas, e caindo sobre nós uma grande tempestade, fugiu-nos toda a esperança de nos salvarmos (At.27.14,15,18-20).
Não havia perigo de Paulo sofrer dano em qualquer tempestade, a sua vida seria preservada por Deus. A vontade de Deus era que testificasse em Roma. Em meio à tempestade reconhecemos o controle de Deus, segundo seu propósito, sobre todas as circunstâncias. Isto significa bênçãos para os que estão dentro do propósito divino. Do ponto de vista humano, Paulo era mais um prisioneiro no navio. Para Deus, Paulo era o capitão, entre os prisioneiros e os demais. A situação tornou-se desesperadora. Tanto o capitão como o centurião viram-se incapazes de fazer qualquer coisa. Paulo, então, levantou-se, não como prisioneiro ou passageiro amedrontado, mas como profeta do Altíssimo. Paulo anunciou a todos a bordo que um anjo de Deus lhe apareceu, dizendo: "Paulo, não temas; importa que sejas apresentado a César, e eis que Deus te deu todos quantos navegam contigo" (27.22-25). O homem que anda segundo a vontade de Deus, domina todas as circunstâncias e se impõe em qualquer situação. A tempestade pode vir, mas quando estamos debaixo dos propósitos de Deus, ela não consegue nos destruir. Assim como Deus estava com Paulo em meio a tempestade e ao perigo, Ele também está contigo. Não temas! Deus vai te tirar do meio desta tempestade.

CONTRASTE ENTRE PAULO E JONAS - Atos, 27. Jonas 1.

A experiência de Paulo na tempestade, dentro da vontade de Deus, contrasta com a de Jonas que estava em desobediência e fora da vontade de Deus.
Comparando as duas situações, notamos:
Paulo viajava como prisioneiro para cumprir sua vocação.
Jonas viajava para fugir da chamada que recebeu.
Jonas se escondeu e dormiu durante a tempestade.
Paulo dirigia as operações e encorajava os passageiros.
Jonas no navio era a causa da tempestade.
Paulo no navio todos seriam preservados da tempestade.
Jonas foi forçado a dar testemunho acerca de Deus.
Paulo, com boa vontade e coragem, falou acerca da sua visão e do seu Deus.
Jonas no navio ameaçava a vida dos marinheiros.
Paulo no navio era a garantia para a vida dos seus companheiros de viagem.
O navio em que Jonas viajava recebeu alívio quando ele foi jogado no mar.
A conservação de Paulo no navio salvou a tripulação da qual era prisioneiro.
Há muitas diferenças em atravessar uma tempestade dentro e fora da vontade de Deus!
Jonas tentando fugir da presença de Deus, tornou-se maldição para os viajantes do navio.
Paulo, andando segundo a vontade de Deus, em comunhão com Ele, tornou-se bênção para todos quantos atravessavam o perigo com ele.

NAUFRÁGIO.

Mas o navio encalhou num banco de areia, onde tocou o fundo. A proa encravou-se e ficou imóvel, e a popa foi quebrada pela violência das ondas. Os soldados resolveram matar os presos para impedir que alguns deles fugisse, jogando-se ao mar. Mas o centurião queria poupar a vida de Paulo e os impediu de executar o plano. Então ordenou aos que sabiam nadar que se lançassem primeiro ao mar em direção à terra. Os outros teriam que salvar-se em tábuas ou em pedaços do navio. dessa forma, todos chegaram a salvo em terra (At.27.41-44).
O navio, finalmente, encalhou na praia de Malta, perto da Itália, onde começou a ser despedaçado pelas ondas. Os soldados queriam matar os prisioneiros para evitar que fugissem. Era um costume romano. A mão de Deus, porém, estava sobre Paulo, o seu mensageiro. O centurião Júlio foi impulsionado a poupar a vida de Paulo, e assim livrou a todos. Nenhum poder, nos céus ou na terra, impedirá os planos de Deus na vida dos seus servos, enquanto Deus tiver um plano especial para sua vida. O plano de Deus, seria de que Paulo ainda pregaria o Evangelho em Roma. Conforme Paulo havia previsto, todos escaparam ilesos para a terra (At.27.22). Ficaram na ilha de Malta durante o inverno, um período de três meses. Após este período de tempo na ilha, embarcaram num navio de Alexandria, o qual tinha por insígnia, Castor e Pólux (At.28.11).
Aqui nós aprendemos que, nem as tempestades ou até mesmo o naufrágio irá impedir os planos de Deus em nossa vida. O barco pode até virá ou se partir ao meio, mas Deus continua no controle da situação, e nada, nem ninguém impedirá os seus propósitos e projetos que Ele já estabeleceu para nossa vida. Amém!

MILAGRES.

Estando a salvo na ilha chamada Malta, mais uma vez foi manifestada a presença de Deus através de Paulo. Primeiro, foi protegido contra os efeitos da mordida de uma víbora. Segundo, ele foi vaso de bênçãos para o pai do administrador da ilha, por nome Públio, que estava com febre e disenteria. Em seguida vieram os habitantes da ilha que tinham enfermidades, e foram curados. Muitas pessoas na ilha receberam a cura divina através do ministério de Paulo (At.28.1-10).

ÂNCORAS DA ALMA.

E, temendo ir dar em alguns rochedos, lançaram da popa quatro âncoras, desejando que viesse o dia (At.27.29). "Lançaram da popa quatro âncoras, desejando que viesse o dia". As tempestades da vida nos submetem a tremendas sobrecargas e nos leva a enfrenta uma noite de grande tribulação, ao ponto que chegamos a desejar com pressa o raiar do dia. Em tais ocasiões, precisamos de realidades espirituais sólidas, como âncoras para a alma.
Nas tribulações e tentações, quais são as grandes âncoras da alma? "Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estas três..." (1 Co 13.13). A estas realidades podemos aplicar as palavras de Paulo: "Se estes não ficarem no navio, não poderei salvar-vos" (At.27.31). Não importa quão grande sejam as tempestades, quando firmamos a nossa confiança em Deus, chegaremos ao porto seguro.

Fé - A fé se firma nas promessas de Deus.

Esperança - A esperança firma a nossa alma com visões da expectativa futura.

Amor - O amor nos leva a deixar de lado nossas próprias preocupações e ir ao encontro dos outros.

Confiança - Quando depositamos toda nossa confiança em Deus, podemos vencer qualquer tempestade.

CONCLUSÃO:
Geralmente, depois da tempestade vem a bonança. Muitas vezes as tribulações, as lutas, as adversidades, são pedagógicas e servem para nos ensinar lições que jamais aprenderíamos. Quem nunca passou por uma tormenta, não sabe o que é viver uma tempestade. Nunca devemos lamentar, nem reclamar a Deus por situações adversas, quando estamos debaixo da sua soberana vontade. Mas, que possamos tirar proveito da situação para amadurecermos e crescermos em graça e conhecimento diante de Deus. Que possamos repetir juntos com Paulo, quando disse: ... Porque já aprendi a contentar-me com o que tenho. Sei estar abatido e sei também ter abundância; em toda a maneira e em todas as coisas, estou instruído, tanto a ter fartura como a ter fome, tanto a ter abundância como a padecer necessidade. Posso todas as coisas naquele que me fortalece (Fp.4.11-13). Amém!