domingo, 2 de junho de 2019

O TABERNÁCULO, UMA SOMBRA DA REALIDADE.

Então, a nuvem cobriu a tenda da congregação, e a glória do SENHOR encheu o tabernáculo, de maneira que Moisés não podia entrar na tenda da congregação, porquanto a nuvem ficava sobre ela, e a glória do SENHOR enchia o tabernáculo. Quando, pois, a nuvem se levantava de sobre o tabernáculo, então, os filhos de Israel caminhavam em todas as suas jornadas. Se a nuvem, porém, não se levantava, não caminhavam até ao dia em que ela se levantava; porquanto a nuvem do SENHOR estava de dia sobre o tabernáculo, e o fogo estava de noite sobre ele, perante os olhos de toda a casa de Israel, em todas as suas jornadas (Êxodo, 40.34-38).

O tabernáculo ou a tenda da congregação, era o lugar onde se manifestava a glória de Deus. Esta tenda sagrada servia de referencial para toda nação de Israel. A nuvem da glória ficava parada sobre o tabernáculo, quando a nuvem andava, Moisés ordenava aos levitas que desarmassem o tabernáculo e junto com todo o povo seguiam a direção da nuvem. Onde a nuvem parasse, o povo acampava e o tabernáculo era montado no meio do acampamento. Esta nuvem acompanhou o povo durante toda a peregrinação no deserto em direção a terra prometida.

AS PEÇAS DO TABERNÁCULO E OS SEUS SIGNIFICADOS SIMBÓLICOS:

O escritor aos hebreus nos diz: Porque um tabernáculo estava preparado, o primeiro, em que havia o candeeiro, e a mesa, e os pães da proposição; ao que se chama o Santuário. Mas, depois do segundo véu estava o tabernáculo que se chama o Santo dos Santos, que tinha o incensário de ouro e a arca do concerto, coberta de ouro toda em redor, em que estava um vaso de ouro, que continha o maná, e a vara de Arão, que tinha florescido, e as tábuas do concerto; e sobre a arca, os querubins da glória, que faziam sombra no propiciatório; das quais coisas não falaremos agora particularmente (Hb.9.2-5).

O ALTAR DO HOLOCAUSTO (Êxodo, 27.1-8).

Simboliza a cruz do calvário, lugar onde Cristo foi crucificado.

A PIA DE BRONZE OU O LAVATÓRIO (Êxodo, 30.17-21).

Representa a purificação e o início da santificação.

A MESA DOS PÃES (Êxodo, 25.23-30).

A mesa de madeira representa a natureza humana de Cristo e os pães simboliza Cristo "o pão da vida".

O CANDELABRO (Êxodo, 25.31-40).

Representa Cristo como "a luz do mundo".

O ALTAR DO INCENSO (Êxodo, 30.1-10).

Representa a intercessão de Cristo na glória.

A ARCA DA ALIANÇA (Êxodo, 25.10-16).

Simboliza a justiça e a presença de Deus.

O PROPICIATÓRIO (Êxodo, 17-22).

Representa a misericórdia de Deus.
Lugar onde era derramado o sangue do sacrifício e Deus aceitava como cheiro suave e se fazia propício em perdoar toda nação de Israel.

* Todas estas peças eram uma alegoria e representavam uma realidade futura daquele que haveria de vir, Jesus Cristo.

TABERNÁCULO - Sombra, alegoria, figura.
JESUS CRISTO - Realidade. Sacerdote eterno.

MATERIAIS USADOS NA CONFECÇÃO DAS PEÇAS DO TABERNÁCULO:

LINHO.
Representa a pureza de Cristo.

MADEIRA.
Representa a natureza humana de Cristo.

OURO.
Representa a Realeza e a Divindade de Cristo

PRATA.
Representa redenção do homem efetuada por Cristo na cruz.

BRONZE.
Representa a natureza pecaminosa e caída da humanidade.

CONCLUSÃO:
Diante do tudo isso, nós aprendemos e passamos a entender o quanto Deus nos ama. Deus sempre se importou e se preocupou com a humanidade. A maior prova do amor de Deus foi enviar o seu Filho unigênito, Jesus Cristo, para salvar e redimir a humanidade de todos os seus pecados. A gora estamos vivendo a realidade de tudo que era apenas sombra, Jesus Cristo veio como cordeiro de Deus e morreu para nos perdoar; o pecado foi removido e o véu do templo foi rasgado de alto a baixo, abrindo assim o caminho da nossa adoração e comunhão direta com Deus Pai. Glória a Deus!