segunda-feira, 29 de abril de 2019

DEUS ESTÁ NO CENTRO.

E ouviram a voz do SENHOR Deus, que passeava no jardim pela viração do dia; e escondeu-se Adão e a sua mulher da presença do SENHOR Deus, entre as árvores do jardim. E chamou o SENHOR Deus a Adão e disse-lhe: Onde estás? (Gênesis, 3.8,9).

Deus sempre amou a humanidade e faz questão de está junto do homem para lhe comunicar a sua vontade. Fica subentendido no texto sagrado, que Deus se comunicava com Adão e Eva no final de cada dia. Penso que Adão acordava para trabalhar no jardim, tinha as suas obrigações e afazeres durante o dia e, apesar de antes do pecado ele não ter fadiga e exaustão, penso nele ansiando pelo entardecer, quando finalmente, veria seu amado Pai e caminharia com Ele. Mas o elo da comunhão e intimidade de Adão e Eva com Deus foi quebrado, quando eles desobedeceram e pecaram.
Tempos depois, Deus manda Moisés construir um tabernáculo para manifestar a sua presença no meio do povo. Deus queria ter um relacionamento espiritual, moral e social com os filhos de Israel. Deus não desiste, mas insiste em amar a humanidade. Após várias tentativas, Deus resolve enviar seu Filho para nos reconciliar definitivamente com Ele e nos proporcionar o seu perdão para nos salvar da perdição eterna.

- DEUS NO meio DA NAÇÃO DE ISRAEL.

E me farão um santuário, e habitarei no meio deles (Êxodo, 25.8).
E habitarei no meio dos filhos de Israel e lhes serei por Deus (Êxodo, 29.45).

- DEUS NO meio DA CIDADE.

Há um rio cujas correntes alegram a cidade de Deus, o santuário das moradas do Altíssimo. Deus está no meio dela; não será abalada; Deus a ajudará ao romper da manhã (Sl.46.4,5).

- JESUS NO meio DA REUNIÃO.

Porque onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles (Mt.18.20).

- JESUS NO meio DOS DISCÍPULOS.

Chegada, pois, a tarde daquele dia, o primeiro da semana, e cerrada as portas onde os discípulos, com medo dos judeus, se tinham ajuntado, chegou Jesus, e pôs-se no meio deles, e disse-lhes: Paz seja convosco! (João, 20.19).

- JESUS NO meio DA IGREJA.

E virei-me para ver quem falava comigo. E, virando-me, vi sete castiçal de ouro; e, no meio dos sete castiçais, um semelhante ao Filho do Homem, vestido até aos pés de uma veste comprida e cingido pelo peito com um cinto de ouro (Ap.1.12,13).
Escreve ao anjo da igreja que está em Éfeso: Isto diz aquele que tem na sua destra as sete estrelas, que anda no meio dos sete castiçais de ouro (Ap.2.1).

- DEUS NO CENTRO DA BÍBLIA.

É melhor confiar no SENHOR do que confiar no homem (Salmos, 118.8).
Segundo os estudiosos da Bíblia, este versículo está no centro da Bíblia; que contém 31.105 versículos.

- JESUS O TEMA CENTRAL DA BÍBLIA.

E disse-lhes: São estas as palavras que vos disse estando ainda convosco; que convinha que se cumprisse tudo o que de mim estava escrito na Lei de Moisés, e nos Profetas, e nos Salmos. Então, abriu-lhes o entendimento para compreenderem as Escrituras (Lucas, 24.44,45).

CONCLUSÃO:
Quando Deus está centro, tudo vai bem. Que Deus esteja no meio do seu casamento, no meio da sua família, no meio dos seus negócios, planos e projetos. Nunca tire Deus do centro da sua vida, mas deixe que Ele esteja no controle e no comando da sua vida. Amém! 

domingo, 28 de abril de 2019

JESUS, O TEMA CENTRAL DA BÍBLIA.

E disse-lhes: São estas as palavras que vos disse estando ainda convosco: Convinha que se cumprisse tudo o que de mim estava escrito na Lei de Moisés, e nos Profetas, e nos Salmos. Então, abriu-lhes o entendimento para compreenderem as Escrituras (Lc.24.44,45).

Jesus Cristo é o tema central de toda a bíblia. Ele aparece de forma explicita e implícita em todos os livros da bíblia. Todas informações e revelações da bíblia estão voltadas para Jesus Cristo. Ele é o princípio e o fim de todas as coisas. No Gênesis Ele é o Criador, em Apocalipse Ele é o Grande Salvador e Juiz das nações.

JESUS aparece em todos os Livros da Bíblia de forma implícita e explícita.

Gênesis.

Ele é o Descendente da mulher.
Êxodo.
Ele é o Cordeiro pascal.
Levítico.
Ele é o Sacrifício expiatório.
Números.
Ele é a Rocha ferida.
Deuteronômio.
Ele é o Profeta semelhante a Moisés.
Josué.              
Ele é o Capitão da nossa salvação.
Juízes.              
Ele é o nosso Libertador.
Rute.               
Ele é o nosso Remidor Divino.
1,2 Samuel.     
Ele é o Rei prometido.
1,2 Reis.         
Ele é o Rei esperado.
1,2 Crônicas.  
Ele é o Descendente de Davi.
Esdras.           
Ele é o Ensinador Divino.    
Neemias.        
Ele é o Reconstrutor das muralhas das nossas vidas.                    
Ester.              
Ele é a  Providência Divina.
Jó.                  
Ele é o Redentor que vive.
Salmos.          
Ele é nosso Pastor.
Provérbios.    
Ele é a Sabedoria.
Eclesiastes.     
Ele é o Mestre da congregação.
Cantares de Salomão.
Ele é o Amado.
Isaías.                        
Ele é o Servo do Senhor.
Jeremias.                   
Ele é o Renovo.
Lamentações.            
Ele é o Consolador de Israel.
Ezequiel.                    
Ele é o Homem das quatro faces.
Daniel.                       
Ele é o quarto Homem da fornalha.
Oséias.                      
Ele é o Esposo.
Joel.                          
Ele é o Batizador.
Amós.                       
Ele é o Prumo.
Obadias.                   
Ele é o Refúgio.
Jonas.                       
Ele é a Salvação do SENHOR.
Miquéias.                  
Ele é o Governante de paz.
Naum.                       
Ele é o Cavaleiro da espada flamejante.
Habacuque.               
Ele é o Puro de olhos.
Sofonias.                   
Ele é o Deus de fogo.
Ageu.                        
Ele é o Desejado de todas as nações.
Zacarias.                   
Ele é o Rei que virá.
Malaquias.                
Ele é o Sol da justiça. 
*
Mateus.                    
Ele é o Rei.
Marcos.                    
Ele é o Servo.
Lucas.                       
Ele é o Filho do Homem.
João.                           
Ele é o Filho de Deus.
Atos.                         
Ele é o Senhor da igreja.
Romanos.                  
Ele é a Justiça de Deus.
1,2 Coríntios.            
Ele é as Primícias dos que dormem.
Gálatas.                     
Ele é o Cristo que liberta.
Efésios.                     
Ele é a Pedra da esquina.
Filipenses.                   
Ele é o Soberano Senhor.
Colossenses.             
Ele é a Cabeça da igreja.
1,2 Tessalonicenses.  
Ele é o Senhor que virá.
1,2 Timóteo.              
Ele é o nosso Mediador.
Tito.                           
Ele é o nosso Salvador.
Filemom.                    
Ele é o Amigo reconciliador.
Hebreus.                    
Ele é o Sumo-sacerdote.
Tiago.                         
Ele é o Legislador.
1,2 Pedro.                  
Ele é o Bispo das nossas almas.
1,2,3 João.                 
Ele é o Amor revelado.
Judas.                         
Ele é o Senhor que virá com milhares dos seus santos.
Apocalipse.
Ele é o Alfa e o Ômega, o Príncipe dos reis da terra, o Princípio da criação de Deus, o Primogênito dentre os mortos, a Raiz e a Geração de Davi, o Leão da tribo de Judá, o Rei dos reis e Senhor dos senhores, o Amém.

CONCLUSÃO:
Jesus Cristo, é antes de todas as coisas; Ele é o começo, o meio e o fim da História. Porque Nele, por Ele e para Ele são todas as coisas; glórias e honras eternamente a ELE.

sexta-feira, 19 de abril de 2019

JESUS OU BARRABÁS, QUAL A SUA ESCOLHA?

Ora, por ocasião da festa, costumava o governador soltar um preso, escolhendo o povo aquele que quisesse. E tinham, então, um preso bem conhecido, chamado Barrabás. Portanto, estando eles reunidos, disse-lhes Pilatos: Qual quereis que vos solte? Barrabás ou Jesus, chamado Cristo? (Mateus, 27.15-17).

Pilatos era governador da Judéia, após ter interrogado a Jesus sobre as acusações que faziam contra ele, julgou não ter encontrado em Jesus crime algum para o condena-lo. Naquela ocasião havia um malfeitor que estava preso chamado Barrabás, e havia um costume por ocasião da festa da páscoa soltar um prisioneiro. Pilatos, querendo livrar-se da situação perguntou ao povo: Quem quereis que vos solte, Barrabás ou Jesus chamado Cristo? Ao que a multidão respondeu: Solta Barrabás. Pilatos replicou: Que farei, então, de Jesus, chamado Cristo? Eles clamando, responderam: Seja crucificado!
Hoje não é diferente, há uma multidão que preferem Barrabás. Barrabás representa o pecado, a maldade, o sistema mundano e seus prazeres. Muitos naquela época, com receio e querendo agradar a opinião publica, preferiram soltar Barrabás e crucificar Jesus. Hoje, não é diferente, muitos preferem agradar ao mundo e seguir seus próprios conceitos, do que seguir a Jesus e se tornar seu discípulo.
A pergunta de Pilatos à multidão continua ressoando até hoje: Qual dos dois vocês escolhem? Barrabás ou Jesus, chamado Cristo? 

QUEM FOI BARRABÁS?

Barrabás foi um criminoso que liderou uma revolução política contra o império romano, ficando conhecido pelo povo por este ato, ganhando popularidade e a simpatia de muitos.
Barrabás, nome de origem aramaico, Bar-abbas que significa, filho do pai. Portanto, um falso "filho do pai" foi escolhido pelos judeus para ser libertado, enquanto o verdadeiro "Filho do Pai" Jesus Cristo, foi entregue aos romanos para ser crucificado. 

O QUE BARRABÁS REPRESENTA?

Barrabás representa: 

O ódio.
A injustiça.
A maldade.
As trevas.
A morte.

JESUS REPRESENTA:

O amor.
A justiça.
A paz.
A luz.
O caminho, a Verdade e a Vida.

Finalmente, qual é a sua escolha? Jesus ou Barrabás? 
Hoje, em pleno século XXI, esta pergunta de Pilatos vem ecoando ao longo dos séculos: "Qual quereis que vos solte? Barrabás ou Jesus, chamado Cristo"? 
A mensagem de Cristo segue sendo pregada na TV, no teatro, nas rádios, nos jornais, na internet, através de panfletos, de filmes, de boca a boca e pelo mundo afora. Uns aceitam, outros zombam e muitos permanecem indiferentes.
Os judeus, juntamente com Pilatos, desperdiçaram uma grande e única oportunidade de escolher Jesus Cristo, o salvador. 
Hoje estamos diante da mesma situação, a diferença é que podemos fazer uma escolha bem diferente.
Deus nos dar uma grande oportunidade de poder escolher entre a vida e a morte. Ele nos diz na sua palavra: Os céus e a terra tomo, hoje, por testemunhas contra ti, que tenho proposto a vida e a morte, a bênção e a maldição; escolhe, pois, a vida, para que vivas, tu e a tua semente (Deut.30.19).
Portanto, aceite agora, escolher Jesus Cristo, como Senhor e Salvador da sua vida, e seja feliz aqui e agora e por toda a eternidade. Amém!

quinta-feira, 11 de abril de 2019

O DEUS DA MULTIPLICAÇÃO.

Deus é Deus de multiplicação, a sua conta não é de subtrair nem de diminuir, e sim de multiplicar. No começo da sua criação, após haver criado todas as coisas, Ele disse ao homem: Frutificai,  multiplicai-vos, e enchei a terra (Gn.1.27,28). Além de Deus se o Criador de todas as coisas, Ele é também Provedor, Sustentador e Abençoador de toda a sua criação. Tudo se multiplica na terra, pelo poder de Deus. Apesar da maldade, da violência e do pecado do homem, Deus ainda faz com que a terra produza e multiplique os seus frutos. Pelo poder de Deus, a terra ainda é capaz de produzir, frutificar e multiplicar tudo que seja necessário, para provisão e sustendo de mais de oito bilhões de habitantes do planeta. Existem duas ordem na multiplicação de Deus: A primeira ordem de Deus é que tudo se multiplique naturalmente em toda sua criação. A segunda ordem da multiplicação de Deus, é que quando for necessário, Ele fará uma multiplicação de forma sobrenatural. Esta multiplicação sobrenatural de Deus, nos é surpreendente, ativa a nossa fé e nos faz acreditar que Ele é capaz de tudo. Porque para Deus nada é impossível (Lc.1.37).

CINCO COISAS QUE DEUS MULTIPLICOU:

1- UM PUNHADO DE FARINHA E UM POUCO DE AZEITE (I Reis, 17.8-16).

2- O AZEITE DA VIÚVA (II Reis, 4.1-7).

3- VINTE PÃES DE CEVADA PARA CEM HOMENS (II Reis, 4.42-44).

4- CINCO PÃES E DOIS PEIXES PARA MAIS DE 5 MIL PESSOAS (Mateus, 14.13-21).

5- SETE PÃES E ALGUNS PEIXES PARA MAIS DE 4 MIL PESSOAS (Mt.15.29-39).

CONCLUSÃO:
Nunca devemos duvidar do poder de Deus, porque Ele faz tudo o que lhe apraz. Ele torna possível o que aos homens é impossível; do pouco Ele faz muito; do pequeno Ele faz grande; o fraco Ele fortalece e multiplica as forças daquele que não tem nenhum vigor.
Acredite, Deus fará o impossível acontecer na sua vida, e multiplicará o pouco que você tem. Porque Ele é o Deus da multiplicação. Amém!

sábado, 6 de abril de 2019

4 COISAS QUE SATANÁS NÃO QUERIA QUE ACONTECESSE.

Novamente, o transportou o diabo a um monte muito alto; e mostrou-lhe todos os reinos do mundo e a glória deles. E disse-lhe: Tudo isto te darei se, prostrado, me adorares. Então disse-lhe Jesus: Vai-te Satanás, porque está escrito: Ao Senhor, teu Deus, adorarás e só a Ele servirás (Mateus, 4.8-10).

Satanás não se deu por perdido, e pela terceira vez tentou Jesus, para que ele fizesse a vontade dele. Querendo com isto frustrar o plano da salvação para humanidade.
Isso nos deixa uma lição que Satanás também tentará nos desviar dos planos de Deus nos oferecendo as coisas deste mundo como fez a Jesus.

SATANÁS NÃO QUERIA QUE A PROMESSA DA VINDA DO REDENTOR SE CUMPRISSE.

A primeira profecia que Jesus morreria pela humanidade está em (Gênesis 3.15) onde diz que Jesus seria ferido no calcanhar e feriria a cabeça da serpente ao morrer na cruz. Com a sua morte e ressurreição ele venceu Satanás, a morte e o pecado; e nos resgatou da morte e da condenação, Ele fez algo que era impossível a nós, porém, Satanás não queria isto.
Satanás tentou impedir o plano da redenção desde o princípio da humanidade, após a queda do homem no Éden, começou o maior conflito da história, entre a semente da mulher e a semente maligna que começou em (Gênesis 3.15) e terminará em Apocalipse (20.10), quando o diabo for lançado no lago de fogo. Satanás desde o princípio tentou impedir que viesse o descendente da mulher da qual nasceria Jesus.

SATANÁS NÃO QUERIA QUE O MENINO JESUS VIVESSE.

E, tendo nascido Jesus em Belém da judéia, no tempo do rei Herodes, eis que uns magos vieram do Oriente a Jerusalém, e perguntaram: Onde está aquele que é nascido rei dos judeus? porque vimos a sua estrela no Oriente e viemos a adorá-lo. E o rei Herodes, ouvindo isso, perturbou-se, e toda a Jerusalém, com ele. Então, Herodes, vendo que tinha sido iludido pelos magos, irritou-se muito e mandou matar todos os meninos que havia em Belém e em todos os seus contornos, de dois anos para baixo, segundo o tempo que diligentemente inquirira dos magos (Mateus, 2.1-3,16).

A matança dos meninos mandado por Herodes, foi outra investida de Satanás para tentar frustrar o plano da redenção. Mas Deus protegeu o menino Jesus e outra vez o plano do diabo foi frustrado. Como não matou o menino, depois de adulto satanás tentou desviar o rumo de Cristo na tentação do deserto, oferendo os reinos deste mundo a ele. O reino de Cristo não era deste mundo, um reino terreno e mundano movido a artifícios políticos e glórias humanas, ele veio oferecer outro reino a humanidade, um reino celestial. Jesus disse a Pilatos; "meu reino não é deste mundo". Satanás tentou desviar Jesus do plano da redenção oferecendo os reinos deste mundo.

SATANÁS NÃO QUERIA QUE JESUS MORRESSE NA CRUZ.

Você provavelmente já deve ter ouvido aquela história de que houve festa no inferno quando Jesus morreu. Na verdade, não houve festa no inferno quando Jesus morreu, isso não existe na bíblia. O diabo não queria que Jesus morresse pois seria o cumprimento das Escrituras. Com a morte de Jesus Satanás foi destronado (Cl.2.14,15). Satanás não faria uma festa para comemorar sua própria derrota.
Veja que Jesus disse que morreria na cruz e Pedro disse que não queria que isto acontecesse. Então Jesus disse: "para trás de mim Satanás que não compreende as coisas de Deus..."(Mateus 16.21-23). Pedro foi chamado de Satanás (adversário) por Jesus por não desejar que ele morresse. Satanás não queria que Jesus morresse, pois ele sabia que a sua morte na cruz seria a sua derrota e traria salvação para humanidade.

SATANÁS NÃO QUERIA QUE JESUS RESSUSCITASSE.

Enfim, uma vez que Jesus foi crucificado e morto, Satanás agora não queria que Ele ressuscitasse. Porque com a ressurreição de Jesus, Satanás sabia que ele perderia o seu império e as chaves do domínio sobre a morte e o inferno.
As chaves que Jesus tomou do diabo foi o domínio sobre a morte e o inferno (Apocalipse 1.18). Quando o homem caiu no Éden e passou a pecar, Satanás teve o controle da morte, ninguém poderia ressuscitar para a vida eterna, porque Satanás tinha o império da morte e dominava sobre todos os homens. Mas, vindo Jesus Cristo, a história mudou. O escritor aos hebreus nos diz: E, visto como os filhos participam da carne e do sangue, também Ele participou das mesmas coisas, para que, pela sua morte, aniquilasse o que tinha o império da morte, isto é, o diabo, e livrasse todos os que, com medo da morte, estavam por toda a vida sujeitos à servidão (Hebreus, 2.14,15). Satanás perdeu o império da morte, Jesus venceu a morte, ressuscitou e está vivo para sempre. Aleluia!

sexta-feira, 5 de abril de 2019

A ÁGUIA E O CRISTÃO.

Mas os que esperam no SENHOR renovarão as suas forças e subirão com asas como águias; correrão e não se cansarão; caminharão e não se fatigarão (Isaías, 40.31).
... De sorte que a tua mocidade se renova como a águia (Salmos, 103.5).

A águia na bíblia é simbolo de força, vigor, vitalidade, determinação e renovo. Na mansidão e submissão o cristão é comparado com a ovelha; porém na força, na fé, e na determinação para vencer, o crente deve ser como a águia.
Quando entregamos a nossa vida nas mãos de Deus e passamos a depositar nele toda a nossa fé e esperança, ele agi na nossa vida e nos dá forças para vencer, e quando for preciso ele renova as nossas forças como o vigor de uma águia. Existe crentes que estão vivendo a vida como uma ave chamada guiné ou galinha-d'angola, pois vivem a vida toda reclamando da situação, murmurando e cantando a cantiga do guiné, que diz: Tô fraco, tô fraco, tô fraco. São cristãos que não se desenvolveram e vivem uma vida raquítica e medíocre, e ainda querem culpar os outros. Deus quer que vivamos uma vida vitoriosa, cheios de alegria, forças e determinação para vencermos os obstáculos e situações adversas da vida.

O PREÇO DA RENOVAÇÃO:

Sabemos que na vida secular tudo tem seu preço e seu valor. Na vida espiritual do crente não é diferente; o crente para viver uma vida vitoriosa, ter uma fé inabalável e alcançar a maturidade espiritual, é preciso pagar um preço. Para viver o tempo da renovação de Deus na sua vida, é necessário esperar em Deus, e pagar o preço da renuncia.

OS RESULTADOS DE UMA VIDA RENOVADA.

* A SUA VIDA COM DEUS NÃO TEM LIMITES.

Assim como o voo da águia não conhece limites, assim é a vida renovada do cristão. Deus não lhe dá as bênçãos limitadas, nem o seu Espírito por medida, mas a sua vida transborda de bênçãos.
Amplia o lugar da tua tenda, e as cortinas das tuas habitações se estendam; não o impeças; alonga bem as tuas cordas e firma bem as tuas estacas. Porque transbordarás à mão direita e à esquerda; e a tua posteridade possuirá outras terras e repovoará cidades abandonadas (Isaías, 54.2,3).

* É PROTEGIDO POR DEUS.

Assim como a águia voa muito alto e está protegida, assim o cristão é protegido por Deus, por está guardado debaixo da sombra do Onipotente.
Aquele que vive na habitação do Altíssimo e descansa à sombra do Onipotente, desfrutará sempre da sua proteção (Salmos, 91.1).

* TEM VISÃO AMPLA E PROFUNDA.

Assim como a águia consegue vê a sua presa de uma altitude de quilômetros de distância, o que as outras aves de rapina não conseguem ver, assim é o cristão de vida renovada, ele tem visão de águia e Deus faz ele vê o que ninguém estar vendo.
Através da oração, Deus nos mostra coisas grandes e firmes que não sabemos (Jr.33.3).
Mas o que é espiritual discerne bem  tudo, e ele de ninguém é discernido (I Co.2.15).

* TEM EXPERIÊNCIAS PROFUNDAS COM DEUS.

Assim como a águia voa mais alto que as outras aves e fica isolada nas alturas, assim é o cristão de vida renovada com Deus, ele vive uma vida isolada e a sóis com Deus, e em comunhão desfruta as profundas experiências com Deus.
Porque vale mais um dia nos teus átrios do que, em outra parte, mil. Preferiria estar à porta da casa do meu Deus, a habitar nas tendas da impiedade (Salmos, 84.10).

CONCLUSÃO:
O cristão deve ter qualidades que lhe identifique com a águia. Deus nos chamou para andarmos nas alturas, para sermos vitoriosos e vivermos uma vida renovada e fortalecida pelo poder do Espírito Santo. Portanto, não aceite ser rotulado de cristão guiné, que diz: Tô fraco, tô fraco, tô fraco. Mas seja cristão águia, e diga: Eu sou forte, tudo posso naquele que me fortalece. Amém!

segunda-feira, 1 de abril de 2019

O RETORNO AO ALTAR DA PALAVRA.

Afirmo-vos a verdade, e não minto ao declarar que para isso fui designado pregador, apóstolo e mestre dos gentios na fé e na verdade (I Timóteo, 2.7). 

Paulo foi um autêntico pregador do evangelho, ele não buscava a sua própria glória, mas buscava ser fiel ministro do Senhor. Paulo primava pela ortodoxia da palavra, ele pregava e ensinava a palavra de Deus buscando ser fiel as Escrituras; além de instruir os seus liderados a seguirem o seu exemplo. Paulo foi um homem que viveu no altar da palavra.

Pregador do evangelho, é aquele que recebe de Deus a sublime missão de pregar a palavra de Deus. Aquele que prega a palavra de Deus, deve ter a consciência que ele é um representante de Deus, e que ele fala em nome de Deus. O pregador é um arauto do evangelho e ele deve se esforçar para viver o que prega. Um pregador autêntico e convicto da sua chamada ele procura viver de forma irrepreensível. O apóstolo Paulo muito valorizou esse título, por duas vezes, escrevendo a Timóteo, ele diz: Afirmo-vos a verdade, e não minto ao declarar que para isso fui constituído pregador, e apóstolo, e mestre dos gentios, na fé e na verdade (I Tm.2.7; II Tm.1.11).
Um pregador é um mensageiro a serviço do reino de Deus. Diz a bíblia: De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus (Rm.10.17). Como, pois, invocarão aquele em quem não creram? E como crerão naquele de quem não ouviram? E como ouvirão, se não há quem pregue? (Rm.10.14). Quem prega deve pregar a palavra, o seu tema principal deve ser Cristo, nas suas mensagens não pode faltar a mensagem da cruz. O manual do pregador e o seu livro principal deve sempre ser a bíblia. Um verdadeiro pregador não busca glórias para si, porém a glória de Deus se manifesta através dele. Um certo pregador disse: "A glória de um pregador é a glória dispensada a Cristo". O grande pregador João Batista, disse: É necessário que ele cresça e que eu diminua (João, 3.30). Que todos nós pregadores possamos repetir junto com o apóstolo Paulo, o pregador dos gentios: Não que sejamos capazes, por nós, de pensar alguma coisa, como de nós mesmos; mas a nossa capacidade vem de Deus, o qual nos fez também capazes de ser ministros de um Novo Testamento, não da letra, mas do Espírito; porque a letra mata, e o Espírito vivifica (II Co.3.5,6). A Deus seja a glória. 

Na atualidade, estamos vendo um evangelho adulterado, sendo pregado de forma antibiblica, de maneira que tem dado tristeza ouvir falar deste tipo de evangelho. Os escândalos que se propagam na mídia tem trazido um desconforto para o povo de Deus, por causa daqueles que se dizem servos do Senhor, ministros do evangelho. Mas, será que aquilo que pregam tem a ver com as verdades da Bíblia Sagrada? Uma das grandes preocupações de Paulo com seu filho Timóteo, foi alertá-lo dos erros do final dos tempos e chamá-lo a ser fiel à palavra de Deus, conclamando-o a pregar a palavra: " Conjuro-te diante de Deus e do Senhor Jesus Cristo, que há de julgar os vivos e os mortos , na sua vinda e no seu reino a que PREGUE A PALAVRA ! (II Tm.4.1,2). O mundo esta precisando ouvir a sã palavra, a genuína palavra de Deus, não misturada com ideias e filosofias humanas. É necessário que os pregadores voltem a pregar a palavra sem adulterá-la, a ortodoxia da palavra deve ser mantida e o retorno ao altar da palavra deve ser urgente.

COMICHÃO NOS OUVIDOS.

Paulo adverte Timóteo, seu filho na fé, de que viria tempo em que as pessoas não iriam suportar a sã doutrina; mas iriam contratar doutores para pregarem conforme os seus próprios desejos, e teriam coceira nos ouvidos para não ouvirem a genuína palavra de Deus. Também muitos iriam apostatar da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores e a doutrinas de demônios (II Tm.4.3,4; I Tm.4.1).
Eu fico triste ao observar que as pessoas hoje gostam de serem enganadas. Igrejas denominadas evangélicas, onde os pregadores não são fiéis a sã doutrina, e pregam aquilo que agrada aos ouvidos do povo, infelizmente são muitas. A principal recomendação de Paulo ao jovem pastor Timóteo, e que ele pregue a palavra. Paulo prevê por uma visão do Espírito, que chegaria um tempo em que as pessoas não iriam suporta ouvir o verdadeiro ensino da palavra de Deus, e que estas pessoas contratariam pregadores para pregarem de acordo com suas conveniências. Infelizmente, esse tempo já chegou, estamos vivendo uma época em que muitos só querem pregar aquilo que o povo quer ouvir, ou gosta de ouvir; mas o grande desafio é, que Deus quer usar os pregadores para falar aquilo que o povo precisa ouvir.
De que adianta enganar o povo com mensagens sensacionalistas? No livro de Apocalipse 12.9, o diabo é chamado de enganador; então se a mensagem não é fundamentada na Bíblia e não é segundo o desejo de Deus aos homens, é engano, e é do diabo. O diabo pode até dar algo mais rápido do que Deus, mas ele busca tudo de volta e o preço a pagar é muito caro. Está escrito: De que adianta ao homem ganhar o mundo inteiro e perder sua alma (Mt.16.26).

A Palavra de Deus deve ser pregada com verdade, e aquele que prega deve ser fiel. Paulo diz: Que os homens nos considerem como ministros de Cristo e despenseiros dos mistérios de Deus. Além disso, requer-se nos despenseiros que cada um se ache fiel (I Co.4.1,2). A palavra de Deus é a única que satisfaz aos ouvidos e atende as carências da alma; ela é absoluta e permanece para sempre. Portanto, que os pregadores da palavra, preguem o genuíno Evangelho e vivam a ortodoxia da palavra. Voltemos com urgência ao altar da palavra! Amém!