quinta-feira, 7 de maio de 2020

SETE CARACTERÍSTICAS DO OBREIRO APROVADO.

Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade (II Timóteo, 2.15).

Obreiros temos muitos, mas os aprovados por Deus são poucos. Estamos vivendo uma época em que está havendo uma avalanche de consagrações de pastores, bispos, presbíteros e evangelistas, onde boa parte destes não tem o minimo de qualificação para assumirem tal ofício. Infelizmente, a política ministerial vem formando obreiros sem nenhuma qualidade que autentique a sua chamada. Uns são chamados por amizade, outros por apadrinhamento, outros por terem um bom poder financeiro, poucos por verdadeira aprovação de Deus e reconhecimento e aprovação da igreja. Muitos lideres de convenções não oram mais antes de apresentar obreiros para serem consagrados, muitos preferem trabalhar com a política ministerial da conveniência e troca de favores. Por conta disso, há muitos obreiros desaprovados por Deus, causando vergonha, escândalos e desconforto para igreja. Todavia, os obreiros chamados e aprovados por Deus estão em evidência e em plena atividade na obra.

1- APTIDÃO PARA ENSINAR.

Convém, pois, que o bispo seja irrepreensível, marido de uma mulher, vigilante sóbrio, honesto, hospitaleiro, apto para ensinar (I Tm.3.2).
Entre as muitas qualificações que um bispo, presbítero ou pastor deve ter, é de ensinar a palavra de Deus a igreja. O obreiro precisa ter habilidade para ensinar. Alguém já disse: "Todo pastor deve ser um mestre, mas nem todo mestre é um pastor".
Esta aptidão para ensinar envolve tanto o conhecimento bíblico doutrinário, como a vida irrepreensível do obreiro. Como ensinar aquilo que não vivemos ou praticamos? Isto é pura hipocrisia, Deus não aprova.

2- DISPOSIÇÃO PARA PERDOAR.

E a quem perdoardes alguma coisa também eu; porque o que eu também perdoei, se é que tenho perdoado, por amor de vós o fiz na presença de Cristo; para que não sejamos vencidos por Satanás, porque não ignoramos os seus ardis (II Co.2.10,11).
O obreiro aprovado, tem disposição e capacidade de perdoar e também pedir perdão se for preciso. Mas, infelizmente, há muitos obreiros rancorosos, que vivem em pé de guerra em contendas com o povo, e não tem humildade para pedir perdão nem para perdoar. Por essa atitude de falta de perdão, Satanás vai tendo legalidade na vida do obreiro e o seu ministério se torna um fracasso.

3- CAPACIDADE DE ESPERAR.

Mas, vendo o povo que Moisés tardava em descer do monte, ajuntou-se o povo a Arão e disseram-lhe: Levanta-te, faze-nos deuses que vão adiante de nós; porque quanto a este Moisés, a este homem que nos tirou do Egito, não sabemos o que lhe sucedeu (Ex.32.1).
Tem obreiros movidos por emoções, não esperam no SENHOR, não busca uma direção de Deus e se desesperam fácil. Quando o obreiro não tem capacidade de esperar, o povo tira ele do sério e facilmente ele perde a paciência e agi fora do tempo. Foi pela falta de paciência do povo, em não esperar Moisés descer do monte, que Arão atendeu o povo e fez um bezerro de ouro para o povo adorar.
Foi por essa incapacidade de esperar que o rei Saul foi reprovado por Samuel e rejeitado por Deus (I Sm.13.8-14). Um obreiro impaciente, que age por impulso para atender aos apelos do povo está fadado ao fracasso ministerial. Porém, um obreiro aprovado é temperante e sabe esperar o tempo de Deus quando necessário.

4- SUPORTA OS FRACOS E IMATUROS.

Mas nós que somos fortes devemos suportar as fraquezas dos fracos e não agradar a nós mesmos (Rm.15.1).
Um obreiro não deve ser fraco, espiritualmente falando. Eu aprendi que, o obreiro muitas vezes tem que comer a palha, mas dá o trigo ao povo. O obreiro é chamado para ensinar e orientar os imaturos, os meninos espirituais, não para se igualar a eles e entrar em conflito. Um certo pastor dizia: "Na Casa de Deus sempre vai haver meninos na fé, cabe a nós ensina-los e orienta-los".
Os obreiros maduros na fé, geralmente são capazes de suportar os fracos e imaturos na fé. Só assim a igreja é edificada e cresce na graça e conhecimento. Suportar os fracos e imaturos, não significa tolerar o pecado destes, mas ajuda-los em suas fragilidades e imaturidade como neófitos na fé.

5- FAZ A OBRA COM HUMILDADE.

Nada façais por contenda ou por vanglória, mas por humildade; cada um considere os outros superiores a si mesmo (Fp.2.3).
Um obreiro altivo, soberbo, ciumento, inseguro e que não confia nos seus liderados, pode ser considerado uma pedra de tropeço, impedindo o crescimento da obra. Porém, todo obreiro aprovado por Deus, tem como característica ou qualidade principal, a humildade. Ele administra bem, mas é humilde, ele ensina como um mestre, mas é humilde, ele prega com eloquência, mas é humilde, ele consegue atrair o povo para adoração e os cultos são lotados, mas ele é humilde.
Quando falta humildade no obreiro, e ele em tudo que faz "para Deus" é para medir forças, para contender e vangloriar-se, torna-se um desastre ministerial, podendo chegar a um caos.

6- FALA MENOS E OUVE MAIS.

Sabeis isto meus amados irmãos; mas todo o homem seja pronto para ouvir, tardio para falar, tardio para se irar (Tg.1.19).
Mas não entres em questões loucas, genealogias e contendas e nos debates acerca da lei; porque são coisas inúteis e vãs. Ao homem herege, depois de uma e outra admoestação, evita-o, sabendo que esse tal está pervertido e peca, estando já em si mesmo condenado (Tt.3.9-11).
Tem obreiro tagarela, que fala pelos cotovelos e sem medir as palavras. Aprendemos uma coisa, a palavra que foi falada não volta mais. Alguém disse: "Há três coisas que não voltam mais: A palavra que foi falada; a flecha atirada e oportunidade perdida". Ouvir mais e fala de menos, deve ser uma das virtudes do obreiro aprovado. Não entendo como ainda tem obreiros que ficam trocando farpas nas redes sociais por questões políticas, ponto de vista teológicos e até coisas pessoais. O bom senso diz, que devemos ser prudentes quanto a estas coisas. O sábio Salomão nos orienta para termos prudência no falar (Pv.17.27,28). A palavra precipitada e fora do tempo poderá causar grandes males, porém, a palavra dita no tempo certo gera vida e dá frutos (Pv.25.11).

7- RESPEITA E HONRA OS SEUS CORRELIGIONÁRIOS.

Aquele que desceu é também o mesmo que subiu acima de todos os céus, para cumprir todas as coisas. E ele mesmo deu uns para apóstolos, e outros para profetas, e outros para evangelistas, e outros para pastores e doutores, querendo o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo (Ef.4.10-12).
Mesmo que, alguns teólogos entendam as funções ou ofícios ministeriais como hierarquia, isto não dar o direito de nenhum obreiro se julgar mais poderoso ou melhor que os outros. Paulo diz: Deus deu ... Quem chama é Deus, quem vocaciona é Deus, quem capacita é Deus. Então a honra e a glória é para Ele.
Tem obreiros que não respeita ninguém, ele resolve tudo só. Só ele sabe, só ele faz, só ele é o melhor. É o tipo de obreiro que é comparado a uma árvore de eucalipto, ele cresce só, em volta dele ninguém cresce.
Tem obreiros com título de pastor que se acham acima da média e se julgam melhores que os outros. São os chamados pastores cinco estrelas. Este tipo de obreiro gostam de serem bajulados e reverenciados por todos. Muitas vezes eles querem aplausos e honrarias, e quem assim não o fizer, não tem vez com ele. Mas, maior é Deus, para humilhar e remover esse tipo de obreiro. Que a falta de respeito entre os obreiros seja removida, porque isso é uma artimanha de Satanás. Que prevaleça o amor, o respeito e a consideração, e seja uma pratica constante entre os obreiros do Senhor Jesus. Amém!

Nenhum comentário:

Postar um comentário