sábado, 9 de junho de 2018

AS ARMAS DA NOSSA MILÍCIA.

Porque as armas da nossa milícia não são carnais, mas, sim, poderosas em Deus, para destruição das fortalezas; destruindo os conselhos e toda a altives que se levanta contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo entendimento à obediência de Cristo, e estando prontos para vingar toda desobediência, quando for cumprida a vossa obediência (II Coríntios, 10.4-6).

O que é milícia? Segundo o dicionário de Aurélio, milícia é uma corporação militar bem disciplinada e adestrada para guerra. A igreja de Cristo é comparada a um exército bem disciplinado e pronto para guerra. Nós como soldados de Cristo, estamos alistados para guerra, e esta guerra é na dimensão espiritual. Paulo escrevendo ao jovem pastor Timóteo, diz: Ninguém que milita se embaraça com negócio desta vida, a fim de agrada àquele que o alistou para guerra (II Timóteo, 2.4). A bíblia nos revela que estamos em guerra, e essa guerra teve início lá no Éden quando Deus sentenciou a serpente: Estabelecerei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e o descendente dela; porquanto, este te ferirá a cabeça, e tu lhe picarás o calcanhar” (Gênesis, 3.15). Nesta guerra, a nossa luta não é contra as pessoas em si; o nosso inimigo é invisível, porém real. Porquanto, nossa luta não é contra seres humanos, e sim contra principados e potestades, contra os dominadores deste sistema mundial em trevas, contra as forças espirituais do mal nas regiões celestiais (Efésios, 6.12). 
O exército da igreja está lutando contra as forças espirituais da maldade que atuam em todas as áreas sociais. A operação do erro e da mentira está presente no sistema ideológico; no campo das ideias, na filosofia, na teologia, na religião, na política e na cultura em geral.
Nesta guerra, verdade versus mentira, a verdade sempre prevalece. Porque nada podemos contra a verdade, senão pela verdade (II Coríntios, 13.8). Ou seja, não há como desfazer da verdade, ela sempre será verdade.
A palavra de Deus é impactante, porque ela é a verdade. Tudo que é contrário a palavra de Deus, torna-se uma oposição a verdade. A verdade de Deus, o Evangelho de Cristo, é uma contracultura para uma sociedade que prefere viver alienada de Deus e formando seus próprios conceitos e ideias.  

QUATRO TIPOS DE OPOSIÇÕES CONTRA OS QUAIS ESTAMOS LUTANDO.

Destruição das fortalezas.

Destruindo os raciocínios dos filósofos pagãos e dos rabinos judeus e seus dogmas que anulam a palavra de Deus e os fatos do Evangelho de Cristo, haveremos de triunfar com o poder da espada do Espírito. As bases destas fortalezas demoníacas, estão montadas na sociedade, afetando de um modo geral: Os lares, a cultura, a política, a religião e até mesmo na área do entretenimento. Essas fortalezas nós destruiremos e faremos correr todas as potestades demoníacas e todos os seus exércitos, pelo poder do nome de Jesus e na autoridade da sua palavra. Por fim, a vitória é da igreja, e haveremos de erguer bem alto a bandeira da cruz de Cristo, no campo de batalha do inimigo, e iremos declarar gritando bem alto para o inferno ouvir: Jesus Cristo é o Senhor! Aleluia!

Destruição dos conselhos.

Destruímos todas as teorias, raciocínios e qualquer sistema ideológico, ético, religioso, mitológico, metafísico ou filosófico apresentados para desafiar o conhecimento de Deus. Todos os deuses ostentados, senhores, sistemas de sacrifícios e de mediação cairam diante do evangelho. As frases altamente profundas de Platão, Sócrates, Aristóteles e de tantos outros renomados pensadores e intelectuais, caíram diante da pregação do Cristo crucificado e ressurreto. O paganismo encolheu-se diante do evangelho e recorreu aos poderes seculares para defendê-lo. Está escrito: Por que se amotinam as nações, e os povos imaginam coisa vãs? Os reis da terra se levantam, e os príncipes juntos se mancomunam contra o SENHOR e contra o seu ungido, dizendo: Rompamos as suas ataduras e sacudamos de nós as suas cordas. Aquele que habita nos céus se rirá; o SENHOR zombará deles. Então, lhes falará na sua ira e no seu furor os confundirá (Salmos, 2.1-5).

Levando cativo todo entendimento à obediência de Cristo.

Estejam presos e anulados todos os pensamentos contrários a palavra de Deus, e sejam levados cativos para que obedeçam a Cristo. Todos os pensamentos lascivos, vãos e maus e toda a sorte de meditação contrária à virtude, à pureza e a justiça sejam derrubados e passem a obedecer as leis de Deus. As forças satânicas tem incutido na mente das pessoas que tudo é relativo, e que por Deus ser amor ele ama a todos independentemente de suas crenças e práticas pecaminosas. A intenção do diabo é querer invalidar a palavra de Deus, mas Deus tem levantado homens e mulheres para lutar e combater as forças do mal que se levantam contra a sua palavra e contra a sua igreja; porém a vitória é da igreja, pois está escrito: As portas do inferno não prevalecerão contra a minha igreja. Disse Jesus (Mateus,16.18). Aleluia!

Estando prontos para vingar toda a desobediência.

Ficamos preparados todas as vezes que nos afastamos do pecado e passamos a viver uma vida de santidade diante de Deus, do mundo e do inferno. Temos a autoridade e ousadia de denunciar o pecado e todas as coisas contrárias ao evangelho de Cristo, depois de apartar-nos do caminho da desobediência. A descrição da força do inimigo é a de uma cidade fortificada onde ele fez sua última parada, cavando trincheiras, fazendo barricadas, levantando torres e preparando meios de defesa e ataque sobre os muros para garantir a vitória. Porém, as suas fortificações, os seus muros, as suas torres e os seus castelos são tomados e destruídos pelo poder do evangelho de Cristo e toda a oposição é destruída e levada cativa a obediência de Cristo.

Conclusão:
Não devemos desistir de lutar contra as forças do mal, a mossa peleja é constante e devemos defender os nossos princípios bíblicos até o fim. Mesmo que a maldade e a mentira cresçam em escalas assustadoras, mas a nossa convicção de fé deve permanecer inabalável, pois a verdade nunca morrerá. 
* Não devemos confundir milícia com malícia, há pessoas fazendo guerra com as armas da malícia, isto é arma carnal. Mas as armas da nossa milicia não são carnais, mas são espirituais e poderosas em Deus.