sábado, 4 de dezembro de 2010

JESUS, O REI DA GLÓRIA.

Levantai, ó portas, as vossas cabeças; levantai-vos, ó entradas eternas, e entrará o Rei da Glória. Quem é este Rei da Glória? O SENHOR forte e poderoso, o SENHOR poderoso na guerra. Levantai, ó portas, as vossas cabeças; levantai-vos, ó entradas eternas, e entrará o Rei da Glória. Quem é este Rei da Glória? O SENHOR dos Exércitos; ele é o Rei da Glória (Salmos. 24.7-10).

A palavra glória no sentido humano, é tudo aquilo que demonstra grandeza, magnitude e poder. A glória de Deus no texto sagrado, ela é expressa de uma maneira multiforme; ela é revelada através da sua presença, dos seus atributos, da sua criação e do seu poder. Esta glória era conhecida pelos rabinos em Israel pelo termo shekinah. A glória de Deus é diferente da glória humana: A glória dos homens incha e deixa as pessoas orgulhosas, a glória de Deus enche e deixa as pessoas transformadas. Muitos homens e mulheres no mundo se orgulharam por ostentarem sua própria glória, eles se foram e a sua glória acabou; alguns deixaram o seu nome na calçada da fama, em Hollywood, outros tem sua estátua no museu de cera madame Tussauds em Londres. Eles viveram em busca da glória terrena, e esta glória acaba aqui; porém, Jesus, o Rei da Glória, tem uma magnitude e glória que nunca termina, ela é eterna. Muitos vivem em uma busca constante de dinheiro, fama e poder. Mesmo sabendo que tudo é temporal, efêmero e passageiro.                               

QUATRO RAZÕES PORQUE JESUS É O REI DA GLÓRIA:                                                 

SUA GLÓRIA É IMUTÁVEL.

Ele é Deus, e não muda.
Porque eu, o SENHOR, não mudo; por isso, vós, ó filhos de Jacó, não sois consumidos (Ml.3.6).
Toda a boa dádiva e todo o dom perfeito vêm do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não há mudança, nem sombra de variação (Tg.1.17).
Jesus Cristo é o mesmo, ontem, hoje e eternamente (Hb.13.8).
A glória que estava com os filhos de Israel através da nuvem no deserto, é a mesma.
A glória que estava no tabernáculo através da arca da aliança, é a mesma.
A glória que foi manifesta na inauguração do templo de Salomão, é a mesma (2Cr.7.1,2).

SUA GLÓRIA É ETERNA.

A glória dos homens é passageira, efêmera e terminal.
A palavra de Deus nos afirma: Porque toda a carne é como a erva, e toda glória do homem, como a flor da erva. Secou-se a erva, e caiu a sua flor; mas a palavra do Senhor permanece para sempre (1Pe.1.24,25).

A glória de Jesus é de eternidade à eternidade.
Antes que os montes existissem, ou que tu formasses a terra e o mundo, sim, de eternidade a eternidade, tu és Deus (Sl.90.2).

Ele é o Pai da eternidade (Is.9.6).

Disse-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo que, antes que Abraão existisse, eu sou (Jo.8.58).

SUA GLÓRIA É ÚNICA E EXCLUSIVA.

Ele não dá e nem reparte sua glória  com ninguém.
Ele disse através do profeta Isaías: Eu Sou o SENHOR; este é o meu nome; a minha glória, pois, a outrem não darei, nem o meu louvor, às imagens de escultura (Is.42.8).

Homens que quiseram tomar a glória de Deus para si:

O rei Nabucodonosor.
O rei Uzias.
O rei Herodes.

SUA GLÓRIA É VISÍVEL E ESTÁ PRESENTE.

Nos céus.
Os céus manifestam a glória de Deus e o firmamento anuncia a obra das suas mãos (Sl.19.1).

Na terra.
No ano em que morreu o rei Uzias, eu vi ao Senhor assentado sobre um alto e sublime trono; e o seu séquito enchia o templo. Os serafins estavam acima dele; cada um tinha seis assas: com duas cobriam o rosto, e com duas cobriam os pés, e com duas voavam. E clamavam uns para os outros, dizendo: Santo, Santo, Santo é o SENHOR dos Exércitos; toda a terra está cheia da sua glória (Is.6.1-3).

Na igreja.
Jesus orando ao Pai, disse:
E eu dei-lhes a glória que a mim me deste, para que sejam um, como nós somos um (Jo.17.22).

CONCLUSÃO:
Toda honra e toda a glória, sejam dadas ao Senhor Jesus Cristo. Porque dele, por ele e para ele, foram criadas todas as coisas; glória pois à Ele, eternamente.
Ele é o Rei da Glória. Amém!