terça-feira, 16 de julho de 2019

CINCO MARCAS DO AVIVAMENTO.

Cumprindo-se o dia de pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar; e, de repente, veio do céu um som, como de um vento veemente e impetuoso, e encheu toda a casa em que estavam assentados. E foram vistas por eles línguas repartidas, como que de fogo, as quais pousaram sobre cada um deles. E todos foram cheios do Espírito Santo e começaram a falar em outras línguas, conforme o Espírito Santo lhes concedia que falassem.
E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações. Em cada alma havia temor, e muitas maravilhas e sinais se faziam pelos apóstolos (Atos, 2.1-4; 42,43).

O QUE É AVIVAMENTO?

Segundo o dicionário da língua portuguesa, avivamento vem de avivar, que é o ato de tornar ou torna-se mais vivo, reanimar, despertar, aumentar, torna-se mais forte, mais intenso, mais ativo, destacar-se.
Avivamento é a ação do Espírito Santo no interior dos crentes, que os leva a viver uma vida de santidade, temor e reverência na presença de Deus. Também é uma dinâmica poderosa do Espírito na vida dos crentes para realizarem a obra de Deus.

O QUE NÃO É AVIVAMENTO?

Avivamento nem sempre é barulho, avivamento não é o culto das emoções, avivamento não é movimento, modismo ou inovações criados por alguns grupos "pentecostais".
É possível que haja movimento no avivamento, porque o avivamento implica em um movimento do Espírito para remover o pecado e estabelecer a santidade. Porém, muitos estão confundindo o movimento humano, com o movimento do Espírito Santo.

1- SEDE PELA PALAVRA.

E perseveravam na doutrina dos apóstolos ... 
A perseverança na doutrina e a sede pela palavra é o termômetro espiritual do crente que o leva a viver o verdadeiro avivamento.
Um dos grandes problemas espirituais da igreja atual é a falta de sede e fome da palavra de Deus. Muitos crentes estão ficando raquíticos e doentes espiritualmente por não se alimentarem com frequência da palavra.
Uma das grandes estratégias de Satanás é fazer com que os crentes fiquem ocupados e presos nos entretenimentos e percam o prazer e a sede de ler, meditar e estudar a palavra de Deus. Mas o crente avivado não perde tempo nas redes dos entretenimentos de Satanás, porque o seu prazer está na Lei do SENHOR e nela medita de dia e de noite (Sl.1.1,2). 

2- COMUNHÃO.

E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão ... 
Este termo "comunhão", no grego é Koinonia. Na pratica significa, amizade, companheirismo, participação, compartilhamento. 
Esta comunhão está em três dimensões: Conjugal, envolvendo a família; comunhão com os irmãos e comunhão com Deus.
Sem esta comunhão, é impossível o crente ser verdadeiramente avivado.

3- PARTIR DO PÃO.

E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão ... 
Esta expressão "partir do pão", no livro de Atos tem haver com a Ceia do Senhor (At.20.7).
A celebração da Ceia do Senhor é a marca de uma igreja avivada, porque neste culto nós relembramos a morte e ressurreição de Jesus em nosso benefício. 
Todo crente avivado tem prazer de participar da Ceia do Senhor, porque ele reconhece que foi beneficiado com a morte de Jesus no calvário, para depois ter direito ao pentecoste.
O partir do pão tem haver com o calvário, porque sem o calvário não havia a Ceia do Senhor, e sem calvário não há pentecostes. 

4- ORAÇÃO.

E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações (At.2.42).
A oração deve ser uma pratica diária na vida de todo crente avivado. A oração é a nossa fonte de poder. Através da oração nós falamos com Deus e Deus fala conosco. Quando nós oramos recebemos de Deus a sua direção, a sua graça, o seu poder e a sua unção. O Diabo fica apavorado quando ele ver um crente de joelhos diante de Deus. Quando nós oramos, o campo de atuação do inimigo diminui, mas quando nós deixamos de orar, o campo de atuação do inimigo aumenta. 
O Diabo rir das nossas pregações, zomba da nossa sabedoria, despreza os nossos títulos e status; mas ele teme e treme diante de um crente de joelhos.
Há anos atrás, a rainha da Inglaterra disse: "Eu tenho mais temor de um crente de joelhos diante de Deus, do que dos mísseis da União Soviética e dos Estados Unidos apontados para Inglaterra". 
Lemos em toda a bíblia e temos visto ao longo da história, que todos os grandes avivamentos foram precedidos pela oração. Se o povo de Deus se humilhar e orar, Deus vai fazer maravilhas. Amém.

5- TEMOR.

Em cada alma havia temor, e muitas maravilhas e sinais se faziam pelos apóstolos (At.2.43). 
Temor aqui não é medo, mas é no sentido de respeito, de reverência e devoção a Deus e as coisas sagradas. Onde há temor, há sabedoria; e onde sabedoria os planos e projetos são bem estabelecidos, e não há confusão. Porque está escrito: O temor do SENHOR é o princípio da sabedoria, e a ciência do Santo, a prudência (Pv.9.10). 
O temor a Deus gera obediência, santidade e sabedoria.
No temor do Senhor há paz, estabilidade e prosperidade.
Assim, pois, as igrejas em toda a Judéia, e Galiléia, e Samaria tinham paz e eram edificadas; e se multiplicavam, andando no temor do Senhor e na consolação do Espírito Santo (At.9.31).
Que possamos ser crentes avivados, cheios de temor e do Espírito Santo para fazermos a obra de Deus. Amém! 

CONCLUSÃO:
Que possamos viver as marcas do verdadeiro avivamento; que possamos perseverar em ler, meditar e estudar o livro sagrado; e que a oração, a comunhão e o temor a Deus sejam constantes em nossas vidas. 
Este avivamento é primeiramente individual e depois coletivo.
Que possamos continuar clamando por um grande avivamento.
Que possamos repetir com profeta Habacuque: Aviva, ó SENHOR, a tua obra! (Hc.3.2).
Aviva, o teu povo, a tua igreja! Amém! 

sexta-feira, 12 de julho de 2019

TRÊS CONTRASSENSOS NO LIVRO DE ECLESIASTES.

Palavras do pregador, filho de Davi, rei em Jerusalém: Vaidade de vaidades! Diz o pregador, vaidade de vaidades! É tudo vaidade (Eclesiastes, 1.1,2).

O livro de Eclesiastes é um livro onde o seu autor descreve com um olhar crítico a vida dos homens sobre a terra. Salomão já estava com a sua idade avançada, cheio de experiências de vida, ele reflete e chega a conclusão de que todas as coisas são vaidades e aflições; que a vida só vale a pena com Deus. Neste livro, Salomão expõe sua sabedoria em forma de poesia com uma análise critica do mundo dos viventes e apresenta alguns contrassensos em relação aquilo que parece absurdo, contrário ao senso comum.

TRÊS APARENTES CONTRADIÇÕES (Ec.7.1-3).

* Melhor é a boa fama do que o melhor perfume, e o dia da morte é melhor do que o dia do nascimento.
* Melhor é ir à uma casa onde há luto do que ir à casa onde há festa, porque ali se vê o fim de todos os homens; e os vivos o aplicam ao seu coração.
* Melhor é a tristeza do que o riso, porque com a tristeza do rosto se faz melhor o coração.

1- Melhor é o dia da morte do que o dia do nascimento.

O sábio Salomão expressa uma verdade que choca a nossa compreensão. Geralmente no dia do nascimento há alegria e festa, ao contrario do dia da morte, onde há tristeza e pesar. Todavia, a sabedoria está em refletir no futuro e seguir a vida com prudência.

2- Melhor é a tristeza do que o riso.

Este é mais um paradoxo que foge a nossa compreensão. Como pode a tristeza ser melhor do que riso? Todavia, na tristeza há uma mudança interior que flui do coração, fazendo com que as pessoas tenham melhores sentimentos e atitudes.

3- Melhor é ir à casa onde há luto do que ir à casa onde há banquete.

Do ponto de vista lógico, é melhor ir à casa onde há festa. Há pessoas que tem pavor ao ouvir falar em morte, e ir à casa onde há luto, nem pensar. Porém, Salomão considera que a sabedoria está na casa do luto, porque geralmente no velório as pessoas refletem sobre a realidade do futuro e aplicam o seu coração. Sobre esta questão, Salomão finaliza o seu pensamento dizendo: "O coração do sábio está na casa onde há luto, mas o do tolo, na casa da alegria (Ec.7.4).

Concluindo:
Todas estas verdades só são valorizadas e entendidas pelos sábios. Pense nisso.

quarta-feira, 10 de julho de 2019

COMO ESCAPAR DO INFERNO?

Os ímpios serão lançados no inferno e todas as nações que se esquecem de Deus (Sl.9.17).

O inferno existe e é real, uma das grandes estratégias de Satanás é convencer as pessoas de que o inferno não existe. Todavia, a Bíblia que é a palavra de Deus, aborda este tema sobre os seus mais variados aspectos. Não é a mitologia grega que tem a última palavra sobre este tema; mas todo o fundamento e verdade sobre o inferno tem origem na palavra de Deus. A Bíblia nos dar a entender, que o inferno é um lugar espiritual, não geográfico. No livro de Provérbios está escrito: Para o sábio, o caminho da vida é para cima, para que ele se desvie do inferno que está embaixo (Pv.15.24). Aqui o sábio Salomão deixa claro que o inferno existe, e que para escapar dele precisamos andar no caminho que conduz a vida. O inferno existe para mostrar a justiça de Deus sobre os pecadores que não deram crédito à sua palavra. Este é um dos temas mais abordado por Jesus Cristo durante o seu ministério.

NOMES DADOS AO "INFERNO" NA BÍBLIA:

- Lugar de tormento (Lucas, 16.24).

- Fogo eterno (Mateus, 25.41).

- Fornalha de fogo (Mateus, 13.42,50).

- Lugar de tribulação e angústia (Romanos, 2.9).

- Eterna perdição (II Ts.1.9).

- Cadeias da escuridão (II Pedro, 2.4).

- Ardente lago de fogo e enxofre (Ap.19.20).

- Lago de fogo (Ap.20.15).

17 CLASSES DE PESSOAS QUE IRÃO PARA O INFERNO:

Não erreis: Nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o Reino de Deus (I Co.6.10).

Mas, quanto aos tímidos, e aos incrédulos, e aos abomináveis, e aos homicidas, e aos fornicadores, e aos feiticeiros, e aos idólatras e a todos os mentirosos, a sua parte será no lago que arde com fogo e enxofre, o que é a segunda morte (Ap.21.8).

O apóstolo Paulo, nos apresenta uma lista de dez classes de pessoas que ficarão de fora do Reino de Deus, por causa das suas praticas pecaminosas.
Da mesma forma, o apóstolo João cita oito classes de pessoas, que também ficarão de fora e terão a sua parte no lago que arde com fogo e enxofre.

1- Os efeminados.

Os efeminados, são homossexuais passivos que vivem nas suas praticas pecaminosas, sem se importarem com o juízo de Deus. Eles se submetem a todo tipo de depravação sexual com outros homens. Estes tais, não herdarão o Reino de Deus.

2- Os sodomitas.

Os sodomitas, são homossexuais ativos que preferem manter relações sexuais com homens e desprezam as mulheres. Estes tais, também não herdarão o Reino de Deus.

3- Os ladrões.

Os ladrões, são pessoas que vivem na pratica viciosa de subtraírem dos outros aquilo que não lhe pertence. Isto envolve roubos e furtos, bem como latrocínio, que é o roubo seguido de morte. Estes tais irão para o inferno, e não herdarão o Reino de Deus.

4- Os avarentos.

Os avarentos, são pessoas que tem apego demasiado ao dinheiro, e vivem numa busca desenfreada pelo dinheiro, amam o dinheiro e chegam ao ponto de dizerem: "O meu deus é o meu dinheiro".
Geralmente essas pessoas são mesquinhas, pão duro, mão de vaca, não gostam de ajudar ninguém, nem dividem nada do que tem. Quando emprestam dinheiro, o fazem com usura. Estes tais, também não herdarão o Reino de Deus.

5- Os bêbados.

Os bêbados, são pessoas viciadas em bebidas alcoólicas, que vivem mais ébrias do que sóbrias. São alcoólatras e vivem para beber. Geralmente estas pessoas perderam totalmente o domínio próprio e se tornaram bêbados inveterados; ou seja, muito antigo, de longas datas. Estes também não herdarão o Reino de Deus.

6- Os maldizentes.

Os maldizentes, são tidos como caluniadores que vivem para infernizar a vida dos outros, sem se importarem com as consequências que podem causar na vida do próximo. São pessoas maldosas que falam mal dos outros, mexeriqueiros, semeadores de contendas, difamadores. Estes tais, se não se converterem para Deus, irão para o inferno.

7- Os roubadores.

Os roubadores, são pessoas trapaceiras que vivem trapaceando as pessoas, usando de má fé e artifícios através de atos de estelionatários e outros tipos de enganos. Eles estão em todos os seguimentos da sociedade; aparentam até serem pessoas de bem, mas são verdadeiros embusteiros disfarçados de honestos. Estes tais, irão para o inferno se não se converterem para Deus.

8- Os ímpios.

Os ímpios serão lançados no inferno e todas as nações que se esquecem de Deus (Sl.9.17).
Os ímpios são pessoas que não temem a Deus, são blasfemadores, irreverentes, arrogantes e desprezam as coisas sagradas. Eles não querem saber de Deus, são egoístas e vivem em torno de si mesmo.

9- Os desviados.

São aqueles que estão afastados do Evangelho, conheceu a Deus e abandonou por causa do pecado. Porquanto se, depois de terem escapado das corrupções do mundo, pelo conhecimento do Senhor e Salvador Jesus Cristo, forem outra vez envolvidos nelas e vencidos, tornou-se lhes o último estado pior que o primeiro. Porque melhor lhes fora não conhecerem o caminho da justiça, do que, conhecendo-o, desviarem-se do santo mandamento que lhes fora dado. Deste modo, sobreveio-lhes o que por um verdadeiro provérbio se diz: O cão voltou ao seu próprio vômito; a porca lavada, ao espojadouro de lama (II Pedro, 3.20-22).

10- Os tímidos.

São aqueles que tem medo de proclamar o evangelho e não querem compromisso com Deus; também são aqueles que sempre dizem, que não está na hora de aceitar a Jesus, preferindo antes os prazeres mundanos.

11- Os incrédulos.

São pessoas que não acreditam na Bíblia, nem em Deus. Geralmente os incrédulos não acreditam em nada, nem no inferno, nem no céu, nem em salvação. É aquele que diz: "Eu vou pagar pra ver". E mais: "Só acredito em Deus se Ele aparecer pra mim". Esse vai morrer e vai para o inferno sem ver Deus.

12- Os abomináveis.

São pessoas imorais, devassas e depravadas que vivem nas suas praticas abomináveis, fazendo do sexo pervertido e outras praticas detestáveis por Deus, o seu estilo de vida preferido.

13- Os homicidas.

São os assassinos que seguem o caminho de Caim, matam o seu semelhante sem nenhum temor a Deus e sentem prazer em fazê-lo. Homicidas também são aqueles que matam não só fisicamente uma pessoa, mas espiritualmente e emocionalmente. Matam esperanças, projetos e sonhos. São homicidas também, aqueles que usam a sua língua como um veneno mortal para destruir vidas.

14- Os fornicadores.

São pessoas adúlteras e imorais que mantém relações sexuais fora do casamento. vivem nessa pratica de traição conjugal como se fosse algo normal. Também são aqueles que adulteram mantendo relações com outros homens e mulheres estando casados. Todos que se prostituem e são praticantes do homossexualismo, irão para o inferno!

15- Os feiticeiros.

São pessoas que praticam a feitiçaria em seus vários seguimentos. A feitiçaria, segundo a bíblia é uma forma de rebelião contra Deus (I Sm.15.22,23). Esta pratica é reprovada por Deus desde a época de Moisés (Deut.18.10-12). Portanto, os praticantes da feitiçaria, se não se arrependerem, irão para o inferno.

16- Os idólatras.

São pessoas que depositam a sua fé em imagens de esculturas e prestam culto a deuses falsos, provocando com isso a ira do Deus vivo e Verdadeiro. Também é considerada idolatria, tudo aquilo que toma o lugar de Deus. Ou seja: Quando as pessoas colocam as coisas como prioridades na sua vida em lugar de Deus, isto é idolatria. Os idolatras ficarão de fora do céu.

17- Os mentirosos.

Os mentirosos são pessoas que vivem na pratica da mentira, elas tem prazer em mentir, em disfarçar e viver uma vida de falsidade. Tem gente que mente tanto que acha que sua mentira é verdade. Os mentirosos são filhos do Diabo, porque o Diabo é o pai da mentira. Jesus disse aos religiosos da sua época: Vós tendes por pai ao Diabo e quereis satisfazer os desejos de vosso pai; ele foi homicida desde o princípio e não se firmou na verdade, porque não há verdade nele; quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso e pai da mentira (João, 8.44). Portanto, se você se diz cristão e vive mentindo, você é um forte candidato ao inferno. Deixe a mentira, fale e viva a verdade, só assim você vai escapar de ir para o inferno.

CINCO PRATICAS DE VIDA PARA ESCAPAR DO INFERNO:

1- Aceitando o plano da salvação através de Jesus Cristo.

Na verdade, na verdade vos digo que, quem ouve a minha palavra e crê naquele que me enviou tem a vida eterna e não entrará em condenação, mas passou da morte para a vida (João, 5.24). Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida. Ninguém vem ao Pai senão por mim (João, 14.6).

2- Vivendo uma vida de santidade (separado do pecado).

Mas como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver, porquanto escrito está: Sede santos, porque Eu sou santo (I Pe.1.15,16).
Todavia, o fundamento de Deus fica firme, tendo este selo: O Senhor conhece os que são seus, e qualquer que profere o nome de Cristo aparte-se da iniquidade (II Tm.2.19).
Segui a paz com todos e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor (Hebreus, 12.14).

3- Vivendo na pratica da palavra de Deus.

Sede praticantes da Palavra e não simplesmente ouvintes, iludindo a vós mesmos. Porquanto, se alguém é ouvinte da Palavra e não praticante, é semelhante a um homem que contempla o próprio rosto no espelho; e, depois de admirar a si mesmo, sai e logo se esquece da sua aparência. Porém, a pessoa que observa atentamente a lei perfeita, a lei da liberdade, e nela persevera, não sendo ouvinte negligente, mas praticante zeloso, será muito feliz em tudo o que empreender. Se alguém se considera religioso, mas não refreia a sua língua, engana-se a si mesmo. Sua espiritualidade não tem valor real algum! A religião que Deus, o nosso Pai, aceita como sincera e imaculada é esta: cuidar dos órfãos e das viúvas em suas dificuldades e, especialmente, não se deixar corromper pelas filosofias mundanas (Tiago, 1.22-27).

4- Vivendo em Cristo Jesus como nova criatura.

Portanto, agora, nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito (Romanos, 8.1).
Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo (II Co.5.17).

5- Andando na luz de Cristo.

Mas, se andarmos na luz, como Ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo pecado (I João, 1.7).
Falou-lhes, pois, Jesus outra vez: Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará em trevas, mas terá a luz da vida (João, 8.12).

CONCLUSÂO:
A nossa devoção a Deus e o nosso empenho na sua obra em prol do crescimento do Reino de Deus, não deve ser um serviço prestado visando simplesmente livrar-se da condenação do inferno. Mas, deve ser motivado pelo amor e temor a Deus como nosso Senhor e Salvador. Deus não tem prazer em condenar nenhuma das suas criaturas, mas quer que todos venham ao pleno conhecimento da verdade e sejam salvo. Amém!

quarta-feira, 3 de julho de 2019

EM QUE SE APOIA A SUA FÉ?

E eu, irmãos, quando fui ter convosco, anunciando-vos o testemunho de Deus, não fui com sublimidade de palavras ou de sabedoria. A minha palavra e a minha pregação não consistiram em palavras persuasivas de sabedoria humana, mas em demonstração do Espírito e de poder, para que a vossa fé não se apoiasse em sabedoria dos homens, mas no poder de Deus (I Co.2.1,4,5).

O apóstolo Paulo teve o devido cuidado, quando anunciou o Evangelho aos coríntios. A sua grande preocupação em relação a fé dos crentes de Corintos, era para que a fé deles não tivesse como base as filosofias, nem se apoiasse na sabedoria dos homens. Havia naquela época, pregadores eloquentes que tinham poder de persuadir as pessoas com suas palavras cheias de filosofias. Mas, Paulo deixou bem claro, que a fé dos irmãos de Corintos, bem como a nossa, em pleno século XXI, deve está apoiada no poder de Deus.

UMA PERGUNTA QUE NÃO QUER CALAR: Em Que Se Apoia a Sua Fé?

Nas imagens de esculturas?

Nos ídolos?

Nas riquezas?

Nos homens?

Na sabedoria humana?

Em você mesmo?

Ou no Senhor Deus Todo-Poderoso, que fez os céus, a terra, o mar e tudo o que neles há?

Os que confiam no SENHOR serão como o monte Sião, que não se abala, mas permanece para sempre (Salmos.125.1).
É melhor confiar no SENHOR do que confiar no homem.
É melhor confiar no SENHOR do que confiar nos príncipes (Salmos, 118.8,9).
Confia no SENHOR perpetuamente, porque o SENHOR Deus é uma Rocha eterna (Is.26.4).

CONCLUSÃO:
A fé de um cristão verdadeiro não deve está apoiada na cabala, nem no horóscopo, nem nas cartas de tarô, nem tão pouco em mapa astral. A fé do verdadeiro cristão deve está firmada, sedimentada, alicerçada, assegurada e apoiada no poder de Deus e na sua palavra. Quem apoia a sua fé em outras coisas, está fadado ao fracasso; mas quem apoia a sua fé no poder de Deus e na sua palavra, será próspero e bem sucedido. Portanto, faça isso, deposite a sua fé e confiança na pessoa de Jesus Cristo, pois, Ele é o autor e consumador da nossa fé (Hebreus, 12.2). Amém!

segunda-feira, 1 de julho de 2019

QUATRO REQUISITOS PARA FELICIDADE.

E se o meu povo que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face, e se converter dos seus maus caminhos, então, eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra (II Crônicas, 7.14).

A melhor opção para o homem ser feliz está em DEUS. A vida sem Deus não vale a pena, ela torna-se pobre, vazia e sem sentido. O homem ficou incompleto e tornou-se infeliz quando pecou e afastou-se de Deus. A humanidade está vivendo uma vida de rebelião contra Deus, o homem está alienado de Deus por causa dos seus pecados. Todavia, Deus conclama a todos a virem a Ele para serem abençoados e felizes. Está escrito: Ó vos todos que tendes sede, vinde às águas, e vós que não tendes dinheiro, vinde, comprai e comei, sim, vinde e comprai, sem dinheiro e sem preço, vinho e leite. Por que gastais o dinheiro naquilo que não é pão? E o produto do vosso trabalho naquilo que não pode satisfazer? Ouvi-me atentamente e comei o que é bom, e a vossa alma se deleite com a gordura. Inclinai os ouvido e vinde a mim, ouvi, e a vossa alma viverá; porque convosco farei um concerto perpétuo, dando-vos as firmes beneficências de Davi. Buscai ao SENHOR enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto. Deixe o ímpio o seu caminho, e o homem maligno, os seus pensamentos e se converta ao SENHOR, que se compadecerá dele; torne para o nosso Deus, porque grandioso é em perdoar (Isaías, 55.1-3,6,7). Voltar-se para Deus e aceitar a sua proposta, é a melhor decisão para ser feliz.

1- HUMILHAR-SE DIANTE DE DEUS.

O ato de nos humilharmos diante de Deus é uma prova da nossa submissão e total dependência Dele. Muitas vezes é preciso que a nossa autossuficiência, o orgulho e a soberba sejam eliminadas da nossa vida, para que possamos confiar e depender inteiramente de Deus. A exaltação própria, poderá nos levar a ruína; mas quem se humilha diante de Deus, será por Ele exaltado. Está escrito: Humilhai-vos perante o Senhor, e ele vos exaltará (Tiago, 4.10). Humilhai-vos, pois, debaixo da potente mão de Deus, para que, a seu tempo, vos exalte (I Pedro, 5.6). Feliz é aquele que se humilha diante de Deus.

2- ORAR A DEUS.

A oração voltada para Deus é mais um sinal da nossa dependência. Quem ora fala com Deus, e quem fala com Deus não fica sem resposta. Na oração nós temos a oportunidade de nos abrirmos com Deus, de desabafarmos e contarmos para Ele toda a nossa história. O grande problema das pessoas é que muitos estão se dobrando diante de outros deuses, mas quem dobra os seus joelhos diante do Deus Vivo e Verdadeiro, não será envergonhado. Davi no seu salmo diz: Mas eu invocarei a Deus, e o SENHOR me salvará. De tarde, e de manhã, e ao meio dia, orarei; e clamarei, e ele ouvirá a minha voz (Salmos, 55.16,17). Feliz é o crente que ora e põe a sua confiança no SENHOR.

3- BUSCAR A FACE DO SENHOR.

Buscar a face do SENHOR, é uma expressão bíblica que se repete em vários textos, e isto implica em dizer: Reverencia-lo, adora-lo, presta-lhe culto em uma devoção sincera, contemplar a sua formosura através da adoração. Davi expressa este sentimento ao dizer: Uma coisa pedi ao SENHOR e a buscarei; que possa morar na Casa do SENHOR todos os dias da minha vida, para contemplar a formosura do SENHOR e aprender no seu templo.
Quando tu disseste: Buscai a minha face, o meu coração te disse: A tua face, SENHOR, buscarei (Salmos, 27.4,8). Esta busca deve ser prazerosa e constante, pois Deus se agrada dos que assim o fazem. Faça isto de todo seu coração, e você será feliz.

4- CONVERTER-SE TOTALMENTE PARA DEUS.

Converter-se para Deus, implica em voltar-se totalmente para Ele, sem reservas e de todo o coração.
O povo queria servir a Deus do seu jeito, com o coração dividido entre o mundanismo com seus prazeres pecaminosos, para em seguida prestar culto ao Deus Santo, Vivo e Verdadeiro.
Deus não aceita mistura, nem coração dividido, ou serve a Deus ou serve a Baal. Deus não aceita nem aprova ninguém em cima do muro. Há pessoas criando os seus próprios conceitos e vivendo um evangelho de conveniências, ao seu bel-prazer. Todavia, é preciso deixarmos os nossos conceitos e voltarmos para Deus, com um coração totalmente convertido para Ele. Portanto, converta-se totalmente para Deus e deixe Ele reinar em seu coração, só assim você será feliz. Amém!

* Voltar-se para Deus e aceitar a sua proposta, é a melhor decisão para se feliz. Se você ainda não a fez, eu lhe aconselho que a faça; só assim você terá paz com Deus, por Jesus Cristo.
* Não se demore, seja feliz agora!


sexta-feira, 28 de junho de 2019

O NAUFRÁGIO DA FÉ.

Este mandamento te dou, meu filho Timóteo, que, segundo as profecias que houve acerca de ti, milites por elas boa milícia, conservando a fé e a boa consciência, rejeitando a qual alguns fizeram naufrágio na fé. Entre esses foram Himeneu e Alexandre, os quais entreguei a Satanás, para que aprendam a não blasfemar (I Timóteo, 1.18-20).

Paulo incentiva o jovem pastor Timóteo a permanecer firme na luta do bom combate da fé. Paulo entende que, a preservação da fé e a boa consciência são elementos fundamentais para o cristão manter-se firme no combate da fé. Caso contrario, o naufrágio na fé será inevitável.
A vida cristã pode ser comparada a uma grande viagem no mar desta vida. O mundo é como um mar cheio de adversidades, com seus altos e baixos. Enfrentamos tempos de bonança e também tempos de tempestades. Precisamos estar atentos para enfrentarmos cada situação, para não perdermos a rota traçada por Deus a fim de chegarmos ao nosso Porto Seguro.

O BARCO SENDO MINADO.

Paulo diz: Conservando a fé e a boa consciência, rejeitando a qual, alguns fizeram naufrágio na fé (I Tm.1.19). Paulo usa uma metáfora quando fala do "naufrágio da fé". No tempo de Paulo, um naufrágio era descoberto muito tempo depois, pelo fato do navio nunca chegar ao seu destino. Os naufrágios raramente são de súbito, geralmente a água vai minando através de infiltrações, por descuido dos que estão na embarcação. O porão vai enchendo de água e, de repente, o navio vai a pique. O mesmo acontece quando um cristão chega a naufragar na fé, não acontece de um dia para o outro, mas a sua fé vai sendo minada até chegar ao ponto de uma situação irreversível. Mas é possível evitar que o nosso barco (vida com Deus), sofra infiltrações e rupturas. Devemos ficar vigilantes para que as águas do pecado não venham inundar o nosso barco espiritual. Para que o barco da nossa fé não venha a naufragar, Paulo nos orienta a preservarmos a fé através da boa consciência.

O QUE É UMA BOA CONSCIÊNCIA?

Consciência é definida como o sentido ou a percepção que o ser humano possui do que é moralmente certo ou errado. A Bíblia afirma que todos nós temos consciência (Romanos, 2.12-16). O termo usado por Paulo é uma boa consciência. Esta consciência deve estar ativa e bem alimentada por bons valores éticos e morais. Como cristãos podemos afirmar que os bons valores, são valores relacionados a Deus e a sua palavra, que é o único referencial verdadeiramente bom.
Neste sentido quando alguém rejeita seguir uma boa consciência, rejeita submeter-se a vontade de Deus. Uma boa consciência tem compromisso com bons hábitos e age de forma agradável a Deus e ao próximo. Porém, uma pessoa que tem a sua consciência contaminada por maus hábitos e praticas censuráveis, tende a naufragar a sua vida em um mundo de trevas. Portanto, preserve a sua fé na boa consciência que vai lhe levar ao Porto Seguro (Jesus Cristo), que é a âncora da nossa alma.

EXEMPLOS DOS QUE NAUFRAGARAM NA FÉ:

Conservando a fé e a boa consciência, rejeitando a qual alguns fizeram naufrágio na fé. Entre esses foram Himeneu e Alexandre, os quais entreguei à Satanás, para que aprendam a não blasfemar (I Timóteo, 1.19,20).

HIMENEU.

Himeneu, foi um cristão que apostatou da fé e decidiu criar uma teologia própria, e pregava que a ressurreição já havia ocorrido. Sobre isto Paulo diz: Evita, pois, as conversas inúteis e profanas, porquanto os que agem assim promovem ainda mais a impiedade, e tais palavras se alastrarão como câncer, entre estes se encontram Himeneu e Fileto. Eles se desviaram da verdade, proclamando que a ressurreição já aconteceu, e com isso corromperam a fé de alguns (II Timóteo, 2.16-18).

ALEXANDRE.

Alexandre é outro mal exemplo de um crente que apostatou da fé. Alexandre era um empresário crente que trabalhava com bronze, ele era rebelde e havia criado muitos problemas, não aceitava conselhos nem admoestações do apóstolo Paulo: Alexandre, que trabalha com bronze, causou-me muitos males; o Senhor lhe pague segundo as suas obras. Tenha muita cautela com ele, pois se opôs fortemente ás nossas palavras (II Timóteo, 4.14,15).

Em relação a Himeneu e Alexandre, Paulo foi obrigado a exercer a mais severa "disciplina eclesiástica" (Mateus, 18.17), isto é, a exclusão desses homens do âmbito da proteção da igreja, considerada como coluna e firmeza da verdade, contra o poder de Satanás e seus demônios.

CONCLUSÃO:
O pecado nos assedia todos os dias, bate a nossa porta; as tentações são inevitáveis; mas cabe a cada cristão fugir do pecado e procurar viver em comunhão com Deus. O naufrágio na fé, geralmente acontece de forma lenta, a sedução do pecado vai ganhando espaço e desconstruindo todo alicerce espiritual da vida do cristão. É preciso nos policiarmos para não sermos levado pelas ondas do pecado e consequentemente, naufragarmos na fé.
Portanto, conserve a sua fé e uma boa consciência diante de Deus e siga com firmeza na direção do Porto Seguro. Deus vai te ajudar. Amém!

segunda-feira, 24 de junho de 2019

GÊNESIS x APOCALIPSE.

Há um paralelo curioso entre o livro de Gênesis e Apocalipse. Enquanto o livro de Gênesis é o livro do começo e registra o princípio de todas as coisas; o livro de Apocalipse é o livro do fim e revela o fim de todas as coisas. A Bíblia é uma história só. A última parte do último livro da Bíblia soa como o final da história que começou na primeira parte do primeiro livro.

GÊNESIS - APOCALIPSE.

As primeiras palavras de Gênesis:
"No princípio criou Deus os céus e a terra" (Gn.1.1).

As últimas palavras de Apocalipse:
"E vi um novo céu e uma nova terra" (Ap.21.1).

Gênesis: Ao ajuntamento das águas chamou mar (Gn.1.10).
Apocalipse: ... E o mar já não existe (Ap.21.1).

Gênesis: As trevas chamou noite (Gn.1.5).
Apocalipse: Lá não haverá noite (Ap.21.25).

Gênesis: E fez Deus os dois grandes luminares (Gn.1.16).
Apocalipse: E a cidade não necessita de sol nem de lua, para que nela resplandeçam, porque a glória de Deus e tem aluminado, e o cordeiro é a sua lâmpada (Ap.21.23).

Gênesis: ... No dia em que dela comeres certamente morrerás (Gn.2.17).
Apocalipse: ... E não haverá mais morte (Ap.21.4).

Gênesis: Multiplicarei grandemente a tua dor (Gn.3.16).
Apocalipse: ... Não haverá pranto, nem clamor, nem dor (Ap.21.4).

Gênesis: ... Maldita é a terra por tua causa (Gn.3.17).
Apocalipse: E ali nunca mais haverá maldição (Ap.22.3).

Gênesis: Foram afastados da árvore da vida (Gn.3.22-24).
Apocalipse: Reaparece a árvore da vida (Ap.22.2).

Gênesis: O homem afastou-se da presença de Deus (Gn.3.9,10,24).
Apocalipse: Verão a sua face (Ap.22.4).

Gênesis: Satanás aparece como enganador da humanidade (Gn.3.1-4).
Apocalipse: Satanás desaparece para sempre (Ap.20.10).

Gênesis termina com um caixão no Egito (Gn.50.26).
Apocalipse termina com a impetração de uma bênção: A graça de nosso Senhor Jesus Cristo seja com todos vós. Amém! (Ap.22.21).

Concluímos que, a Bíblia é um livro harmônico e sem contradição. Escrita por 40 escritores, em épocas diferentes, todavia, todos os seus livros tem uma única fonte inspiradora, DEUS.  

quinta-feira, 20 de junho de 2019

Meu Redentor Vive!

Porque eu sei que o meu Redentor vive, e que por fim se levantará sobre a terra (Jó, 19.25).

Em resposta aos seus "amigos", Jó argumenta as suas queixas e censura os seus acusadores por terem o repreendido e agredido com palavras por dez vezes (Jó.1.1-3). Este capítulo 19 do livro de Jó, relata uma fase muito deprimente da vida de Jó. Jó apresenta suas queixas e reclama das acusações dos seus "amigos" que o considera amaldiçoado por Deus. Jó reclama que seu clamor por justiça não recebeu nenhuma consideração (19.7). Jó lamenta que o SENHOR seja a causa do seu sofrimento e fica angustiado (19.8-12). Jó também lamenta por se sentir banido da sociedade, rejeitado por seus irmãos, parentes e conhecidos (19.13,14). Jó chega a ser rejeitado por seus servos, os rapazes zombam e riem dele nas ruas, os seus amigos mais chegados passam a lhe detestar, e até a sua própria esposa e seus irmãos se sentem enojados por causa do seu mal hálito (19.15-19).
Jó resume as suas aflições da seguinte maneira: Todos os meus amigos íntimos me abominam, e até os que eu amava se tornaram contra mim. Os meus ossos se apegam à minha pele e à minha carne, e salvei-me só com a pele dos meus dentes (19.19,20). Jó clama por misericórdia aos seus amigos e declara que foi ferido pela mão de Deus (19.21). Jó deseja que as suas palavras sejam registradas em um livro e esculpidas a ferro no chumbo ou gravadas para sempre na rocha (19.23,24). Diante de todo seu sofrimento, e sentindo-se perseguido e injustiçado por seus "amigos", Jó acredita que no final, haverá julgamento (19.22,28,29).
Desejando justiça e respirando esperança, Jó ergue a sua voz e clama, dizendo: Eu sei que o meu Redentor vive, e que no fim se levantará sobre a terra! E depois que o meu corpo estiver destruído e sem carne, verei a Deus. Eu o verei com os meus próprios olhos; eu mesmo, e não outro! Como anseia no meu peito o coração! (19.25-27).
Neste contexto, Jó profetizou sobre a vinda do Redentor Jesus Cristo, falou sobre a vida após a morte, falou também sobre um julgamento final. Tudo isto há 4.000 anos antes de Cristo.

O nosso Redentor já veio, morreu e ressuscitou; Ele está vivo para todo sempre. Aleluia!
No fim, Ele voltará e se assentará no grande trono branco para o julgamento final de todos os povos (Apoc.20.11-15). Amém!
  

domingo, 16 de junho de 2019

O QUE SIGNIFICA CINGIR OS LOMBOS?

Estejam cingidos os vossos lombos, e acesas, as vossas candeias (Lucas, 12.35).

Falando sobre vigilância, o Mestre ensina aos seus discípulos através de parábolas, que a prontidão e a vigilância devem ser praticados pelos servos do Senhor. Devemos está vigilantes para que não sejamos surpreendidos e reprovados na vinda do Senhor. A expressão usada por Jesus: Estejam cingidos os vossos lombos, e acesas, as vossas candeias (Lc.12.35); equivale dizer: Estejam de prontidão, em atividade e sempre em vigilância; pois a qualquer momento o Senhor voltará.

A região lombar fica na altura da cintura, região abdominal em volta dos quadris.
A parte do corpo designada pela palavra “lombos” é uma região onde se localiza os órgãos reprodutivos; de modo que se diz que a prole ‘sai dos lombos’. (Gn.35.11; IRs.8.19; Atos, 2.30). O escritor aos hebreus usa este argumento ao mostrar que o sacerdócio de Jesus, à maneira de Melquisedeque, é superior ao de Arão, visto que Levi, antepassado de Arão, ainda estava nos lombos de Abraão, e que neste sentido pagou dízimos a Melquisedeque. (Hb.7.5-10; Gn.14.18-20)

A expressão "lombos cingidos", aparece pela primeira vez no texto sagrado no livro de Êxodo, 12.11; quando Deus instituiu a primeira Páscoa, na saída da nação de Israel do Egito.
Qual o significado da expressão "lombos cingidos, ou cingir os lombos"?
Cingir os lombos significava colocar as extremidades das vestes compridas debaixo da faixa ou prender com uma cinta, para facilitar a atividade física.
Cingir, significa: Cercar, circundar, limitar. Apertar com uma correia, com um cinto, pôr à cinta.
Lombos cingidos é uma expressão que significa, amarra a túnica na cintura para dá segurança ao caminhar apressadamente. Hoje a frase que mais se assemelha a esse significado é "arregaçar as mangas".
Biblicamente quer dizer: Está preparado, em segurança, pronto para o trabalho, pronto guerrear e para percorrer o longo caminho.

7 VEZES APARECE NO A.T. A EXPRESSÃO "CINGIR OS LOMBOS".

1- Assim, pois, o comereis: Os vossos lombos cingidos, os vossos sapatos nos pés, e o vosso cajado na mão; e o comereis apressadamente; esta é a páscoa do SENHOR (Êxodo, 12.11).

2- E a mão do SENHOR estava sobre Elias, o qual cingiu os lombos e veio correndo perante Acabe, até à entrada de Jezreel (I Reis, 18.46).

3- Eliseu disse a Geazi: Cinge os teus lombos, e toma o meu bordão na tua mão, e vai ... (II Rs.4.29).

4- Então, o profeta Eliseu chamou um dos filhos dos profetas e lhe disse: Cinge os teus lombos, e toma esta almotolia de azeite na tua mão, e vai-te a Ramote-Gileade (II Reis, 9.1).

5- Agora cinge os teus lombos como homem; e perguntar-te-ei, e, tu, responde-me (Jó, 38.3).

6- Cinge os lombos de força e fortalece os braços (Provérbios, 31.17).

7- Tu, pois, cinge os teus lombos, e levanta-te, e dize-lhes tudo quanto eu te mandar ... (Jr.1.17).

3 VEZES APARECE NO N.T. A EXPRESSÃO "CINGIR OS LOMBOS".

1- Estejam cingidos os vossos lombos, e acesas, as vossas candeias (Lucas, 12.35).

2- Estai, pois, firmes, tendo cingidos os vossos lombos com a verdade, e vestida a couraça da justiça (Efésios, 6.14).

3- Portanto, cingindo os lombos do vosso entendimento, sede sóbrios e esperai inteiramente na graça que se vos ofereceu na revelação de Jesus Cristo (I Pedro, 1.13).

Cingir os lombos significava colocar as extremidades da veste comprida debaixo da faixa ou prender com uma cinta, para facilitar a atividade física. No Novo Testamento, cingir os lombos, tornou-se uma metáfora para estar apto para prestar um serviço para Deus. Passou também a ser usado como expressão para indicar preparação para vigorosa atividade mental ou espiritual, e, às vezes, transmitia a ideia de fortalecimento. Leia: I Pedro, 1.13. Portanto, cingindo os lombos do vosso entendimento ... Ou seja: Avigorai as vossas mentes. Literalmente: Cingir os lombos de vossa mente, ou do vosso entendimento, significa dizer, para que estejamos protegidos e preparados com a nossa mente exercitada na revelação Jesus Cristo.
Em Efésios 6.14, Paulo instrui aos cristãos que tenham seus “lombos cingidos com a verdade”, isto é, fortalecidos pela verdade da Palavra de Deus como apoio essencial. Assim como o firme cingimento dos lombos físicos protegia contra danos causados por esforço extremo, assim também o cingimento espiritual dos nossos lombos, nos protege contra os possíveis ataques do inimigo.

quinta-feira, 13 de junho de 2019

ANDANDO NAS ALTURAS.

JEOVÁ, o Senhor, é minha força, e fará os meus pés como os das cervas, e me fará andar sobre as minhas alturas (Habacuque, 3.19).

Esta expressão: "Fará ou faz os meus pés como os das cervas, e me fará andar sobre as minhas alturas". Também é citada por Davi no livro de II Samuel, 22.34 e se repete no livro dos Salmos, 18.33. O termo "cerva" usado na expressão do profeta Habacuque e por Davi, faz referência a fêmea do cervo, que é também conhecida como "corsa" a fêmea do corso, conhecido como veado.
A cerva é um animal que andar nas montanhas em busca de água e alimento, quando há escassez no seu habitat natural. A cerva tem um faro aguçado capaz de identificar um lençol de águas há quilômetros de distância.
Quando o profeta diz no seu cântico: JEOVÁ, o Senhor, é minha força, e fará os meus pés como os das cervas ... Isto nos fala de firmeza e agilidade, pois a cerva tem uma grande agilidade e firmeza que a faz capaz de subir as montanhas com muita facilidade. Aqui nós aprendemos, que quando a nossa força vem do SENHOR, nenhum obstáculo vai nos impedir de alcançarmos os nossos objetivo, pois teremos a destreza e a força que vem de Deus para nos conduzir a vitória.
... e me fará andar sobre as minhas alturas. A cerva nas alturas estava em segurança, pois no alto das montanhas os seus predadores não podia alcança-la. Isto significa dizer, que quando estamos andando nas alturas, ficamos a sós com Deus, insolados e protegidos dos perigos. Andando nas alturas, as setas do inimigo não irão nos atingir, estamos seguros e em alto retiro. Está escrito: Torre forte é o nome do SENHOR; para ela correrá o justo e estará em alto retiro (Pv.18.10).

ANDANDO E VIVENDO NAS ALTURAS COM DEUS.

- Estamos assentados nas alturas.
... e nos ressuscitou juntamente com Ele, e nos fez assentar nos lugares celestiais, em Cristo Jesus (Ef.2.6).

- Somos exortados a buscar as coisas que são do alto.
Portanto, se já ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas que são de cima, onde Cristo está assentado à destra de Deus (Cl.3.1).

- Somos exortados a pensar nas coisas que são do alto.
Pensai nas coisas que são de cima e não nas que são da terra (Cl.2.2).

- Recebemos o Espírito que veio do alto.
Até que se derrame sobre nós o Espírito lá do alto ... (Is.32.15).
... e, de repente, veio do céu um som, como de um vento veemente e impetuoso, e encheu toda a casa em que estavam assentados. E todos foram cheios do Espírito Santo e começaram a falar em outras línguas, conforme o Espírito Santo lhes concedia que falassem (Atos, 2.2,4).

- Estamos andando nas alturas.
Faz os meus pés como os das cervas e põe-me nas alturas (Salmos, 18.33).

- Temos a promessa de vivermos para sempre nas alturas (no céu com Deus).
Não permitais que o vosso coração se preocupe. Credes em Deus, crede também em mim. Na casa de meu Pai há muitos aposentos; se não fosse assim, Eu o teria dito a vós. Portanto, vou para preparar-vos lugar. E, quando Eu me for e vos tiver preparado um lugar, virei de novo e vos levarei para mim, a fim de que, onde Eu estiver, estejais vós também (Jo.14.1-3).

CONCLUSÃO:
O cristão verdadeiro, que tem convicção da sua fé, ele anda e vive pela fé nas alturas com Deus. O sangue de Jesus Cristo derramado na cruz, se constitui a nossa plataforma espiritual que nos eleva acima de todas as forças malignas e nos garante a vitória. Portanto, não cruze os braços, nem baixe a cabeça diante dos problemas e das adversidades da vida; mas ande de cabeça erguida, com os braços ocupados com o escudo da fé e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus, na sua mão, na mente e no coração. Amém!

sábado, 8 de junho de 2019

DAVI, ALCANÇADO PELA GRAÇA DE DEUS.

Tem misericórdia de mim, ó Deus, segundo a tua benignidade; apaga as minhas transgressões, segundo a multidão das tuas misericórdias. Lava-me completamente da minha iniquidade e purifica-me do meu pecado. Esconde a tua face dos meus pecados e apaga todas as minhas iniquidades. Cria em mim, ó Deus, um coração puro e renova em mim um espírito reto. Não me lances fora da tua presença e não retires de mim o teu Espírito Santo. Torna a dar-me a alegria da tua salvação e sustém-me com um espírito voluntário (Salmos, 51.1,2,9-12).

Davi ficou conhecido e adquiriu fama por ser um guerreiro vencedor de grandes batalhas e ter se tornado rei de Israel. Davi também é conhecido como músico e compositor de vários salmos, e por ser um homem de profunda comunhão e devoção a Deus.
Davi tinha suas virtudes e seus defeitos, mas quando ele pecou, cometendo um homicídio e um adultério, mandando matar o soldado Urias, após ter cometido adultério com Bate-Seba, sua mulher (II Sm.11.), ele não tentou justificar nem mascarar o seu pecado, mas ele sentiu o peso do seu delito e disse: Enquanto eu mantinha escondido os meus pecados, o meu corpo definhava de tanto gemer. Pois dia e noite a tua mão pesava sobre mim; minhas forças foram se esgotando como em tempo de seca. Então reconheci diante de ti o meu pecado e não encobrir as minhas culpas. Eu disse: Confessarei as minhas transgressões ao SENHOR, e tu perdoaste a culpa do meu pecado (Salmos, 32.3-5). Davi foi alcançado pela graça de Deus quando confessou o seu pecado. A graça nos é favorável, quando há confissão e arrependimento sincero. Infelizmente, muitos estão abusando da graça de Deus, vivendo na pratica do pecado e justificando-se a si mesmo naquilo que lhe é conveniente. A palavra de Deus nos diz: Todavia, o fundamento de Deus fica firme, tendo este selo: O Senhor conhece os que são seus, e qualquer que confessa o nome de Cristo aparte-se da iniquidade (II Tm.2.19). A graça está disponível e ao alcance de todos, está escrito: Onde o pecado abundou, superabundou a graça (Rm.5.20).

ATITUDES DE DAVI DIANTE DE DEUS:

CONFISSÃO.
Confessei-te o meu pecado e a minha maldade não encobrir; dizia eu: Confessarei ao SENHOR as minhas transgressões; e tu perdoaste a maldade do meu coração (Sl.32.5).
Porque eu conheço as minhas transgressões, e o meu pecado está sempre diante de mim.
Contra ti, contra ti somente pequei, e fiz o que a teus olhos é mal, para que sejas justificado quando falares e puro quando julgares (Sl.51.3,4).

PETIÇÃO.
Tem misericórdia de mim, ó Deus, segundo a tua benignidade; apaga as minhas transgressões, segundo a multidão das tuas misericórdias.
Lava-me completamente da minha iniquidade e purifica-me do meu pecado.
Purifica-me com hissopo, e ficarei puro; lava-me, e ficarei mais alvo do que a neve.
Faze-me ouvir júbilo e alegria, para que gozem os ossos que tu quebrastes.
Esconde a tua face dos meus pecados e apaga todas as minhas iniquidades.
Cria em mim, ó Deus, um coração puro e renova em mim um espírito reto.
Não me lances fora da tua presença e não retires de mim o teu Espírito Santo.
Torna a dar-me a alegria da tua salvação e sustém-me com um espírito voluntário (Sl.51.1,2,7-12).

SERVIÇO.
Então, ensinarei aos transgressores os teus caminhos, e os pecadores a ti se converterão.
Abre, Senhor, os meus lábios, e a minha boca entoará o teu louvor (Sl.51.13,15).

DEVOÇÃO.
Porque te não comprazes em sacrifícios, senão eu os daria; tu não te deleitas em holocaustos.
Os sacrifícios para Deus são o espírito quebrantado; a um coração quebrantado e contrito não desprezarás, ó Deus (Sl.51.16,17).

CONCLUSÃO:
Davi foi alcançado pela graça de Deus e o seu pecado foi perdoado. Deus conhece um coração sincero e uma confissão verdadeira. Davi não mascarou o seu pecado, nem teve atitude hipócrita para tentar justificar o seu pecado. A graça salvadora, que perdoa, regenera e justifica o homem, é gratuita e acessível para todos; porém, ela só terá efeito eficaz quando o pecador reconhece o seu pecado e decide arrepender-se, confessando-o para Deus.
Davi declara: Feliz aquele cuja transgressão é perdoada, e cujo pecado é coberto. Feliz o homem a quem o SENHOR não imputa maldade, e em cujo espírito não há engano (Hipocrisia). Sl.32.1,2.
É melhor ser verdadeiro diante de Deus e ser alcançado pela sua graça, do que viver na hipocrisia, mergulhado no pecado, distante de Deus e da sua graça.

domingo, 2 de junho de 2019

O TABERNÁCULO, UMA SOMBRA DA REALIDADE.

Então, a nuvem cobriu a tenda da congregação, e a glória do SENHOR encheu o tabernáculo, de maneira que Moisés não podia entrar na tenda da congregação, porquanto a nuvem ficava sobre ela, e a glória do SENHOR enchia o tabernáculo. Quando, pois, a nuvem se levantava de sobre o tabernáculo, então, os filhos de Israel caminhavam em todas as suas jornadas. Se a nuvem, porém, não se levantava, não caminhavam até ao dia em que ela se levantava; porquanto a nuvem do SENHOR estava de dia sobre o tabernáculo, e o fogo estava de noite sobre ele, perante os olhos de toda a casa de Israel, em todas as suas jornadas (Êxodo, 40.34-38).

O tabernáculo ou a tenda da congregação, era o lugar onde se manifestava a glória de Deus. Esta tenda sagrada servia de referencial para toda nação de Israel. A nuvem da glória ficava parada sobre o tabernáculo, quando a nuvem andava, Moisés ordenava aos levitas que desarmassem o tabernáculo e junto com todo o povo seguiam a direção da nuvem. Onde a nuvem parasse, o povo acampava e o tabernáculo era montado no meio do acampamento. Esta nuvem acompanhou o povo durante toda a peregrinação no deserto em direção a terra prometida.

AS PEÇAS DO TABERNÁCULO E OS SEUS SIGNIFICADOS SIMBÓLICOS:

O escritor aos hebreus nos diz: Porque um tabernáculo estava preparado, o primeiro, em que havia o candeeiro, e a mesa, e os pães da proposição; ao que se chama o Santuário. Mas, depois do segundo véu estava o tabernáculo que se chama o Santo dos Santos, que tinha o incensário de ouro e a arca do concerto, coberta de ouro toda em redor, em que estava um vaso de ouro, que continha o maná, e a vara de Arão, que tinha florescido, e as tábuas do concerto; e sobre a arca, os querubins da glória, que faziam sombra no propiciatório; das quais coisas não falaremos agora particularmente (Hb.9.2-5).

O ALTAR DO HOLOCAUSTO (Êxodo, 27.1-8).

Simboliza a cruz do calvário, lugar onde Cristo foi crucificado.

A PIA DE BRONZE OU O LAVATÓRIO (Êxodo, 30.17-21).

Representa a purificação e o início da santificação.

A MESA DOS PÃES (Êxodo, 25.23-30).

A mesa de madeira representa a natureza humana de Cristo e os pães simboliza Cristo "o pão da vida".

O CANDELABRO (Êxodo, 25.31-40).

Representa Cristo como "a luz do mundo".

O ALTAR DO INCENSO (Êxodo, 30.1-10).

Representa a intercessão de Cristo na glória.

A ARCA DA ALIANÇA (Êxodo, 25.10-16).

Simboliza a justiça e a presença de Deus.

O PROPICIATÓRIO (Êxodo, 17-22).

Representa a misericórdia de Deus.
Lugar onde era derramado o sangue do sacrifício e Deus aceitava como cheiro suave e se fazia propício em perdoar toda nação de Israel.

* Todas estas peças eram uma alegoria e representavam uma realidade futura daquele que haveria de vir, Jesus Cristo.

TABERNÁCULO - Sombra, alegoria, figura.
JESUS CRISTO - Realidade. Sacerdote eterno.

MATERIAIS USADOS NA CONFECÇÃO DAS PEÇAS DO TABERNÁCULO:

LINHO.
Representa a pureza de Cristo.

MADEIRA.
Representa a natureza humana de Cristo.

OURO.
Representa a Realeza e a Divindade de Cristo

PRATA.
Representa redenção do homem efetuada por Cristo na cruz.

BRONZE.
Representa a natureza pecaminosa e caída da humanidade.

CONCLUSÃO:
Diante do tudo isso, nós aprendemos e passamos a entender o quanto Deus nos ama. Deus sempre se importou e se preocupou com a humanidade. A maior prova do amor de Deus foi enviar o seu Filho unigênito, Jesus Cristo, para salvar e redimir a humanidade de todos os seus pecados. A gora estamos vivendo a realidade de tudo que era apenas sombra, Jesus Cristo veio como cordeiro de Deus e morreu para nos perdoar; o pecado foi removido e o véu do templo foi rasgado de alto a baixo, abrindo assim o caminho da nossa adoração e comunhão direta com Deus Pai. Glória a Deus!

sexta-feira, 31 de maio de 2019

JESUS CRISTO, O PÃO DA VIDA.

E Jesus lhes disse: Eu sou o pão da vida; aquele que vem a mim não terá fome; e quem crê em mim nunca terá sede (João, 6.35).

O pão é o alimento mais antigo do mundo, segundo fontes de informações o pão foi produzido pela primeira vez na Mesopotâmia, há 6.000 anos.
O processo de fermentação foi uma técnica desenvolvida pelos egípcios por volta de 4000 a.C., dando ao pão o aspecto pelo qual o conhecemos hoje. Por ser um produto extremamente necessário à alimentação, ele foi usado durante muitos séculos também como moeda. Há registros de que os faraós o utilizavam como meio de pagamento para serviços realizados. Ao longo dos séculos foram aperfeiçoados os métodos de fabricação do pão, hoje nós temos variedades de pães em formatos e sabores diferenciados. O termo "pão" aparece pela primeira vez na bíblia em Gênesis, 3.19. Porém, o pão aparece pela primeira vez quando Melquisedeque, rei de Salém, que era sacerdote, veio ao encontro de Abraão trazendo pão e vinho (Gn.14.18).

JESUS REPRESENTA TRÊS TIPOS DE PÃES PARA IGREJA:

Na bíblia, o pão asmo (sem fermento), representa Cristo; isto nos fala da sua pureza e santidade (Ex.12.15; I Co.5,7,8). 

ELE É O PÃO QUE SATISFAZ A NOSSA FOME (Jo.6.35).

ELE É O PÃO QUE NOS GARANTE A VIDA ETERNA (Jo.6.51).

ELE É O PÃO DA NOSSA REDENÇÃO (Mt.26.26).

QUAL O SIGNIFICADO ESPIRITUAL DO PÃO NA NOSSA VIDA?

Jesus falou do pão se referindo a sua pessoa em uma linguagem simbólica, dando a entender que Ele é o alimento necessário que mata a nossa fome e nos dá sustento espiritual. Assim como o nosso pão cotidiano é necessário para manter o nosso corpo alimentado e saudável; da mesma forma, Cristo deve ser o nosso pão diário para manter a nossa vida espiritual saudável e bem alimentada. Cristo como o pão da vida, é o alimento essencial para saciar a fome do homem. A insatisfação humana, a sua fome e sede espiritual, só serão saciados com o Pão da vida, que é Jesus. O pão é o alimento necessário para o sustento do nosso corpo. Cristo é o pão que nos alimenta e sacia a nossa insatisfação espiritual. A humanidade anda insatisfeita a procura de satisfazer a sua fome e sede espiritual, muitos recorrem a fontes falsas, que procuram saciar, mas não resolvem. Cristo é a única fonte real capaz de satisfazer e saciar a fome espiritual do homem. Não viva insatisfeito, experimente JESUS, o Pão vivo que desceu do céu para lhe dar vida. Somente em JESUS você poderá viver satisfeito (a) e encontrar o seu prazer Nele. Amém!

domingo, 26 de maio de 2019

O TRÁGICO FIM DE JEZABEL.

Em seguida Jeú partiu para Jezreel. Assim que Jezabel tomou conhecimento disso, pintou os olhos, fez um penteado e ficou observando de uma janela do palácio. Quando Jeú passava pelo portão, ela gritou: “Está em paz, Zinri, assassino do seu próprio senhor?” Ele ergueu os olhos em direção à janela e bradou: “Quem dentre vós está do meu lado? Há alguém?” Dois ou três eunucos se inclinaram para ele. Então ordenou ele: “Lançai-a abaixo!” E eles, imediatamente, a atiraram para baixo; seu sangue salpicou a parede e os cavalos, que a pisotearam. A seguir, entrou Jeú e, depois de ter comido e bebido, ordenou: “Ide ver aquela maldita e dai-lhe sepultura, pois é filha de rei”. Quando chegaram para sepultá-la, só encontraram o crânio, os pés e as mãos. Voltaram para contar isso a Jeú, que declarou: “Esta é a palavra que o SENHOR falou por meio do seu servo Elias, o tesbita: ‘No campo de Jezreel, os cães devorarão a carne de Jezabel; e os seus restos mortais serão espalhados em um terreno em Jezreel, como esterco no campo, de modo que ninguém será capaz de identificar: Esta é Jezabel (II Reis, 9.30-37).

Jezabel, foi uma princesa fenícia casada com Acabe, rei de Israel. O significado do nome Jezabel é "Baal exalta" ou "Baal é marido de" ou "impuro".
Jezabel era filha do rei dos Sidónios Etbaal (1 Reis 16:31 diz que ela era "Sidoniana", que é um termo bíblico para os fenícios em geral)[ tendo o seu casamento com Acabe sido o resultado de uma aliança que tinha como objetivo fortalecer as relações políticas entre Israel e a Fenícia. Teve com o rei Acabe, três filhos e portava-se como uma verdadeira mãe e dona de casa. 
Como esposa do rei de Israel, ela tornou-se dominadora do reino, ao que Acabe se mostrou frouxo e impotente, deixando-se dominar pela mulher de forte personalidade feminina.
Jezabel era sacerdotisa dominadora e potencialmente religiosa e se denominava porta-voz de deus. Isso a categorizava como profetisa (Ap.2.20).
Ao contrair matrimônio com o Rei de Israel, ela passou a ditar as ordens de acordo com o que acreditava ser a verdade. Como mística, ela passou a ser considerada sacerdotisa e profetisa de Baal.
Sua influência religiosa cresceu a níveis incontroláveis, superando os próprios rabinos e sacerdotes, submetendo-os a suas ordens. Israel passou a ser um reino teocrático e Jezabel cresceu politicamente e ordenava sobre o clero sacerdotal, obrigando os próprios sacerdotes israelitas a cultuar a Baal.
Suprimindo os rituais mosaicos, Jezabel passou a cultuar Baal de forma ostensiva e dominadora, sacrificando crianças em nome da santidade e inocência. Sua atuação mística superava as expectativas dos Israelitas que aceitavam tudo de forma normal.
Jezabel continuou a adorar os deuses fenícios, mas não se limitou a isso, pois combateu o Deus de Israel e perseguiu todos os seus seguidores. Os sacerdotes e profetas israelitas foram eliminados ou então tiveram que se exilar no deserto devido à perseguição promovida pela rainha.
Recorreu ao dinheiro do tesouro público, para sustentar os 450 profetas do deus Baal e os 400 profetas da deusa Azera (deusa fenícia da fertilidade). Mandou construir um templo dedicado a Baal, o seu próprio marido consentiu e sentiu-se atraído pelo culto destes deuses, renegando a fé no SENHOR.
Um profeta até então desconhecido pelo seu nome verdadeiro surgiu confrontando-se com os ensinamentos de Jezabel. Sua mensagem era o que passou a ser o seu próprio nome: "Elias", que quer dizer: Javé é Deus! A mensagem do profeta desconhecido passou a contrastar religiosamente e provocou terror entre os rabinos e sacerdotes que passaram a exigir dele uma prova contundente em forma de "sinal" de comprovação de sua autenticidade. Era necessário que Elias provasse o seu chamado por Deus, bem como a verdade sobre a sua mensagem.
A resistência local contra esta política religiosa foi encabeçada pelo profeta Elias. Numa espécie de desafio religioso levado ao Monte Carmelo, Elias derrotou todos os profetas de Baal e de Azera, que morreram, pretendendo desta forma provar para toda a nação de Israel que só o SENHOR é Deus. Jezabel foi desmascarada e desacreditada publicamente. Quando Jezabel soube disto ficou furiosa, pretendendo mandar matar Elias, que teve fugir para o reino de Judá.
A "poderosa" Jezabel foi derrotada, o culto a Baal foi abolido e o rei Acabe foi morto na guerra contra os siros. Mas, mesmo assim, ela não se arrependeu e continuou com as suas idolatrias e sua arrogância de mulher dominadora.
Com Deus não se brinca, de Deus não se zomba. O seu fim foi trágico.
Um comandante chamado Jeú liderou uma revolta contra a família real, na qual matou o filho de Jezabel, Jorão. Quando Jezabel soube da revolta pintou os olhos e adornou a cabeça, desafiando Jeú da janela do palácio. Este ordenou aos eunucos da rainha que a atirassem da janela. Jezabel morreu, tendo o seu sangue atingido as paredes e os cavalos. Uns cães que por ali passavam devoraram o corpo da rainha, exatamente como Elias profetizou. Depois de ter feito uma refeição no palácio, Jeú ordenou que Jezabel fosse sepultada, dado que se tratava da filha de um rei. De acordo com o Segundo Livro de Reis, os servos do palácio apenas encontraram o crânio e os ossos dos pés e as mãos da rainha.
Por causa desta perversa rainha, o nome "Jezabel" encontra-se associado na cultura popular a uma mulher sedutora e sem escrúpulos.

OS RESTOS MORTAIS DE JEZABEL:

Quando chegaram para sepultá-la, só encontraram o crânio, os pés e as mãos. Voltaram para contar isso a Jeú, que declarou: Esta é a palavra que o SENHOR falou por meio do seu servo Elias, o tisbita: No campo de Jezreel, os cães devorarão a carne de Jezabel; e os restos mortais serão espalhados em um terreno em Jezreel, como esterco no campo, de modo que ninguém será capaz de identificar: Está é Jezabel (II Reis, 9.35-37).

O CRÂNIO.
O crânio tem haver com a cabeça, onde funciona o cérebro que origina os pensamentos que se transformam em ações. Os pensamentos e ações de Jezabel não eram bons, mas maliciosos e cheios de maldades. Foi através da sua mente maldosa e dominadora, que Jezabel instituiu a idolatria e o culto a Baal na nação de Israel.

OS PÉS.
Os pés nos serve de condução, tanto para bem como para o mal. Os pés de Jezabel estava a serviço da maldade, com os seus pés ela correu para oprimir, perseguir e mandar matar a todos os que se opunham contra a sua doutrina.

AS MÃOS.
As mãos podem serem usadas para bênçãos como para maldições. As mãos de Jezabel foram usadas como instrumento de maldição. As suas mãos eram manchadas de sangue, pelas mortes de homens piedosos que ela mandou executar.

CONCLUSÃO:
Este é o fim dos que desprezam ao SENHOR e seguem o caminho da maldade, tornando-se agente do Diabo para promover o pecado. Os cães devoraram a carne de Jezabel, mas deixaram o crânio, os pés e as mãos. Isto nos leva a uma reflexão, de que devemos usar o nosso crânio (inteligência), os nossos pés, e as nossas mãos para o bem, para glória de Deus e crescimento do seu Reino. Amém!

domingo, 19 de maio de 2019

A SOMBRA DE PEDRO CURAVA?

E a multidão dos que criam no Senhor, tanto homens como mulheres, crescia cada vez mais, de sorte que transportavam os enfermos para as ruas e os punham em leitos e em camilhas, para que ao menos a sombra de Pedro, quando este passasse, cobrisse alguns deles (Atos, 5.14,15).

Este texto tem sido bastante discutido entre alguns exegetas, há os que interpretam este texto afirmando que a sombra de Pedro verdadeiramente curava. Há uma outra linha de interpretação que afirma e assegura que a sombra de Pedro não curava. Entre as duas linhas de interpretações, é mais coerente dizer que o texto não declara de forma explícita que a sombra de Pedro curava. Todavia, não temos dúvidas que seria possível, visto que o próprio Jesus disse: Na verdade, na verdade vos digo que aquele que crê em mim também fará as obras que eu faço e as fará maiores do estas, porque eu vou para o meu Pai (João, 14.12). Porém, não devemos forçar o texto e tirar as nossas próprias conclusões, pois a própria bíblia diz que não podemos ir além do que está escrito. Paulo diz: ... para que, em nós, aprendais a não ir além do que está escrito, não vos ensoberbecendo a favor de um contra outro (I Co.4.6). Onde a bíblia não fala, devemos também nos calar. Portanto, está claro que, em momento algum o texto afirma que a sombra de Pedro curava. Leiamos com atenção o que diz o texto: Transportavam os enfermos para as ruas e os punham em leitos e em camilhas, para que ao menos a sombra de Pedro, quando este passasse, cobrisse alguns deles. Observe, que não está dito que a sombra de Pedro curava. Todavia, Pedro foi um apóstolo grandemente usado por Deus em curas e milagres extraordinários.

sábado, 18 de maio de 2019

CURIOSIDADES NO LIVRO DE ATOS.

Atos é o único livro do Novo Testamento que descreve os primeiros acontecimentos da igreja cristã. Os evangelhos focalizam a história de Jesus até a sua ascensão. As epístolas e Apocalipse são dirigidos a igrejas já formadas; mas o livro de Atos associa aquilo que Jesus ensinou e começou a fazer durante o seu ministério. Sem o livro de Atos, seria impossível saber de onde e como essas igrejas surgiram. Este livro, portanto, preenche a lacuna entre os evangelhos e o restante dos livros do Novo Testamento. A narrativa de Atos é singular no sentido de que o escritor Lucas enfatiza o caráter inclusivo da comunidade dos seguidores de Cristo.

* Você sabia que o título "Atos dos apóstolos" não foi dado pelo escritor Lucas, que este título foi sugerido pelos pais da igreja por volta do segundo século depois de Cristo?

* Você sabia que no livro de Atos está registrado que os discípulos receberam pela primeira vez o nome de cristãos? Leia: Atos, 11.26.

* Você sabia que Lucas esteve com Paulo durante as suas viagens missionárias, e que ficou com ele até próximo da sua morte? Leia: Atos, 16.10,13,16; 20.5,6; 21.1,4,7; II Tm.4.11.

* Você sabia que Filipe é o único homem na bíblia que é chamado de evangelista, e isto está registrado no livro de Atos? Leia: Atos, 21.8.

* Você sabia que as últimas instruções de Jesus estão relatadas no livro de Atos? Leia: Atos, 1.4-11.

* Você sabia que só o livro de Atos detalha a morte de Judas? Leia: Atos, 1.16-20.

* Você sabia que havia representantes de 16 nações em Jerusalém no dia de pentecostes, quando aconteceu a descida do Espírito Santo? Leia: Atos, 2.5,9-11.

* Você sabia que a expressão, "de repente" aparece por três vezes no livro de Atos? Leia: Atos, 2.2; 16.26; 22.6.

* Você sabia que Paulo tinha dupla cidadania e que o escritor Lucas passou a chama-lo de Paulo (seu nome romano), a partir da sua primeira viagem missionária? Leia: Atos, 13.9; 22.25-29.

* Você sabia que o livro de Atos se divide em duas partes?
Do capítulo 1 ao 12, Lucas relata a história da igreja em Jerusalém, tendo Pedro e João como protagonistas.
Do capítulo 13 ao 28, Lucas relata a história do evangelho sendo pregado por Paulo aos gentios.

* Você sabia que a igreja primitiva era totalmente conduzida pelo Espírito Santo? Leia: Atos, 13.2; 15.28; 16.6,7; 20.22,23.

* Você sabia que as expressões: Espírito, Espírito do Senhor, Espírito de Jesus e Espírito Santo aparecem 52 vezes no livro de Atos?

* Você percebeu que no começo do livro Lucas faz referência ao Espírito Santo, e "termina" citando o Espírito Santo? Leia: Atos, 1.2; 28.25.

* Você sabia que o escritor Lucas não terminou o seu segundo tratado (o livro de atos), porque a história da igreja ainda continua?

CONCLUSÃO:
Há muitas outras curiosidades que você poderá encontrar no livro de Atos, todavia, dentro das minhas limitações encontrei algumas que poderão somar para o nosso conhecimento.