quinta-feira, 1 de novembro de 2018

EFATÁ!

E Jesus, tornando a sair dos territórios de Tiro e de Sidom, foi até ao mar da Galiléia, pelos confins de Decápolis. E trouxeram-lhe um surdo, que falava dificilmente, e rogaram-lhe que impusesse as mãos sobre ele. E, tirando-o à parte de entre a multidão, pôs-lhe os dedos nos ouvidos e, cuspindo, tocou-lhe na língua. E, levantando os olhos ao céu, suspirou e disse: Efatá! Isto é: Abre-te! E logo se lhe abriram os ouvidos e a prisão da língua se desfez, e falava perfeitamente (Marcos, 7.31-35).

Este milagre operado por Jesus de forma inusitada, é narrado apenas no evangelho de Marcos. O evangelista Marcos nos informa que, Jesus saiu dos territórios de Tiro e de Sidom, foi até o mar da Galiléia e chegou no extremo de Decápolis, região de Gadara, onde Ele havia libertado um homem possesso de espíritos imundos. Estando Ele naquela região, trouxeram-lhe um homem surdo, que falava com dificuldade, ou seja, um surdo gago. Geralmente quem tem problemas auditivo não consegue falar perfeitamente. Provavelmente, a deficiência deste homem era de nascença. Este homem teve uma oportunidade ímpar; levaram ele até Jesus e rogaram (pediram por favor) a Jesus que impusesse as mãos sobre ele. Jesus atende aos penitentes, tira o surdo gago do meio da multidão, o leva a um lugar reservado e opera o milagre da cura.

AÇÕES DE JESUS EM RELAÇÃO AO SURDO GAGO:

* Tirando-o à parte.

Geralmente os milagres de Jesus aconteciam em publico, mas, desta vez, ele inova, faz algo diferente. As vezes a multidão atrapalha a ação de Deus. Jesus não precisa de mídia, nem dos aplausos da multidão, a sua intenção não era fazer espetáculo para se promover e se tornar famoso. Jesus usa de misericórdia e leva o homem surdo e gago a um lugar reservado, em particular. Muitas vezes Deus agi no silêncio, e na intimidade do nosso ser Ele fala conosco e nos abençoa com sua graça.

* Pôs-lhe os dedos nos ouvidos.

Este homem além de surdo poderia não ser mudo, mas era gago, como diz o evangelista: “trouxeram-lhe um surdo, que falava dificilmente.” A pessoa fala o que ouve. Pelo fato de não ouvir bem, não podia falar bem, não se comunicava bem. Sua língua estava amarrada. Então o homem que levaram a Jesus era “um surdo e gago”.  Esta ação de Jesus revela que Ele agi de formas diferentes, para operar curas e milagres. A graça de Deus é multiforme, ela sempre nos surpreende. Os evangelhos revelam que Jesus operava milagres usando formas variadas, Ele nunca o fazia de forma metódica, nem lógica, mas operava de maneira surpreendente.

* Cuspiu, Tocou-lhe na língua.

Marcos nos diz que Jesus usou sua própria saliva para tocar a língua do mudo. Em outra ocasião, Marcos nos informa que Jesus mais uma vez usou sua própria saliva para a cura de um cego: E chegou em Betsaida; e trouxeram-lhe um cego e rogaram-lhe que lhe tocasse. E, tomando o cego pela mão, levou-o para fora da aldeia; e, cuspindo-lhe nos olhos e impondo-lhe as mãos, perguntou-lhe se via alguma coisa (Mc.8.22,23). No evangelho de João, esse ato de Jesus também se repete: Tendo dito isso, cuspiu na terra, e, com a saliva, fez lodo, e untou com lodo os olhos do cego (Jo.9.6). 
Em três ocasiões Jesus usou sua própria saliva para efetuar a cura. Diante destes fatos, poderíamos perguntar: Qual o significado da saliva de Jesus quando são lidos os textos da cura do surdo ou do cego? Havia, no tempo de Jesus a crença de que a saliva tivesse propriedades terapêuticas com poder de cura. No contexto da sociedade atual é considerado um ato  agressivo e diríamos, até nojento, à mentalidade atual. Quando a Bíblia diz que Jesus cuspindo tocou a língua do mudo, ou cuspiu nos olhos do cego; parece algo nojento. Todavia a saliva do Filho de Deus não é igual a nossa, mas é cheia de virtude e tem poder para curar.

* Levanta os olhos ao céu e Suspira.

Interessante, é perceber que, antes de curar o surdo-mudo, Jesus “olha para o céu e suspira”. Ao levantar os olhos ao céu, Jesus demonstra a sua total dependência e harmonia com o Pai. No suspiro de Jesus há um gesto de indignação diante da situação em que se encontram tantas pessoas marginalizadas, sem voz e sem vez na sociedade.

* Fala: Efatá!

Jesus exclama: "Efatá!" Ele usa uma expressão aramaica que significa, abre-te.
Encontramos o efeito da palavra efatá em várias situações nas Sagradas Escrituras, no caso de Lídia: E uma certa mulher, chamada Lídia, vendedora de púrpura, da cidade de Tiatira, e que servia a Deus, nos ouvia, e o Senhor lhe abriu o coração para que estivesse atenta ao que Paulo dizia (Atos, 16.14). No livro dos salmos está escrito: “Abre, Senhor, os meus lábios, e a minha boca entoará o teu louvor” (Salmos, 51.15). O profeta Isaías diz: O Senhor JEOVÁ me abriu os ouvidos, e eu não fui rebelde; não me retiro para trás (Isaías, 50.5).
Depois que Jesus ordenou: “Abre-te!” Os ouvidos do homem se abriram e sua língua se soltou, e ele começou a falar sem dificuldade. Com isso Marcos, esclarece a ação poderosa de Jesus. Jesus não é um mágico ilusionista, mas sua palavra tem poder para libertar e reintegrar as pessoas ao convívio social.

Conclusão:
Jesus é especialista em abrir o que está fechado. Além de Ele ter a chave que abre todas as portas, Ele também tem a palavra de poder: "Efatá". Seja qual for o seu problema, Jesus tem a palavra de ordem, efatá, abre-te, e todas as portas irão se abrir para você. Se o problema é portas fechadas, efatá. Se é enfermidades, efatá. Se é de ordem financeira, efatá. Se for de origem espiritual, efatá.
Jesus vai te levar para um lugar em secreto, sem que ninguém veja, e na intimidade ele vai liberar a sua graça para lhe abençoar. O que estiver fechado vai se abrir. Efatá!

Nenhum comentário:

Postar um comentário