terça-feira, 24 de abril de 2018

VENTOS DE DOUTRINAS.


.... Para que não sejamos mais meninos inconstantes, levados em roda por todo vento de doutrina, pelo engano dos homens que, com astúcia, enganam fraudulosamente. Antes, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo (Efésios, 4.14,15).

Paulo instrui os irmãos da igreja em Éfeso para que sejam maduros na fé e cresçam no conhecimento da verdade. Caso contrário, eles seriam como meninos inconstantes (sem segurança), levados por todo vento de doutrina. Na tradução King James atualizada, diz: O objetivo é que não sejamos mais como crianças, levados de um lado para o outro pelas ondas teológicas, nem jogados para cá e para lá por todo vento de doutrina e pela malícia de certas pessoas que induzem os incautos ao erro (Ef,4.14). São chamada de vento de doutrina, porque são modismo doutrinário que vem e vão. São heresias camufladas de "verdade" que se apresentam aos cristãos como se fossem remédio, quando na verdade, são veneno. A verdade é que estamos vivendo uma época de muitos modismos e inovações, e muitas ondas teológicas que não tem nenhum respaldo bíblico. Apesar de vivermos em uma época de informação imediata, muitos cristãos ainda são enganados por falta de conhecimento da palavra de Deus e maturidade espiritual. São meninos na fé.

O fato é que a falta de maturidade cristã, tem levado muitos cristãos a viver uma fé infantilizada. É triste o fato de que muitos cristãos têm suas vidas direcionadas por modismo e inovações que fogem dos princípios bíblicos. A pregação e o ensino bíblico, tornou-se insuficiente para muitos. Não são poucos os que vivem correndo em busca de "profetas" (adivinhos), que com sua percepção aguçada falam exatamente o que eles querem ouvir. Vivendo assim em um círculo vicioso e permanecendo como meninos inconstantes levados por todo vento de doutrina. Quando a verdadeira fé vem pelo ouvir, conhecer e praticar a palavra de Deus (Romanos, 10.17). As falsas doutrinas se apresentam com aparência de coisas boas, mas na realidade é bem diferente do que aparentam. 

Portanto, fuja das manobras religiosas, cheias de animações e facilidades, prometendo bênçãos e prosperidade, quando na realidade é uma falácia, um engano, uma falsa doutrina. Que possamos seguir as orientações do apóstolo Paulo, e do escritor aos hebreus, que diz: Não vos deixeis levar em redor por doutrinas várias e estranhas, porque bom é que o coração se fortifique com graça e não com manjares, que de nada aproveitaram aos que a eles se entregaram (Hebreus, 13.9). Amém!

sábado, 21 de abril de 2018

A SÍNDROME DOS DESIGREJADOS.

Não deixemos de congregar, como é costume de alguns; antes, admoestamo-nos uns aos outros, tanto mais quanto vedes que vai se aproximando aquele dia (Hebreus 10.25).
Porque vale mais um dia nos teus átrios do que, em outra parte, mil. Preferiria estar à porta da Casa do meu Deus, do que habitar nas tendas da impiedade (Salmos 84.10).

Esta síndrome é um fenômeno que vem acontecendo há décadas, e infelizmente ainda hoje prevalece.
É possível que no primeiro século da era cristã, já havia pessoas que tinham esse costume de não congregar. 
A igreja foi instituída por Deus, e é propriedade exclusiva de Jesus. A igreja funciona como uma agencia de Deus na terra, para propagação do evangelho. Quando nós, os cristãos congregamos, nos reunimos para adorar, aprender e fortalecer a nossa fé. Congregar também implica em ter comunhão, e esta comunhão está relacionada a Deus e aos irmãos. Um cristão não deve viver alienado, sem congregar, sem fazer parte diretamente de uma comunidade cristã.
O problema de relacionamento e um dos motivos que muitos "cristãos" deixam de congregar. 
Muitas pessoas tem um pensamento anti-social, não congregam, não ofertam e preferem viver sem pastor. Querem viver isolados e afirmam ser igreja. Em nenhum momento a bíblia diz que eu sou igreja. A bíblia diz que nós somos igreja, nós fazemos parte da igreja. Paulo trata a igreja como um corpo e um dedo não se considera corpo nem vive sem a comunhão dos outros membros. Leia, I Coríntios, 12.12-31. 
Portanto, não deixe de congregar. Não deixe essa síndrome ou qualquer outra forma de comportamento anti bíblico afastar você da congregação dos Santos. Ponha as indiferenças de lado e seja cheio do Espírito Santo de Deus. Amém! 

segunda-feira, 16 de abril de 2018

NÃO OFERECEREI AO SENHOR SACRIFÍCIO QUE NÃO ME CUSTE NADA.

E Gade veio naquele mesmo dia, a Davi e disse: Sobe, levanta ao SENHOR um altar na eira de Araúna, o jebuseu. Davi subiu conforme a palavra de Gade, como o SENHOR lhe tinha ordenado. E olhou Araúna e viu que vinha para ele o rei e os seus servos; saiu, pois, Araúna, e inclinou-se diante do rei com o rosto em terra. E disse Araúna: Por que vem o rei meu senhor, ao seu servo? E disse Davi: Para comprar de ti esta eira, a fim de edificar nela um altar ao SENHOR, para que este castigo cesse de sobre o povo. Então, disse Araúna a Davi: Tome e ofereça o rei, meu senhor, o que bem parecer aos seus olhos, eis ai bois para o holocausto, e os trilhos, e o aparelho dos bois para lenha. Tudo isso deu Araúna ao rei; disse mais Araúna ao rei: O SENHOR, teu Deus, tome prazer em ti. Porém o rei disse a Araúna: Não, porém por certo preço to comprarei, porque não oferecerei ao SENHOR meu Deus, holocausto que me não custem nada. Assim, Davi comprou a eira e os bois por cinquenta siclos de prata (II Samuel, 24.18-24).

Sem pedir a direção de Deus, Davi decidiu fazer um censo e mandou contar todos os habitantes do reino de Israel. Ao que parece, Davi não confiou em Deus para multiplicar seu povo, mas quis saber o número exato de homens a fim de se orgulhar de seu poder. Em outras palavras, Davi passou a confiar mais em seu exército do que na proteção de Deus.
A questão da motivação é o ponto mais importante do relato, porque levantar o censo não era propriamente um pecado em si. Na verdade, o livro de números relata que Deus instruiu Moisés a fazer um censo (Nm.1.2,3; 26.2).

Davi reconheceu seu pecado e implorou o perdão de Deus (II Samuel, 24.10). Deus respondeu enviando o profeta Gade para comunicar a punição. Desse modo, Deus ofereceu a Davi três opções de escolha: Sete anos de fome, três meses de ataques inimigos, ou três dias de pestes na nação (II Sm.12,13). Davi analisou é optou pela terceira. Então Deus enviou uma praga que matou setenta mil pessoas (II Sm.24.15,16). Para aplacar a ira de Deus era necessário oferecer um sacrifício para fazer cessar a praga. De modo que, o profeta Gade, trouxe uma mensagem a Davi instruindo o rei a construir um altar na eira de Araúna, o jebuseu (II Sm.24.18).
Davi obedeceu e foi a Araúna, e ele o recebeu de bom grado. Araúna estava disposto a entregar sua eira a Davi como presente, porém Davi se recusou em receber e insistiu em comprá-la. Neste momento Davi foi motivado a pronunciar uma das mais belas frases do texto sagrado: Não oferecerei ao SENHOR meu Deus, holocausto que não me custe nada. Depois que Davi ofereceu o sacrifício, a ira do SENHOR cessou (II Sm.24.25).

Davi pecou como qualquer homem, e teve as suas falhas, mas ele tinha uma devoção sincera a Deus, e um respeito muito grande as coisas sagradas. Isso fazia a diferença.
Davi se preocupava em oferecer o melhor para Deus.
Esta atitude de Davi, serve de exemplo para todos os servos do SENHOR, pois tal como fez Davi, devemos oferecer o melhor do nosso sacrifício para Deus. A parti do nosso corpo, devemos oferecer a Deus o melhor de tudo que temos e somos. Paulo entendendo este princípio de vida, diz aos irmãos de Roma: Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis o vosso corpo em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional (Romanos, 12.1).
O problema é que muitos cristãos querem o melhor de Deus, mas não querem dá o melhor para Deus.
Davi era rei, mas não deixou o rei (ego) dominar seu coração. Ele continuou sendo crente devoto ao SENHOR. Muitos hoje, começam com humildade, trilhando o caminho da oração, mas depois de serem abençoados, sendo prósperos em seus estudos, formaturas e posição social, tornam-se crentes frios e alheios a obra de Deus. Não tem prazer em ofertar, quando ofertam o fazem como uma obrigação, e não com prazer e devoção. Muitos oferecem o resto para Deus. O resto da sua vida. O resto dos seus talentos. O resto das sua finanças. O resto do seu tempo para prestar culto a Deus. Enfim, buscar em primeiro lugar o Reino de Deus, como Jesus ensinou, não é prioridade na vida de muitos cristãos. A bem da verdade, muitos estão se tornando crentes materialistas e se preocupam mais em buscar e pensar nas coisas da terra do que nas do céu. Que possamos repetir e praticar junto com Davi, em dizer: Não oferecerei ao SENHOR meu Deus, holocausto que não me custe nada. Amém!

domingo, 15 de abril de 2018

O REINO, O PODER E A GLÓRIA.

... Porque teu é o Reino, e o Poder, e a Glória, para sempre. Amém! (Mateus, 6.13).

Jesus ensinando os seus discípulos a orar, ele termina a oração declarando três coisas que pertencem única e exclusivamente a Deus: O Reino, o Poder e a Glória. Nesta declaração, Jesus deixou claro que o total domínio, autoridade e soberania pertencem unicamente a Deus. Ninguém pode reinar acima de Deus, pois Ele é o SENHOR. ninguém tem poder igual a Deus, pois Ele é a fonte do poder. Os homens tem força, só Deus é poder. Ninguém poderá ter, nem tomar a glória de Deus para si, pois a sua soberania é única. Ele declarou: Eu sou o SENHOR; este é o meu nome; a minha glória, pois, a outrem não darei, nem o meu louvor, às imagens de esculturas (Isaías, 42.8). Todos que intentaram tomar a glória de Deus para si, foram abatidos.

O REINO.

Reino, fala de domínio, quem reina está no controle, e domina sobre todos, e quem tem total domínio sobre tudo é DEUS. Ele é o Soberano dos reis da terra. Ele está entronizado e reina acima de todos os reinos dos homens. Ele é o Senhor e Dominador de todas as nações. Ele está no controle de tudo. Ele está no começo, no meio e no fim da história. A sua palavra nos diz: O SENHOR reina; tremam as nações. Ele está entronizado entre os querubins; comova-se a terra (Salmos, 99.1).

O PODER.

Poder é o que todos querem e lutam para obter. Na verdade, o mundo gira em torno do poder. O homem na sua vaidade, ele quer ter poder, ele busca destaque, ele quer ser o centro das atenções e gosta de ser ovacionado e aplaudido por todos. Porém, está escrito que o poder pertence a Deus. Uma coisa disse Deus, duas vezes a ouvi; que o poder pertence a Deus (Salmos, 62.11). Ele é a fonte, Ele é o próprio Poder. Há uma frase que diz: "No mundo tudo é força, só Deus é poder".

A GLÓRIA.

Glória fala de supremacia, de grandeza e soberania. Neste sentido, a glória pertence exclusivamente a Deus. Os homens podem até ter glória, mas a glória dos homens é efêmera, limitada e terrena. Porém, a glória de Deus, é permanente, ilimitada e eterna.
Ninguém pode tomar a glória de Deus para si. A sua glória Ele não dá a ninguém.
Eu sou o SENHOR; este é o meu nome; a minha glória, pois, a outrem não darei, nem o meu louvor, às imagens de esculturas (Isaías, 42.8).
Quando o rei Nabucodonosor intentou tomar a glória de Deus para si, ele foi abatido e humilhado. Passou a viver como animal, até que reconheceu a soberania de Deus (Daniel, 4.29-37).
O rei Herodes, vestiu as vestes real, assentou-se no seu trono e fez um discurso para o povo. Herodes era idolatrado e reverenciado pelo povo, como se fosse deus. Enquanto ele falava o povo exclamava: É a voz de um deus e não de um homem que nos fala. Ele aceitou e tomou para si esta glória, e como consequência, foi ferido pelo anjo e em seguida comido pelos bichos.
Diz o texto sagrado: Herodes estava tomado de ira contra o povo de Tiro e Sidom; todavia, eles haviam promovido uma reunião e buscavam uma maneira de serem recebidos em audiência por ele. Havendo conquistado o apoio de Blasto, homem de confiança do rei, pediram paz, pois dependiam das terras do rei para obter o alimento de suas famílias. Assim, no dia marcado, Herodes, vestindo trajes majestosos, assentou-se no seu trono e proclamou um discurso ao povo. Então, a multidão começou a gritar: “Eis que é um deus e não um simples mortal que nos fala!” Mas, considerando que Herodes não ofereceu glória a Deus, no mesmo instante um anjo do Senhor o feriu, e ele morreu comido de vermes (Atos, 12.20-23).
Portanto, ninguém se atreva a tomar a glória de Deus para si, a glória é exclusivamente Dele.
A Deus seja a glória, a honra, o louvor e adoração. Para todo sempre. Amém! 

quinta-feira, 12 de abril de 2018

SEXTA FEIRA 13, REALIDADE OU SUPERSTIÇÃO?

E estando Paulo no meio do Areópago, disse: Varões atenienses, em tudo vos vejo um tanto supersticiosos; porque, passando eu e vendo os vossos santuários, achei também um altar em que estava escrito: AO DEUS DESCONHECIDO. Esse, pois, que vós honrais não o conhecendo é o que eu vos anuncio (Atos, 17.22,23). 

Sexta feira 13, conhecida por muitos como o dia do azar. Temido pelas pessoas que são supersticiosas. O termo Superstição do latim é superstitĭo, a superstição é uma crença que é contrária à razão e alheia à fé religiosa. O supersticioso crê que certos fenômenos têm uma explicação mágica ou mística. Eles dizem que as superstições aparecem como explicação para muitos fatos que desconhecemos. A superstição é um mito que vem desde os tempos remotos, os povos antigos já tinham suas crendices em fatos relacionados ao mundo invisível. Paulo em Atenas, percebeu que os cidadãos atenienses eram supersticiosos, e baseado na sua crença, ele pregou a sua mensagem. 

Quando ouvimos a palavra Sexta-feira 13 já ficamos logo assustados e lembramos de todas as velhas superstições que englobam gatos pretos, espelhos quebrados, não passar por debaixo das escadas e muitos outros que nos permite acreditar que tragam azar, mas isso são apenas superstições, que nossa cultura adotou com o passar dos séculos.

Para os místicos este dia está associado a evolução de todo ser e também é um dos dias mais poderosos, pois o número 13 somado é igual a 4 ( 1+3=4 ) e o número 4 significa o tudo existente, os quatro elementos, água, fogo, terra e ar. A sexta-feira 13 para os romanos, na antiguidade, era o dia dedicado ao deus da guerra; não tinha nada de azarento. Com o passar do tempo, alguns acontecimentos dados nesta época marcaram este dia. Transformando a Sexta-feira 13 em um dia temido por muitas pessoas. Uma lenda europeia diz que na Sexta-feira 13 “as bruxas estão a solta”.

Acreditem se quiser, mas as superstições e o azar estão ligados a acomodação e a falta de fé, uma maneira de encontrarmos culpados para nossos insucessos ou fracassos, muitas das vezes resultantes de nossa própria falta de fé, cuidado e esforço. Quando nós não conseguimos o que queremos, colocamos a culpa logo no "AZAR", mas quando tudo passa a dá certo, aí dizemos que somos “SORTUDOS”.

A superstição é derivada da nossa falta de fé e conhecimento da palavra de Deus, mas quando nos tornamos maduros na fé e no conhecimento, nossa forma de pensamento muda completamente. 

As Superstições muitas vezes é uma forma das pessoas encontrarem desculpas para os seus erros e fracassos. Por exemplo: Quando um gato preto atravessa nosso caminho logo pensamos que teremos um dia inteiro de azar; há quem diga que você terá a real certeza de “azar” se você o chutar. Quando quebramos um espelho acidentalmente morremos de pavor achando que teremos 7 anos de azar. Ao passarmos por debaixo de uma escada também pensamos que nosso dia será desastroso, cheio de azar. Quando passamos por uma encruzilhada e nos deparamos com um despacho, sentimos receio e passamos de largo, temendo ser atingido pelo mal. 

A ligação ao número 13 deve-se ao fato de que foi numa sexta-feira que Cristo foi crucificado, após a última ceia onde estiveram presentes 13 pessoas, Cristo e os 12 apóstolos, sendo traído por Judas, que se enforcou também numa sexta-feira. As pessoas que evitam a influência do número 13 a todo o preço são consideradas triscaidecofóbicos. Por causa da superstição, o número 13 tem sido extinto em muitos andares de edifícios e repartições. E se você nunca pensou bem nisto, olhe à sua volta e veja quantos prédios de hotéis não contam com o décimo terceiro andar ou com o quarto número treze. E também você nunca sentiu a falta da tecla F13 do seu computador?

Todavia, tudo isto é superstição, e está relacionada a falta de fé em Deus e conhecimento da sua palavra. A palavra de Deus nos diz: Toda ferramenta preparada conta ti não prosperará; e toda a língua que se levantar contra ti em juízo, tu a condenarás; esta é a herança dos servos do SENHOR e a sua justiça que vem de mim, diz o SENHOR (Isaías, 54.17). O verdadeiro cristão não é supersticioso, porque a sua fé está fundamentada na palavra de Deus, e ele não teme a sexta feira treze, nem acredita que a sua vida está azarada por causa de fatos ocorridos em sua vida, por causa de olho gordo ou trabalho de macumba. Porque está escrito: Pois contra Jacó não vale encantamento, nem adivinhação contra Israel ... (Números, 23.23). Muito pelo contrário, Deus é o nosso escudo, defesa e proteção. Está escrito: Aquele que habita no esconderijo do Altíssimo, à sombra do Onipotente descansará. Direi do SENHOR: Ele é o meu Deus, o meu refúgio, a minha fortaleza e nele confiarei (Salmos, 91.1,2). Assim podemos declarar, todos os dias, inclusive na sexta feira treze: Nenhum mal me sucederá, nem praga alguma chegará na minha casa, porque Grandes coisas fez o SENHOR por nós, e, por isso, estamos alegres (Salmos, 126.3). Amém! 

domingo, 8 de abril de 2018

FORTIFICA TEUS MUROS.


Agora, pois, reúne as tuas tropas, ó cidade das tropas; e fortifica teus muros, ó cidade murada; porquanto já há um cerco contra nós ... (Miqueias, 5.1).

Nesta ocasião o profeta Miqueias avisa aos moradores de Jerusalém, capital do reino de Judá, cujo rei era Ezequias, sobre o cerco de Senaqueribe rei da Assíria. Os assírios eram orgulhosos e imaginavam ser superiores a Deus. Naquela época, as batalhas não eram consideradas apenas combates humanos, mas também lutas entre os deuses das nações. Deus permitiu vitória aos assírios sobre Samaria (Is.10.6), e com isso o rei da Assíria acreditou que poderia atacar e vencer quem bem quisesse (Is.10.7). O rei da Assíria se gabava do seu poder militar e da quantidade de territórios conquistados (Is.10.8,9,14). Presume ser mais forte do que o Deus de Jerusalém e imagina que ninguém poderá resistir o seu exército (Is.10.10,11). Além disso, vangloria-se da sua força física, sabedoria e inteligência (Is.10.13). Ao falar de si mesmo como valente e "poderoso" eleva-se quase ao mesmo nível de Deus. Mas a sua soberba e orgulho excessivo o levou a derrota.

Um muro geralmente serve de proteção contra possíveis ataques do inimigo. No passado, as cidades eram muradas e vigiada pelas atalaias que ficavam de prontidão para avisar quando as tropas inimigas viessem atacar. Fortificar o nosso muro espiritual é algo que se faz necessário. Devemos ficar alerta e vigiando para não sermos surpreendidos pelos ataques do inimigo. Neemias quando recebeu permissão do rei Artaxerxes para ir a Jerusalém, que estava destruída, a sua primeira preocupação foi edificar os muros, para impedir possíveis ataques dos inimigos da obra. A exemplo de Neemias, a nossa geração precisa fortalecer os muros e tapa as brechas. 

TRÊS FORMAS DE FORTIFICAR O NOSSO MURO ESPIRITUAL.

ATRAVÉS DA ORAÇÃO E VIGILÂNCIA.
Orando em todo o tempo com toda oração e súplica no Espírito e vigiando nisso com toda perseverança e súplica por todos os santos (Efésios, 6.18).

ATRAVÉS DA MEDITAÇÃO E PRATICA DA PALAVRA DE DEUS.
Oh! Quanto amo a tua lei! É a minha meditação em todo o dia! (Salmos, 119.97).
Escondi a tua palavra no meu coração, para eu não pecar contra ti (Salmos, 119.11).

ATRAVÉS DA SANTIFICAÇÃO E UMA VIDA IRREPREENSÍVEL.
Mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver. Porquanto está escrito: Sede santos, porque eu sou santo (I Pedro, 1.15,16).

Se os nossos muros forem fracos, estaremos vulneráveis aos ataques do inimigo, e consequentemente seremos derrotados. Há uma frase de um pensador que diz: “ Quando o inimigo conhece as tuas fraquezas, deves fortalecer os teus muros” (Kabral Araujo). Como cristãos, devemos estar vigilantes para que nada rompa as nossas defesas espirituais. Mesmo que seja o cristão mais maduro, nunca pode se permitir baixar sua guarda.

sábado, 7 de abril de 2018

O FIM DO IMPÉRIO DA MORTE.

E, visto como os filhos participam da carne e do sangue, também Ele (Jesus) participou das mesmas coisas, para que pela morte, aniquilasse o que tinha o império da morte, isto é, o diabo, e livrasse todos os que, com medo da morte, estavam por toda a vida sujeitos à servidão (Hebreus, 2.14,15).

O império da morte começou desde que nossos primeiros pais pecaram. Esse império teve a sua origem na desobediência de Adão e Eva. Ele veio dominando durante muitas eras, e tornou-se um poderoso império mundial. A bíblia chama esse império de O IMPÉRIO DA MORTE, e seu governante é Satanás. A vinda do Reino de Deus é o começo da destruição do domínio de satanás. Satanás tinha o império da morte, ele dominava e escravizava as pessoas. Desde a queda de Adão, Satanás passou a dominar, oprimir e escravizar o ser humano. Todos nós estávamos dominados por causa do pecado. Portanto, assim como por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens, por isso que todos pecaram (Romanos, 5.12). Mas Jesus Cristo veio para nos libertar do jugo de Satanás e soltar as cadeias da escravidão. Todos nós éramos prisioneiros e escravos da vontade desse império. 

Ninguém no universo tinha o poder de aniquilar esse império e a sua força, somente Deus através do seu filho Jesus Cristo poderia vencer este mal que afligia toda a humanidade. Este mal seria vencido de uma forma sobrenatural. Jesus nasceu de uma virgem, viveu entre nós e morreu por nossos pecados na cruz do calvário, mas não permaneceu morto, Ele ressuscitou e vivo estar para sempre. Somente com a sua morte e ressurreição o império da morte poderia ter fim. Ninguém nunca havia vencido a morte, todos que foram por ela tragados e permaneceram inertes nas suas covas, mas não foi assim com Jesus; a morte não pode segurá-lo, Ele ressuscitou ao terceiro dia.
O melhor de tudo isso é que com a sua morte e ressurreição Jesus quebrou o poder do império da morte, sobre a vida daqueles que o aceitam como seu único e suficiente salvador.


Paulo proclama a nossa vitória sobre a morte, dizendo: E, quando isto que é corruptível se revestir da incorruptibilidade, e isto que é mortal se revestir da imortalidade, então, cumpri-se-a a palavra que está escrita: Tragada foi a morte na vitória. Onde está ó morte, o teu aguilhão? Onde está, ó inferno, a tua vitória? Ora, o aguilhão da morte é o pecado, e a força do pecado é a lei. Mas graças a Deus que nos dá a vitória por nosso Senhor Jesus Cristo (I Coríntios, 15.54-57).

Definitivamente, o império da morte teve fim, Jesus venceu o mundo, o pecado, a morte e Satanás. Você agora pode escolher ser livre, aceitando a Jesus Cristo como seu único e suficiente Senhor e Salvador. Ele vai lhe tirar do império das trevas e lhe transportar para o Reino da luz do seu amor. Faça isto agora! Saia da morte e venha para vida que JESUS. 

sexta-feira, 6 de abril de 2018

SAIA DE CIMA DO MURO.

Então, Elias se chegou a todo o povo e disse: Até quando coxeareis entre dois pensamentos? Se o SENHOR é Deus, segui-o; e, se Baal, segui-o. Porém o povo lhe não respondeu nada (I Reis, 18.21).

A nação de Israel estava vivendo uma fase de grande decadência espiritual. O povo estava totalmente entregue a idolatria, ainda assim queriam servir a Deus e a Baal ao mesmo tempo. Diante deste quadro, Elias desafia a nação com uma pergunta dizendo: Até quando coxeareis entre dois pensamentos? Se o SENHOR é Deus, segui-o; e, se Baal, segui-o. Porém o povo lhe não respondeu nada.
É triste saber que em pleno século XXI, há muitos cristãos em cima do muro. Quem fica em cima do muro demonstra que está indeciso, incerto e sem convicção de fé. A grande tragédia que pode acontecer com quem fica em cima do muro, é que a qualquer momento pode cair.
Ficar em cima do muro significa não ter certeza do que quer, nem convicção de fé.
Jesus foi claro em dizer: Ninguém pode servir a dois senhores (Mateus, 6.24). O problema é que muitos "cristãos", preferem viver uma vida dupla, servindo a Deus e o mundo ao mesmo tempo, se é que isto é possível. Muitos não querem renunciar totalmente o pecado, e ainda assim querem justificar o seu erro dizendo: Deus conhece meu coração. Querem usar a graça como um indulto para pecar. Todavia Deus não aceita nem o Espírito Santo aprova, quem fica em cima do muro. Jesus disse: Eu sei as tuas obras, que nem és frio nem quente. Tomara que foras frio ou quente. Assim, porque és morno e não és frio nem quente, vomitar-te-ei da minha boca (Ap.3.15,16).

Em outra ocasião, Josué o sucessor de Moisés, disse ao povo: Agora, pois, temei ao SENHOR, e servi-o com sinceridade e com verdade, e deitai fora os deuses aos quais serviram vossos pais dalém do rio e no Egito, e servi ao SENHOR. Porém, se vos parece mal aos vossos olhos servir ao SENHOR, escolhei hoje a quem sirvais; se os deuses a quem serviram vossos pais, que estava dalém do rio, ou os deuses dos amorreus, em cuja terra habitais; porém eu e a minha casa serviremos ao SENHOR (Josué, 24.14,15).
Deus espera que decidamos a quem queremos de fato servir, não é possível ficar em cima do muro, temos que tomar uma decisão definitiva: Ou sirvamos a Deus com sinceridade e com verdade; ou sirvamos ao Diabo, a carne, ao mundo e seus prazeres.
Nós cristãos, devemos levar a sério o nosso compromisso com Deus. Porque muitos preferem curtir a vida no pecado, não querem compromisso com Deus e vivem brincando de ser crente. Preferem se contentar com as migalhas que o mundo oferece, do que ter um relacionamento sério com Deus.
Mergulhe fundo em um relacionamento sério com Deus, saia de cima do muro, e viva uma vida de santidade e responsabilidade cristã. Todos nós seremos cobrados por nossas atitudes diante de Deus.
Não seja um crente nominal, mas seja um cristão de verdade. Amém!

domingo, 18 de março de 2018

VIVENDO PELA FÉ.

Mas o justo viverá da fé; e, se ele recuar, a minha alma não tem prazer nele (Hb.10.38).

Viver pela fé se constitui um princípio de vida para o justo. Viver pela fé implica em viver uma vida de renuncias e total devoção a Deus. Viver por vista e acreditar naquilo que se ver e é palpável pode ser fácil; mas viver por fé é crer naquilo que não se ver, acreditando no invisível é uma tarefa difícil.  Como está escrito: Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam e a prova das coisas que se não vêem (Hb.11.1). Viver pela fé é chegar ao último recurso de uma situação, quando todos os meios possíveis e possibilidades se esgotam, ainda assim acreditar na providência de Deus. Dizer que tem fé é fácil, muitos dizem, mas os que vivem verdadeiramente pela fé, são poucos. Temos no capítulo 11 da carta aos hebreus, uma lista de nomes de homens e mulheres de fé que viveram pela fé e deram testemunhos acerca da mesma. Um homem que vive pela fé, ele faz a diferença em sua geração. Todos os homens e mulheres de Deus, que vivem pela fé estão fadados ao sucesso.

SETE PRINCÍPIOS QUE CARACTERIZAM UM CRENTE QUE VIVE PELA FÉ:

1. VIVE PARA AGRADAR A DEUS.

Pela fé, Enoque foi trasladado para não ver a morte e não foi achado, porque Deus o trasladara, visto como, antes da sua trasladação, alcançou testemunho de que agradara a Deus (Hb.11.5).

2. ANDA EM OBEDIÊNCIA.

Pela fé, Abraão, sendo chamado, obedeceu, indo para um lugar que havia de receber por herança; e saiu, sem saber para onde ia (Hb.11.8).

3. ANDA POR FÉ, NÃO POR VISTA.

Porque andamos por fé e não por vista (II Co.5.7).
E disse o SENHOR a Abraão, depois que Ló se apartou dele: Levanta, agora, os teus olhos e olha desde o lugar onde estás, para a banda do norte, e do sul, e do oriente, e do ocidente; porque toda esta terra que vês te hei de dar a ti a à tua semente, para sempre (Gn.13.14,15).

4. AJUDA OS FRACOS NA FÉ.

Mas nós que somos fortes devemos suportar as fraquezas dos fracos e não agradar a nós mesmos (Rm.15.1). Ora, quanto ao que está enfermo na fé, recebei-o, não em contendas sobre dúvidas (Rm.14.1).

5. ACREDITA NA PROVIDÊNCIA DE DEUS.

Porquanto, ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide; o produto da oliveira minta, e os campos não produzam mantimento; as ovelhas da malhada sejam arrebatadas, e nos currais não haja vacas, todavia, eu me alegrarei no SENHOR, exultarei no Deus da minha salvação (Hc.3.17,18).

6. FALA COM CONFIANÇA PALAVRAS DE FÉ.

Dentre aqueles que espiaram a terra, Josué, filho de Num, e Calebe, filho de Jefoné, rasgaram imediatamente suas vestes e exclamaram perante toda a comunidade dos israelitas ali reunida: “A terra que em missão fomos averiguar é muito boa; um lugar excelente! Se o SENHOR nos é propício, Ele nos fará entrar nessa terra e pessoalmente a dará a nós. É, de fato, uma terra da qual emana leite e mel. Tão somente não vos rebeleis contra o SENHOR. Não tenhais medo do povo daquela terra, pois os devoraremos como um bocado de pão. Sua sombra protetora lhes foi retirada, ao passo que o SENHOR está conosco. Portanto, não tenhais qualquer receio deles!” (Números, 14.6-9). 

7. SÃO OUSADOS E DESTEMIDOS NO SENHOR.

Quantos exemplos mais darei? Infelizmente não disponho de tempo para falar sobre a devoção de Gideão, Baraque, Sansão, Jefté, Davi, Samuel e os profetas, os quais, por intermédio da fé, conquistaram reinos, praticaram a justiça, receberam o cumprimento de promessas, fecharam a boca de leões, extinguiram a violência do fogo, foram libertos do fio da espada; da fraqueza tiraram força, tornaram-se poderosos nas batalhas e puseram em retirada exércitos estrangeiros. Algumas mulheres receberam por meio da ressurreição os seus mortos de volta à vida. Uns foram martirizados e não negociaram seu livramento, a fim de poderem conquistar uma ressurreição ainda mais excelente; muitos enfrentaram zombarias e torturas, outros ainda foram acorrentados e jogados aos cárceres; apedrejados, serrados ao meio, tentados, mortos ao fio da espada. Andaram sem rumo, vestidos de pele de ovelhas e de cabras, necessitados, angustiados e maltratados. Caminharam como refugiados, vagando pelos desertos e montes, pelas cavernas e buracos na terra. Pessoas das quais o mundo não foi digno! (Hebreus, 11.32-38).

sexta-feira, 16 de março de 2018

A VOZ DE DEUS

E ouviram a voz do SENHOR Deus, que passeava no jardim pela viração do dia ... 
E chamou o SENHOR Deus a Adão e disse-lhe: Onde estás? (Gênesis, 3.8,9).

Antes do pecado entrar no mundo, o homem gozava de perfeita comunhão com Deus. Deus falava com Adão e Eva no Jardim do Édem, havia uma harmônia perfeita nesta relação, mas a desobediência do homem rompeu o relacionamento com Deus. Após haver pecado, Adão perde a comunhão com Deus e procura fugir para tentar esconder-se da sua presença. Deus não encontrou Adão no lugar de sempre, e mesmo sabendo onde ele estava, Deus faz ecoar a sua voz e pergunta: Onde estás? 
Deus deseja sempre falar com o homem e também ouvi-lo, mas o pecado impede esse relacionamento. O grande problema da humanidade é desprezar a palavra de Deus e não procurar ouvir a voz de Deus.  
No mundo há muitas vozes e todas expressam algo que podem causar influência, seja negativa ou positiva, boa ou má. Existem poderes e cada um tem sua voz: A voz política, a voz econômica, a voz social, a voz da justiça, a voz comunista, a voz capitalista, a voz filosófica, a voz religiosa, a voz do homem e a voz de Deus.
Dentre todas as vozes que possam existir no mundo, a voz de Deus é a melhor, a mais eficaz e a mais poderosa de todas. Entre as muitas vozes que ecoam no mundo, uma única voz nos basta: A voz de Deus.

SETE EXPRESSÕES DA VOZ DE DEUS NO SALMO 29:

A voz do SENHOR ouve-se sobre as águas; o Deus da glória troveja. 
O SENHOR está sobre as muitas águas.

A voz do SENHOR  é poderosa.
Ele levantou a sua voz e a terra se derreteu (Salmos, 46.6).

A voz do SENHOR é cheia de majestade.

A voz do SENHOR quebra os cedros. 
O SENHOR quebra os cedros do Líbano.

A voz do SENHOR separa as labaredas do fogo.

A voz do SENHOR faz tremer o deserto. 
O SENHOR faz tremer o deserto de Cades.

A voz do SENHOR faz tremer as corças e desnuda os carvalhos nas florestas.

CONCLUSÃO:
Muitas vezes levamos uma vida tão corrida que não temos tempo de parar para ouvir a voz de Deus. Muitas vezes damos ouvidos a tantas vozes, mas uma só nos basta: A voz de Deus. As vezes precisamos ficar em silêncio para ouvir a voz de Deus. Ele nos fala de várias maneiras; muitas vezes Ele está está falando e nós não percebemos. 
Entendemos que, a questão não é simplesmente ouvir a voz de Deus, mas dar ouvidos a sua voz e obedece-lo. 

terça-feira, 6 de março de 2018

ANDANDO NA CONTRAMÃO DO MUNDO.

E não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus (Romanos, 12.2).

Paulo faz um apelo aos irmãos romanos dizendo: Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis o vosso corpo em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. E não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus (Romanos, 12.1,2).
Na época de Paulo os romanos viviam de forma desregrada, o pecado imperava sobre eles, não havia temor a Deus, e pecar era o grande prazer dos romanos. Em contrapartida, Paulo pede aos irmãos romanos através de rogos que eles sejam diferentes e apresentem seus corpos para Deus como uma oferta de sacrifício vivo, santo e agradável a Ele; que é o culto da razão, da inteligência espiritual. Em seguida, Paulo enfatiza dizendo para os cristãos não se conformarem com o sistema do mundo pecaminoso, mas se transformar através de um entendimento renovado e passar a experimentar a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.
No contexto do mundo atual não é diferente, devemos seguir as recomendações de Paulo em não se conformar com este mundo, mas apresentar os nossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, e prestar o nosso culto a Deus de forma racional (inteligente).
Andar na contramão do mundo é ser diferente do mundo.
O grande problema é que muitos que se dizem cristãos estão vivendo de conformidade com o sistema do mundo e aceitando os padrões antiéticos e antibíblicos impostos pelo mundo pós-moderno.
Muitos não conseguem andar na contramão do mundo porque já aceitaram e se conformaram com o sistema pecaminoso do mundo. Andar na contramão do mundo requer uma vida de renúncias, santidade e comunhão com Deus.
No regulamento da lei de transito, andar na contramão poderá haver uma colisão com outros veículos e consequentemente gerar mortes; isto se constitui uma infração gravíssima. No sentido espiritual andar na contramão do mundo é chocar-se com os conceitos antibíblicos impostos pelo sistema do mundo e não aceitar os seus padrões. Isto é louvável para Deus e gera vida.
Um cristão conformado com o mundo é um crente fracassado que está vivendo em cima do muro, querendo agradar a Deus e ao mundo. Há uma frase que diz: "Muitos entraram no Evangelho, mas o Evangelho não entrou neles". "O povo saiu do Egito, mas o Egito não saiu do povo".
O verdadeiro cristão não vive conformado com este mundo, mas ele anda na contramão do mundo.
A igreja foi chamada para influenciar o mundo, não o mundo influenciar a igreja.
Que possamos viver para agradar a Deus e não ao mundo, porque quem agrada ao mundo se constitui inimigo de Deus (Tiago, 4.4). Portanto, sejamos amigos de Deus e vivamos para sua glória. Amém!

sábado, 24 de fevereiro de 2018

OS QUE CREREM FARÃO OBRAS MAIORES QUE JESUS?

Na verdade, na verdade vos digo que aquele que crê em mim também fará as obras que eu faço e as fará maiores do que estas, porque eu vou para o meu Pai (João, 14.12).

Esta declaração de Jesus tem causado muitas divergências para os expositores da bíblia.
Que obras são estas? Por que Jesus falou isto? E você crê?
Na verdade, as obras que Jesus falou não foi simplesmente em relação a pregação e salvação de almas, e sim os milagres de curas e libertação em geral. Esta afirmativa está explícita no próprio texto, basta examina-lo por completo. Quando Jesus está dando as últimas instruções aos seus discípulos, Ele é interrompido pela pergunta de Tomé, que diz: Senhor, nós não sabemos para onde vais e como poderemos saber o caminho? (João.14.5). E em seguida Filipe diz: Senhor, mostra-nos o Pai, o que nos basta (João.14.8). Jesus responde a Filipe: Estou a tanto tempo convosco, e não me tendes conhecido, Filipe? Quem me vê a mim vê o Pai; e como dizes tu: Mostra-nos o Pai? Não crês tu que eu estou no Pai e que o Pai está em mim? As palavras que eu vos digo, não as digo de mim mesmo, mas o Pai, que está em mim, é quem faz as obras. Crede-me que estou no Pai, e o Pai, em mim; crede-me, ao menos, por causa das mesmas obras. Na verdade, na verdade vos digo que aquele que crê em mim também fará as obras que eu faço e as fará maiores do que estas, porque eu vou para o meu Pai (João, 14. 8-12). Fica entendido que as obras que Jesus fala neste texto, envolve as obras em geral realizadas durante o seu ministério. É uma questão de fé, Ele deixou bem claro ao dizer: Aquele que crê. Em outra ocasião Ele disse: E estes sinais seguirão aos que crerem: Em meu nome, expulsarão demônios; falarão novas línguas; pegarão nas serpentes; e se, beberem alguma coisa mortífera, não lhe fará dano algum; e imporão as mãos sobre os enfermos e os curarão (Marcos, 16.17,18). Jesus quer usar pelo poder do Espírito Santo, a sua igreja, o seu povo, aquele que crê e obedece a sua palavra. Jesus fez, está fazendo e fará obras maiores, porque Ele é o mesmo, ontem, hoje e eternamente (Hebreus, 13.8). O Cristo ressurreto se apresenta com mais poder que o Jesus encarnado, e fará maiores obras por meio dos crentes submissos a Ele. Amém!

quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

DEZ RAZÕES PARA LER E ESTUDAR A BÍBLIA.

A Bíblia é a palavra de Deus, por isso devemos a ler, estuda-la, respeita-la, ama-la e pratica-la. A palavra de Deus é uma fonte inesgotável que dessedenta a nossa sede espiritual e fortalece a nossa alma. Ela é uma mina de ricos tesouros, mais preciosa que a prata e mais rica que o ouro. Ela deve ser o nosso livro de cabeceira, o nosso pão diário e a nossa meditação todos os dias. Nela há razões de sobra para quem busca ler e estuda-la. Dentre as muitas razões, queremos citar apenas dez, que estão contidas no livro dos Salmos 119.

1. ELA NOS PURIFICA.
Como purificará o jovem o seu caminho? Observando-o conforme a tua palavra (Sl.119.9).

2. ELA NOS PROTEGE DE PECAR.
Escondi a tua palavra no meu coração, para eu não pecar contra ti (Sl.119.11).

3. ELA É LUZ PARA NOSSO CAMINHO.
Lâmpada para os meus pés é tua palavra, e luz para o meu caminho (Sl.119.105).

4. ELA NOS DÁ ENTENDIMENTO.
A exposição das tuas palavras dá luz e dá entendimento aos símplices (Sl.119.130).

5. ELA NOS PROPORCIONA ALEGRIA.
Folgo com a tua palavra, como aquele que acha um grande despojo (Sl.119.162).

6. ELA É A DOÇURA ESPIRITUAL DO NOSSO PALADAR.
Oh! Quão doces são as tuas palavras ao meu paladar! Mais doces do que o mel à minha boca (Sl.119.103).

7. ELA FIRMA OS NOSSOS PASSOS.
Firma os meus passos na tua palavra, e não se apodere de mim iniquidade alguma (Sl.119.133).

8. ELA NOS PROPORCIONA PAZ.
Muita paz têm os que amam a tua lei, e para eles não há tropeço (Sl.119.165).

9. ELA É PURA.
A tua palavra é muito pura; por isso, o teu servo a ama (Sl.119.140).

10. ELA É A VERDADE.
A tua palavra é a verdade desde o princípio, e cada um dos teus juízos dura para sempre (Sl.119.160).

domingo, 18 de fevereiro de 2018

DESCRIÇÃO PROFÉTICA DA UNIÃO ENTRE CRISTO E A IGREJA NO SALMO 45.

Este salmo nos revela de forma poética, profética e didática a união entre Cristo e a igreja. Neste salmo vamos perceber que o escritor revela o sublime caráter de Cristo e as suas atribuições em relação a noiva. Este salmo é descrito como um cântico de amor, um romance espiritual entre Cristo e a igreja. Este salmo é ímpar em sua descrição poética entre Cristo e a igreja. Este não é um canto de casamento de núpcias terrestres, mas sim um casamento do Noivo celeste e a sua esposa eleita.
Este salmo adorna a beleza ímpar do Messias; a partir de Sl. 45.2-9, são dirigidas a Ele atribuições admiradoras de louvor. Os versículos 10-12 são palavras faladas à noiva. Fala-se ainda sobre a noiva, que representa a igreja, nos versos 13-15, e o salmo termina falando do Rei, predizendo a sua fama e louvor eterno, 45.16,17.

AS QUALIDADES DE CRISTO REVELADAS NESTE SALMO.

* FORMOSO.
Tu és mais formoso do que os filhos dos homens ... Vers.2

* GRACIOSO.
A graça se derramou nos teus lábios; por isso Deus te abençoou para sempre. Vers.2

* VALENTE.
Cinge a tua espada à coxa, ó valente ... Vers.3

* MAJESTOSO.
... Com a tua glória e a tua majestade. Vers.3

* GUERREIRO.
E neste teu esplendor cavalga prosperamente pela causa da verdade, da mansidão e da justiça ...
As tuas flechas são agudas no coração dos inimigos do rei, e por elas os povos caíram debaixo de ti (Vers..4,5).

* REI.
O teu trono é eterno, ó Deus, é eterno e perpétuo; o cetro do teu Reino é um cetro de equidade (Vers.6).

* UNGIDO.
Tu amas a justiça e aborreces a impiedade; por isso, Deus, o teu Deus, te ungiu com óleo de alegria, mais do que a teus companheiros (Vers.7).

QUALIFICAÇÕES ATRIBUÍDAS A IGREJA NOS VERSÍCULOS, 9-15.

* NOIVA.

* PRINCESA.

* FORMOSA.

* ILUSTRE.

CONCLUSÃO:
Neste salmo, Cristo é o deleite do Pai. Ele é o tema da igreja e a glória dos céus. Cristo é apresentado como o mais sublime e incomparável entre os filhos dos homens. Ele é o ungido de Deus, o Rei que ama e pratica a justiça, cujo cetro do seu Reino é de justiça e equidade. A sua noiva, a igreja, é destacada como uma princesa formosa e ilustre, a mais bela e aplausível de todas.
Toda mensagem profética deste salmo, terá o seu pleno cumprimento na eternidade, quando a noiva se unir a Cristo eternamente após o seu encontro com Ele, por ocasião do arrebatamento da igreja.

quinta-feira, 15 de fevereiro de 2018

QUEM SÃO AS DUAS TESTEMUNHAS?

E darei poder às minhas duas testemunhas, e profetizarão por mil duzentos e sessenta dias, vestidas de pano de saco. Estas são as duas oliveiras e os dois castiçais que estão diante do Deus da terra (Ap.11.3,4).

Muitos acreditam e ensinam que essas duas testemunhas que aparecerá no período da grande tribulação, são Moisés e Elias, pelo fato de terem aparecido juntos com Jesus no monte da transfiguração (Mt.17.1-6). Um outro argumento é porque eles ordenaram no passado as mesmas pragas que acontecerão na grande tribulação. Todavia, não podemos crer nem aceitar que um deles seja Moisés, mesmo que Moisés tenha feito os mesmos sinais no Egito e tenha aparecido junto de Jesus na sua transfiguração. Pelo simples fato, Moisés morreu (Deut.34.7,8). Em apocalipse, 11.7 está escrito que as duas testemunhas serão mortas. Portanto Moisés não poderia nascer e morrer duas vezes. A palavra de Deus nos diz: E, como aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo, depois disso, o juízo (Hb.9.27).

UMA RESPOSTA À LUZ DA BÍBLIA.

Em Apocalipse, 11.4. O anjo diz a João que as duas testemunhas são as duas oliveiras e os dois castiçais que estão diante do trono de Deus. Em referência a essas duas oliveiras, o profeta Zacarias em sua quinta visão ele vê duas oliveiras (Zc.4.3,4) e pergunta ao anjo: Quem são as duas oliveiras à direita do castiçal e à sua esquerda? Então, ele disse: Estes são os dois ungidos, que estão diante do Senhor de toda a terra (Zc.4.11-14).
Elias e Enoque foram os únicos homens que não morreram, mas foram arrebatados ao céu vivos. Leia: Gênesis, 5.24; Hebreus, 11.5 e II Reis, 2.11. Eles que estão diante de Deus sem terem experimentado a morte, irão voltar à terra como testemunhas do Senhor para falar aos homens, no período da grande tribulação. Depois de haverem cumprido a missão, serão mortos para em seguida ressuscitarem e subirem ao céu (Ap.11.7-12).
Portanto, fica subentendido que as duas testemunhas do Apocalipse serão Elias e Enoque. 

quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

DEUS OU MAMOM.

Ninguém pode servir a dois senhores, porque ou há de odiar um e amar o outro ou se dedicará a um e desprezará o outro. Não podeis servir a Deus e a Mamom (Mateus, 6.24).

Mamom não é um deus propriamente dito, Mamom é um termo hebraico que significa riquezas, bens materiais. Portanto, o termo do hebraico, "Mamom" significa até hoje apenas dinheiro ou riquezas. Mamom não é nenhum ídolo antigo, ao menos segundo diversas fontes históricas judaicas consultadas, mas sim apenas uma representação das riquezas.
Porém, o que Jesus deixou claro é que, quando nós amamos o dinheiro e passamos a ser dominados por ele, logo ele passa a ser nosso deus. Passamos a ser escravos ou servos daquilo que nos domina. Logo se formos escravos das riquezas, "Mamom" passa a ser o nosso deus.
Tem pessoas que dizem: "O meu deus é o meu dinheiro". Essas pessoas que pensam assim, estão descartando Deus como seu Senhor e adotando o dinheiro como seu senhor. Se você ama o dinheiro e prioriza ele acima de tudo em sua vida, consequentemente ele passa a ser o seu deus. O problema é que tem pessoas que querem servir a Deus e a Mamom (riquezas) ao mesmo tempo. Jesus falou que isto não é possível.
Atualmente, no mundo materialista em que vivemos, é possível que tenha mais pessoas servindo a Mamom do que a Deus. É lamentável que seja assim, mas é fato. Dinheiro é bom, não há nada de errado em possui-lo, o problema e ama-lo e deixa-se dominar por ele.
O amor ao dinheiro. 
Porque o amor ao dinheiro é a raiz de toda espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé e se transpassaram a si mesmos com muitas dores (I Tm.6.10).
Paulo não diz ser o dinheiro a raiz de todos os males, mas sim o amor a ele.
Infelizmente, há muitos cristãos sendo dominados pelo dinheiro, priorizam o dinheiro e as coisas materiais ao invés de buscarem em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça (Mateus, 6.33).
Afinal de contas, a quem você está servindo, a Deus ou a Mamom?

terça-feira, 13 de fevereiro de 2018

O PODER CURADOR DA PALAVRA.

Enviou a sua palavra e os sarou, e os livrou da sua destruição (Salmos, 107.20).

Esta é uma palavra profética que se cumpriu em Jesus, pois Ele é a palavra viva. Jesus é o Verbo de Deus enviado para curar a humanidade enferma na alma e também no corpo. Jesus veio como o Verbo de Deus para curar, libertar e livrar da morte eterna a humanidade pobre e desvalida. A luz da bíblia nós vamos perceber que, a palavra verdadeiramente é o próprio Jesus. Assim está escrito: No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do Unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade (João, 1.1,14). No livro dos salmos está escrito: Para sempre, ó SENHOR, a tua palavra permanece no céu (Sl.119.89). Glória a Deus por Ele ter enviado a sua palavra (Jesus Cristo), para nos curar e nos salvar, nos livrando da morte eterna, nos trazendo libertação e salvação. Ainda sobre a palavra de Deus enviada, o profeta Isaías nos diz: Verdadeiramente, Ele tomou sobre si as nossas enfermidades e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputamos por aflito, ferido de Deus e oprimido. Mas Ele foi ferido pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre Ele, e, pelas suas pisaduras, fomos sarados (Is.53.4,5). Jesus, a palavra de Deus enviada, tem poder para curar a alma do homem enferma pelo pecado e liberta-lo de todos os males, trazendo salvação e vida eterna.
Se você acredita que Jesus Cristo é a palavra de Deus enviada para salvar a humanidade, entregue-se a Ele e permita que Ele lhe cure e livre-o da morte eterna, salvando a sua alma. Amém!

terça-feira, 6 de fevereiro de 2018

INVERSÃO DE VALORES.

Ai dos que ao mal chamam bem e ao bem chamam mal! Que fazem da escuridade luz, e da luz, escuridade, e fazem do amargo doce, e do doce, amargo! (Isaías, 5:20).

Vivemos em uma sociedade liberal, de valores invertidos, que despreza os princípios bíblicos e vivem na prática da inversão de valores. A verdade é que a inversão de valores é uma prática antiga, desde os tempos remotos a sociedade vem desprezando os bons costumes e se desfazendo dos princípios éticos e morais que elevam o caráter do homem. Na atualidade, mais do que nunca, estamos vendo de um modo em geral a inversão de valores sendo praticada e propagada pela mídia em todos os seguimentos da sociedade. O grande problema é que as pessoas querem viver a sua própria "verdade" e realidade de vida. Muitos preferem viver ao seu bem-prazer, da maneira que lhe é conveniente. Eles pregam que o homem é um produto do meio, e que cada um vive a sua realidade. Como se as regras, as leis e os bons princípios que regem a sociedade não tivessem valor algum.
O fato é que estamos vivendo uma época de total inversão de valores, onde o certo passa a ser o errado e o errado o certo. Onde o errado e aclamado como certo, onde os transgressores, os corruptos e os ladrões são aplaudidos como os espertalhões da sociedade; onde a ideologia de gênero é aceita por muitos como uma opção de vida, e que deve ser respeitada pela sociedade. Querem empurrar isso goela a baixo para sociedade, sem medir as consequências dos males que podem causar para sociedade de um modo geral.
Eles estão misturando o sagrado com o profano e dizendo que não há diferença. Este é o retrato de uma sociedade perversa, doentia e sem temor (respeito) a Deus.
A verdade é que estamos vendo uma sociedade pluralista, pragmática e alienada de Deus.
Estamos em crise de bons costumes e referenciais, de bons paradigmas em quem possamos nos espelhar e termos como bons modelos e exemplos a serem seguidos.
O apóstolo Paulo aconselhando o jovem pastor Timóteo, o seu filho na fé, diz: Conserva o modelo das sãs palavras que de mim tens ouvido, na fé e na caridade que há em Cristo Jesus (II Tm.1.13).
Tu, porém, tens seguido a minha doutrina, modo de viver, intenção, fé, longanimidade, caridade, paciência, ... (II Tm.3.10).
Paulo também desafia os irmãos da igreja de Filipos a seguirem o seu exemplo de vida: Tudo o que aprendestes, recebestes, ouvistes e vistes em mim, isso praticai, e o Deus de paz estará convosco (Fp.4.9).

Finalmente, entendemos que os princípios da palavra de Deus devem ser invioláveis, e que nós devemos nos esforçar para vive-los e não abrir mão desta verdade absoluta. Assim está escrito: Toda Escritura divinamente inspirada é proveitosa para ensinar, para repreender, para corrigir, para instruir em justiça, para que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente instruído para toda boa obra (II Timóteo, 3.16,17).
O cristão verdadeiro não aceita e nem pratica a inversão de valores, mas reprova. O cristão verdadeiro, pratica os princípios da palavra de Deus e anda na contramão do mundo. Há uma frase do revolucionário Martin Luther King, que diz: "Quem aceita o mal sem protestar, coopera com ele".
Viva na verdade e não abra mão dos princípios éticos e morais da palavra de Deus.

sexta-feira, 26 de janeiro de 2018

VAI E NÃO PEQUES MAIS.

Entretanto, Jesus seguiu para o monte das Oliveiras. Ao amanhecer, Ele voltou ao templo, e todo o povo achegava-se ao seu redor. Então, Ele se assentou e lhes ensinava. Os escribas e fariseus trouxeram até Ele uma mulher surpreendida em adultério. Forçaram-na a ficar em pé no meio de todos, e disseram a Ele: “Mestre, esta mulher foi apanhada em flagrante ato de adultério. Assim sendo, Moisés, na Lei, nos mandou que tais mulheres sejam apedrejadas. Todavia, tu, que dizes a este respeito? ” Eles falavam assim para prová-lo e terem alguma coisa de que o acusar. Mas Jesus, inclinando-se, escrevia na terra com o dedo, como se não tivesse ouvido. Porque insistiram na pergunta, Ele se levantou e lhes disse: “Aquele que dentre vós estiver sem pecado seja o primeiro a lhe atirar uma pedra. ” E, novamente, inclinou-se e escrevia na terra. Então, aqueles que ouviram isso, sendo convencidos por suas consciências, foram se retirando um por um, começando pelos mais velhos até o último. Jesus foi deixado só, e a mulher ficou em pé onde estava. Quando Jesus se ergueu, não vendo a ninguém mais, além da mulher, disse a ela: “Mulher, onde estão aqueles teus acusadores? Ninguém te condenou? ” Disse ela: “Ninguém, Senhor. ” E disse-lhe Jesus: “Nem Eu te condeno; podes ir e não peques mais. ” (João, 8.1-11).

E os escribas e fariseus trouxeram-lhe uma mulher apanhada em adultério; E, pondo-a no meio, disseram-lhe: Mestre, esta mulher foi apanhada, no próprio ato, adulterando (João, 8.3,4).
Assim, neste fato narrado no livro de João 8, vemos que somente a mulher adúltera é trazida ao mestre, para ser julgada. Desta forma, os fariseus começaram a sua hipócrita e machista tentativa de induzir Jesus ao erro. A lei exigia que o casal adúltero fosse apresentado. 

Onde estava o homem que com ela cometeu tal pecado? “Também o homem que adulterar com a mulher de outro, havendo adulterado com a mulher do seu próximo, certamente morrerá o adúltero e a adúltera. ” Levítico 20:10.

Jesus sabia que para aquela geração corrupta, a vida daquela mulher não tinha valor algum. Ninguém se importava com as condições que a levaram àquele pecado. O que seria daquela mulher, sabendo que a pena capital de morte seria aplicada, em caso de ser pega em flagrante adultério. E ali ela estava diante de Jesus, abandonada, envergonhada, desiludida, enganada e xingada por todos aqueles homens insensíveis, próxima da morte. 

Subjugada e subestimada pela sociedade, uma mulher acusada de adultério é trazida até Jesus pelos escribas e fariseus a fim de testa-lo e ver o que Ele tinha a dizer sobre isso. Esta mulher estava sendo ridicularizada e acusada de seus pecados obscuros e secretos ali expostos diante do público. Em meio a vergonha e zombarias, ela era humilhada entre os que estavam ao seu redor.
Corações cheios de vingança e ira exigiam que a lei de Moisés fosse cumprida, com a expectativa de que Jesus desse a permissão de apedrejar e expulsar a mulher daquela cidade. Ela mesma não tinha mais esperança. Mas Jesus, inclinando-se, escrevia com o dedo na terra, enquanto mais uma vez religiosos insistiam em fazer perguntas a Ele. Jesus então responde: Aquele dentre vós que está sem pecado, seja o primeiro que atire a pedra contra ela, então voltou a se inclinar e os ignorou novamente. 
Aos poucos todos saíram e nada fizeram. Você consegue imaginar como aquela mulher se sentiu? Ela com certeza teve uma mistura de sentimentos estranhos e provavelmente não estava acreditando naquilo.
Jesus pergunta se havia mais alguém para condená-la, ela ainda assustada, responde: “Ninguém, Senhor”. Então Jesus lhe diz: Nem eu também te condeno; vai-te e não peques mais. 

Concluímos que: A falta de amor e incompreensão das pessoas as leva a querer condenar, sem se quer avaliar a situação do acusado e dar-lhe uma chance de ser perdoado. Todos nós merecemos uma oportunidade, uma chance de nos arrependermos e deixarmos as nossas práticas pecaminosas. Essa também é a chave para uma vida de santidade e vitoriosa.

terça-feira, 23 de janeiro de 2018

A VERDADEIRA IDENTIDADE DE UM CRISTÃO.

Em Antioquia, foram os discípulos pela primeira vez, chamados cristãos (Atos, 11.26).
E disse Agripa a Paulo: Por pouco me queres persuadir a que me faça cristão! (Atos, 26.28).

A palavra cristão aparece apenas três vezes no texto sagrado, duas vezes no livro de Atos e uma em I Pedro, 4.15,16. Os discípulos foram chamados pela primeira vez de cristão na cidade de Antioquia, pelo fato de serem reconhecidos como seguidores de Cristo.
Ser cristão é ser parecido com Cristo. Será que as nossas atitudes e caráter correspondem ao de Cristo? Muitos hoje tem o titulo de cristão, mas será que as nossas atitudes demonstram ao que verdadeiramente deve ser um cristão autêntico? Ser cristão só porque acredita em Jesus e frequenta uma igreja muitos são; porém o verdadeiro cristão deve ser parecido com Cristo, em seu caráter e atitudes.
Ser cristão para muitos virou moda, ser cristão não é moda é mudança de vida; muitos se dizem discípulos de Cristo, porém o seu testemunho e as suas atitudes não condiz com a postura de um verdadeiro cristão. Ter o titulo de cristão só porque faz parte de alguma denominação evangélica ou católica, muitos tem; ser cristão só porque carrega a bíblia e frequenta os cultos de uma igreja, também existem muitos. Porém o verdadeiro cristão procura seguir os passos de Jesus Cristo, e obedecer a sua palavra. Não são poucos os que estão vivendo um cristianismo de fachada, ao seu bel-prazer, dentro de sua própria conveniência. Muitos se tornaram cristãos nominais e estão dentro das igrejas (templos) vivendo de aparência. Atualmente existem muitos cristãos com atitudes de fariseu, eles são crentes e aparentam ser bons cristãos, mas na prática são vazios de Cristo.

CINCO VIRTUDES QUE IDENTIFICAM UM VERDADEIRO CRISTÃO.

O cristão verdadeiro procura viver os ensinamentos de Cristo, ele não é simplesmente um seguidor de Cristo, mas discípulo. Ser discípulo de Cristo requer renúncia e obediência. Um verdadeiro cristão não é identificado pelos dons, e sim pelos frutos.

PRATICA O AMOR.
Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros (Jo.13.35).

PERMANECE NA PALAVRA.
Jesus dizia, pois, aos judeus que criam nele: Se vós permanecerdes na minha palavra, verdadeiramente, sereis meus discípulos (Jo.8.31).

VIVE CHEIO DE ALEGRIA E DO ESPÍRITO SANTO.
E os discípulos estavam cheios de alegria e do Espírito Santo (Atos, 13.52).

ANDA NA VERDADE.
Não tenho maior alegria do que esta: De ouvir que meus filhos andam na verdade (3 Jo.4).

AMA A PALAVRA DE DEUS.
Oh! Quanto amo a tua lei! É  a minha meditação em todo o dia! (Salmos, 119.97).
A tua palavra é muito pura; por isso, o teu servo a ama (Salmos, 119.140).

segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

DEUS É PAI.

Como um pai se compadece de seus filhos, assim o SENHOR se compadece daqueles que o temem. Pois Ele conhece a nossa estrutura; lembra-se de que somos pó (Sl.103.13,14).

Deus é Pai de todos, todos nós somos filhos de Deus partindo do princípio de que Ele é o nosso criador. Devemos aprender que, Deus é Pai de Jesus, por geração; Deus é Pai de Adão, por criação; Deus é Pai dos cristãos, por adoção. A paternidade de Deus é universal pelo fato de ser Ele o Criador de todas as coisas, porém, as suas promessas são para aqueles que o temem.
Neste salmo Davi nos fala sobre a atitude de um pai terreno que se compadece de seus filhos, em seguida ele compara o pai terreno com o Pai celeste. Assim como um pai terreno se preocupa em cuidar, proteger, alimentar, prover e sustentar seus filhos; assim mesmo, Deus nosso Pai celeste, tem todas estas preocupações conosco. Todavia, devemos ser filhos obedientes e tementes, para termos direito de desfrutar todas as bênçãos que Ele tem para dar aos seus filhos.
Deus como Pai, Ele é compassivo; pois Ele se compadece de nós.
Deus como Pai, Ele é amoroso; pois Ele nos ama com amor eterno.
Deus como Pai, Ele é compreensível; Ele nos compreende. Pois Ele conhece a nossa estrutura; lembra-se de que somos pó (Sl.103.14).
Ele conhece a nossa estrutura, nossas fraquezas, nossas limitações, nossos temores e a nossa fé. Não temas, mas descanse nos braços de seu Pai, confie Nele, e Ele lhe abençoará como filho. Nós somos filhos, não bastardos. Não tenha medo, você é filho (a) de Deus. Porque não recebestes o espírito de escravidão, para, outra vez, estardes em temor, mas recebestes o espírito de adoção de filhos, pelo qual clamamos Aba Pai (Rm.8.15).
* Aba Pai é uma expressão de origem aramaica, que significa, "meu pai".
Portanto, descanse nas promessas de Deus, Ele é o seu Pai. Amém!

domingo, 14 de janeiro de 2018

SETE MANIFESTAÇÕES DA GRAÇA NO SALMO 103.

Bendize, ó minha alma, ao SENHOR, e tudo o que há em mim bendiga o seu santo nome. Bendize, ó minha alma, ao SENHOR, e não te esqueças de nenhum de seus benefícios. É ele que perdoa todas as tuas iniquidades e sara todas as tuas enfermidades; quem redime a tua vida da perdição e te coroa de benignidade e de misericórdia; quem enche a tua boca de bens, de sorte que a tua mocidade se renova como a águia (Salmos, 103.1-5).

Neste salmo Davi demonstra a sua gratidão ao SENHOR por todos os benefícios que Ele lhe proporciona pela sua graça e misericórdia. Davi louva ao SENHOR por causa da sua bondade e misericórdia, ele faz menção da palavra "misericórdia" por quatro vezes (vers.4,8,11,17). Ele convida os anjos, todos os exércitos do SENHOR, seus ministros e todas as suas obras, a louvarem ao SENHOR por sua grandeza, bondade e misericórdia (Vers.19-22). Neste salmo Davi cita algumas palavras que manifestam a graça de Deus, como: Perdão, cura, remissão, justiça e misericórdia.

PERDÃO.
Ele perdoa todas as tuas iniquidades (vers.3a).

CURA.
Sara todas as tuas enfermidades (vers.3b).

REMISSÃO.
Quem redime a tua vida da perdição (vers.4a).

MISERICÓRDIA.
E te coroa de benignidade e de misericórdia (vers.4b).
Misericordioso e piedoso é o SENHOR; longânimo e grande em benignidade (vers.8).

PROVISÃO.
Quem enche a tua boca de bens, de sorte que a tua mocidade se renova como a águia (vers.5).

JUSTIÇA.
O SENHOR faz justiça e juízo a todos os oprimidos (vers.6).

COMPAIXÃO.
Como um pai se compadece de seus filhos, assim o SENHOR se compadece daqueles que o temem (vers.13).

sábado, 13 de janeiro de 2018

TRÊS TIPOS DE OBREIROS.

Amado, desejo que te vá bem em todas as coisas e que tenhas saúde, assim como bem vai a tua alma. Porque muito me alegrei quando os irmãos vieram e testificaram da tua verdade, como tu andas na verdade. Não tenho maior alegria que esta: Saber que meus filhos estão andando na verdade (3 João, 2,3,4).

O Reino de Deus cresce a cada dia, e a igreja do Senhor avança fazendo a obra de Deus. A seara é grande, e há uma multidão de obreiros em plena atividade, porém, há vários tipos de obreiros que fazem a obra com intenções diferentes; uns aprovados por Deus, outros, totalmente reprovados.
O apóstolo João, ao escrever a sua terceira carta, ele tem um sentimento de alegria ao ver que os irmãos estão andando na verdade. Nesta breve carta, João elogia dois obreiros por suas ações virtuosas e se queixa de um obreiro por causa de suas atitudes negativas. Que tipo de obreiro estamos sendo na obra de Deus, um obreiro aprovado, digno de elogios; ou um obreiro reprovado, digno de repreensão?

GAIO.

O obreiro fiel.
Amado, procedes fielmente em tudo o que fazes para com os irmãos e para com os estranhos (vers.5).
Gaio era um obreiro fiel e abnegado em tudo que fazia. A sua fidelidade era testificada pelos irmãos (vers.3). Gaio era um líder amoroso e hospitaleiro, ele recebia de bom grado os irmãos e os hospedava, bem como os estrangeiros (vers.5-8).
A qualidade de fiel é indispensável na vida do obreiro. Paulo também faz referencia a essa qualidade em sua carta aos coríntios, quando diz: Que os homens nos considerem como ministros de Cristo e despenseiros dos mistérios de Deus. Além disso, requer-se nos despenseiros que cada um se ache fiel (I Co.4.1,2). Infelizmente, esta qualidade está sendo uma raridade entre os obreiros. Fidelidade: Este princípio de vida ministerial é uma pratica exercida por poucos. O fato é que, estamos vendo muitos obreiros infiéis e traidores e poucos fiéis.

DIÓTREFES.

O obreiro presunçoso.
Tenho escrito à igreja; mas Diótrefes, que procura ter entre eles a primazia, não nos recebe. Pelo que, se eu for, trarei à memória as obras que ele faz, proferindo contra nós palavras maliciosas; e, não contente com isto, não recebe os irmãos, e impede os que querem recebê-los, e os lança fora da igreja (vers.9,10).
Diótrefes era um obreiro presunçoso pelo fato de querer a primazia para si e desprezar os outros. Ele não recebia os obreiros enviados por João e ainda punia os irmãos que lhes dessem hospedagem. Diótrefes era um obreiro orgulhoso e não aceitava ser submisso a liderança do apóstolo João. Havia nele um sentimento de rebelião, ele falava mal da liderança de João e desrespeitava os obreiros por ele liderados.
Hoje não é diferente, temos muitos obreiros presunçosos, orgulhosos e insubmisso ao seu líder. Muitos são independentes, acham que sabem muito, são muito popular, são famosos e aplaudidos pelo publico. O fato é que, a humildade, a submissão e a obediência estão em extinção na vida de muitos obreiros; mas Deus conta com os humildes e obedientes para fazer a sua obra. Está escrito, que Deus resisti aos soberbos, mas dá graça aos humildes (Tiago, 4.6). Sejamos humildes, e a graça de Deus será abundante na nossa vida. Amém!

DEMÉTRIO.

O obreiro aprovado.
Amado, não siga o mal, mas o bem. Quem faz bem é de Deus; mas que faz mal não tem visto a Deus. Todos dão testemunho de Demétrio, até a mesma verdade; e também nós testemunhamos; e vós bem sabeis que o nosso testemunho é verdadeiro (vers.11,12).
Demétrio era um bom obreiro, um obreiro admirável, ao ponto que todos davam testemunho dele, inclusive a própria verdade e os líderes da igreja. Demétrio se destacava como obreiro pelo fato de ele amar a verdade e andar nela. Obreiro aprovado é aquele que anda na verdade, vive a verdade, prega a verdade e não aceita nem comunga com a mentira.
Paulo nos aconselha: Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade (II Tm.2.15).
Infelizmente, hoje nós vemos muitos obreiros desaprovado, agindo com parcialidade, sendo favorável aquilo que lhe é conveniente, mesmo sabendo que é errado. Obreiros maliciosos, em busca de seus próprios interesses, preocupados com sua agenda, e em engordar a sua conta bancária. São obreiros que não tem compromisso com a Verdade. Obreiros que pregam o que o povo gosta de ouvir, não o que o povo precisa ouvir. Que estes se convertam para alcançarem o perdão e a misericórdia de Deus. Caso contrário, Deus vai pesa-los em sua balança de justiça e chama-los a prestação de contas.