sexta-feira, 28 de junho de 2019

O NAUFRÁGIO DA FÉ.

Este mandamento te dou, meu filho Timóteo, que, segundo as profecias que houve acerca de ti, milites por elas boa milícia, conservando a fé e a boa consciência, rejeitando a qual alguns fizeram naufrágio na fé. Entre esses foram Himeneu e Alexandre, os quais entreguei a Satanás, para que aprendam a não blasfemar (I Timóteo, 1.18-20).

Paulo incentiva o jovem pastor Timóteo a permanecer firme na luta do bom combate da fé. Paulo entende que, a preservação da fé e a boa consciência são elementos fundamentais para o cristão manter-se firme no combate da fé. Caso contrario, o naufrágio na fé será inevitável.
A vida cristã pode ser comparada a uma grande viagem no mar desta vida. O mundo é como um mar cheio de adversidades, com seus altos e baixos. Enfrentamos tempos de bonança e também tempos de tempestades. Precisamos estar atentos para enfrentarmos cada situação, para não perdermos a rota traçada por Deus a fim de chegarmos ao nosso Porto Seguro.

O BARCO SENDO MINADO.

Paulo diz: Conservando a fé e a boa consciência, rejeitando a qual, alguns fizeram naufrágio na fé (I Tm.1.19). Paulo usa uma metáfora quando fala do "naufrágio da fé". No tempo de Paulo, um naufrágio era descoberto muito tempo depois, pelo fato do navio nunca chegar ao seu destino. Os naufrágios raramente são de súbito, geralmente a água vai minando através de infiltrações, por descuido dos que estão na embarcação. O porão vai enchendo de água e, de repente, o navio vai a pique. O mesmo acontece quando um cristão chega a naufragar na fé, não acontece de um dia para o outro, mas a sua fé vai sendo minada até chegar ao ponto de uma situação irreversível. Mas é possível evitar que o nosso barco (vida com Deus), sofra infiltrações e rupturas. Devemos ficar vigilantes para que as águas do pecado não venham inundar o nosso barco espiritual. Para que o barco da nossa fé não venha a naufragar, Paulo nos orienta a preservarmos a fé através da boa consciência.

O QUE É UMA BOA CONSCIÊNCIA?

Consciência é definida como o sentido ou a percepção que o ser humano possui do que é moralmente certo ou errado. A Bíblia afirma que todos nós temos consciência (Romanos, 2.12-16). O termo usado por Paulo é uma boa consciência. Esta consciência deve estar ativa e bem alimentada por bons valores éticos e morais. Como cristãos podemos afirmar que os bons valores, são valores relacionados a Deus e a sua palavra, que é o único referencial verdadeiramente bom.
Neste sentido quando alguém rejeita seguir uma boa consciência, rejeita submeter-se a vontade de Deus. Uma boa consciência tem compromisso com bons hábitos e age de forma agradável a Deus e ao próximo. Porém, uma pessoa que tem a sua consciência contaminada por maus hábitos e praticas censuráveis, tende a naufragar a sua vida em um mundo de trevas. Portanto, preserve a sua fé na boa consciência que vai lhe levar ao Porto Seguro (Jesus Cristo), que é a âncora da nossa alma.

EXEMPLOS DOS QUE NAUFRAGARAM NA FÉ:

Conservando a fé e a boa consciência, rejeitando a qual alguns fizeram naufrágio na fé. Entre esses foram Himeneu e Alexandre, os quais entreguei à Satanás, para que aprendam a não blasfemar (I Timóteo, 1.19,20).

HIMENEU.

Himeneu, foi um cristão que apostatou da fé e decidiu criar uma teologia própria, e pregava que a ressurreição já havia ocorrido. Sobre isto Paulo diz: Evita, pois, as conversas inúteis e profanas, porquanto os que agem assim promovem ainda mais a impiedade, e tais palavras se alastrarão como câncer, entre estes se encontram Himeneu e Fileto. Eles se desviaram da verdade, proclamando que a ressurreição já aconteceu, e com isso corromperam a fé de alguns (II Timóteo, 2.16-18).

ALEXANDRE.

Alexandre é outro mal exemplo de um crente que apostatou da fé. Alexandre era um empresário crente que trabalhava com bronze, ele era rebelde e havia criado muitos problemas, não aceitava conselhos nem admoestações do apóstolo Paulo: Alexandre, que trabalha com bronze, causou-me muitos males; o Senhor lhe pague segundo as suas obras. Tenha muita cautela com ele, pois se opôs fortemente ás nossas palavras (II Timóteo, 4.14,15).

Em relação a Himeneu e Alexandre, Paulo foi obrigado a exercer a mais severa "disciplina eclesiástica" (Mateus, 18.17), isto é, a exclusão desses homens do âmbito da proteção da igreja, considerada como coluna e firmeza da verdade, contra o poder de Satanás e seus demônios.

CONCLUSÃO:
O pecado nos assedia todos os dias, bate a nossa porta; as tentações são inevitáveis; mas cabe a cada cristão fugir do pecado e procurar viver em comunhão com Deus. O naufrágio na fé, geralmente acontece de forma lenta, a sedução do pecado vai ganhando espaço e desconstruindo todo alicerce espiritual da vida do cristão. É preciso nos policiarmos para não sermos levado pelas ondas do pecado e consequentemente, naufragarmos na fé.
Portanto, conserve a sua fé e uma boa consciência diante de Deus e siga com firmeza na direção do Porto Seguro. Deus vai te ajudar. Amém!

segunda-feira, 24 de junho de 2019

GÊNESIS x APOCALIPSE.

Há um paralelo curioso entre o livro de Gênesis e Apocalipse. Enquanto o livro de Gênesis é o livro do começo e registra o princípio de todas as coisas; o livro de Apocalipse é o livro do fim e revela o fim de todas as coisas. A Bíblia é uma história só. A última parte do último livro da Bíblia soa como o final da história que começou na primeira parte do primeiro livro.

GÊNESIS - APOCALIPSE.

As primeiras palavras de Gênesis:
"No princípio criou Deus os céus e a terra" (Gn.1.1).

As últimas palavras de Apocalipse:
"E vi um novo céu e uma nova terra" (Ap.21.1).

Gênesis: Ao ajuntamento das águas chamou mar (Gn.1.10).
Apocalipse: ... E o mar já não existe (Ap.21.1).

Gênesis: As trevas chamou noite (Gn.1.5).
Apocalipse: Lá não haverá noite (Ap.21.25).

Gênesis: E fez Deus os dois grandes luminares (Gn.1.16).
Apocalipse: E a cidade não necessita de sol nem de lua, para que nela resplandeçam, porque a glória de Deus e tem aluminado, e o cordeiro é a sua lâmpada (Ap.21.23).

Gênesis: ... No dia em que dela comeres certamente morrerás (Gn.2.17).
Apocalipse: ... E não haverá mais morte (Ap.21.4).

Gênesis: Multiplicarei grandemente a tua dor (Gn.3.16).
Apocalipse: ... Não haverá pranto, nem clamor, nem dor (Ap.21.4).

Gênesis: ... Maldita é a terra por tua causa (Gn.3.17).
Apocalipse: E ali nunca mais haverá maldição (Ap.22.3).

Gênesis: Foram afastados da árvore da vida (Gn.3.22-24).
Apocalipse: Reaparece a árvore da vida (Ap.22.2).

Gênesis: O homem afastou-se da presença de Deus (Gn.3.9,10,24).
Apocalipse: Verão a sua face (Ap.22.4).

Gênesis: Satanás aparece como enganador da humanidade (Gn.3.1-4).
Apocalipse: Satanás desaparece para sempre (Ap.20.10).

Gênesis termina com um caixão no Egito (Gn.50.26).
Apocalipse termina com a impetração de uma bênção: A graça de nosso Senhor Jesus Cristo seja com todos vós. Amém! (Ap.22.21).

Concluímos que, a Bíblia é um livro harmônico e sem contradição. Escrita por 40 escritores, em épocas diferentes, todavia, todos os seus livros tem uma única fonte inspiradora, DEUS.  

quinta-feira, 20 de junho de 2019

Meu Redentor Vive!

Porque eu sei que o meu Redentor vive, e que por fim se levantará sobre a terra (Jó, 19.25).

Em resposta aos seus "amigos", Jó argumenta as suas queixas e censura os seus acusadores por terem o repreendido e agredido com palavras por dez vezes (Jó.1.1-3). Este capítulo 19 do livro de Jó, relata uma fase muito deprimente da vida de Jó. Jó apresenta suas queixas e reclama das acusações dos seus "amigos" que o considera amaldiçoado por Deus. Jó reclama que seu clamor por justiça não recebeu nenhuma consideração (19.7). Jó lamenta que o SENHOR seja a causa do seu sofrimento e fica angustiado (19.8-12). Jó também lamenta por se sentir banido da sociedade, rejeitado por seus irmãos, parentes e conhecidos (19.13,14). Jó chega a ser rejeitado por seus servos, os rapazes zombam e riem dele nas ruas, os seus amigos mais chegados passam a lhe detestar, e até a sua própria esposa e seus irmãos se sentem enojados por causa do seu mal hálito (19.15-19).
Jó resume as suas aflições da seguinte maneira: Todos os meus amigos íntimos me abominam, e até os que eu amava se tornaram contra mim. Os meus ossos se apegam à minha pele e à minha carne, e salvei-me só com a pele dos meus dentes (19.19,20). Jó clama por misericórdia aos seus amigos e declara que foi ferido pela mão de Deus (19.21). Jó deseja que as suas palavras sejam registradas em um livro e esculpidas a ferro no chumbo ou gravadas para sempre na rocha (19.23,24). Diante de todo seu sofrimento, e sentindo-se perseguido e injustiçado por seus "amigos", Jó acredita que no final, haverá julgamento (19.22,28,29).
Desejando justiça e respirando esperança, Jó ergue a sua voz e clama, dizendo: Eu sei que o meu Redentor vive, e que no fim se levantará sobre a terra! E depois que o meu corpo estiver destruído e sem carne, verei a Deus. Eu o verei com os meus próprios olhos; eu mesmo, e não outro! Como anseia no meu peito o coração! (19.25-27).
Neste contexto, Jó profetizou sobre a vinda do Redentor Jesus Cristo, falou sobre a vida após a morte, falou também sobre um julgamento final. Tudo isto há 4.000 anos antes de Cristo.

O nosso Redentor já veio, morreu e ressuscitou; Ele está vivo para todo sempre. Aleluia!
No fim, Ele voltará e se assentará no grande trono branco para o julgamento final de todos os povos (Apoc.20.11-15). Amém!
  

domingo, 16 de junho de 2019

O QUE SIGNIFICA CINGIR OS LOMBOS?

Estejam cingidos os vossos lombos, e acesas, as vossas candeias (Lucas, 12.35).

Falando sobre vigilância, o Mestre ensina aos seus discípulos através de parábolas, que a prontidão e a vigilância devem ser praticados pelos servos do Senhor. Devemos está vigilantes para que não sejamos surpreendidos e reprovados na vinda do Senhor. A expressão usada por Jesus: Estejam cingidos os vossos lombos, e acesas, as vossas candeias (Lc.12.35); equivale dizer: Estejam de prontidão, em atividade e sempre em vigilância; pois a qualquer momento o Senhor voltará.

A região lombar fica na altura da cintura, região abdominal em volta dos quadris.
A parte do corpo designada pela palavra “lombos” é uma região onde se localiza os órgãos reprodutivos; de modo que se diz que a prole ‘sai dos lombos’. (Gn.35.11; IRs.8.19; Atos, 2.30). O escritor aos hebreus usa este argumento ao mostrar que o sacerdócio de Jesus, à maneira de Melquisedeque, é superior ao de Arão, visto que Levi, antepassado de Arão, ainda estava nos lombos de Abraão, e que neste sentido pagou dízimos a Melquisedeque. (Hb.7.5-10; Gn.14.18-20)

A expressão "lombos cingidos", aparece pela primeira vez no texto sagrado no livro de Êxodo, 12.11; quando Deus instituiu a primeira Páscoa, na saída da nação de Israel do Egito.
Qual o significado da expressão "lombos cingidos, ou cingir os lombos"?
Cingir os lombos significava colocar as extremidades das vestes compridas debaixo da faixa ou prender com uma cinta, para facilitar a atividade física.
Cingir, significa: Cercar, circundar, limitar. Apertar com uma correia, com um cinto, pôr à cinta.
Lombos cingidos é uma expressão que significa, amarra a túnica na cintura para dá segurança ao caminhar apressadamente. Hoje a frase que mais se assemelha a esse significado é "arregaçar as mangas".
Biblicamente quer dizer: Está preparado, em segurança, pronto para o trabalho, pronto guerrear e para percorrer o longo caminho.

7 VEZES APARECE NO A.T. A EXPRESSÃO "CINGIR OS LOMBOS".

1- Assim, pois, o comereis: Os vossos lombos cingidos, os vossos sapatos nos pés, e o vosso cajado na mão; e o comereis apressadamente; esta é a páscoa do SENHOR (Êxodo, 12.11).

2- E a mão do SENHOR estava sobre Elias, o qual cingiu os lombos e veio correndo perante Acabe, até à entrada de Jezreel (I Reis, 18.46).

3- Eliseu disse a Geazi: Cinge os teus lombos, e toma o meu bordão na tua mão, e vai ... (II Rs.4.29).

4- Então, o profeta Eliseu chamou um dos filhos dos profetas e lhe disse: Cinge os teus lombos, e toma esta almotolia de azeite na tua mão, e vai-te a Ramote-Gileade (II Reis, 9.1).

5- Agora cinge os teus lombos como homem; e perguntar-te-ei, e, tu, responde-me (Jó, 38.3).

6- Cinge os lombos de força e fortalece os braços (Provérbios, 31.17).

7- Tu, pois, cinge os teus lombos, e levanta-te, e dize-lhes tudo quanto eu te mandar ... (Jr.1.17).

3 VEZES APARECE NO N.T. A EXPRESSÃO "CINGIR OS LOMBOS".

1- Estejam cingidos os vossos lombos, e acesas, as vossas candeias (Lucas, 12.35).

2- Estai, pois, firmes, tendo cingidos os vossos lombos com a verdade, e vestida a couraça da justiça (Efésios, 6.14).

3- Portanto, cingindo os lombos do vosso entendimento, sede sóbrios e esperai inteiramente na graça que se vos ofereceu na revelação de Jesus Cristo (I Pedro, 1.13).

Cingir os lombos significava colocar as extremidades da veste comprida debaixo da faixa ou prender com uma cinta, para facilitar a atividade física. No Novo Testamento, cingir os lombos, tornou-se uma metáfora para estar apto para prestar um serviço para Deus. Passou também a ser usado como expressão para indicar preparação para vigorosa atividade mental ou espiritual, e, às vezes, transmitia a ideia de fortalecimento. Leia: I Pedro, 1.13. Portanto, cingindo os lombos do vosso entendimento ... Ou seja: Avigorai as vossas mentes. Literalmente: Cingir os lombos de vossa mente, ou do vosso entendimento, significa dizer, para que estejamos protegidos e preparados com a nossa mente exercitada na revelação Jesus Cristo.
Em Efésios 6.14, Paulo instrui aos cristãos que tenham seus “lombos cingidos com a verdade”, isto é, fortalecidos pela verdade da Palavra de Deus como apoio essencial. Assim como o firme cingimento dos lombos físicos protegia contra danos causados por esforço extremo, assim também o cingimento espiritual dos nossos lombos, nos protege contra os possíveis ataques do inimigo.

quinta-feira, 13 de junho de 2019

ANDANDO NAS ALTURAS.

JEOVÁ, o Senhor, é minha força, e fará os meus pés como os das cervas, e me fará andar sobre as minhas alturas (Habacuque, 3.19).

Esta expressão: "Fará ou faz os meus pés como os das cervas, e me fará andar sobre as minhas alturas". Também é citada por Davi no livro de II Samuel, 22.34 e se repete no livro dos Salmos, 18.33. O termo "cerva" usado na expressão do profeta Habacuque e por Davi, faz referência a fêmea do cervo, que é também conhecida como "corsa" a fêmea do corso, conhecido como veado.
A cerva é um animal que andar nas montanhas em busca de água e alimento, quando há escassez no seu habitat natural. A cerva tem um faro aguçado capaz de identificar um lençol de águas há quilômetros de distância.
Quando o profeta diz no seu cântico: JEOVÁ, o Senhor, é minha força, e fará os meus pés como os das cervas ... Isto nos fala de firmeza e agilidade, pois a cerva tem uma grande agilidade e firmeza que a faz capaz de subir as montanhas com muita facilidade. Aqui nós aprendemos, que quando a nossa força vem do SENHOR, nenhum obstáculo vai nos impedir de alcançarmos os nossos objetivo, pois teremos a destreza e a força que vem de Deus para nos conduzir a vitória.
... e me fará andar sobre as minhas alturas. A cerva nas alturas estava em segurança, pois no alto das montanhas os seus predadores não podia alcança-la. Isto significa dizer, que quando estamos andando nas alturas, ficamos a sós com Deus, insolados e protegidos dos perigos. Andando nas alturas, as setas do inimigo não irão nos atingir, estamos seguros e em alto retiro. Está escrito: Torre forte é o nome do SENHOR; para ela correrá o justo e estará em alto retiro (Pv.18.10).

ANDANDO E VIVENDO NAS ALTURAS COM DEUS.

- Estamos assentados nas alturas.
... e nos ressuscitou juntamente com Ele, e nos fez assentar nos lugares celestiais, em Cristo Jesus (Ef.2.6).

- Somos exortados a buscar as coisas que são do alto.
Portanto, se já ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas que são de cima, onde Cristo está assentado à destra de Deus (Cl.3.1).

- Somos exortados a pensar nas coisas que são do alto.
Pensai nas coisas que são de cima e não nas que são da terra (Cl.2.2).

- Recebemos o Espírito que veio do alto.
Até que se derrame sobre nós o Espírito lá do alto ... (Is.32.15).
... e, de repente, veio do céu um som, como de um vento veemente e impetuoso, e encheu toda a casa em que estavam assentados. E todos foram cheios do Espírito Santo e começaram a falar em outras línguas, conforme o Espírito Santo lhes concedia que falassem (Atos, 2.2,4).

- Estamos andando nas alturas.
Faz os meus pés como os das cervas e põe-me nas alturas (Salmos, 18.33).

- Temos a promessa de vivermos para sempre nas alturas (no céu com Deus).
Não permitais que o vosso coração se preocupe. Credes em Deus, crede também em mim. Na casa de meu Pai há muitos aposentos; se não fosse assim, Eu o teria dito a vós. Portanto, vou para preparar-vos lugar. E, quando Eu me for e vos tiver preparado um lugar, virei de novo e vos levarei para mim, a fim de que, onde Eu estiver, estejais vós também (Jo.14.1-3).

CONCLUSÃO:
O cristão verdadeiro, que tem convicção da sua fé, ele anda e vive pela fé nas alturas com Deus. O sangue de Jesus Cristo derramado na cruz, se constitui a nossa plataforma espiritual que nos eleva acima de todas as forças malignas e nos garante a vitória. Portanto, não cruze os braços, nem baixe a cabeça diante dos problemas e das adversidades da vida; mas ande de cabeça erguida, com os braços ocupados com o escudo da fé e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus, na sua mão, na mente e no coração. Amém!

sábado, 8 de junho de 2019

DAVI, ALCANÇADO PELA GRAÇA DE DEUS.

Tem misericórdia de mim, ó Deus, segundo a tua benignidade; apaga as minhas transgressões, segundo a multidão das tuas misericórdias. Lava-me completamente da minha iniquidade e purifica-me do meu pecado. Esconde a tua face dos meus pecados e apaga todas as minhas iniquidades. Cria em mim, ó Deus, um coração puro e renova em mim um espírito reto. Não me lances fora da tua presença e não retires de mim o teu Espírito Santo. Torna a dar-me a alegria da tua salvação e sustém-me com um espírito voluntário (Salmos, 51.1,2,9-12).

Davi ficou conhecido e adquiriu fama por ser um guerreiro vencedor de grandes batalhas e ter se tornado rei de Israel. Davi também é conhecido como músico e compositor de vários salmos, e por ser um homem de profunda comunhão e devoção a Deus.
Davi tinha suas virtudes e seus defeitos, mas quando ele pecou, cometendo um homicídio e um adultério, mandando matar o soldado Urias, após ter cometido adultério com Bate-Seba, sua mulher (II Sm.11.), ele não tentou justificar nem mascarar o seu pecado, mas ele sentiu o peso do seu delito e disse: Enquanto eu mantinha escondido os meus pecados, o meu corpo definhava de tanto gemer. Pois dia e noite a tua mão pesava sobre mim; minhas forças foram se esgotando como em tempo de seca. Então reconheci diante de ti o meu pecado e não encobrir as minhas culpas. Eu disse: Confessarei as minhas transgressões ao SENHOR, e tu perdoaste a culpa do meu pecado (Salmos, 32.3-5). Davi foi alcançado pela graça de Deus quando confessou o seu pecado. A graça nos é favorável, quando há confissão e arrependimento sincero. Infelizmente, muitos estão abusando da graça de Deus, vivendo na pratica do pecado e justificando-se a si mesmo naquilo que lhe é conveniente. A palavra de Deus nos diz: Todavia, o fundamento de Deus fica firme, tendo este selo: O Senhor conhece os que são seus, e qualquer que confessa o nome de Cristo aparte-se da iniquidade (II Tm.2.19). A graça está disponível e ao alcance de todos, está escrito: Onde o pecado abundou, superabundou a graça (Rm.5.20).

ATITUDES DE DAVI DIANTE DE DEUS:

CONFISSÃO.
Confessei-te o meu pecado e a minha maldade não encobrir; dizia eu: Confessarei ao SENHOR as minhas transgressões; e tu perdoaste a maldade do meu coração (Sl.32.5).
Porque eu conheço as minhas transgressões, e o meu pecado está sempre diante de mim.
Contra ti, contra ti somente pequei, e fiz o que a teus olhos é mal, para que sejas justificado quando falares e puro quando julgares (Sl.51.3,4).

PETIÇÃO.
Tem misericórdia de mim, ó Deus, segundo a tua benignidade; apaga as minhas transgressões, segundo a multidão das tuas misericórdias.
Lava-me completamente da minha iniquidade e purifica-me do meu pecado.
Purifica-me com hissopo, e ficarei puro; lava-me, e ficarei mais alvo do que a neve.
Faze-me ouvir júbilo e alegria, para que gozem os ossos que tu quebrastes.
Esconde a tua face dos meus pecados e apaga todas as minhas iniquidades.
Cria em mim, ó Deus, um coração puro e renova em mim um espírito reto.
Não me lances fora da tua presença e não retires de mim o teu Espírito Santo.
Torna a dar-me a alegria da tua salvação e sustém-me com um espírito voluntário (Sl.51.1,2,7-12).

SERVIÇO.
Então, ensinarei aos transgressores os teus caminhos, e os pecadores a ti se converterão.
Abre, Senhor, os meus lábios, e a minha boca entoará o teu louvor (Sl.51.13,15).

DEVOÇÃO.
Porque te não comprazes em sacrifícios, senão eu os daria; tu não te deleitas em holocaustos.
Os sacrifícios para Deus são o espírito quebrantado; a um coração quebrantado e contrito não desprezarás, ó Deus (Sl.51.16,17).

CONCLUSÃO:
Davi foi alcançado pela graça de Deus e o seu pecado foi perdoado. Deus conhece um coração sincero e uma confissão verdadeira. Davi não mascarou o seu pecado, nem teve atitude hipócrita para tentar justificar o seu pecado. A graça salvadora, que perdoa, regenera e justifica o homem, é gratuita e acessível para todos; porém, ela só terá efeito eficaz quando o pecador reconhece o seu pecado e decide arrepender-se, confessando-o para Deus.
Davi declara: Feliz aquele cuja transgressão é perdoada, e cujo pecado é coberto. Feliz o homem a quem o SENHOR não imputa maldade, e em cujo espírito não há engano (Hipocrisia). Sl.32.1,2.
É melhor ser verdadeiro diante de Deus e ser alcançado pela sua graça, do que viver na hipocrisia, mergulhado no pecado, distante de Deus e da sua graça.

domingo, 2 de junho de 2019

O TABERNÁCULO, UMA SOMBRA DA REALIDADE.

Então, a nuvem cobriu a tenda da congregação, e a glória do SENHOR encheu o tabernáculo, de maneira que Moisés não podia entrar na tenda da congregação, porquanto a nuvem ficava sobre ela, e a glória do SENHOR enchia o tabernáculo. Quando, pois, a nuvem se levantava de sobre o tabernáculo, então, os filhos de Israel caminhavam em todas as suas jornadas. Se a nuvem, porém, não se levantava, não caminhavam até ao dia em que ela se levantava; porquanto a nuvem do SENHOR estava de dia sobre o tabernáculo, e o fogo estava de noite sobre ele, perante os olhos de toda a casa de Israel, em todas as suas jornadas (Êxodo, 40.34-38).

O tabernáculo ou a tenda da congregação, era o lugar onde se manifestava a glória de Deus. Esta tenda sagrada servia de referencial para toda nação de Israel. A nuvem da glória ficava parada sobre o tabernáculo, quando a nuvem andava, Moisés ordenava aos levitas que desarmassem o tabernáculo e junto com todo o povo seguiam a direção da nuvem. Onde a nuvem parasse, o povo acampava e o tabernáculo era montado no meio do acampamento. Esta nuvem acompanhou o povo durante toda a peregrinação no deserto em direção a terra prometida.

AS PEÇAS DO TABERNÁCULO E OS SEUS SIGNIFICADOS SIMBÓLICOS:

O escritor aos hebreus nos diz: Porque um tabernáculo estava preparado, o primeiro, em que havia o candeeiro, e a mesa, e os pães da proposição; ao que se chama o Santuário. Mas, depois do segundo véu estava o tabernáculo que se chama o Santo dos Santos, que tinha o incensário de ouro e a arca do concerto, coberta de ouro toda em redor, em que estava um vaso de ouro, que continha o maná, e a vara de Arão, que tinha florescido, e as tábuas do concerto; e sobre a arca, os querubins da glória, que faziam sombra no propiciatório; das quais coisas não falaremos agora particularmente (Hb.9.2-5).

O ALTAR DO HOLOCAUSTO (Êxodo, 27.1-8).

Simboliza a cruz do calvário, lugar onde Cristo foi crucificado.

A PIA DE BRONZE OU O LAVATÓRIO (Êxodo, 30.17-21).

Representa a purificação e o início da santificação.

A MESA DOS PÃES (Êxodo, 25.23-30).

A mesa de madeira representa a natureza humana de Cristo e os pães simboliza Cristo "o pão da vida".

O CANDELABRO (Êxodo, 25.31-40).

Representa Cristo como "a luz do mundo".

O ALTAR DO INCENSO (Êxodo, 30.1-10).

Representa a intercessão de Cristo na glória.

A ARCA DA ALIANÇA (Êxodo, 25.10-16).

Simboliza a justiça e a presença de Deus.

O PROPICIATÓRIO (Êxodo, 17-22).

Representa a misericórdia de Deus.
Lugar onde era derramado o sangue do sacrifício e Deus aceitava como cheiro suave e se fazia propício em perdoar toda nação de Israel.

* Todas estas peças eram uma alegoria e representavam uma realidade futura daquele que haveria de vir, Jesus Cristo.

TABERNÁCULO - Sombra, alegoria, figura.
JESUS CRISTO - Realidade. Sacerdote eterno.

MATERIAIS USADOS NA CONFECÇÃO DAS PEÇAS DO TABERNÁCULO:

LINHO.
Representa a pureza de Cristo.

MADEIRA.
Representa a natureza humana de Cristo.

OURO.
Representa a Realeza e a Divindade de Cristo

PRATA.
Representa redenção do homem efetuada por Cristo na cruz.

BRONZE.
Representa a natureza pecaminosa e caída da humanidade.

CONCLUSÃO:
Diante do tudo isso, nós aprendemos e passamos a entender o quanto Deus nos ama. Deus sempre se importou e se preocupou com a humanidade. A maior prova do amor de Deus foi enviar o seu Filho unigênito, Jesus Cristo, para salvar e redimir a humanidade de todos os seus pecados. A gora estamos vivendo a realidade de tudo que era apenas sombra, Jesus Cristo veio como cordeiro de Deus e morreu para nos perdoar; o pecado foi removido e o véu do templo foi rasgado de alto a baixo, abrindo assim o caminho da nossa adoração e comunhão direta com Deus Pai. Glória a Deus!