segunda-feira, 18 de março de 2019

É TEMPO DE VIGIAR!

Vigiai, estai firmes na fé, portai-vos varonilmente e fortalecei-vos (I Co.16.13).

A vigilância deve ser um exercício constante da fé na vida do cristão, até que Jesus venha. A palavra "vigiar" aparece 61 vezes no texto Sagrado. A palavra "vigiar" significa dizer: Permanecer acordado, estar alerta, manter-se sóbrio e estar sempre de prontidão. Geralmente a vigilância vem acompanhada de oração, Jesus disse, vigiai e orai, para que não entreis em tentação (Mt.26.41). Paulo diz: Orando em todo o tempo ... e vigiando nisso com toda perseverança ... (Efésios, 6.18). A oração e a vigilância fazem parte do combate da fé; a grande estratégia de Satanás é fazer com que os cristãos fiquem presos nos entretenimentos e não tenham tempo para orar. A falta de oração e vigilância tem levado muitos cristãos a caírem nas armadilhas do Diabo. 

A VIGILÂNCIA EM RELAÇÃO À DOUTRINA.

Tem cuidado de ti mesmo e da doutrina; persevera nestas coisas; porque fazendo isto, te salvarás, tanto a ti mesmo como aos que te ouvem (I Timóteo, 4.16).
Porque haverá tempo em que não sofrerão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências; e desviarão os ouvidos da verdade, voltando às fábulas. Mas tu sê sóbrio em tudo, sofre as aflições, faze a obra de um evangelista, cumpre o teu ministério (II Timóteo, 4.3-5). 

A VIGILÂNCIA EM RELAÇÃO AOS FALSOS MESTRES.

Olhai, pois, por vós e por todo o rebanho sobre que o Espírito Santo vos constituiu bispos, para apascentardes a igreja de Deus, que ele resgatou com o seu próprio sangue.
Porque eu sei isto: Que, depois da minha partida, entrarão no meio de vós lobos cruéis, que não perdoarão o rebanho. E que, dentre vós mesmos, se levantarão homens que falarão coisas perversas, para atraírem os discípulos após si. Portanto, vigiai ... (Atos, 20.28-31).

A VIGILÂNCIA EM RELAÇÃO AO PECADO.

Aquele, pois, que cuida estar em pé, olhe que não caia (I Co.10.12).
Vigiai, estai firmes na fé, portai-vos varonilmente e fortalecei-vos (I Co.16.13).
Porque a carne cobiça contra o Espírito, e o Espírito, contra a carne; e estes opõem-se um ao outro; para que não façais o que quereis (Gálatas, 5.17).

A VIGILÂNCIA EM RELAÇÃO AS AÇÕES DO DIABO.

Sede sóbrios, vigiai, porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar; ao qual resisti firmes na fé, sabendo que as mesmas aflições se cumprem entre os vossos irmãos no mundo (I Pedro, 5.8,9).

A VIGILÂNCIA EM RELAÇÃO A VOLTA DE JESUS.

Vigiai, pois, porque não sabeis a que hora há de vir o vosso Senhor.
Por isso, estai vós apercebidos também, porque o Filho do Homem há de vir à hora em que não penseis (Mateus, 24.42,44).
Vigiai, pois, porque não sabeis o Dia nem a hora em que o Filho do Homem há de vir (Mt.25.13).

CONCLUSÃO:
Todo cristão sincero que estar aguardando a volta de Jesus, deve viver uma vida de constante vigilância. Vigiar se constitui uma atitude prudente por parte dos crentes. O cristão que não vive em vigilância, está vulnerável aos ataques de Satanás e corre o risco de ser surpreendido na volta de JESUS. Portanto, vigiemos, porque o diabo não dorme, os seus ataques são pesados e constantes.

sábado, 16 de março de 2019

DISCERNINDO OS ESPÍRITOS.

Amados, não creiais em todo espírito, mas provai se os espíritos são de Deus (I João, 4.1).

Vivemos em um mundo de enganos, onde o falso e o verdadeiro são muito parecidos e se confundem, onde quase tudo é copiado e passado como original. Satanás é perito no engano, no disfarce, na mentira e na falsa aparência. Ele é um ser inteligente e habilidoso na arte do disfarce, do engano e da mentira. Paulo diz: "Porque não ignoramos os seus ardis"(IICo.2.11). E não é maravilha, porque o próprio Satanás se transfigura em anjo de luz (II Co.11.14). A falta de comunhão com Deus, a falta de conhecimento das Escrituras e de vigilância podem levar os crentes a caírem no laço do Diabo.

EXISTEM TRÊS TIPOS DE ESPÍRITOS:

O espírito do homem (I Coríntios, 2.11).

O espírito diabólico (I Timóteo, 4.1).

O Espírito de Deus (Romanos, 8.14).

TRÊS FORMAS DE DISCERNIR OS ESPÍRITOS:

- Através do crivo da palavra de Deus.

O crivo era uma espécie de peneira que era usado para separar os grãos. Neste caso a palavra de Deus é o crivo perfeito para ponderar, averiguar e examinar minuciosamente o que está sendo posto a prova. Quando o apóstolo João diz: Amados, não creiais em todo espírito, mas provai se os espíritos são de Deus, porque já muitos falsos profetas se têm levantado no mundo (I João, 4.1); isto significa dizer que, toda palavra que ouvimos em nome de Deus deve passar pelo crivo das Sagradas Escrituras. Os crentes de Beréia usavam as Escrituras como crivo para atestar o que Paulo pregava (Atos, 17.10,11). Se não usarmos a palavra de Deus como crivo, corremos o risco de não discernirmos e sermos enganados por aqueles que distorcem a verdade de Deus.

- Através da observação dos frutos.

Discernir não é julgar as pessoas pelo que aparentam, mas é observar os seus passos e procurar ver os seus frutos. o Senhor Jesus nos advertiu sobre os falsos profetas, Ele nos ensinou que os falsos profetas são conhecidos pelos “frutos que produzem”, isto é, pelo caráter (Mateus, 7.15-20).
A observação deve ser uma atitude prudente por parte do cristão, sendo assim será fácil perceber e discernir as intenções das pessoas. Está escrito: O simples dá crédito a cada palavra, mas o prudente atenta para os seus passos (Pv.14.15). Uma atitude prudente, poderá nos livrar de uma grande tragédia espiritual e até mesmo material.

- Através da revelação do Espírito Santo.

Podemos discernir os espíritos através do dom do Espírito Santo. Neste caso, é uma revelação sobrenatural concedida pelo Espírito Santo, para se perceber as ações e intenções dos espíritos; se verdadeiras ou falsas. Há casos específicos que humanamente falando é impossível alguém conseguir discernir. É exatamente nestes casos que o Espírito Santo entra em ação para revelar o que está obscuro, profundo e escondido.

EXEMPLOS DE DISCERNIMENTOS DOS ESPÍRITOS:

O profeta Aías (I Reis, 14.1-6).

O profeta Eliseu (II Reis, 6.20-27).

O apóstolo Pedro (Atos, 5.1-5).

O apóstolo Paulo (Atos, 16.16-18).

O Mestre Jesus Cristo (Mateus, 16.20-23).

CONCLUSÃO:
Devemos ficar atentos, porque o engano estar por toda parte, em todos os seguimentos da sociedade.
Nem tudo é o que aparenta ser; nem tudo que é "bom" é benigno; nem tudo que diz que vem de Deus é verdadeiro; e nem tudo que reluz é ouro. 

sexta-feira, 15 de março de 2019

FILIPE - O EVANGELISTA AUTÊNTICO.

E, descendo Filipe à cidade de Samaria, lhes pregava a Cristo. E as multidões unanimemente prestavam atenção ao que Filipe dizia, porque ouviam e viam os sinais que ele fazia, pois que os espíritos imundos saíam de muitos que os tinham, clamando em alta voz; e muitos paralíticos e coxos eram curados. E havia grande alegria naquela cidade. E estava ali um certo homem chamado Simão, que anteriormente exercera naquela cidade a arte mágica e tinha iludido a gente de Samaria, dizendo que era um grande personagem; ao qual todos atendiam, desde o mais pequeno até ao maior, dizendo: Este é a grande virtude de Deus. E atendiam-no a ele, porque já desde muito tempo os havia iludido com artes mágicas. Mas, como crescem em Filipe, que lhes pregava acerca do Reino de Deus e do nome de Jesus Cristo, se batizavam, tanto homens como mulheres. E creu até o próprio Simão; e, sendo batizado, ficou, de contínuo, com Filipe e, vendo os sinais e as grandes maravilhas que se faziam, estava atônito (Atos, 8.5-13).

Filipe é o único homem na bíblia que é chamado de evangelista. Este Filipe estava entre os sete que foram escolhidos para servirem as mesas na função de diácono (Atos, 6.1-6). Filipe logo se destacou na pregação do evangelho, e, depois de cerca de vinte anos ele aparece como evangelista. O escritor Lucas, diz: No dia seguinte, partindo dali Paulo e nós que com ele estávamos, chegamos a Cesaréia; e, entrando em casa de Filipe, o evangelista, que era um dos sete, ficamos com ele (Atos, 21.8).
Filipe, como um autêntico evangelista, estava cumprindo a ordem imperativa do Mestre (Mt.28.19,20; Mc.16.15,16). Ele inicia um grande projeto missionário; ele começou com os samaritanos e depois foi enviado pelo Espírito Santo a região de Gaza, a fim de levar o evangelho ao eunuco da rainha da Etiópia, que estava sedento da palavra de Deus (Atos, 8.26-39).

O Ministério de Evangelista.

O ministério de evangelista é o terceiro entre os cinco relacionados por Paulo na carta aos efésios 4.11. Na sua citação Paulo classifica cinco tipos de ministros: Apóstolos, profetas, evangelistas, pastores, mestres. O ministério de evangelista é extraordinário, um verdadeiro evangelista não se detêm em ficar fixo em uma igreja. Nos dias atuais parece haver muitos avivalistas e poucos evangelistas. Existem Igrejas super lotadas de pregadores, mas vazias de ganhadores de almas. E, além disso, a verdadeira função do evangelista, é que ele deve ser visto mais fora da Igreja do que dentro dela, isto é, que ele não seja somente visto numa função local; mas que sempre avance na direção das almas perdidas sem Cristo. A sua vocação é pregar o evangelho, ganhar almas para o Reino de Deus e fundar novas igrejas nas comunidades.

Podemos Identificar Três Tipos de Evangelistas:

* Todos os crentes que evangelizam e falam do amor de Cristo para as pessoas.

* Um ministro que desenvolve um trabalho evangelístico, mesmo não sendo sua vocação.

* O evangelista vocacionado, chamado e consagrado nesta função ministerial.

DEZ CARACTERÍSTICAS DE UM VERDADEIRO EVANGELISTA:

1- O Evangelista é um homem comprometido com a igreja local.

Filipe foi um dos escolhidos para servir a igreja de Jerusalém cuidando das obras sociais e auxiliando os apóstolos (At 6:5). Mesmo depois da dispersão que houve, devido a uma grande perseguição a igreja de Jerusalém. Filipe continuou em contato com a sua liderança (At 8:14), pois em Samaria os apóstolos foram supervisionar o seu trabalho. Hoje em dia vemos muitas pessoas que apenas querem ser “evangelistas itinerantes”, sem compromisso algum com uma comunidade cristã local.

2- O Evangelista é um homem de caráter ilibado.

O livro de Atos nos informa que Filipe, quando foi escolhido como diácono da Igreja, necessariamente precisava ser um homem de boa reputação (At 6:3). A responsabilidade de um evangelista é muito grande ao ser o mensageiro que anuncia as Boas-Novas da salvação. Infelizmente muitos que se intitulam evangelistas servem apenas como escândalo para o Evangelho, com uma conduta de vida completamente imoral e reprovada.

3- O Evangelista é um homem cheio do Espírito Santo e de sabedoria.

Mais um pré-requisito que Filipe possuía quando foi escolhido como diácono da Igreja (At 6:3). O fato de tais características serem pertinentes à sua escolha para a tarefa de servir a Igreja nas obras sociais no capítulo 6 de Atos, não anula a importância delas no desempenho da função de evangelista. Mais tarde, no capítulo 8 do mesmo livro, vemos que todas essas características estavam presentes em Filipe quando este pregava o Evangelho em diversos lugares. Filipe era alguém pleno do Espírito Santo e repleto de sabedoria, tanto servindo as viúvas e no cuidado aos pobres como desempenhando a tarefa de anunciar o Evangelho de Cristo.

4- O Evangelista é um homem corajoso.

Mesmo diante do assassinato do seu companheiro Estevão, o Evangelista Filipe não se calou (At 8:5). A possibilidade de que talvez ele fosse o próximo a ser apedrejado, não fez com que Filipe se intimidasse e abandonasse seu desejo de anunciar a Palavra de Deus.

5- O Evangelista é um homem oportunista e desbravador na obra da evangelização.

Após a morte de Estêvão houve uma grande perseguição contra a Igreja, de modo que, com exceção dos Apóstolos, todos se dispersaram. Filipe estava entre os que se dispersaram, mas, ao invés de se esconder, ele exerceu ainda mais a sua vocação. É exatamente nesse ponto de grande adversidade que temos, pela primeira vez, a descrição do Filipe Evangelista ao invés do diácono Filipe. Diante da ocasião que exigia que ele saísse de Jerusalém, Filipe aproveitou o momento para pregar o Evangelho pelos lugares em que passava.

6- O Evangelista procura centralizar sua mensagem em Cristo.

A mensagem do evangelista é cristocêntrica. Para o verdadeiro evangelista não há outra mensagem mais importante do que o Cristo ressuscitado. Se a pregação de alguém que se diz evangelista não apontar para Cristo, então esse alguém não passa de um enganador. Filipe pregava a Cristo (At 8:5). É triste como hoje em dia qualquer coisa se tornou mais importante nos temas das pregações do que a verdade sobre o perdão dos pecados e a obra de Cristo na cruz. Os ditos “evangelistas” estão mais preocupados em pregar bens e prosperidades, autoajuda, restituição e um monte de outras fantasias, do que de pregar sobre o arrependimento e a justificação mediante a fé em Cristo Jesus.

7- O Evangelista autêntico tem o seu ministério focado na palavra de Deus.

Esse é um ponto extremamente importante de se compreender. O livro de Atos descreve que grandes sinais acompanhavam o ministério de Filipe, de modo que pessoas eram libertas da opressão de demônios e doentes eram curados. Entretanto, o mesmo texto deixa claro que esse não era o objetivo principal do ministério de Filipe, ao contrário, o foco estava sob a pregação do Evangelho de Cristo, e essas coisas eram apenas a consequência de tal pregação, de modo que serviam de evidência da autoridade que havia na mensagem pregada pelo evangelista. Com isso, aprendemos que curas e libertações só podem acontecer em decorrência da pregação do Evangelho verdadeiro que liberta o homem. Não existe milagre sem a pregação da Palavra genuína. Se houver qualquer milagre onde o Evangelho legítimo não está sendo pregado, então esse milagre não vem da parte de Deus. Ultimamente falsos evangelistas estão enganando muitas pessoas com espetáculos de demônios. Os verdadeiros sinais, aqueles que de fato são frutos do poder sobrenatural de Deus, sempre apontarão para o Evangelho da graça e nunca para o perfil “milagroso” do evangelista. Lutero definiu muito bem esse ponto ao dizer: “Qualquer ensinamento que não se enquadre nas Escrituras deve ser rejeitado, mesmo que faça chover milagres todos os dias”.

8- O Evangelista é um homem que tem paixão pelas almas.

A grande satisfação do Evangelista é ver um pecador regenerado. Esse certamente é o maior milagre que pode existir. Filipe pregava as Boas-Novas de salvação, e, conforme a soberana vontade de Deus, pessoas eram regeneradas pelo Espírito Santo, sendo batizadas em seguida como evidência de que, agora, eram novas criaturas em Cristo Jesus (At 8:12).

9- O Evangelista é um homem que segue a direção do Espírito Santo.

O evangelista é disposto a obedecer e está sempre atento a voz de Deus. Filipe não agia segundo a sua própria vontade, antes, ele seguia a direção do Espírito Santo (Atos, 8.26-39). Com grande disposição, Filipe pregou em Samaria, Azoto, e em todas as cidades até chegar a Cesaréia onde fixou residência (At 8:5,40).

10- O Evangelista é um homem que sabe ensinar as Escrituras.

Filipe, obedecendo à ordem do Senhor, foi para a estrada que desce de Jerusalém para Gaza. Ali, ele encontrou um eunuco que na sua carruagem lia o livro do profeta Isaías, porém não conseguia compreender o que estava lendo. Filipe, como um autentico evangelista, ensinou-lhe as Escrituras mostrando ao eunuco que elas testificam de Cristo. Essa é uma verdade indivisível na tarefa da evangelização. Qualquer um que pretende desempenhar o evangelismo, obrigatoriamente precisa saber expor as Escrituras.

Como Deve Atuar Um Evangelista Na Época Atual?

- Promover e organizar junto a igreja local eventos evangelísticos.

- Discipular os crentes através de estudos, seminários e palestras acerca de evangelismo.

- Pregar sempre mensagens evangelísticas nas ocasiões oportunas.

- Procurar utilizar as mídias (todos os meios de comunicação) para propagar o Evangelho.

- Ir em busca das almas através do evangelismo pessoal, promover evangelismo nos lares através de curso bíblico, pregar em concentrações e cruzadas evangelísticas.

- Orar sempre pela obra missionária, por salvação de almas e crescimento do Reino de Deus.

Conclusão:
Um evangelista autêntico deve ser um desbravador na obra da evangelização; um vibrante, atuante e dinâmico pregador do Evangelho. Ele fica inquieto quando não ganha almas e quando não vê almas se convertendo a Cristo. A palavra de Deus nos diz: Ó vós que fazeis menção do SENHOR, não haja silêncio em vós (Is.62.6). Ele clama por salvação e justiça. Por amor de Sião, não me calarei e, por amor de Jerusalém, não me aquietarei, até que saia a sua justiça como um resplendor, e a sua salvação, como uma tocha acessa (Is.62.1). Ele é um verdadeiro arauto do Evangelho.

Parte deste estudo foi extraído e adaptado do site estilo a adoração.
Link: https://estiloadoracao.com/o-que-e-um-evangelista/

domingo, 10 de março de 2019

QUEM FOI O JOVEM QUE CORREU DESPIDO?

Logo em seguida, todos fugiram e o abandonaram. Certo jovem, vestindo apenas um lençol de linho, estava seguindo Jesus, quando também tentaram prendê-lo. Mas ele, largando o lençol fugiu desnudo (Marcos, 14.50-52).

Jesus chamou a atenção dos guardas, para o fato de que suas armas eram desnecessárias, pois Ele não estava liderando uma rebelião (14.48). Ele não resistiria à prisão, pois esse evento havia sido preordenado (14.49). Ao observar Jesus permitindo que o prendesse, os discípulos se viraram e fugiram (14.50). Este abandono Jesus havia predito em 14.27 quando disse aos discípulos: Todos vós esta noite vos escandalizareis em mim, porque escrito está: Ferirei o pastor, e as ovelhas se dispersarão.
A prisão foi seguida por um incidente relatado apenas no evangelho de Marcos. Isso tem levado muitos estudiosos da Bíblia a assumir que o jovem, coberto unicamente com um lençol de linho, deve ter sido o próprio Marcos. Marcos, também conhecido por João Marcos no livro de Atos, morava com sua mãe, que tinha sua residência em Jerusalém (Atos, 12.12; 15.37). Segundo a tradição, a casa da mãe de Marcos teria sido o local onde foi celebrada a última ceia. Judas foi o primeiro a sair do local da celebração para em seguida trair Jesus. Pouco depois, Jesus vai com seus discípulos ao Getsêmani. É provável, que os soldados foram até a casa de Maria, mãe de Marcos, a procura de Jesus, que já não se encontrava lá. Seria perfeitamente possível que Marcos tivesse corrido até o Getsêmani para avisar a Jesus acerca da sua prisão. Como o evento ocorreu a noite, subtende-se que Marcos já estava vestido com o seu lençol de linho, pronto para dormir. Na pressa, na ânsia de correr para ainda em tempo avisar a Jesus e aos discípulos, ele correu com o traje que estava. Quando ele chega no local do jardim do Getsêmani, se depara com os soldados prendendo a Jesus e os discípulos se dispersando; vendo esta cena, ele corre para não ser preso e para facilitar a sua fuga, ele larga o lençol e foge despido.

sábado, 9 de março de 2019

A GLÓRIA DO SENHOR NO VALE

E a mão do SENHOR estava sobre mim ali, e Ele me disse: Levanta-te e sai ao vale, e ali falarei contigo. E levantei-me e desci ao vale, e eis que a glória do SENHOR estava ali, como a glória que vi junto ao rio Quebar; e caí sobre o meu rosto (Ezequiel, 3.22,23).

Ezequiel o profeta das visões, estava entre os cativos de Judá junto ao rio Quebar, onde Deus revelou a sua glória ao profeta através de visões extraordinárias. O profeta estava na terra dos caldeus, na Babilônia, e ele declara por mais de uma vez que a mão do SENHOR estava sobre ele.
Ezequiel, cujo nome significa "Deus fortalece", era de família sacerdotal (1.3) e passou os primeiros vinte e cinco anos da sua vida em Jerusalém. Estava se preparando para o ofício sacerdotal do templo quando foi levado cativo à Babilônia em 597 a.C. Uns cinco anos mais tarde, aos trinta anos (1.2,3), Ezequiel recebeu sua chamada profética da parte de Deus, e a partir daí ministrou fielmente durante vinte e dois anos, pelo menos (29.17). Ezequiel tinha uns dezessete anos quando Daniel foi deportado, portanto, os dois eram praticamente da mesma idade. Ezequiel e Daniel foram contemporâneos de Jeremias, porém mais jovens que ele, provavelmente, foram influenciados por  ele, por ser profeta mais velho em Jerusalém. Quando Ezequiel chegou à Babilônia, Daniel já era bem conhecido como homem de elevada sabedoria profética; Ezequiel refere-se a ele três vezes no seu livro (14.14,20; 28.3). Ao contrario de Daniel, Ezequiel era casado (24.15-18), e vivia como um  cidadão comum entre os exilados judeus, junto ao rio Quebar (1.1; 3.15,24; Sl.1371).

DESCENDO O VALE PARA OUVIR A VOZ DE DEUS.

A primeira informação que Ezequiel nos passa, é que a mão do SENHOR estava sobre ele.
Quando a mão de Deus está sobre nós, é sinal que estamos sendo guiados, guardados e protegidos por Ele. A segunda informação, é quando o SENHOR manda o profeta se levantar e sair ao vale.
Geralmente quem está sentado ou deitado, está acomodado, e quando Deus pede para se levantar é porque Ele nos quer em ação para cumprir alguma missão.
O propósito de Deus era falar com o profeta no vale. O profeta obedeceu: E levantei-me e desci ao vale, e eis que a glória do SENHOR estava ali, como a glória que vi junto ao rio Quebar; e caí sobre o meu rosto (3.23). Aprendemos com o profeta, que muitas vezes precisamos nos dispor e obedecermos a ordem do SENHOR, que quer falar conosco no vale. O profeta estava em cima, em um lugar elevado; mas ele precisou descer ao vale para ouvir a voz de Deus e ver a sua glória. Muitas vezes, isto também acontece conosco, as vezes o nosso ego, a nossa prepotência, a nossa alto-confiança nos leva as alturas e nos impede de ouvir a voz de Deus. É preciso obedecermos e descermos ao vale da humilhação para ouvirmos a voz de Deus e vermos a sua glória. Não podemos viver sem ouvir a voz de Deus e sem a glória da sua presença. Precisamos descer para ouvir a voz de Deus e sentirmos a glória da sua presença. Quem não desce ao vale da humilhação, nunca vai subir ao monte da exaltação. Porque Deus abate todos os exaltados, mas exalta todos os humilhados. Está escrito: Humilhai-vos perante o Senhor, e ele vos exaltará (Tiago, 4.10). Porque Deus resisti aos soberbos, mas dá graça aos humildes (Tiago, 4.6). Portanto, é melhor está no deserto ou no vale dentro da vontade de Deus, do que está em destaque sendo o centro das atenções, aplaudido e ovacionado pelo público, e fora da vontade de Deus.
Conclusão: Quem obedece e desce ao vale, sobe como profeta do SENHOR, para transmitir a mensagem de Deus para o povo. Amém!

quinta-feira, 7 de março de 2019

A VITÓRIA DE JESUS SOBRE SATANÁS.

E, tendo despojado os poderes e as autoridades, fez deles um espetáculos público, triunfando sobre eles na cruz (Colossenses, 2.15).

Jesus veio com a missão de implantar o Reino de Deus e aniquilar a império do Diabo. Satanás foi vencido na cruz, quando Cristo declarou: Está consumado! Depois desta declaração, foi decretada a derrota de Satanás.
Jesus Cristo é o grande Vencedor, Ele venceu o mundo físico e espiritual. Jesus nunca precisou pedir revanche para Satanás, porque Ele nunca perdeu. O problema é que Satanás é teimoso e não quer admitir que está derrotado. Está escrito, que o Filho de Deus se manifestou para desfazer as obras do Diabo (I João, 3.8). Perturbem-se os homens na terra, os demônios no inferno e Satanás no seu reino, mas o Grande Vencedor e Campeão é Jesus Cristo. Jesus não venceu Satanás como Deus, Ele o venceu como homem. Está escrito: E, visto como os filhos participam da carne e do sangue, também Ele participou das mesmas coisas, para que, pela morte, aniquilasse o que tinha o império da morte, isto é, o Diabo, e livrasse todos os que, com medo da morte, estavam por toda a vida sujeitos à escravidão (Hebreus, 2.14,15).

SATANÁS DERROTADO SETE VEZES POR JESUS:

Jesus Venceu Satanás no Deserto (Mateus, 4.1-11).

Jesus Venceu Satanás nos Homens (Marcos, 5.1-20).

Jesus Venceu Satanás Durante o Seu Ministério (Atos, 10.38).

Jesus Venceu Satanás na Cruz (Colossenses, 2.15).

Jesus Venceu Satanás na sua Ressurreição (Mateus, 28.18; Marcos, 16.15-18).

Jesus Venceu Satanás no Inferno (Efésios, 4.8-10; Ap.1.17,18).

Jesus Vai Destruir Satanás Quando vier em Glória (Ap.19.11-21; Ap.20.7-10).

* Nunca queira colocar Satanás paralelo a Jesus; Jesus é sublime, soberano e incomparável. 

quarta-feira, 6 de março de 2019

JOSUÉ NUNCA SE APARTAVA DA TENDA.

E, vendo o povo a coluna de nuvem que estava à porta da tenda, todo o povo se levantava, e inclinavam-se cada um à porta da sua tenda.
E falava o SENHOR a Moisés face a face, como qualquer fala com o seu amigo; depois, tornava ao arraial; mas o moço Josué, filho de Num, seu servidor, nunca se apartava do meio da tenda (Êxodo, 33.7-11). 

A tenda do encontro ou tenda da congregação, era uma tenda especial onde Deus manifestava a sua glória e falava com Moisés. O texto sagrado diz, que o povo que buscava ao SENHOR, saiam das suas tendas e cada um ficava em pé à porta da sua tenda para verem Moisés pelas costas entrar na tenda do encontro, e em seguida verem a nuvem da glória de Deus descer sobre a tenda. Diante desta visão o povo se inclinava e adorava a Deus.
Deus falava com Moisés, e Moisés transmitia a mensagem de Deus para o povo. Porém, havia um moço chamado Josué, que nunca se apartava do meio da tenda.

Josué, nunca se apartava da Tenda. Josué era um jovem que servia a Moisés, ele dedicava todo o seu tempo auxiliando Moisés no seu ministério. Josué não somente servia fielmente a Moisés, como também crescia na sua vida de comunhão com Deus. Ele aprendeu a permanecer longo tempo a sós com Deus. Essa dedicação o preparou para ser o sucessor de Moisés.
Não se apartar da tenda significa estar constantemente na presença de Deus, preferindo antes as coisas sagradas do que os entretenimento seculares. Vivemos uma época em que vem se tornando quase impossível os cristãos viverem uma vida de comunhão com Deus. O fato é que a modernidade vem dominando e ditando um estilo de vida que vem distanciando muitos cristãos de uma vida de comunhão com Deus. Porém, os verdadeiros adoradores não serão dominados pelo sistema, mas continuarão em comunhão profunda com Deus, e nunca irão se apartar da tenda. 

A Tenda significa: Comunhão, devoção, adoração, louvor, gratidão, oração, intercessão, meditação, revelação e conhecimento da palavra de Deus. Na Tenda o nosso caráter é moldado, na Tenda o nosso ego é tirado, na Tenda nós amadurecemos espiritualmente, na Tenda nós aprendemos e crescemos para glória de Deus.

Infelizmente, muitos cristãos se apartaram da Tenda e estão presos na rede. Muitos se tornaram escravos das redes sociais e passam a maior parte do seu tempo online na internet e off-line com Deus. Muitos cristãos não oram mais, nem leem a bíblia, porque estão super ocupados nas redes sociais. Não há nada de errado utilizarmos as redes sociais, desde que seja para glória de Deus. Está escrito: Portanto, quer comais, quer bebais ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para glória de Deus (I Co.10.31). 
Que possamos seguir o exemplo de Josué, que não se apartava da Tenda. Que possamos dar prioridade as coisas de Deus e as demais sejam secundarias.