segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

DEUS É PAI.

Como um pai se compadece de seus filhos, assim o SENHOR se compadece daqueles que o temem. Pois Ele conhece a nossa estrutura; lembra-se de que somos pó (Sl.103.13,14).

Deus é Pai de todos, todos nós somos filhos de Deus partindo do princípio de que Ele é o nosso criador. Devemos aprender que, Deus é Pai de Jesus, por geração; Deus é Pai de Adão, por criação; Deus é Pai dos cristãos, por adoção. A paternidade de Deus é universal pelo fato de ser Ele o Criador de todas as coisas, porém, as suas promessas são para aqueles que o temem.
Neste salmo Davi nos fala sobre a atitude de um pai terreno que se compadece de seus filhos, em seguida ele compara o pai terreno com o Pai celeste. Assim como um pai terreno se preocupa em cuidar, proteger, alimentar, prover e sustentar seus filhos; assim mesmo, Deus nosso Pai celeste, tem todas estas preocupações conosco. Todavia, devemos ser filhos obedientes e tementes a Ele, para termos direito de desfrutar todas as bênçãos que tem para dar aos seus filhos.
Deus como Pai, Ele é compassivo; pois Ele se compadece de nós.
Deus como Pai, Ele é amoroso; pois Ele nos ama com amor eterno.
Deus como Pai, Ele é compreensível; Ele nos compreende. Pois Ele conhece a nossa estrutura; lembra-se de que somos pó (Sl.103.14).
Ele conhece a nossa estrutura, nossas fraquezas, nossas limitações, nossos temores e a nossa fé. Não temas, mas descanse nos braços de seu Pai, confie Nele, e Ele lhe abençoará como filho. Nós somos filhos, não bastardos. Não tenha medo, você é filho (a) de Deus. Porque não recebestes o espírito de escravidão, para, outra vez, estardes em temor, mas recebestes o espírito de adoção de filhos, pelo qual clamamos Aba Pai (Rm.8.15).
* Aba Pai é uma expressão de origem aramaica, que significa, "meu pai".
Portanto, descanse nas promessas de Deus, Ele é o seu Pai. Amém!

domingo, 14 de janeiro de 2018

SETE MANIFESTAÇÕES DA GRAÇA NO SALMO 103.

Bendize, ó minha alma, ao SENHOR, e tudo o que há em mim bendiga o seu santo nome. Bendize, ó minha alma, ao SENHOR, e não te esqueças de nenhum de seus benefícios. É ele que perdoa todas as tuas iniquidades e sara todas as tuas enfermidades; quem redime a tua vida da perdição e te coroa de benignidade e de misericórdia; quem enche a tua boca de bens, de sorte que a tua mocidade se renova como a águia (Salmos, 103.1-5).

Neste salmo Davi demonstra a sua gratidão ao SENHOR por todos os benefícios que Ele lhe proporciona pela sua graça e misericórdia. Davi louva ao SENHOR por causa da sua bondade e misericórdia, ele faz menção da palavra "misericórdia" por quatro vezes (vers.4,8,11,17). Ele convida os anjos, todos os exércitos do SENHOR, seus ministros e todas as suas obras, a louvarem ao SENHOR por sua grandeza, bondade e misericórdia (Vers.19-22). Neste salmo Davi cita algumas palavras que manifestam a graça de Deus, como: Perdão, cura, remissão, justiça e misericórdia.

PERDÃO.
Ele perdoa todas as tuas iniquidades (vers.3a).

CURA.
Sara todas as tuas enfermidades (vers.3b).

REMISSÃO.
Quem redime a tua vida da perdição (vers.4a).

MISERICÓRDIA.
E te coroa de benignidade e de misericórdia (vers.4b).
Misericordioso e piedoso é o SENHOR; longânimo e grande em benignidade (vers.8).

PROVISÃO.
Quem enche a tua boca de bens, de sorte que a tua mocidade se renova como a águia (vers.5).

JUSTIÇA.
O SENHOR faz justiça e juízo a todos os oprimidos (vers.6).

COMPAIXÃO.
Como um pai se compadece de seus filhos, assim o SENHOR se compadece daqueles que o temem (vers.13).

sábado, 13 de janeiro de 2018

TRÊS TIPOS DE OBREIROS.

Amado, desejo que te vá bem em todas as coisas e que tenhas saúde, assim como bem vai a tua alma. Porque muito me alegrei quando os irmãos vieram e testificaram da tua verdade, como tu andas na verdade. Não tenho maior alegria que esta: Saber que meus filhos estão andando na verdade (3 João, 2,3,4).

O Reino de Deus cresce a cada dia, e a igreja do Senhor avança fazendo a obra de Deus. A seara é grande, e há uma multidão de obreiros em plena atividade, porém, há vários tipos de obreiros que fazem a obra com intenções diferentes; uns aprovados por Deus, outros, totalmente reprovados.
O apóstolo João, ao escrever a sua terceira carta, ele tem um sentimento de alegria ao ver que os irmãos estão andando na verdade. Nesta breve carta, João elogia dois obreiros por suas ações virtuosas e se queixa de um obreiro por causa de suas atitudes negativas. Que tipo de obreiro estamos sendo na obra de Deus, um obreiro aprovado, digno de elogios; ou um obreiro reprovado, digno de repreensão?

GAIO.

O obreiro fiel.
Amado, procedes fielmente em tudo o que fazes para com os irmãos e para com os estranhos (vers.5).
Gaio era um obreiro fiel e abnegado em tudo que fazia. A sua fidelidade era testificada pelos irmãos (vers.3). Gaio era um líder amoroso e hospitaleiro, ele recebia de bom grado os irmãos e os hospedava, bem como os estrangeiros (vers.5-8).
A qualidade de fiel é indispensável na vida do obreiro. Paulo também faz referencia a essa qualidade em sua carta aos coríntios, quando diz: Que os homens nos considerem como ministros de Cristo e despenseiros dos mistérios de Deus. Além disso, requer-se nos despenseiros que cada um se ache fiel (I Co.4.1,2). Infelizmente, esta qualidade está sendo uma raridade entre os obreiros. Fidelidade: Este princípio de vida ministerial é uma pratica exercida por poucos. O fato é que, estamos vendo muitos obreiros infiéis e traidores e poucos fiéis.

DIÓTREFES.

O obreiro presunçoso.
Tenho escrito à igreja; mas Diótrefes, que procura ter entre eles a primazia, não nos recebe. Pelo que, se eu for, trarei à memória as obras que ele faz, proferindo contra nós palavras maliciosas; e, não contente com isto, não recebe os irmãos, e impede os que querem recebê-los, e os lança fora da igreja (vers.9,10).
Diótrefes era um obreiro presunçoso pelo fato de querer a primazia para si e desprezar os outros. Ele não recebia os obreiros enviados por João e ainda punia os irmãos que lhes dessem hospedagem. Diótrefes era um obreiro orgulhoso e não aceitava ser submisso a liderança do apóstolo João. Havia nele um sentimento de rebelião, ele falava mal da liderança de João e desrespeitava os obreiros por ele liderados.
Hoje não é diferente, temos muitos obreiros presunçosos, orgulhosos e insubmisso ao seu líder. Muitos são independentes, acham que sabem muito, são muito popular, são famosos e aplaudidos pelo publico. O fato é que, a humildade, a submissão e a obediência estão em extinção na vida de muitos obreiros; mas Deus conta com os humildes e obedientes para fazer a sua obra. Está escrito, que Deus resisti aos soberbos, mas dá graça aos humildes (Tiago, 4.6). Sejamos humildes, e a graça de Deus será abundante na nossa vida. Amém!

DEMÉTRIO.

O obreiro aprovado.
Amado, não siga o mal, mas o bem. Quem faz bem é de Deus; mas que faz mal não tem visto a Deus. Todos dão testemunho de Demétrio, até a mesma verdade; e também nós testemunhamos; e vós bem sabeis que o nosso testemunho é verdadeiro (vers.11,12).
Demétrio era um bom obreiro, um obreiro admirável, ao ponto que todos davam testemunho dele, inclusive a própria verdade e os líderes da igreja. Demétrio se destacava como obreiro pelo fato de ele amar a verdade e andar nela. Obreiro aprovado é aquele que anda na verdade, vive a verdade, prega a verdade e não aceita nem comunga com a mentira.
Paulo nos aconselha: Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade (II Tm.2.15).
Infelizmente, hoje nós vemos muitos obreiros desaprovado, agindo com parcialidade, sendo favorável aquilo que lhe é conveniente, mesmo sabendo que é errado. Obreiros maliciosos, em busca de seus próprios interesses, preocupados com sua agenda, e em engordar a sua conta bancária. São obreiros que não tem compromisso com a Verdade. Obreiros que pregam o que o povo gosta de ouvir, não o que o povo precisa ouvir. Que estes se convertam para alcançarem o perdão e a misericórdia de Deus. Caso contrário, Deus vai pesa-los em sua balança de justiça e chama-los a prestação de contas.

quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

SALMOS 91 DE FORMA EXPOSITIVA.

Aquele que habita no esconderijo do Altíssimo, à sombra do Onipotente descansará. Direi do SENHOR: Ele é o meu Deus, o meu refúgio, a minha fortaleza, e nele confiarei (Sl.91.1,2).

Depois do salmo 23, o salmo 91 é o mais conhecido de todos. Este salmo, para muitos é tido como sinistro e até assustador pelas suas declarações. Muitos usam este salmo como amuleto, considerando que ele é o salmo mais poderoso da bíblia, e que sua leitura traz proteção e afasta o mal. Há pessoas que deixam a bíblia aberta neste salmo permanentemente, de dia e de noite, de maneira que a sua página chega a ficar amarelada e surja de poeira. Muitos acreditam que, por ser um salmo que tem fortes declarações espirituais, ele seja o mais poderoso. Todavia, é preciso entender que toda a palavra de Deus é poderosa e eficaz contra as forças do mal.

Particularidades do salmo 91. 
Este salmo no original do hebraico não tem título, e não está declarado o seu escritor, nem a data de sua composição. Os doutores judaico consideram ter sido escrito por Moisés, devido a muitas expressões similares as que ele escreveu no livro de deuteronômio. Todavia, não há absoluta certeza de sua autoria. Este é o único salmo que utiliza a expressão "El Elyon", Deus Altíssimo. Neste salmo Deus aparece como El Shaday, El Elyon e Yaveh, o SENHOR.

ENTENDENDO O SALMO 91 DE FORMA EXPOSITIVA.

*Aquele que habita no esconderijo do Altíssimo, à sombra do Onipotente descansará (vers.1).
Habitar, implica em dizer, aquele que vive na habitação do Altíssimo. Isto também significa dizer, aquele vive em comunhão com Deus.
Descansar à sombra do Onipotente, nos fala de conforto e segurança.

*Direi do SENHOR: Ele é o meu Deus, o meu refúgio, a minha fortaleza, e nele confiarei (vers.2).
Declarar que o SENHOR é o meu Deus, é tê-lo como prioridade acima de todas as coisas.
O meu refúgio.
Deus como nosso refúgio nos garante abrigo seguro diante das tempestades da vida.
Torre forte é o nome do SENHOR; para ela correrá o justo e estará em alto retiro (Pv.18.10).
A minha fortaleza.
Fortaleza nos fala de força, de proteção, de lugar seguro.
Nele confiarei.
Confiar em Deus é uma questão de fé. Deus conhece aqueles que confiam Nele. Assim está escrito: O SENHOR é bom, uma fortaleza no dia da angústia, e conhece os que confiam nele (Naum, 1.7).

* Porque ele te livrará do laço do passarinheiro e da peste perniciosa (vers.3).
O laço do passarinheiro.
O laço do passarinheiro, é uma armadilha bastante atrativa, feita pelo caçador de passarinhos, para pega-los desapercebidos. No sentido espiritual o laço do passarinheiro, são armadilhas feitas por Satanás para atrair e em seguida destruir os servos de Deus.
A peste perniciosa.
A peste é uma praga, uma epidemia. Perniciosa, significa mortal, nociva, destruidora.
Isto caracterizar uma ação do Diabo, que vem para matar, roubar e destruir.

* Ele te cobrirá com as suas penas, e debaixo das suas asas estarás seguro; a sua verdade é escudo e broquel (vers.4).
Ele te cobrirá com as suas penas, e debaixo das suas asas estarás seguro.
Isto nos fala de cuidado e proteção. Comparando o zelo e o cuidado que a galinha tem em proteger os seus pintinhos debaixo das suas asas para não serem devorados pelos predadores, assim é também o cuidado do Eterno em nos proteger dos ataques de Satanás.

A sua verdade é escudo e broquel.
A sua verdade, isto é, a palavra de Deus é escudo e broquel.
Broquel é um escudo pequeno que serve para defesa corporal numa luta corpo a corpo. Enquanto que o escudo propriamente dito, tem uma proporção maior que protege o guerreiro de ataques a longa distância. O broquel era usado tanto para se defender como para atacar. Assim é a palavra de Deus, a sua verdade nos defende e serve também para atacar nas batalhas da vida.

*Não temerás espanto noturno, nem seta que voe de dia, nem peste que ande na escuridão, nem mortandade que assole ao meio dia (vers.5,6).
Não temer espanto noturno, é não ter medo do terror que campeia a calada da noite, para perturbar e tirar a nossa paz.
A seta que voa de dia, são investidas do mal para nos causar danos, seja no nosso corpo, na nossa alma, e até na nossa mente.
Peste que ande na escuridão, são pragas diabólicas que se movem sorrateiramente nas trevas.
Nem mortandade que assole ao meio dia. Mortandade é o demônio da morte que devasta e dizima vidas que estão sem a proteção de Deus.

*Mil cairão ao teu lado, e dez mil, à tua direita, mas tu não serás atingido. Somente com os teus olhos olharás e verás a recompensa dos ímpios. Porque tu, ó SENHOR, és o meu refúgio! O Altíssimo é a tua habitação (vers.7,8,9).
Isto nos fala de livramento e proteção, quem tem o Altíssimo como seu refúgio e habitação, não será atingido pelo mal.
O ímpio tem uma falsa prosperidade, mas no final os olhos dos justos contemplará a retribuição destinada aos ímpios.
Os ímpios serão lançados no inferno e todas as gentes que se esquecem de Deus (Sl.9.17).

*Nenhum mal te sucederá, nem praga alguma chegará a tua tenda. Porque aos seus anjos dará ordem a teu respeito, para te guardarem em todos os teus caminhos; eles te sustentarão nas tuas mãos, para que não tropeces com o teu pé em pedra (vers.10,11,12).
O mal não alcançará e nem praga atingirá a nossa casa. Porque Deus dá ordem aos anjos para nos proteger. O anjo do SENHOR acampa-se ao redor dos que o temem, e os livra (Sl.34.7).

*Pisarás o leão e a áspide; calcarás aos pés o filho do leão e a serpente (vers.13). 
No mundo natural é impossível uma pessoa enfrentar e pisar um leão, o mais feroz dos animais; bem como pisar na áspide, que é uma especie de cobra venenosa.
Pisarás o leão e a áspide; calcarás aos pés o filho do leão e a serpente, é uma expressão que confere autoridade sobre as forças do mal. Essa autoridade foi dada aos discípulos de Jesus, quando Ele disse: Eis que vos dou poder para pisar serpentes, e escorpiões, e toda a força do inimigo, e nada vos fará dano algum (Lc.10.19).

*Pois que tão encarecidamente me amou, também eu o livrarei; pô-lo-ei num alto retiro, porque conheceu o meu nome. Ele me invocará, e eu lhe responderei; estarei com ele na angústia; livrá-lo-ei e o glorificarei. Dar-lhe-ei abundância de dias e lhe mostrarei a minha salvação (vers.14,15,16).
Nestes versículos estão descritas algumas promessas para aqueles que amam ao SENHOR e o conhece. As promessas aqui dizem respeito a livramento, respostas as orações, socorro na adversidade, exaltação, longevidade e salvação revelada.

Conclusão:
Este salmo diz respeito aquele que procura viver em comunhão com Deus. Todas as promessas de proteção, livramento, longevidade, exaltação e salvação contidas neste salmo, só tem a sua eficacia na vida daquele que está habitando no esconderijo do Altíssimo. 

sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

A GRAÇA NOS BASTA.

E, para que me não gloriasse pelas excelências das revelações, foi-me dado um espinho na carne, a saber um mensageiro de Satanás, para me esbofetear, a fim de não me exaltar. Acerca do qual três vezes orei ao Senhor, para que desviasse de mim. E disse-me: A minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza ... (II Co.12.7-9).

Paulo nos fala sobre suas experiências de intimidade com Deus, ele relata que lhe foi dado um espinho em sua carne para ele não se gloriar acerca das revelações que recebia do Senhor. Este espinho na carne que Paulo fala, não ficou bem entendido acerca do que se tratava, mas o fato é que lhe incomodava, a ponto de ele ter orado três vezes ao Senhor, para que lhe retirasse, e como resposta o Senhor lhe disse: "A minha graça te basta".
A graça do Senhor podia se manifestar a Paulo de duas maneiras: Livrando-o daquele espinho, ou dando-lhe condições de suportá-lo. E foi exatamente da segunda maneira o que lhe ocorreu. Precisamos entender que a graça nos é dada para suportarmos e amadurecermos; e nunca para nos gloriarmos.
Jesus é a expressão máxima da Graça de Deus, sendo Ele o Agente pelo qual a Graça se manifesta. Somente Nele por Ele, o homem encontrará o favor de Deus.
Em Jesus está a Graça, Ele é a própria Graça; logo Jesus é tudo o que a humanidade precisa. Ele disse: "Sem mim nada podeis fazer"(Jo.15.5). Jesus é que nos basta, só a sua graça nos satisfaz.

POR QUE A GRAÇA NOS BASTA?

Porque somos salvos pela Graça.
Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isso não vem de vós; é dom de Deus (Ef.2.8).

Porque somos perdoados pela Graça.
Em quem temos a redenção pelo seu sangue, a remissão das ofensas, segundo as riquezas da sua graça (Ef.1.7).

Porque somos justificados pela Graça.
Sendo justificados gratuitamente pela sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus (Rm.3.24).

Porque somos fortalecidos pela Graça.
Tu, pois, meu filho, fortifica-te na graça que há em Cristo Jesus (II Tm.2.1).

Porque estamos crescendo na Graça.
Antes, crescei na graça e conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo (II Pe.3.18).

CONCLUSÃO:
A graça de Deus nos basta, pois a sua graça nos é suficiente em todas as circunstância da vida. Sem esta graça nós somos pobre, miserável e desvalido; mas com a graça nós somos ricos, fortes e vencedores. Viva debaixo da graça de Deus, Ele tem faz vencedor. Amém!

quinta-feira, 4 de janeiro de 2018

SETE ANOS DO BLOG PREGANDO A VERDADE.

Foi o SENHOR que fez isto, e é coisa maravilhosa aos nossos olhos (Salmos, 118.23).

Estamos comemorando sete anos do nosso Blog Pregando a verdade. 
Obrigado a todos os seguidores e simpatizantes que acessam o nosso Blog diariamente.
Pela graça de Deus, nosso Blog tem atingido a marca de mais de um milhão e meio de acessos. Com mais de duas mil visualizações diárias que somam mais de 70 mil mensal. Com cerca de 500 postagens, e quase 600 comentários e mais de 200 seguidores diretos.
O Blog Pregando a Verdade já registra mais de 120 nações que nos visitam diariamente, nos dando assim uma boa posição entre os melhores do Brasil.
O nosso propósito é semear a boa palavra de Deus e propagar o Reino de Deus em todas as nações.
Quero na oportunidade agradecer ao Espírito Santo pela inspiração e graça que me concede, para que eu possa escrever sobre os mais diversos temas.

OBRIGADO A TODOS!
Continuem acessando, comentando e divulgando o Blog Pregando a Verdade.
Um abraço a todos, no amor de Cristo. 

quarta-feira, 3 de janeiro de 2018

O TEMOR DO SENHOR.

O temor do SENHOR é fonte de vida, para desviar dos laços da morte (Pv.14.27).

Todo homem que anda no temor do SENHOR é feliz e a sua vida é bem sucedida. Uma sociedade que não teme a Deus vive a beira de um caos moral e é incapaz de respeitar o seu próximo.
O sábio Salomão diz: De tudo o que se tem ouvido, o fim é: Teme a Deus e guarda os seus mandamentos; porque este é o dever de todo homem (Ec.12.13).
Temer ao SENHOR não se trata de ter medo, mas de ter respeito.
O temor ao SENHOR envolve reverencia, respeito, honra, adoração e obediência.
É impossível uma pessoa dizer que teme a Deus e viver cheia de maldade e na pratica do pecado.

CINCO RAZÕES PELAS QUAIS DEVEMOS TEMER AO SENHOR.

ELE É DEUS (Salmos, 89.7).

ELE É SANTO (Isaías, 6.1-3).

ELE É REI (Isaías, 43.15).

ELE É SENHOR (Habacuque, 3.2).

ELE É PAI (Malaquias, 1.6).

CINCO CARACTERÍSTICAS QUE IDENTIFICAM UM CRENTE QUE TEME AO SENHOR.

ANDA NA VERDADE (Efésios, 4.24,25); (Zacarias, 8.16,17).

ANDA EM SANTIDADE (I Pedro, 1.15,16).

ANDA EM HUMILDADE (Efésios, 4.1,2); (Miquéias, 6.8).

ANDA EM AMOR (Efésios, 5.1,2); (João, 13.34,35).

ANDA COMO FILHO DA LUZ (Efésios, 5.8).

CONCLUSÃO:
Temer ao SENHOR é questão de sabedoria, aquele que for sábio viverá sob o temor do SENHOR. Está escrito que o temor do SENHOR é o princípio da sabedoria (Pv.9.10). Feliz aquele que teme ao Senhor e anda no seu caminho. Temer ao SENHOR, deve ser um princípio de vida praticado por todo cristão verdadeiro, porque o temor do SENHOR nos livra dos laços da morte e nos encaminha para vida. Amém!