sábado, 31 de outubro de 2020

DEZ FATOS RELACIONADOS AO SOFRIMENTO DE JÓ.

 

O lamento de Jó foi razoável e compreensível, diante da extrema provação e sofrimento que ele estava enfrentando. Jó em seu desespero chegou a amaldiçoar o dia do seu nascimento (3.1-10) e se perguntou: Por que não morri ao nascer, e não pereci quando saí do ventre? Por que não me sepultaram como criança abortada, como um bebê que nunca viu a luz do dia? (3.11,16). Mesmo desconhecendo a razão das adversidades que se abateram sobre ele, o patriarca não negou a Deus nem o amaldiçoou. Todavia, como homem, em sua humanidade ele expôs todo o seu lamento. O sofrimento de Jó era físico, social, emocional e espiritual.

1- Jó ficou deprimido.

Tu me deixaste deprimido, o que é uma testemunha disso (16.8a).

2- Jó teve síndrome do pânico.

Com tanto medo da multidão e do desprezo dos familiares que me calei e não saí de casa... (31.34).

3- Jó teve perda de peso.

A minha magreza se levanta e depõe contra mim (16.8b).

4- Jó teve insônia.

Quando me deito, fico pensando: Quanto vai demorar para eu me levantar? A noite se arrasta, e eu fico me virando na cama até o amanhecer (7.4).

5- Jó teve seu corpo coberto de vermes e sua pele rachada.

Meu corpo está coberto de vermes e cascas de ferida, minha pele está rachada e vertendo pus (7.5).

6- Jó teve um mau hálito insuportável.

Minha mulher acha repugnante o meu hálito; meus próprios irmãos têm nojo de mim (19.17).

7- Jó sentia dores nos ossos.

A noite penetra os meus ossos; minhas dores me corroem sem cessar (30.17).

8- Jó teve sua pele escurecida e febre.

Minha pele escurece e cai; meu corpo queima de febre (30.30).

9- Jó teve olheiras profundas de tanto chorar.

Meu rosto está rubro de tanto eu chorar, e sombras densas circundam os meus olhos (16.16).

10- Jó não tinha paz nem descanso.

Não tenho paz, nem tranquilidade, nem descanso; somente inquietação (3.26).

Mesmo diante de um extremo sofrimento, Jó manteve sua fé em Deus e reconheceu a soberania do Todo-Poderoso, quando no final do sua provação declarou: "Sei que podes fazer todas as coisas; nenhum dos teus planos pode ser frustrado (42.2). Amém! 

terça-feira, 27 de outubro de 2020

JESUS NO EVANGELHO DE JOÃO.

 

O evangelho de João foi escrito entre os anos de 90 a 95 d.C. O propósito do evangelho de João é apresentar a divindade de Jesus Cristo, afim de despertar a fé salvadora em seus leitores. O evangelho escrito por João, é considerado o mais profundo e singular dos evangelhos. Nele nós vamos encontrar fatos que foram registrados unicamente por João. João revela Jesus na sua intimidade como em nenhum dos outros evangelhos. Isto se dar ao fato de que João foi o discípulo mais próximo e íntimo de Jesus. Um detalhe curioso no evangelho de João é a repetição do número sete. Isto significa, perfeição e plenitude. Um outro fato curioso é que, o evangelho de João tem 21 capítulos, que equivale a uma multiplicação de 7x3 = 21.  

NO EVANGELHO DE JOÃO NÓS VAMOS ENCONTRAR: 

Sete Sinais.

Cap. 2 - Jesus transforma água em vinho.

Cap. 4 - Jesus cura o filho de um oficial.

Cap. 5 - Jesus cura um paralítico.

Cap. 6 - Jesus multiplica pães e peixes.

Cap. 6 - Jesus anda sobre o mar.

Cap. 9 - Jesus cura um cego de nascença.

Cap. 11 - Jesus ressuscita um morto de quatro dias.

Sete Sermões. 

Cap. 3 - Jesus instrui a Nicodemos.

Cap. 4 - Jesus se revela a mulher samaritana.

Cap. 5 - Jesus declara-se Filho de Deus para os judeus.

Cap. 6 - Jesus discursa na Sinagoga em Cafarnaum.

Cap. 7 - Jesus ensina no templo em Jerusalém.

Cap. 8 - Jesus discursa sobre sua missão.

Cap. 10 - Jesus declara ser o bom Pastor.

Referencias: (3.1-21; 4.4-42; 5.16-47; 6.22-59; 7.14-46; 8.12-32; 10.1-21). 

Sete Declarações.

Cap. 6 - Eu sou o Pão da vida (6.35). 

Cap. 8 - Eu sou a Luz do mundo (8.12). 

Cap. 10 - Eu sou a Porta (10.9). 

Cap. 10 - Eu sou o bom Pastor (10.11). 

Cap. 11 - Eu sou a Ressurreição e a Vida (11.25). 

Cap. 14 - Eu sou o Caminho, e a Verdade, e a Vida (14.6). 

Cap. 15 - Eu sou a Videira verdadeira (15.1). 

Estas declarações revelam figuradamente aquilo que Jesus é como Redentor da raça humana. 

JESUS NOS 21 CAPÍTULOS DO EVANGELHO DE JOÃO.  

Cap.1 - Ele é o Verbo (1.1).

Cap.2 - Ele é o Operador de Maravilhas (2.1-11).

Cap.3 - Ele é o Mestre Divino (3.1-21).

Cap.4 - Ele é o Ganhador de Almas (4.39-42).

Cap.5 - Ele é o Curador Compassivo (5.1-9).

Cap.6 - Ele é o Pão da Vida (6.35).

Cap.7 - Ele é a Água da Vida (7.37,38).

Cap.8 - Ele é o Defensor dos Fracos (8.1-11).

Cap.9 - Ele é o Operador de Milagres (9.1-11).

Cap.10 - Ele é o Bom Pastor (10.11).

Cap.11 - Ele é o Príncipe da Vida (11.25).

Cap.12 - Ele é o Rei (12.12-16).

Cap.13 - Ele é o Servo (13.1-17).

Cap.14 - Ele é o Consolador (14.16).

Cap.15 - Ele é a Videira Verdadeira (15.10.

Cap.16 - Ele é o Doador do Espírito Santo (16.7-15).

Cap.17 - Ele é o Grande Intercessor (17.1-26).

Cap.18 - Ele é o Sofredor Modelo (18.1).

Cap.19 - Ele é o Salvador Crucificado (19.17,18).

Cap.20 - Ele é o Conquistador da Morte (20.1-31).

Cap.21 - Ele é o Restaurador do Arrependido (21.1-19).

A Ele glória, honra, louvor, adoração e toda nossa gratidão. Porque dEle, por Ele e para Ele são todas as coisas. Amém! 

segunda-feira, 26 de outubro de 2020

ENCONTRO NA PRAIA.

E, sendo já manhã, Jesus se apresentou na praia, mas os discípulos não conheceram que era Jesus (Jo.21.4).

Jesus se apresenta pela terceira vez aos discípulos, sendo esta a sua sétima aparição após a sua ressurreição. desta vez na praia do mar de Tiberíades. Os discípulos estavam desesperançados, todas as suas expectativas em relação ao Mestre havia se esgotado. Pedro, junto com outros seis discípulos, tomaram a decisão de voltarem ao seu ofício de profissional de pesca. Pedro disse: Vou pescar. Os outros discípulos disseram: Também nós vamos contigo. E mais uma vez, a exemplo da pescaria registrada no evangelho de Lucas 5, trabalharam toda a noite, e nada pescaram. Mas, ao raiar do dia, estava Jesus na praia; todavia, os discípulos não reconheceram que era Ele (21.4). Jesus perguntou-lhes: Filhos tendes alguma coisa para comer? Ao responderem que não haviam pescado nada, Jesus os instrui: Lançai a rede à direita do barco e achareis. Eles obedeceram, talvez pensando ser um pescador mais experiente. O resultado foi uma grande quantidade de peixes. Em 21.11, registra-se que a pesca resultou em 153 grandes peixes. 

JOÃO RECONHECE JESUS E PEDRO PULA DO BARCO.

O discípulo amado foi o primeiro a perceber que o homem que os mandara lançar a rede do lado direito do barco, não era um pescador experiente, mas era o Mestre, o profeta de Nazaré da Galileia. O discípulo amado, que é João, disse a Pedro: É o Senhor! Ao reconhece-lo, Pedro vestiu-se, porque estava nu, ou seja, com traje pequeno, e lançou-se ao mar, enquanto os outros continuaram no barco e navegaram até a praia ao encontro de Jesus. 

OS DISCÍPULOS TIVERAM TRÊS SURPRESAS:

1- O grande número de peixes em uma única pescaria, 153 grandes peixes.

2- Ver o Mestre ressurreto pela terceira vez.

3- Viram brasas, peixe e pão.

DEPOIS DO JANTAR, O MESTRE SE DIRIGE A PEDRO E LHE FAZ UMA PERGUNTA POR TRÊS VEZES (21.15-17):

1- Simão, filho de João, você me ama mais do que estes? 

Pedro responde: Sim, Senhor, tu sabes que te amo.

Jesus lhe diz: Cuide dos meus cordeiros.

2- Novamente Jesus disse: Simão, filho de João, você me ama? 

Ele respondeu: Sim, Senhor, tu sabes que te amo.

Disse Jesus: Pastoreie as minhas ovelhas.

3- Pela terceira vez, ele lhe disse: Simão, filho de João, você me ama?

Pedro ficou magoado por Jesus lhe ter perguntado pela terceira vez "Você me ama?" e lhe disse: "Senhor, tu sabes todas as coisas e sabes que te amo".

Disse-lhe Jesus: "Cuide das minhas ovelhas".

CONCLUSÃO:

O que Jesus queria ensinar aos discípulos, e especificamente a Pedro?

Após uma noite cansativa, os discípulos estavam com um sentimento de frustração por não terem conseguido pescar um só peixe. De repente, Jesus aparece na praia e surpreende os discípulos. Jesus apareceu e providenciou muito mais do que eles precisavam. Jesus queria lembrá-los de que era capaz de atender às suas necessidades e suprir todas as suas necessidades futuras. Jesus ministra a cada um de acordo com as suas necessidades. Pedro havia negado a Jesus e ainda convivia com esse peso em sua consciência. Jesus inicia um processo para restaurar a Pedro e torna-lo o líder principal da sua igreja. Jesus dirigiu-se a Pedro por seu nome comum e não como Pedro ou Cefas, o nome que dera a ele quando o chamou para segui-lo (Jo.1.41). Jesus não estava chamando a Pedro de Simão para o condenar, mas para lembrá-lo que ele ainda era uma cana, que mesmo fragilizado e quebrado, ele seria restaurado. Após a pergunta de Jesus ter sido repetidas por três vezes, e Pedro as ter respondido de modo positivo, ele estava reafirmando o compromisso com o Mestre. Jesus conclui e diz a Pedro: Segue-me (18). Aqui nós aprendemos que JESUS é o restaurador do arrependido. Amém! 

domingo, 25 de outubro de 2020

SETE GRANDEZAS REVELADAS NA BÍBLIA.

A Bíblia é o único Livro que revela a grandeza de Deus. Deus é grande em poder, em sabedoria, em graça, em misericórdia, em amor, em bondade, em fidelidade ... Além da grandeza de Deus, a Bíblia também revela outras grandezas que estão relacionadas a Ele. Há um número expressivo de coisas grandes que estão relatadas no texto sagrado, entre estas queremos destacar apenas sete.

1- DEUS É GRANDE.

Pois o SENHOR é grande e muitíssimo digno de louvor; Ele deve ser mais temido que todos os deuses (I Cr.16.25).

2- A OBRA É GRANDE.

E enviei-lhes mensageiros a dizer: Estou fazendo uma grande obra ... (Ne.6.3).

3- O MISTÉRIO É GRANDE.

E, sem dúvida alguma, grande é o mistério da piedade ... (I Tm.3.16).

4- A FIDELIDADE É GRANDE.

As misericórdias do SENHOR são a causa de não sermos consumidos; porque as suas misericórdias não tem fim. Novas são cada manhã; grande é a tua fidelidade (Lm.3.22,23).

5- O PODER É GRANDE.

E os apóstolos davam, com grande poder, testemunho da ressurreição do Senhor Jesus, e em todos eles havia abundante graça (At.4.33).

6- A SALVAÇÃO É GRANDE.

Como escaparemos nós, se não atentarmos para uma tão grande salvação ... (Hb.2.3).

7- A PORTA É GRANDE.

Porque uma porta grande e eficaz se me abriu; e há muitos adversários (I Co.16.9).

Que todas estas grandezas estejam presentes em nossa vida, e que possamos a cada dia desfrutarmos das bênçãos do SENHOR, o Deus Grande, que faz coisas grandes.

sábado, 24 de outubro de 2020

PLANOS - PROPÓSITOS - PENSAMENTOS.


As últimas palavras de Jó, escritas em forma de poesia sapiencial, nos revela Jó como um crente mais experiente e maduro em relação ao conhecimento da vontade de Deus. Depois de todos os reclames, queixumes e indagações de Jó diante dos seus amigos e de Deus, Jó escuta Deus falar e conclui que nada entende e nada sabe. Depois de tudo que Jó ouviu de Deus, ele declara: "Bem sei eu que tudo podes, e nenhum dos teus pensamentos pode ser impedido (42.2). Ele conclui seu breve discurso dizendo: "Meus ouvidos já tinham ouvido a teu respeito, mas agora os meus olhos te viram. Por isso menosprezo a mim mesmo e me arrependo no pó e na cinza" (42.5,6 NVI). O começo do livro narra uma história dramática de Jó, mas o seu final é apoteótico e vitorioso. Jó foi sacudido, peneirado e chamuscado, mas resistiu e sobreviveu. Apesar de todo o seu sofrimento, Jó não blasfemou contra Deus, mas permaneceu fiel. Mais uma vez, os planos de Satanás foram frustrados, ele tentou por todos os meios a Jó para que blasfemasse contra Deus. Deus ergueu a Jó do pó e da cinza e lhe abençoou em dobro a tudo quanto tinha antes, e o seu propósito foi cumprido na vida de Jó.

TRÊS VERSÕES PARA JÓ 42.2:

Sei que podes fazer todas as coisas; nenhum dos teus planos pode ser frustrado (Jó.42.2).

Nova Versão Internacional (NVI).

Bem sei que tudo podes, e que nenhum dos teus propósitos pode ser impedido (Jó.42.2)  

Almeida Corrigida Fiel (ACF).

Bem sei eu que tudo podes, e nenhum dos teus pensamentos pode ser impedido (Jó.42.2).

Almeida Revista Corrigida (ARC).

- PLANOS.

Planos nos fala de projetos, de realizações futuras, daquilo que Deus estabeleceu para realizar no tempo determinado por Ele.

- PROPÓSITOS.

Propósitos nos fala de algo que já estar determinado, que vai acontecer no tempo oportuno que Deus já estabeleceu.

- PENSAMENTOS.

Pensamentos, aquilo que ainda não foi revelado, algo abstrato que não pode ser visto nem sentido. 

Assim está escrito acerca dos pensamentos de Deus:

Porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos, os meus caminhos, diz o SENHOR (Is.55.8).

Porque eu bem sei os pensamentos que penso de vós, diz o SENHOR; pensamentos de paz e não de mal, para vos dar o fim que esperais (Jr.29.11).

O SENHOR dos Exércitos jurou, dizendo: Como pensei, assim sucederá; e, como determinei, assim se efetuará (Is.14.24).

CONCLUSÃO:

Que os planos, os propósitos e pensamentos de Deus possam ser realizados em nossa vida, mesmo que haja um preço a ser pago. O SENHOR sempre tem o melhor para os seus servos. Os nossos planos podem até ser frustrado, mas o de Deus não será impedido nem frustrado, porque a sua vontade é soberana. Se você está debaixo da vontade de Deus, aguarde o querer e o efetuar de Deus em sua vida. Amém! 

quinta-feira, 22 de outubro de 2020

GRAÇA E VERDADE.

E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do Unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade (Jo.1.14).

A Palavra que é Jesus, habitou entre nós, e como homem Ele foi pleno em tudo. Ele foi pleno em poder, em sabedoria, em graça e em verdade. Não se pode separar poder e sabedoria, porque poder sem sabedoria, poderá causar destruição. Também não se pode separar graça e verdade. Porque a graça sem a verdade poderá causar desgraça. Portanto, a plenitude de Jesus é perfeita. 

OS TRÊS BENEFÍCIOS DA GRAÇA:

1- JUSTIFICA.

Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus, sendo justificados gratuitamente pela sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus (Rm.3.23,24). 

2- PERDOA.

Nele temos a redenção por meio de seu sangue, o perdão dos pecados, de acordo com as riquezas da graça de Deus (Ef.1.7 NVI).

3- SALVA.

Porque pela graça sois salvos, por meio da fé, e isso não vem de vós, é dom de Deus (Ef.2.8).

Porque a graça de Deus se há manifestado, trazendo salvação a todos os homens (Tito, 2.11).

OS TRÊS EFEITOS DA VERDADE:

1- LIBERTA.

E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará. Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente, sereis livres (Jo.8.32,36).

2- SALVA.

Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida. Ninguém vem ao Pai senão por mim (Jo.14.6).

3- SANTIFICA.

Santifica-os na verdade; a tua palavra é a verdade (Jo.17.17).  

Glória a Deus, porque a sua Graça nos alcançou e fomos libertos pela Verdade, por intermédio de Jesus Cristo, nosso Salvador. Amém!  

segunda-feira, 19 de outubro de 2020

PARALELOS ENTRE JOSÉ E JESUS.


A história de José é uma das mais belas e conhecida na bíblia sagrada. José é o mais perfeito tipo de Cristo, ele é símbolo de pureza e lealdade. José sofreu muitas provações, mas devido a sua obediência e fidelidade a Deus ele conseguiu superar e vencer. A vida de José reflete a de Jesus, no que diz respeito aos acontecimentos e fatos bastante semelhantes entre a vida de ambos. A este respeito nós vamos encontrar no texto sagrado alguns paralelos entre José e Jesus.

JOSÉ era submisso a seus pais (Gn.37.13).

JESUS era sujeito a seus pais (Lc.2.51).

JOSÉ trabalhava na mesma profissão do pai como pastor de ovelhas (Gn.37.2).

JESUS trabalhava como carpinteiro na mesma profissão do pai (Mc.6.3).

JOSÉ assumiu um cargo publico de governador do Egito com 30 anos de idade (Gn.41.46).

JESUS iniciou seu ministério com 30 anos de idade (Lc.3.23).

JOSÉ foi aborrecido pelos irmãos (Gn.37.4b).

JESUS foi rejeitado pelos seus patrícios (Jo.1.11).

JOSÉ era amado pelo pai (Gn.37.4).

JESUS foi e é amado do Pai (Mt.3.17).

JOSÉ foi tentado e não pecou (Gn.39.7-12).

JESUS foi tentado em tudo e não pecou (Hb.4.15).

JOSÉ foi levado para o Egito (Gn.37.25).

JESUS foi levado para o Egito (Mt.2.14,15).

JOSÉ foi vendido por vinte moedas de prata (Gn.37.28).

JESUS foi vendido por trinta moedas de prata (Mt.26.15).

JOSÉ foi preso injustamente (Gn.39.20).

JESUS foi preso injustamente (Mt.27.2).

JOSÉ foi acusado falsamente (Gn.39.13-19).

JESUS foi acusado por falsas testemunhas (Mt.26.59,60).

JOSÉ teve a sua túnica tirada pelos seus irmãos (Gn.37.23).

JESUS teve sua túnica tirada pelos soldados (Jo.19.23).

JOSÉ foi colocado com outros dois prisioneiros, um foi salvo, e o outro perdido (Gn.40.2,3).

JESUS foi posto entre dois prisioneiros, um foi salvo e outro perdido (Lc.23.32).

JOSÉ perdoou os que lhe haviam feito mal (Gn.45.1-15).

JESUS perdoou os seus algozes que lhe feriram e zombaram dele (Lc.23.34).

JOSÉ foi exaltado depois do sofrimento (Gn.41.41).

JESUS foi exaltado depois do sofrimento e humilhação (Fp.2.9-11).

JOSÉ salvou o Egito e recebeu o título de Zafenate-Panéia, que é salvador do mundo (Gn.41.45).

JESUS salvou a sua nação e tornou Salvador do mundo (Mt.1.21). 

José foi o tipo mais perfeito de Cristo, vários fatos ocorridos em sua vida correspondem aos que aconteceram na vida de Jesus. 

domingo, 18 de outubro de 2020

EXEGETAS E EXEGEGUES.

 

Um bom exegeta é aquele que faz uma boa análise do texto sagrado, interpretando-o corretamente, sem forçar o texto para adequá-lo ao seu modo de entender. Muitos se dizem teólogos, conhecedores da Bíblia, onde na verdade são pessoas que utilizam o texto sagrado para promoverem suas próprias ideias, com suas distorcidas interpretações. Estes devem ser classificados como "exegegues" e nunca exegetas.

ALGUMAS EXPRESSÕES BÍBLICAS INTERPRETADAS E ENSINADAS DE FORMA ERRADA:

Cantai a Deus, cantai louvores ao seu nome; louvai aquele que vai sobre os céus, pois o seu nome é JÁ; exultai diante dele (Sl.68.4).

Muitos pregadores ao falar da possibilidade da “ação imediata de Deus”, utilizam este versículo do Salmo citado acima e dizem: “A Bíblia diz que o seu nome é JÁ!” 
Que Deus pode fazer as coisas acontecerem “Já”, “imediatamente”, Ele pode. Mas, não é esta a intenção do texto, ou o que quer dizer. Na verdade, "JÁ", “JÁH” ou “YAH” é uma contração abreviada do nome JEOVÁ, que também é transliterado em algumas versões como "SENHOR". Nas versões mais antigas da Bíblia foram traduzidos: “…pois o seu nome é JÁ”. JÁ, JÁH ou YAH, sendo que a forma correta é “YAH”, é uma forma contraída de Yahweh (nome próprio de Deus no hebraico). A forma contraída YAH entra na composição e na formação da palavra Haleluyah, que significa “louvado seja Yah". Ou louvado seja o SENHOR. 
Levando em conta algumas versões da Bíblia. Nas versões (ARA – Almeida Revista e Atualizada) mais recentes a tradução JÁ, JÁH ou YAH foi trocada por “SENHOR” e na Versão (ARC – Almeida Revista e Corrigida) a tradução JÁ, JÁH ou YAH foi trocada por “JEOVÁ”. “Cantai a Deus, salmodiai ao seu nome; exaltai o que cavalga sobre as nuvens. pois o seu nome é SENHOR, exultai diante dele.” (Sl.68.4, ARA) “Cantai a Deus, cantai louvores ao seu nome; louvai aquele que vai sobre os céus, pois o seu nome é JEOVÁ; exultai diante dele.” (Sl.68.4, ARC). Portanto é importante buscar os termos originais para uma boa e correta exegese do texto. 

E não terá respeito aos deuses de seus pais, nem terá respeito ao amor das mulheres, nem a qualquer deus, porque sobre tudo se engrandecerá (Dn,11.37).

Alguns estudiosos de escatologia, com base neste texto, defendem a tese de que o Anticristo provavelmente será homossexual. Ao lermos o trecho em conjunto com seus versículos anteriores e posteriores, observamos que o texto está falando sobre idolatria. Os próprios tradutores da Bíblia Almeida perceberam este erro e, da versão ARA (Almeida Revista e Atualizada) em diante, já traduziram o texto de outra forma, observe: “ E não terá respeito aos deuses de seus pais, nem ao amado das mulheres, nem a qualquer outro deus; pois sobre tudo se engrandecerá.” (Dn 11.37 - ARA). Porém a melhor tradução se encontra na Bíblia Nova Versão Internacional (NVI), observe: “O rei fará o que bem entender. Ele se exaltará e se engrandecerá acima de todos os deuses e dirá coisas jamais ouvidas contra o Deus dos deuses. Ele terá sucesso até que o tempo da ira se complete, pois o que foi decidido irá acontecer. Ele não terá consideração pelos deuses dos seus antepassados nem pelo deus preferido das mulheres, nem por deus algum, mas se exaltará acima deles todos”. (Dn 11.36-37 - NVI) Com a correta tradução, entendemos facilmente que o texto não diz nada a respeito do desejo sexual das mulheres.  Mas fica claro que o Anticristo não venerará nenhum deus, pois ele mesmo se considerará um deus. Por isso, ele terá respeito e consideração apenas pelo poder bélico e militar de seus exércitos e de suas armas, definidos por Daniel, como “deus das fortalezas”.

Porventura, sabes tu como Deus as opera e faz resplandecer a luz da sua nuvem? (Jó.37.15).

Este é mais um versículo que alguns pregadores citam para justificarem o poder de Deus. Eles dizem:  Irmãos, está escrito: Porventura, sabes tu como Deus opera? 
Onde na verdade não está escrito assim. O correto é: Porventura, sabes tu como Deus as opera e faz resplandecer a luz da sua nuvem? (37.15). Na verdade, este versículo está se referindo ao comando de Deus sobre as nuvens e como faz resplandecer o relâmpago. Na versão NVI está escrito: Acaso você sabe como Deus comanda as nuvens e faz brilhar os seus relâmpagos? 

As tendas dos assoladores têm descanso, e os que provocam a Deus estão seguros; nas suas mãos Deus lhes põe tudo (Jó.12.6).

Pregadores famosos usando esse versículo para incitar o povo provocarem a Deus para receberem milagres. Intitulam a pregação: "Provocadores de milagres", totalmente fora de contexto. Nesse versículo, Jó está se queixando pelo fato de os adversários de Deus, os ímpios, terem descanso e prosperidade, enquanto os justos sofrem. Portanto, não há argumento bíblico para afirmar que esse texto está nos dizendo que devemos provocar Deus para recebermos milagres. Isso é torcer totalmente o sentido do texto e torna-lo irreal. 

Eu te darei resposta, a ti e aos teus amigos contigo (Jó.35.4)

Muitos utilizam esse versículo nos círculos de oração. Citam como base para afirmar que Deus estaria dando resposta aos crentes. Porém, esse versículo não é Deus falando para Jó, mas o jovem Eliú, o último dos amigos de Jó a argumentar com ele e em tom de repreensão, pelo fato de os outros três amigos de Jó não lhe terem dado resposta adequada para seu sofrimento. Deus começa a falar com Jó a partir do capítulo 38. 

No seu pescoço reside a força; diante dele até a tristeza salta de prazer (Jó.41.22).

Quando lemos por completo o capítulo 41 de Jó, facilmente vamos perceber que é Deus falando a Jó acerca de um grande monstro chamado de leviatã. Um monstro cuja aparência "tocava terror no coração de quem o visse", fazendo a tristeza, medo e pavor se intensificarem ainda mais, "saltarem", vibrarem. Na versão NVI, o texto está melhor traduzido: "Tanta força reside em seu pescoço que o terror vai adiante dele". Tristeza saltar de prazer é uma figura de linguagem, da expressão poética do livro de Jó. Mas esse versículo de Jó não serve a esse propósito. A afirmação que na presença do SENHOR a alegria é plena está no livro dos salmos 16.11: "Tu me farás conhecer a vereda da vida, a alegria plena da tua presença, eterno prazer à tua direita". NVI.

Estes são alguns textos que muitos pregadores utilizam em seus sermões, totalmente fora do contexto. Sem contar com outros versículos isolados em toda a Bíblia. Que sejamos coerentes em nossas pregações, não forçando o texto sagrado para falar uma verdade que não existe.

sexta-feira, 16 de outubro de 2020

20 RECLAMAÇÕES E QUESTIONAMENTOS DE JÓ.

Jó foi um homem justo, íntegro, reto, temente a Deus e desviava-se do mal. O próprio Deus deu testemunho das virtudes de Jó. Mas, Jó não foi um homem sem pecado. Ele não blasfemou de Deus em nenhum momento da sua provação, mas em sua fraqueza, no seu sofrimento, ele questionou a Deus e reclamou da situação em que estava enfrentando. Em minha análise textual, pude perceber e enumerar pelo menos vinte reclamações e questionamentos de Jó.

1- Pereça o dia em nasci, e a noite em que se disse: Foi concebido um homem! (3.3).

2- Por que não morri eu desde a madre e, em saindo do ventre, não expirei? (3.11).

3- Por que não me sepultaram como criança abortada, como um bebê (3.16 NVI).

4- Por que se dá luz ao miserável, e vida aos amargurados de ânimo ... (3.20).

5- O que eu temia veio sobre mim; o que eu receava me aconteceu. Não tenho paz, nem tranquilidade, nem descanso; somente inquietação (3.25,26 NVI).

6- Porque as flechas do Todo-Poderoso estão em mim, e o seu ardente veneno, o bebe o meu espírito; os terrores de Deus se armam contra mim (6.4).

7- A minha carne se tem vestido de bichos e de torrões de pó; a minha pele está gretada e se fez abominável (7.5).

8- É melhor ser estrangeiro e morrer do que sofrer assim; sinto desprezo pela vida! Não vou viver para sempre; deixa-me, pois os meus dias não têm sentido (7.15,16 NVI).

9- Se pequei, que te farei, ó Guarda dos homens? Por que fizeste de mim um alvo para ti, para que a mim mesmo me seja pesado? E por que me não perdoas a minha transgressão, e não tiras a minha iniquidade? Pois agora me deitarei no pó, e de madrugada me buscarás, e não estarei lá (7.20,21).

10- Por que me quebranta com uma tempestade, e multiplica as minhas chagas sem causa? (9.17).

11- A minha alma tem tédio de minha vida; darei livre curso a minha queixa, falarei na amargura da minha alma. Direi a Deus: Não me condenes; faze-me saber por que contendes comigo. Parece-te bem que me oprimas, que rejeites o trabalho das minhas mãos e resplandeças sobre o conselho dos ímpios? (10.1-4).

12- Lembra-te de que me moldaste como o barro; e agora me farás voltar ao pó? (10.9 NVI).

13- Quantas culpas e pecados tenho eu? Notifica-me a minha transgressão e o meu pecado. Por que escondes o teu rosto e me tens por teu inimigo? (13.23,24).

14- Atormentarás uma folha levada pelo vento? Perseguirás a palha? Pois fazes constar contra mim coisas amargas e me fazes herdar os pecados da minha juventude (13.25,26 NVI).

15- Foram-se os meus dias, os meus planos fracassaram, como também os desejos do meu coração (17.11 NVI).

16- Meu espírito está quebrantado, os meus dias se encurtam, a sepultura me espera. A verdade é que zombadores me rodeiam, e tenho que ficar olhando a sua hostilidade (17.1,2 NVI).

17- Respondeu, porém, Jó e disse: Até quando entristecereis a minha alma e me quebrantareis com palavras? Já dez vezes me envergonhastes; vergonha não tendes de contra mim vos endurecerdes. Embora haja eu, na verdade, errado, comigo ficará o meu erro. Se deveras vos levantais contra mim e me arguis pelo meu opróbio, sabei agora que Deus é quem me transtornou e com a sua rede me cercou. Eis que clamo: Violência! Mas não sou ouvido; grito: Socorro! Mas não há justiça. O meu caminho Ele entrincheirou, e não posso passar; e nas minhas veredas pôs trevas. Da minha honra me despojou; e tirou-me a coroa da minha cabeça. Quebrou-me de todos os lados, e me vou; e arrancou a minha esperança, como a uma árvore. E fez inflamar contra mim a sua ira e me reputou para comigo como um de seus inimigos (19.1-11). 

18- Os meus parentes me deixaram, e os meus conhecidos se esqueceram de mim. Os meus domésticos e as minhas servas me reputaram como estranho; vim a ser um estrangeiro aos seus olhos. Chamei a meu criado, e ele me não respondeu; cheguei a suplicar com a minha boca. O meu bafo se fez estranho a minha mulher, e a minha súplica, aos filhos do meu corpo. Até os rapazes me desprezaram, e, levantando-me eu, falam contra mim. Todos os homens do meu secreto conselho me abominam, e até os que eu amava se tornaram contra mim. Os meus ossos se apegam à minha pele e à minha carne, e escapei só com a pele dos meus dentes. Compadecei-vos de mim, amigos meus, compadecei-vos de mim, porque a mão de Deus me tocou (19.14-21).

19- Por isso, me perturbo perante Ele; e quando isto considero, temo-me dele. Porque Deus macerou o meu coração, e o Todo-Poderoso me perturbou. Porquanto não fui desarraigado antes das trevas, nem encobriu a escuridão o meu rosto (23.15-17).

20- Irmão me fiz de dragões, e companheiro dos avestruzes. Enegreceu-se a minha pele sobre mim, e os meus ossos estão queimados do calor. Pelo que se tornou a minha harpa em lamentação, e a minha flauta, em voz dos que choram (30.29-31).  

Em suma, finalmente, os três "amigos" de Jó esgotaram as suas palavras e não conseguiram contra argumentar as palavras de Jó. Jó apresenta suas razões e justifica seus feitos, e também esgota suas reclamações, questionamentos e justificações. Quando Jó esgota todos os seus discursos e já não tem o que falar, Deus entra em cena e começa a falar com Jó do meio de uma tempestade. Geralmente é assim, Deus permite e entende as nossas queixas e reclamações, ele conhece a nossa estrutura, nossas fraquezas e limitações. No final Ele chega para nos socorrer e mudar a nossa sorte.

quarta-feira, 14 de outubro de 2020

JÓ E A REALIDADE DE SATANÁS.

E vindo um dia em que os filhos de Deus vieram apresentar-se perante o SENHOR, veio também Satanás entre eles (Jó.1.1).

Satanás aparece no livro de Jó como um ser inteligente e com poderes limitado, que age sob a soberania e permissão de Deus. Ou seja, ele não faz o que quer (1.12;2.6). Satanás é um ser espiritual, foi criado por Deus como Querubim ungido, mas por decisão própria se rebelou e declarou-se inimigo de Deus e das suas criaturas (Is.14; Ez.28). Satanás é a tradução do termo hebraico "satan", com o sentido de adversário e oponente. A concepção que se tem de Satanás e da existência do mal a partir da cultura bíblica, difere muito da cultura secular. De acordo com a bíblia, Satanás existe e é real. Todavia, a compreensão que o Antigo Testamento possui sobre Satanás e os demônios é bastante limitada e menos completa do que a que é revelada no Novo Testamento. Não há dúvida de que o Diabo descrito no livro de Jó, como aquele que rodeava a terra e passeava por ela (1.7), é o mesmo Diabo descrito pelo apóstolo Pedro, que "anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar" (I Pe.5.8). Portanto, Satanás é um ser maligno, real e pessoal.

A NATUREZA DE SATANÁS.

Um ser espiritual.

O livro de Jó não procura provar a origem do Diabo, mas o releva como um ser real. Destaca algumas características da natureza de Satanás que nos permitem conhecê-lo melhor. Em primeiro lugar, conforme o livro apresenta, o Diabo é um ser espiritual e encontra-se na mesma categoria dos anjos, representada no texto pela expressão “os filhos de Deus” (Jó 1:6). Os anjos são seres espirituais que não pertencem à dimensão natural, mas à sobrenatural. Isso explica, por exemplo, a capacidade da rápida locomoção do Diabo quando rodeava a Terra e passeava por ela (Jó 1:7).

Um ser dotado de personalidade.

Além do fato de ser um ente espiritual, o diabo é dotado também de personalidade. Ele é uma pessoa e se apresenta como tal. No livro de Jó o vemos assumindo atributos de um ser pessoal. Ele fala e possui capacidade argumentativa (Jó 1:9-11). Essa mesma característica aparece de forma mais explícita na tentação de Cristo (Mt 4:1-11; Lc 4:1-13). No livro, além de se apresentar verbalmente, Satanás também demonstra possuir conhecimento. Ele sabe o que se passa na Terra e como se comportam os homens. Ele conhecia a vida de Jó. Isso faz dele um ser perspicaz. O apóstolo Paulo sabia que o Diabo é um ser que possui perspicácia quando disse não ignorar os “ardis” e que ele se valia de métodos sofisticados para atingir as pessoas (2 Co 2:11; Ef 6:11). Assim, Satanás usou seu conhecimento e perspicácia para atacar Jó.

Um ser criado.

Satanás não é auto existente, ele é um ser criado por Deus sendo um anjo, dotado de natureza espiritual e personalidade, capaz de decisão e escolha. Ele é descrito no livro de Ezequiel 28.14 com a expressão: "Tu eras querubim ungido para proteger ... ". Ao contrário de Deus, que criou todas as coisas, o anjo que se tornou Satanás teve uma origem. Nem sempre o Diabo foi Diabo. Ele fora um anjo bom como os demais. O livro de Jó revela que Satanás tem suas ações limitadas por Deus. Ele tem poderes limitado e age debaixo da soberania e permissão do Todo-Poderoso ( 1.12; 2.7). 

AS OBRAS DE SATANÁS.

Destruidor.

Destruir é uma das obras de Satanás, com a permissão de Deus ele destruiu os bens de Jó, a sua família e sua saúde. Como destruidor Satanás tem um emissário chamado anjo do abismo, que em hebraico seu nome é Abadom, e em grego, Apoliom (Ap.9.11). Satanás é comparado com o ladrão que vem para roubar, matar e destruir (Jo.10.10). Satanás nunca constrói, ele só destrói. Ele destruiu tudo que Jó tinha, mas Deus lhe restituiu tudo em dobro. Satanás só destrói o que Deus permite.

Acusador.

Acusar, difama e caluniar são obras de Satanás. Ele se apresenta no livro de Jó como acusador. Ele acusa Jó de ser um crente que só serve a Deus por causa das riquezas que possui (1.10,11). Satanás acusou a Jó diante de Deus, de praticar uma fé motivada por interesse. A fama de Satanás de acusador está registrada em toda a Bíblia, desde Gênesis até Apocalipse. Ele acusou o sumo-sacerdote Josué, quando este estava diante do anjo do SENHOR, mas foi repreendido (Zc.3.1,2). Satanás tem a sua base de operação nas regiões celestes (Ef.6.12), ele é chamado de "o príncipe das potestades do ar" (Ef.2.2). Em Apocalipse 12.10, Satanás é chamado de acusador de nossos irmãos, e ele será derribado com todo o seu exército de demônios. 

Tentador.

Satanás é chamado de antiga serpente no livro de Apocalipse (Ap.12.9). Ele foi o agente da tentação que se utilizou da serpente para enganar Eva (Gn.3.1-6). No livro de Jó o seu papel de tentador foi tentar a Jó por todos os meios afim de que Jó blasfemasse contra Deus. Ele usou a mulher de Jó, quando ela disse: Ainda reténs a tua sinceridade? Amaldiçoa a Deus e morre (2.9). Mas, Jó não blasfemou e venceu o tentador.

A DERROTA DE SATANÁS NO LIVRO DE JÓ.

O livro tem um início dramático, mas um final apoteótico. Jó foi submetido a uma prova de fogo, e mesmo sendo chamuscado pelas chamas do sofrimento, saiu vivo e vitorioso. Deus nunca o abandonou. A graça estava atuando oculta. Deus provou a Satanás que Jó era mesmo o homem que Ele disse que era: justo, reto e temente a Ele. Em nenhum momento no livro de Jó, Satanás é supervalorizado nem colocado em maior evidência que Deus. Mas vemos que o livro de Jó retrata de forma nítida a derrota de Satanás. A vitória de Jó foi uma derrota para ele. Satanás não aparece mais a partir do capítulo três e não é mais mencionado no restante do livro. Não é, pois, propósito do livro pô-lo em evidência, nem tampouco superestimar o mal. O livro de Jó mostra que Satanás não teve êxito no seu intento, que era fazer com que Jó blasfemasse. 

* Uma curiosidade no livro de Jó: O nome "Satanás" aparece 14 vezes, das 19 que aparecem no Antigo Testamento. O nome Todo-Poderoso (El-Shaddai) aparece 31 vezes, das 50 que aparecem em todo Antigo Testamento. Provando que o protagonista do livro de Jó é Deus e não Satanás.

segunda-feira, 12 de outubro de 2020

VERSÍCULOS DO LIVRO DE JÓ USADOS FORA DE CONTEXTO.

Não são poucos os pregadores que fazem uso de versículos isolados fora de contexto, para expor um pensamento particular, fazendo uma exegese equivocada. Infelizmente, muitos pregadores imaturos estão agindo como papagaio, repetindo o que ouve-se de outros pregadores. Textos isolados são usados para causar uma mensagem de impacto e trazer emoção para o povo. São mensagens que não vem de Deus, mas são articuladas na intenção fazer movimento e satisfazer o ego do pregador.

* As tendas dos assoladores têm descanso, e os que provocam a Deus estão seguros; nas suas mãos Deus lhes põe tudo (Jó.12.6).

Pregadores famosos usando esse versículo para incitar o povo provocarem a Deus para receberem milagres. Intitulam a pregação: "Provocadores de milagres", totalmente fora de contexto. Nesse versículo, Jó está se queixando pelo fato de os adversários de Deus, os ímpios, terem descanso e prosperidade, enquanto os justos sofrem. Portanto, não há argumento bíblico para afirmar que esse texto está nos dizendo que devemos provocar Deus para recebermos milagres. Isso é torcer totalmente o sentido do texto e torna-lo irreal. 

* Eu te darei resposta, a ti e aos teus amigos contigo (Jó.35.4)

Muitos utilizam esse versículo nos círculos de oração. Citam como base para afirmar que Deus estaria dando resposta aos crentes. Porém, esse versículo não é Deus falando para Jó, mas o jovem Eliú, o último dos amigos de Jó a argumentar com ele e em tom de repreensão, pelo fato de os outros três amigos de Jó não lhe terem dado resposta adequada para seu sofrimento. Deus começa a falar com Jó a partir do capítulo 38. 

* No seu pescoço reside a força; diante dele até a tristeza salta de prazer (Jó.41.22).

Quando lemos por completo o capítulo 41 de Jó, facilmente vamos perceber que é Deus falando a Jó acerca de um grande monstro chamado de leviatã. Um monstro cuja aparência "tocava terror no coração de quem o visse", fazendo a tristeza, medo e pavor se intensificarem ainda mais, "saltarem", vibrarem. Na versão NVI, o texto está melhor traduzido: "Tanta força reside em seu pescoço que o terror vai adiante dele". Tristeza saltar de prazer é uma figura de linguagem, da expressão poética do livro de Jó. Mas esse versículo de Jó não serve a esse propósito. A afirmação que na presença do SENHOR a alegria é plena está no livro dos salmos 16.11: "Tu me farás conhecer a vereda da vida, a alegria plena da tua presença, eterno prazer à tua direita". NVI.

* Porventura, sabes tu como Deus as opera e faz resplandecer a luz da sua nuvem? (Jó.37.15).

Este é mais um versículo que alguns pregadores citam para justificarem o poder de Deus. Eles dizem:  Irmãos, está escrito: Porventura, sabes tu como Deus opera? 
Onde na verdade não está escrito assim. O correto é: Porventura, sabes tu como Deus as opera e faz resplandecer a luz da sua nuvem? (37.15). Na verdade, este versículo está se referindo ao comando de Deus sobre as nuvens e como faz resplandecer o relâmpago. Na versão NVI está escrito: Acaso você sabe como Deus comanda as nuvens e faz brilhar os seus relâmpagos? 

Estes são alguns versículos do livro de Jó que muitos pregadores utilizam em seus sermões, totalmente fora do contexto. Sem contar com outros versículos isolados em toda a Bíblia. Que sejamos coerentes em nossas pregações, não forçando o texto sagrado para falar uma verdade que não existe. 

domingo, 11 de outubro de 2020

SETE EXPRESSÕES QUE NÃO DEVEM SER PRONUNCIADAS.

Não são poucos os pregadores que cometem erros com suas expressões vagas e vícios de linguagem; muitos fazem uso de jargões para promover o movimento e transformar o culto racional no culto das emoções. O fato é que, os pregadores denominados pentecostais muitas vezes são os que mais cometem erros com seus jargões e jogos de frases de efeitos para movimentar e mexer com a emoção do público ouvinte. Muitos são sensacionalistas e falam o que o povo gosta de ouvir, não o que precisa, fazem uso da palavra de Deus, para manipularem o povo e quererem glória para si.

SETE EXPRESSÕES QUE NÃO DEVEM SER PRONUNCIADAS:

Nunca diga: 

A Bíblia vai dizer. Isto é futuro.  Correto é: A Bíblia diz, isto é presente.

Nunca diga: 

Saúdo os irmãos com a paz do Senhor e aos amigos com uma boa noite. Isto não é correto, as pessoas se sentem discriminadas. Aprendemos com Jesus que devemos saudar a todos com a paz (Mt.10.5,6).

Nunca diga: 

Os irmãos fiquem em espírito de oração. É correto dizer: Fiquem orando em espírito. Paulo pede para os irmãos orarem no Espírito (Ef.6.18). Na epístola de Judas está escrito: Mas vós, amados, edificando-vos a vós mesmos sobre a vossa santíssima fé, orando no Espírito Santo (Judas, 20).

Nunca diga: 

Para não ficar só em minhas palavras ... Quando você foi chamado para falar a Palavra de Deus, não as suas.

Nunca diga:

Fui pego de surpresa e não tenho nada ... 

Soldado de Cristo é como guerreiro, deve sempre está preparado. Isto é uma falsa humildade. Se não tem nada então passa a oportunidade para outro. Nós temos que ter sempre alguma coisa da parte de Deus. Quem ler a bíblia e ora, e tem comunhão com Deus, sempre tem algo da parte de Deus.

O profeta que teve um sonho, que conte o sonho; e aquele em quem está a minha palavra, que fale a minha palavra, com verdade. Que tem a palha com o trigo? Diz o SENHOR (Jr.23.28).

Nunca diga:

Saldo os irmãos com a paz do Senhor. 

Saldo é de banco, extrato bancário. O correto é dizer saúdo, ou cumprimento os irmãos com a paz do Senhor. Seja por descuido ou vício de linguagem, muitos pregadores ainda cometem este erro. 

Nunca diga:

A Bíblia fechada é um livro e aberta é a boca de Deus falando para o mundo. A Bíblia aberta ou fechada continua sendo um livro. Porém, quando lida, pregada e ensinada é uma mensagem de Deus para humanidade.

Que sejamos coerentes com a Palavra de Deus e preguemos a genuína mensagem do Evangelho. 

sábado, 10 de outubro de 2020

QUEM ERA JÓ?

 

Jó, para alguns estudiosos da Bíblia é um personagem fictício, uma lenda, um homem que nunca existiu. Todavia, a própria Bíblia afirma que Jó foi um personagem real que existiu na época dos patriarcas, ele é citado pelo profeta Ezequiel como exemplo de homem justo, juntamente com Noé e Daniel (Ez.14.14,20). No Novo Testamento Jó também é citado pelo apóstolo Tiago como exemplo de homem paciente e perseverante (Tg.5.11). Quem afirma que Jó nunca existiu, deve também afirmar que Noé e Daniel não existiram. Jó era um homem rico, a Bíblia declara que ele era maior do que todos do Oriente (1.3). Mas o que lhe destacava dos demais era o seu caráter ilibado que possuía. Jó foi um homem diferente, não em natureza, pois ele era igual aos demais homens de sua época. Todavia, foi, sem dúvida, distinto na espiritualidade. Ele foi um homem que não apenas possuía bens materiais e uma família sólida, mas mantinha profunda comunhão com Deus. Isto faz toda diferença. 

SIGNIFICADO E ORIGEM DO NOME JÓ.

Geralmente quando falamos de Jó, nos vem a mente a lembrança de sofrimento. Jó também tem sido sinônimo de paciência. Jó tem significado variados nos dicionários bíblicos: Hostilizado, perseguido, pesaroso, sofrido, paciente, perseverante. 

Jó é proveniente da forma hebraica Yob ou Iyyov, que posteriormente se tornou Iob tanto no idioma grego quanto no latino. Há também a variação Ayyub, presente na língua árabe, bem como Job, registrada no inglês e no holandês.

( https://www.nomesbiblicos.com/jo/ )

JÓ TRÊS VEZES MAIS

Mais Rico.

... este homem era maior do que todos os do Oriente (1.3).

Mais Justo.

E disse o SENHOR  a Satanás: Observaste tu a meu servo Jó? Porque ninguém há na terra semelhante a ele, homem sincero, e reto, e temente a Deus, e desviando-se do mal (1.8).

Mais Paciente.

E que temos por bem-aventurados os que sofreram. Ouvistes qual foi a paciência de Jó e vistes o fim que o Senhor lhe deu; porque o Senhor é muito misericordioso e piedoso (Tg.5.11).

QUALIDADES DE JÓ.

- ÍNTEGRO (sincero).

Integridade é um dos adjetivos usados para descrever o caráter de Jó. Jó não era um homem sem pecados, mas tinha um caráter irretocável. O termo hebraico "tam", traduzido como "íntegro", possui o sentido de "completo". Nesse aspecto, o texto destaca o caráter de Jó como sendo um homem honesto em tudo. Assim, podemos afirmar que Jó era sincero nas intenções, afeições e diligente para cumprir seus deveres para com Deus e os homens.

- RETO (irrepreensível).

Jó também era um homem reto que, no hebraico é "yashar", tem o sentido de alguém justo, direito. Na septuaginta, versão grego, possui o sentido de irrepreensível. Ser reto, também significa andar em retidão pelo caminho reto. No livro dos salmos está escrito: O SENHOR não negará bem algum aos que andam na retidão (Sl.84.11b). Quem vive em retidão, anda em sinceridade sem se desviar do caminho, tendo o SENHOR como seu alvo principal.

- TEMENTE A DEUS e desviava-se do mal.

De acordo com Strong (2002, p.55), o adjetivo hebraico yare, traduzido aqui como "temia", além desse sentido, também significa "reverência" e "espanto". Temor, portanto, possui o sentido de "respeito", não de "medo". Por outro lado, o verbo "desviar", do hebraico "sur", segundo Strong (2002, p.92), tem o sentido de desviar, mudar, escapar, retirar-se. 

Jó era um homem temente a Deus, e este temor fez dele um servo reverente, que se desviava ou mudava de trajetória para evitar encontrar-se com o mal. Subtende-se que, Jó era um homem que não aceitava mistura, mas separava o santo do profano, o puro do impuro. Portanto, Jó era um homem que temia a Deus e desviava-se do mal; este é mais um exemplo que deve ser seguido. No próprio livro de Jó está escrito: Mas disse ao homem: Eis que o temor do SENHOR é a sabedoria, e apartar-se do mal é a inteligência (Jó.28.28).

FRASES CELÉBRES DE JÓ:

Nu saí do ventre de minha mãe e nu tornarei para lá; o SENHOR o deu e o SENHOR o tomou; bendito seja o nome do SENHOR (1.21).

Receberemos o bem de Deus e não receberíamos o mal? (2.10).

Porque o que eu temia me veio, e o que receava me aconteceu (3.25).

Ainda que Ele me mate, nele esperarei; contudo, os meus caminhos defenderei diante dele (13.15).

Se eu falar, a minha dor não cessa; e, calando-me, qual é o meu alívio? (16.6).

Porque eu sei que o meu Redentor vive, e que por fim se levantará sobre a terra (19.25).

Trema eu perante uma grande multidão, e o desprezo das famílias me apavore, e eu me cale, e não saia da porta (31.34).

Bem sei eu que tudo podes, e nenhum dos teus pensamentos pode ser impedido (42.2).

CONCLUSÃO:
Jó foi um gigante na fé e deixou a sua marca como um homem de caráter irretocável e vida piedosa diante de Deus e dos homens. Jó se destaca como homem de bom caráter, homem prospero, e homem espiritual de profunda comunhão com Deus. É possível que alguém seja rico e prospero, mas ter caráter ilibado, ser íntegro, reto, temente a Deus e desviar-se do mal, se constitui uma raridade, principalmente na época atual. Que possamos não somente admirar as virtudes deste servo de Deus, mas seguir o seu exemplo de fé e perseverança. Amém! 

terça-feira, 6 de outubro de 2020

UM CAMINHO NA TORMENTA?

O livro de Naum nos informa sobre a destruição de Nínive. Naum foi o profeta comissionado por Deus para anunciar a total destruição de Nínive. Nínive, capital da Assíria, era a maior cidade daquela época. Nínive era capital de um império famoso pela sua crueldade com que tratava os povos conquistados. Naum anuncia a queda iminente do império assírio, que foi subjugado pelos babilônios e medos em 612 a.C. O livro de Naum em seu primeiro capítulo, descreve um Deus irado que toma vingança contra seus inimigos e não tem o culpado por inocente. 
Naum nos fornece cinco informações sobre Deus: 
1- O SENHOR é um Deus zeloso. 
2- O SENHOR toma vingança e é cheio de furor. 
3- O SENHOR é tardio em irar-se, mas grande em força e ao culpado não tem por inocente. 
4- O SENHOR tem o seu caminho na tormenta e na tempestade ... 
5- O SENHOR é bom, uma fortaleza no dia da angústia, e conhece os que confiam nele (1.2-7). 

DEUS TEM O SEU CAMINHO NA TORMENTA.

O SENHOR tem o seu caminho na tormenta e na tempestade, e as nuvens são o pó dos seus pés (Na.1.3b).

Na ótica humana é impossível alguém caminhar no meio de uma tormenta ou na tempestade. Isto não é normal, é contraditório, é um contrassenso. Mas para Deus nada é impossível, porque Ele trabalha na contramão da lógica humana. 
Tempestade, borrasca, tormenta são fenômenos da natureza que tem um terrível poder de destruição. 
A nossa vida é como um barco navegando no mar desta vida. Há tempos de bonança, mas há tempos de adversidade, muitas vezes surgem tempestades querendo nos causar medo e sacudir a nossa estrutura. A tempestade quando vem ela não avisa, mas vem de surpresa e nos pega despreparados. No seu normal, ninguém nunca desejaria está no meio de uma tempestade, no topo de uma tormenta. Porém, a nossa vida é cheia de altos e baixos, as vezes estamos em cima e as vezes estamos em baixo. As bênçãos, as benesses e as prosperidades desta vida, são sempre bem vindas. Mas, quando vem as adversidades, quando uma tempestade de problemas nos sobrevêm, muitas vezes entramos em desespero e não sabemos como resolver. Porém, a boa notícia é que, a tempestade não dura para sempre, ela terá o seu fim. Basta você crer e confiar que Deus está no meio desta tempestade, Ele vem caminhando por cima da tormenta, e do meio da tempestade Deus vai falar e fará cessar a tempestade da sua vida. Foi assim com Jó, Deus falou com Jó do meio da tempestade (Jó.38.1), e em seguida virou o seu cativeiro. Quando vier a tempestade, não reclame, mas clame a Jesus, o Rabi da Galileia, e Ele vai se levantar para acalmar os ventos e o mar que estão querendo apavorar a sua vida. O que parece impossível para os homens, é possível para DEUS. Ele tem o seu caminho na tormenta e virá para nos socorrer. Amém!   

sábado, 3 de outubro de 2020

DEZ FATOS CURIOSOS NO LIVRO DE JÓ.

O livro de Jó é de autor desconhecido, alguns estudiosos da Bíblia sugerem ter sido escrito por Moisés. Alguns eruditos situam a data de redação deste livro na época patriarcal, cerca de 1460 a.C., o qual vem a ser o livro mais antigo da Escritura. O livro mostra o Eterno em um conselho celestial (1.6;2.1). Este livro exibe Satanás como acusador e tentador, que age sob o absoluto e preciso controle e soberania de Deus. Diversos eventos narrados no livro coincidem com os costumes da época dos patriarcas, que sugere ter sido Jó contemporâneo de Abraão, Isaque e Jacó. Jó, no hebraico "Iyob", significa odiado, aborrecido ou perseguido. A pessoa de Jó é por excelência símbolo da paciência. Jó perde sua família, sua saúde e suas propriedades. Ao longo de uma série de provas, Jó exalta ao SENHOR e reconhece sua soberania. Jó arrepende-se humildemente, e o SENHOR lhe restaura sua família, saúde e posses. Jó é mencionado pelo profeta Ezequiel (14.14,20) junto com Noé e Daniel como justo e uma pessoa real, e por Tiago (5.11) como célebre por sua paciência.

1- O livro de Jó foi o primeiro a ser escrito, cerca 1460 anos antes de Cristo.

2- O livro de Jó é o único que se repete por quatorze vezes o nome "Satanás".

3- O livro de Jó tem o maior número de perguntas, com cerca de 236 interrogações. 

4- O livro de Jó é composto de prosa e poesia. Uma prosa no prólogo, capítulos 1 e 2; a poesia sapiencial é apresentada nos capítulos 3 ao 42.1-6, e no epílogo uma prosa, 42.7-17.

5- Jó desejou que suas palavras fossem registradas num livro (19.23).

6- Jó foi um contemporâneo de Abraão, mas ele não era hebreu.

7- Jó foi o primeiro a fazer menção da vinda do Redentor (19.25).

8- Jó exercia a função de sacerdote antes da lei de Moisés (1.5).

9- Jó conhecia a Deus de forma superficial, depois da provação ele passou a conhece-lo melhor (42.5).

10- A expressão Todo-Poderoso (El-Shaddai), aparece 31 vezes no livro de Jó (5.17; 6.4,14; 8.3,5; 11.7; 13.3; 15.25; 21.15,20; 22.3,17,23,25,26; 23.16; 24.1; 27.2,10,11,13; 29.5; 31.2,35; 32.8; 33.4; 34.10,12; 35.13; 37.23; 40.2).

SETE COISAS QUE NÃO FORAM REVELADAS NO LIVRO DE JÓ.

1- Quem escreveu o livro de Jó.
2- O nome da mulher de Jó (2.9).
3- O nome dos filhos de Jó (42.13,14).
4- O nome dos pais de Jó (3.3).
5- O nome dos irmãos e irmãs (42.11).
6- Quanto tempo durou a provação de Jó (42.10).
7- Quantos anos exatamente Jó viveu (42.16,17).

CONCLUSÃO: 

O livro de Jó apresenta três visões sobre fé e sofrimento: (1) Visão de Satanás: As pessoas creem em Deus somente quando estão prosperando, e não sofrendo. Isto não é verdade. (2) Visão dos amigos de Jó: O sofrimento é o juízo de Deus pelo pecado. Isto nem sempre é verdade. (3) Visão de Deus: O sofrimento é a maneira que Deus usa para ensinar, disciplinar e refinar a nossa vida. Nos fazendo confiar nele por quem Ele é, e não pelo que Ele faz. 

Por todo o livro, os amigos de Jó lhe pediram que admitisse seu pecado e pedisse perdão, e, no final, Jó realmente se arrependeu. Ironicamente, o arrependimento de Jó não era do tipo que seus amigos lhe julgaram. Ele pediu perdão, não por cometer pecados secretos, mas por questionar a soberania e a justiça de Deus (Jó.42.1-6).