segunda-feira, 16 de abril de 2018

NÃO OFERECEREI AO SENHOR SACRIFÍCIO QUE NÃO ME CUSTE NADA.

E Gade veio naquele mesmo dia, a Davi e disse: Sobe, levanta ao SENHOR um altar na eira de Araúna, o jebuseu. Davi subiu conforme a palavra de Gade, como o SENHOR lhe tinha ordenado. E olhou Araúna e viu que vinha para ele o rei e os seus servos; saiu, pois, Araúna, e inclinou-se diante do rei com o rosto em terra. E disse Araúna: Por que vem o rei meu senhor, ao seu servo? E disse Davi: Para comprar de ti esta eira, a fim de edificar nela um altar ao SENHOR, para que este castigo cesse de sobre o povo. Então, disse Araúna a Davi: Tome e ofereça o rei, meu senhor, o que bem parecer aos seus olhos, eis ai bois para o holocausto, e os trilhos, e o aparelho dos bois para lenha. Tudo isso deu Araúna ao rei; disse mais Araúna ao rei: O SENHOR, teu Deus, tome prazer em ti. Porém o rei disse a Araúna: Não, porém por certo preço to comprarei, porque não oferecerei ao SENHOR meu Deus, holocausto que me não custem nada. Assim, Davi comprou a eira e os bois por cinquenta siclos de prata (II Samuel, 24.18-24).

Sem pedir a direção de Deus, Davi decidiu fazer um censo e mandou contar todos os habitantes do reino de Israel. Ao que parece, Davi não confiou em Deus para multiplicar seu povo, mas quis saber o número exato de homens a fim de se orgulhar de seu poder. Em outras palavras, Davi passou a confiar mais em seu exército do que na proteção de Deus.
A questão da motivação é o ponto mais importante do relato, porque levantar o censo não era propriamente um pecado em si. Na verdade, o livro de números relata que Deus instruiu Moisés a fazer um censo (Nm.1.2,3; 26.2).

Davi reconheceu seu pecado e implorou o perdão de Deus (II Samuel, 24.10). Deus respondeu enviando o profeta Gade para comunicar a punição. Desse modo, Deus ofereceu a Davi três opções de escolha: Sete anos de fome, três meses de ataques inimigos, ou três dias de pestes na nação (II Sm.12,13). Davi analisou é optou pela terceira. Então Deus enviou uma praga que matou setenta mil pessoas (II Sm.24.15,16). Para aplacar a ira de Deus era necessário oferecer um sacrifício para fazer cessar a praga. De modo que, o profeta Gade, trouxe uma mensagem a Davi instruindo o rei a construir um altar na eira de Araúna, o jebuseu (II Sm.24.18).
Davi obedeceu e foi a Araúna, e ele o recebeu de bom grado. Araúna estava disposto a entregar sua eira a Davi como presente, porém Davi se recusou em receber e insistiu em comprá-la. Neste momento Davi foi motivado a pronunciar uma das mais belas frases do texto sagrado: Não oferecerei ao SENHOR meu Deus, holocausto que não me custe nada. Depois que Davi ofereceu o sacrifício, a ira do SENHOR cessou (II Sm.24.25).

Davi pecou como qualquer homem, e teve as suas falhas, mas ele tinha uma devoção sincera a Deus, e um respeito muito grande as coisas sagradas. Isso fazia a diferença.
Davi se preocupava em oferecer o melhor para Deus.
Esta atitude de Davi, serve de exemplo para todos os servos do SENHOR, pois tal como fez Davi, devemos oferecer o melhor do nosso sacrifício para Deus. A parti do nosso corpo, devemos oferecer a Deus o melhor de tudo que temos e somos. Paulo entendendo este princípio de vida, diz aos irmãos de Roma: Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis o vosso corpo em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional (Romanos, 12.1).
O problema é que muitos cristãos querem o melhor de Deus, mas não querem dá o melhor para Deus.
Davi era rei, mas não deixou o rei (ego) dominar seu coração. Ele continuou sendo crente devoto ao SENHOR. Muitos hoje, começam com humildade, trilhando o caminho da oração, mas depois de serem abençoados, sendo prósperos em seus estudos, formaturas e posição social, tornam-se crentes frios e alheios a obra de Deus. Não tem prazer em ofertar, quando ofertam o fazem como uma obrigação, e não com prazer e devoção. Muitos oferecem o resto para Deus. O resto da sua vida. O resto dos seus talentos. O resto das sua finanças. O resto do seu tempo para prestar culto a Deus. Enfim, buscar em primeiro lugar o Reino de Deus, como Jesus ensinou, não é prioridade na vida de muitos cristãos. A bem da verdade, muitos estão se tornando crentes materialistas e se preocupam mais em buscar e pensar nas coisas da terra do que nas do céu. Que possamos repetir e praticar junto com Davi, em dizer: Não oferecerei ao SENHOR meu Deus, holocausto que não me custe nada. Amém!

Nenhum comentário:

Postar um comentário