segunda-feira, 12 de agosto de 2019

BAJULAÇÃO, UM PECADO SUTIL.

O homem que lisonjeia a seu próximo arma uma rede aos seus passos (Provérbios, 29.5).

Por repetidas vezes, a Bíblia reprova este tipo de atitude hipócrita chamada de lisonja, adulação, bajulação ou na expressão popular, puxa-saco. A bajulação ou as palavras lisonjeiras geralmente são dirigidas as pessoas que estão em posição elevadas. O alvo dos bajuladores são as pessoas que estão em cargos de chefia nas empresas, bem como, os donos e patrões das empresas. Por trás deste pecado sutil, desfaçado de elogios, há um interesse velado por parte do bajulador. É fato que, no meio do povo de Deus, também temos visto grande número de bajuladores. Geralmente, o alvo destes bajuladores são os pastores e lideres da Casa de Deus. Em contrapartida, só existe bajuladores porque há também grande número de pastores, lideres e pregadores que se alimentam de bajulações e gostam de elogios para massagearem o seu ego. O teólogo e pregador Aurélio Agostinho, disse: "Prefiro os que me criticam, porque me corrigem, aos que me elogiam, porque me corrompem". O problema é que nós somos mais receptivos para receber palavras de elogios, mesmo que sejam falsas, do que receber palavras de criticas e exortações. Este pecado sutil tem se alastrado nas igrejas e tem causados grandes prejuízos na obra do Senhor. Na época de Paulo, também havia cristãos bajuladores. Em I tessalonicenses 2.5, para não ser confundido com os bajuladores, Paulo declarou: " A verdade é que jamais nos utilizamos de linguagem bajuladora, como bem sabeis, nem de artimanhas gananciosas. Deus é testemunha desta verdade (Versão atualizada King James).

É muito desagradável ouvir uma pessoa "bajular" alguém. A lisonja, além de falsa, ela é uma armadilha para o bajulador. Quem bajula não fala com sinceridade de coração, ele usa um desface e articula palavras falsas cheias de elogios. Os cristãos verdadeiros não devem ser bajuladores. Aqueles que proclamam a verdade de Deus tem a responsabilidade de serem sinceros e honestos em suas palavras e ações. Dizer as pessoas o que elas gostam de ouvir é fácil; mas devemos ser sinceros e ter coragem de falar o que as pessoas precisam ouvir. Que os lábios lisonjeiros dos bajuladores, desapareçam do meio do povo de Deus, e que os lábios da sinceridade e da verdade se multipliquem para glória de Deus. Amém!

ALGUNS VERSÍCULOS NOS LIVROS POÉTICOS SOBRE LISONJA OU BAJULAÇÃO:

Seduziu-o com a multidão das suas palavras, com as lisonjas dos seus lábios o persuadiu (Pv.7.21).

O homem que lisonjeia seu próximo arma uma rede aos seus passos (Pv.29.5).

A língua mentirosa odeia aqueles a quem fere, e a boca lisonjeira provoca a ruína (Pv.26.28).

Cada um fala com falsidade ao seu próximo; falam com lábios lisonjeiros e coração dobrado (Sl.12.2).

O SENHOR cortará todos os lábios lisonjeiros e a língua que fala soberbamente (Sl.12.3).

Queira Deus que eu não faça acepção de pessoas, nem use de lisonjas com o homem! (Jó, 32.21).

Porque não sei usar de lisonjas; em breve me levaria o meu Criador (Jó, 32.22).

* Há um provérbio que diz: O perverso de coração nunca achará o bem; e o que tem língua dobre virá a cair no mal (Pv.17.20).
O termo coração dobrado ou língua dobre, conforme o salmos 12.2 e Tiago 1.8, significa a pessoa que diz uma coisa, mas sente outra. Ou seja, é uma pessoa que falta com a verdade e anda com duas conversas, um dia ela será pega em contradição e a sua vida será uma ruína.
Que os mentirosos, os de coração dobrados e os bajuladores, abandonem suas praticas pecaminosas e convertam-se de todo coração ao Senhor Jesus. Amém!

Nenhum comentário:

Postar um comentário